bolsonaro pesquisa

Bolsonaro é o presidente com pior aprovação após um semestre de mandato desde Collor

A nova pesquisa do Datafolha foi divulgada nesta segunda-feira (8) e mostra que 33% dos entrevistados avaliam o governo federal como ótimo ou bom. Entretanto, a mesma porcentagem considera a gestão ruim ou péssima.

31% classificaram a administração como regular e 2% não opinaram.

O estudo ouviu 2.860 pessoas, maiores de 16 anos, em 130 municípios. Além disso, a margem de erro é de dois pontos percentuais.

Com esse resultado, Bolsonaro é o presidente eleito com pior avaliação desde Fernando Collor de Mello, em 1990. Após um semestre no governo, Collor tinha 34% de aprovação, mas somente 20% de rejeição.

Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff tiveram índices superiores a isso.

A última pesquisa do Datafolha foi divulgada em abril. Nela, 32% aprovavam a administração como boa ou ótima e 30% consideravam o governo ruim ou péssimo. 33% achavam a gestão regular e 4% não opinaram.

IBOPE

No final de junho, a pesquisa do Ibope teve resultados similares.  32% dos brasileiros avaliaram o governo como ótimo ou bom, mesmo percentual que classificam a gestão como ruim ou péssima.

Foi a pior avaliação do governo Bolsonaro neste ano, que começou com aprovação de 49%.

jan/2019: 49%
fev/2019: 39%
mar/2019: 34%
abr/2019: 35%
jun/2019: 32%

Bolsonaro

Governo Bolsonaro tem pior aprovação desde a posse, diz Ibope

A aprovação do governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) voltou a oscilar negativamente e é a pior desde o início do mandato. É o que mostra nova pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (27). O levantamento foi encomendado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).

A pesquisa mostra que 32% dos brasileiros avaliam o governo como ótimo ou bom. O levantamento indica ainda que 32% da população opinaram que a gestão é ruim ou péssima. 3% dos entrevistados não souberam ou não quiseram responder.

A pesquisa foi realizada entre os dias 20 e 26 de junho. Foram ouvidas 2.000 pessoas em 126 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em relação ao último levantamento CNI/Ibope, divulgado em abril, o índice de ótimo/bom oscilou negativamente três pontos percentuais, dentro da margem de erro: de 35% para 32%. Já o registro de ruim/péssimo subiu cinco pontos: 27% para 32%.

Na comparação entre todos os levantamentos mensais -com exceção de maio, em que não houve pesquisa-, a aprovação do governo em junho é a pior do ano.

No momento da divulgação da pesquisa, Bolsonaro está em Osaka, no Japão, para participar, nos próximos dois dias, da cúpula dos líderes do G20.

Avaliação do governo Bolsonaro em junho de 2019 (a soma dos valores pode diferir de 100% por questões de arredondamento):

Ótimo/bom: 32%
Regular: 32%
Ruim/péssimo: 32%
Não sabe/não respondeu: 3%

Avaliação do governo/Bolsonaro como ótimo/bom:

jan/2019: 49%
fev/2019: 39%
mar/2019: 34%
abr/2019: 35%
jun/2019: 32%

Ibope: Bolsonaro tem 57% e Haddad 43% dos votos válidos

O Ibope divulgou, na noite desta terça-feira (23), a segunda pesquisa de intenção de voto do instituto para o segundo turno das eleições presidenciais. A menos de uma semana para o pleito, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) caiu dois pontos percentuais, mas segue à frente na disputa pela Presidência da República com 57% dos votos válidos (tinha 59%). Já Fernando Haddad (PT) subiu dois pontos percentuais e agora tem 43% (tinha 41%). A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de São Paulo.

Segundo o Ibope, o percentual de votos válidos de cada candidato corresponde à proporção de votos do candidato sobre o total de votos, excluídos os votos brancos, nulos e indecisos.

