Inep divulga nesta quarta-feira gabaritos oficiais do Enem

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) divulga hoje (13) os gabaritos oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Também serão divulgados os Cadernos de Questões, em todas as suas versões.

No total, serão seis gabaritos para cada dia de aplicação e seis Cadernos de Questões, de acordo com as cores da prova e opções acessíveis. Os participantes podem acessar os gabaritos pelo portal do Inep, na página do Enem ou pelo aplicativo do Enem.

Os participantes deverão ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor de prova que fez em cada domingo de aplicação.

Mesmo com o gabarito em mãos, os participantes ainda não poderão saber qual nota tiraram no exame, isso porque o Enem é corrigido pela chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Pela TRI, não há um valor fixo para cada questão. A pontuação varia conforme o percentual de acertos e erros naquele item entre os participantes e também de acordo com o desempenho de cada estudante na prova.

O Enem 2019 foi aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. Cerca de 3,9 milhões de estudantes de todo o país compareceram ao menos em um dia de prova.

Os resultados individuais do Enem 2019 serão divulgados na Página do Participante e no aplicativo do Enem, em janeiro de 2020, a partir de consulta com CPF e senha.

O resultado dos participantes eliminados, segundo o Inep, não será divulgado, mesmo que eles tenham feito o Enem nos dois dias de aplicação. Para os treineiros, que fazem o exame para autoavaliação de conhecimentos, a consulta só será liberada em março do ano que vem.

enem - gabaritos

Gabaritos do Enem serão divulgados no dia 13 de novembro

Os gabaritos do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) serão divulgado no dia 13 de novembro, de acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Texeira). Os participantes fizeram neste domingo (3) as provas de redação, linguagens e ciências humanas. No dia 10, fazem as provas de matemática e ciências da natureza.

Desde as 18h30 deste domingo, os estudantes já podiam sair dos locais de prova com os Cadernos de Questões do Enem, o que ajuda na hora de conferir os gabaritos.

No dia 13, os participantes poderão acessar os gabaritos pelo portal do Inep ou pelo aplicativo do Enem. No total, são seis gabaritos para cada dia e seis Cadernos de Questões, de acordo com as cores da prova e opções acessíveis.

Segundo o Inep, os candidatos deverão ficar atentos para conferir o gabarito relativo à cor de prova que fez em cada domingo de aplicação.

Mesmo com o gabarito em mãos, não será possível saber a nota final do Enem. Isso por que o sistema de correção da prova, que segue a chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI), não atribui um valor fixo para cada questão.

Os resultados individuais do Enem 2019 serão divulgados também na Página do Participante ou no aplicativo do Enem, em data a ser anunciada, a partir de consulta com CPF e senha. A previsão é de que ocorra em janeiro.

De acordo com o Inep, o resultado dos participantes eliminados não será divulgado, mesmo que eles tenham realizado o Enem nos dois dias de aplicação. Para os treineiros, que fazem o exame para autoavaliação de conhecimentos, a consulta só será liberada 60 dias após a divulgação dos resultados.

Enem - vazamento da prova - Pernambuco - Abraham Weintraub

Vazamento da prova do Enem “aparentemente” foi em Pernambuco

O MEC (Ministério da Educação) trabalha com a possibilidade de que o vazamento de uma imagem da prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorreu em Pernambuco, segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Uma foto da prova foi publicada na internet e circula nas redes sociais.

“Isso aparentemente aconteceu em Pernambuco e a gente já está chegando ao nome da pessoa”, disse o ministro em vídeo publicado no Twitter. Segundo ele, o caso está sendo investigado pela Polícia Federal.

Em nota, o Inep confirmou que a imagem é real, mas afirmou que ela foi divulgada após a realização dos procedimentos de segurança, quando os estudantes já estavam todos nas salas de aplicação. Portanto, não haverá prejuízo aos participantes.

“Todos os procedimentos de segurança já haviam sido realizados, a prova já havia sido distribuída para todo mundo e alguém titou uma foto e colocou nas redes. Isso não compromete em nada tudo, segue normal”, disse o ministro.

Pelas regras do exame, é proibido o uso de aparelhos eletrônicos no local de aplicação do Enem, como celulares. Eles devem ser desligados e colocados dentro do envelope porta-objetos que cada candidato recebe. O uso desses objetos leva à eliminação do candidato.

Cerca de 5,1 milhões de candidatos estão inscritos no Enem. Hoje (3), eles fazem provas de redação, linguagens e ciências humanas. No próximo domingo (10), os participantes fazem provas de matemática e ciências da natureza.

dicas, dicas enem, semana, enem 2019, exame, graduação, prouni, sisu, bolsa de estudo, inep, mec, psicóloga, nervosismo, ansiedade, graduação, ensino superior

Dicas Enem 2019: psicóloga orienta candidato a driblar a ansiedade

Chegou o momento de relaxar. A recomendação pode parecer estranha na semana mais importante para os candidatos do Enem 2019, mas é uma das dicas mais importantes. No entanto, é preciso, sim, reduzir a pressão para cérebro e fazer escolhas que promovam maior descanso para o cérebro. Atualmente, o Enem faz parte do calendário de estudos de quem deseja cursar uma faculdade porque, ao conseguir uma boa pontuação na prova, é possível realizar o sonho de ingressar em um curso de graduação. Por isso, a concorrência é grande.