Considerando os votos totais, Jair Bolsonaro tem 50% das citações (eram 52%) e Fernando Haddad, do PT, alcança 37% das menções entre os eleitores brasileiros (mesma intenção de voto verificada anteriormente). Aqueles que declaram votar em branco ou anular o voto somam 10% e os que não sabem ou não respondem totalizam 3% (eram 9% e 2%).

PESQUISA

A pesquisa foi feita entre os dias 21 e 23 de outubro pelo Instituto Ibope Inteligência. Ela foi contratada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo e está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o Nº BR-07272/2018.

Foram entrevistados 3.010 eleitores em 208 municípios. Segundo o Ibope, o nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Ibope coloca Bolsonaro na liderança com 59% dos votos válidos

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira pela TV Globo e Pelo jornal O Estado de S. Paulo aponta a liderança de Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno da eleição presidencial com 49% dos votos válidos, contra o 41% de Fernando Haddad (PT). É a primeira pesquisa do instituto para o segundo turno.

Na votação absoluta, o candidato do PSL já soma mais de 50% do total de votos (52%), contra 37% do petista, 9% de brancos e nulos e apenas 2% de indecisos, o que garantiria a vitória do deputado federal mesmo que todos os votos nulos e de indecisos migrassem para o ex-prefeito de São Paulo.

O levantamento foi realizado na sábado (13) e domingo (14), e tem margem de erro de 2 pontos, para mais ou para menos. Foram entrevistadas 2506 eleitores em 176 municípios. A pesquisa está registrada na TSE sob o número BR‐01112/2018.

Novo Ibope aponta Bolsonaro com 32% e Haddad com 23%

Pesquise Ibope divulgada nesta quarta-feira pelo site do jornal O Estado de S. Paulo aponta que Jair Bolsonaro (PSL) lidera o primeiro turno da corrida presidencial com 32% das intenções de voto. O segundo colocado é Fernando Haddad (PT), com 23%.

A apenas quatro dias da eleição, os dois líderes mantém considerável vantagem para o terceiro colocado, Ciro Gomes (PDT), que aparece com 10%, o que indica o segundo turno entre o deputado federal e o ex-prefeito de São Paulo. Geraldo Alckmin (PSDB) aparece com 7% das intenções de voto, enquanto Marina Silva (Rede) se manteve com 4%.

Em relação à pesquisa anterior, divulgada na segunda-feira, os principais candidatos apenas oscilaram dentro da margem de erro: Bolsonaro e Haddad ganharam um e dois pontos, respectivamente, enquanto Ciro e Alckmin perderam um ponto cada um.

Em votos válidos, índice considerado pelo TSE, Bolsonaro atinge 38%, ainda longe dos 50% mais um, necessários para a eleição em primeiro turno. Haddas chega a 28%.

No caso de segundo turno entre os dois candidatos, o Ibope indica um empate técnico: Haddad com 43% e Bolsonaro com 41%.

Os dois primeiros colocados na disputa também ocupam as mesmas colocações no quesito rejeição: 42% dos eleitores não votariam de jeito nenhum em Bolsonaro, e 37% em seu principal adversário.

O Ibope ouviu 3.010 eleitores, em 209 municípios, entre os dias 1º e 2 de outubro. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos, e o intervalo de confiança é de 95%. Isso significa que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro. O registro na Justiça Eleitoral foi feito sob o protocolo BR‐08245/2018. Os contratantes foram o Estado e a TV Globo.

Bolsonaro vai a 31% e Haddad fica estável em 21%, diz Ibope

Pesquisa Ibope divulgada nesta segunda-feira (1º) aponta que Jair Bolsonaro (PSL) subiu quatro pontos em relação ao levantamento anterior e agora tem 31% das intenções de voto à Presidência da República. Já Fernando Haddad (PT) segue em segundo lugar e manteve os mesmos 21% da pesquisa anterior. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Em terceiro aparece Ciro Gomes (PDT), também estacionado em 11%, seguido por Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%, e Marina Silva (Rede), com 4%. A lista segue com João Amoêdo (Novo), com 3%, Alvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB), com 2% cada, e Cabo Daciolo (Patriota), com 1%.

Guilherme Boulos (PSOL), Vera Lúcia (PSTU) e Eymael (DC) não chegaram a 1%. João Goulart Filho (PPL) não foi citado por nenhum entrevistado pelo Ibope nesse levantamento.

Bolsonaro e Haddad continuam a ser os candidatos com maior de rejeição. Enquanto o capitão reformado manteve 44%, o petista viu sua rejeição crescer 11 pontos e chegar a 38%.

A pesquisa foi contratada pela TV Globo e ouviu 3.010 eleitores em 208 cidades brasileiras nos dias 29 e 30 de setembro. Ela está registrada no TSE com o número BR-08650/2018. O nível de confiança é de 95%.

No segundo turno, Bolsonaro perde para Ciro Gomes, por 45% a 39%.

Também empata tecnicamente com Geraldo Alckmin. O tucano marca 42%, enquanto o capitão reformado fica com 39%, dentro da margem de erro.

Bolsonaro empata com Haddad. Ambos ficam com 42% das intenções de voto. Ele vence Marina Silva, por 43% a 38%.

A resiliência de Bolsonaro chama a atenção principalmente porque ele foi muito atacado pelos seus adversários nos últimos dias, além de ter enfrentado uma sucessão de notícias negativas. Parte delas foi criada por seus próprios assessores.

O economista Paulo Guedes sugeriu, em palestra fechada, a recriação da CPMF, enquanto seu candidato a vice, general Hamilton Mourão, fez questionamentos a respeito do décimo terceiro salário.

Também houve manifestações de mulheres contra ele.

Ibope: Ratinho lidera corrida ao governo do PR com 44%, seguido por Cida com 17%

A nova pesquisa do Ibope, divulgada na tarde desta quinta-feira (27), aponta que o candidato do PSD, Ratinho Junior, lidera a corrida ao Palácio Iguaçu, com 44% das intenções de voto, seguido pela governadora Cida Borghetti (PP), com 17%.

João Arruda (MDB) está em terceiro com 10%, Doutor Rosinha (PT) com 6%, Ogier Buchi (PSL) tem 2%. Quatro candidatos estão empatados com 1% das intenções: Professor Piva (PSOL), Professor Ivan Bernardo (PSTU), Priscila Ebara (PCO) e Jorge Bernardi (Rede). Geonísio Marinho do PRTB aparece com 0%* nas pesquisas. Brancos e Nulos e “não sabe” tem 9% cada.

A pesquisa foi encomendada pela RPC.

Este já é o terceiro levantamento realizado para as eleições deste ano. O segundo após o registro das candidaturas.

Pesquisa espontânea

Ratinho continha na frente (25%) quando o eleitor é questionado em quem vai votar e não recebe sugestão de nomes, a chamada pesquisa espontânea. Nesse caso, o número de eleitores indecisos subiu para 42% e brancos e nulos para 14%.

Cida aparece com 8%, seguida de Arruda que tem 4%, Rosinha com 3%, Ogier com 1% e Jorge Bernardi e Professor Ivan Bernardo com 0%.

A pesquisa foi registrada no TRE: PR‐07128/2018 e no TSE: BR‐03369/2018. A pesquisa foi feita de 24 a 26 de setembro e ouviu 1204 eleitores com 16 anos ou mais, em todo o Paraná. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

  • Quando o candidato não chegou a somar 1% das intenções.

Bolsonaro segue líder, mas perde para Haddad, Alckmin e Ciro em 2º turno, diz CNI/Ibope

Pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta quarta-feira (26) aponta que Jair Bolsonaro (PSL) segue na liderança da corrida presidencial, com 27% das intenções de voto, seguido por Fernando Haddad (PT), com 21%. Em seguida estão Ciro Gomes (PDT), com 12%, Geraldo Alckmin (PSDB), com 8%, e Marina Silva (Rede), com 6%.

João Amoêdo (Novo) aparece com 3%, seguido dos empatados Álvaro Dias (Podemos) e Henrique Meirelles (MDB), com 2%. Guilherme Boulos (Psol) tem 1%. Entre os eleitores, 11% se declararam brancos e nulos, e 7% não responderam ou não souberam responder.

Em um segundo turno, o capitão reformado aparece numericamente atrás de Haddad (42% a 38%) e de Alckmin (40% a 36%), e perde de Ciro (44% a 35%). Ele aparece à frente de Marina (40% a 38%) dentro da margem de erro da pesquisa (dois pontos percentuais para mais ou para menos).

Os dois líderes nas pesquisas também são os candidatos com maior índice de rejeição junto ao eleitor, reforçando o alto grau de polarização na disputa. Bolsonaro aparece como o candidato com maior índice de rejeição, com 44% dos eleitores afirmando que não votariam nele de jeito nenhum. Haddad e Marina empatam na segunda colocação, com 27%.

Os eleitores do candidato do PSL são os que apresentam maior grau de convicção, dado que 55% deles responderam que a decisão de votar nele é definitiva. No caso de Haddad, 49% disseram que não trocarão a escolha de candidato.

O levantamento CNI/Ibope também perguntou sobre o voto útil. Entre os eleitores, 28% afirmaram que a probabilidade de deixar de votar no candidato de sua preferência para evitar que outro que ele não gosta vença a eleição é alta ou muito alta.

A pesquisa foi contratada pela Confederação Nacional da Indústria e ouviu 2.000 eleitores entre os dias 22 e 24 de setembro em 126 cidades brasileiras.O levantamento está registrado no TSE com o número BR-04669/2018. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Ibope deve divulgar pesquisa ao governo nesta quinta-feira

Uma pesquisa do instituto Ibope com intenções de voto para o governo do Paraná deve ser divulgada na próxima quinta-feira (27). Será o terceiro levantamento do instituto neste ano – a segunda pesquisa Ibope depois que as candidaturas ao governo foram oficializadas.

A pesquisa também vai medir intenções de voto às duas vagas para o Senado no Paraná e à Presidência da República no Estado. O registro foi feito no Tribunal Superior Eleitoral. O levantamento foi contratado pela RPC-TV.

 

Ibope registra nova pesquisa para Governo e Senado; Resultado deve sair na quinta

O Ibope registrou uma nova pesquisa para medir as intenções de voto no Paraná para Governo do Estado e Senado. Ela foi registrada no dia 21 de setembro com o número PR-07128/2018. O levantamento – que deve ouvir 1,2 mil eleitores – vai ser divulgado na quinta-feira (27), há dez dias do primeiro turno da eleição.

A pesquisa foi encomendada pela RPC e vai ser a terceira do Ibope. A última foi divulgada no dia 4 de setembro e apontou os candidatos ao Senado Roberto Requião (MDB) e Beto Richa (PSDB) no topo das intenções de voto. Requião apareceu com 43% enquanto Richa tinha 28%.

Na terceira posição apareceu Flavio Arns (Rede), com 17% das intenções. Na sequência vieram Alex Canziani (PTB) com 11%; Professor Wlson Pickler (PSL) com 4%; Mirian Gonçalves (PT), Nelton (PDT), Oriovisto Guimarães (Podemos), Zé Boni (PRTB) e Rodrigo Tomazini (Psol), com 3% das intenções cada; Rodrigo Reis (PRTB) e Roselaine Barroso (Patriotas) com 2% cada; Compadre Luiz Adão (DC), Gilson Mezarobba (PCO) e Jacque Parmigiani (Psol) com 1% cada.

Neste ano, os eleitores terão que escolher dois candidatos ao Senado.

A pesquisa também foi encomendada pela RPC e registrada pelo Instituto Ibope Inteligência. Foram ouvidos 1.204 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais. O levantamento foi feito entre os dias 1 e 4 de setembro. O registro da pesquisa PR-04985/2018 (TRE) e BR-01988/2018 (TSE).

De acordo com o Ibope, a margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.