Com a aproximação das provas, é comum sentir nervosismo e, até mesmo, ansiedade, já que o resultado do rendimento na avaliação pode decidir o futuro do estudante. No entanto, sintomas aparentemente simples como agitação e dor de barriga indicam que o corpo precisa de descanso. Por isso, a psicóloga e docente do curso de Psicologia da Universidade Cruzeiro do Sul, Ksdy Sousa, dá algumas dicas. Ela defende que, antes da prova, o ócio é mais importante do que a revisão. “Geralmente, recomenda-se que dois dias antes da prova nada seja feito referente a isso, pois pode gerar mais ansiedade e o cérebro não irá registrar muita coisa. Talvez durante a semana possa ser feito, mas dois ou três dias antes da prova, não”.

A profissional alerta também que ter um bom sono é fundamental na semana final, pois ajuda o organismo a repor as energias e ter uma boa memória. “Uma boa noite de sono ajuda na tomada de decisão e concentração. Se você dormir bem você irá ter melhores decisões e mais clareza nas escolhas das respostas, melhorando o raciocínio e a atenção”, ressalta a psicóloga.

Expectativa pós-Enem 2019: quais são as dicas para lidar com a ansiedade?

Após fazer a prova do Enem, a ansiedade é pelo resultado individual, que deverá ser divulgado em janeiro de 2020, conforme cronograma do Ministério da Educação (MEC). Nesse meio tempo entre a realização e o resultado, o melhor a se fazer é relaxar e esquecer a avaliação. Inclusive, especialistas recomendam que a família oriente o estudante a descansar.

Ao ter acesso ao seu desempenho, o candidato pode usar a nota do Enem 2019 para ingressar em universidades públicas através do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), conseguir uma bolsa para universidade particular pelo Programa Universidade para Todos (Prouni) ou concorrer a uma vaga em uma universidade portuguesa. Há também a opção de estudar no Brasil em uma das milhares de instituições parcerias do Educa Mais Brasil. O maior programa de inclusão educacional do Brasil disponibiliza bolsa de estudo com até 70% de desconto.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Enem - Estudantes - MEC - Inep

Inep pode usar fotos para identificar particiantes do Enem em 2020

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) quer usar imagens para reconhecer os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir do ano que vem. A ideia, segundo o presidente do Inep, Alexandre Lopes, é que os estudantes forneçam sua foto na hora de fazer a inscrição e que a imagem seja usada para a verificação da identidade na hora da aplicação do teste.

Atualmente, os estudantes apresentam um documento oficial original com foto e é feita a coleta da digital dos participantes. “Tem documento em que, às vezes, a foto não está boa, ou é antiga. Então, coletando a foto no ato da inscrição, a gente pode fazer a verificação da identidade dele [participante] de forma eletrônica. A ideia é a gente avançar na questão da identificação do aluno, facilitando a identificação”, disse Lopes.

O envio de imagens foi feito neste ano de forma optativa. De acordo com Lopes, na hora da inscrição, os participantes podiam enviar uma foto que os identificasse. O envio pode se tornar obrigatório a partir do ano que vem.

Neste ano, o Inep não usará as imagens para identificação: as fotos enviadas servirão para testar os programas de identificação e de captação de imagem, explicou Lopes.

Ele disse que o Inep pretende expandir o uso de fotos para os demais exames aplicados pela autarquia e que, para isso, pedirá autorização dos participantes. O uso das fotos será restrito ao exame em questão.

De acordo com o presidente do Inep, a ferramenta pode ajudar na identificação dos participantes também na versão digital do Enem. “Com a aplicação do Enem digital, com a digitalização dos exames, a gente pode fazer a comparação da foto e coletar a digital eletronicamente, para não ter que ficar só sujando o dedinho do aluno.”

O Enem digital começa a ser aplicado em 2020, em fase piloto. A previsão do governo é abandonar as versões impressas em 2026.

O Exame Nacional do Ensino Médio é aplicado anualmente pelo Inep para estudantes de todo o país. O resultado do exame pode ser usado para o ingresso em universidades públicas por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para concorrer a bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Além do Enem, o Inep é responsável por exames como o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja), pelo Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) e pelo Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

ENEM: Candidatos podem consultar os locais de prova a partir desta quarta (16)

A partir de amanhã (16), os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) poderão acessar o Cartão de Confirmação da Inscrição e saberão o local onde farão o exame. As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10 de novembro. Cerca de 5,1 milhões de estudantes estão inscritos no Enem 2019.

O cartão, que poderá ser consultado na Página do Participante, na internet, ou pelo aplicativo do Enem, disponível para download nas plataformas Apple Store Google Play.

Além do local de prova, os participantes poderão conferir, no Cartão, o número da sala onde farão o exame; a opção de língua estrangeira feita durante a inscrição; e o tipo de atendimento específico e especializado com recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados; entre outras informações.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pela aplicação do exame, recomenda que os participantes, assim que souberem onde farão o exame, façam o trajeto até o local de prova para verificar a distância, o tempo gasto e a melhor forma de chegar ao local de prova, evitando atrasos no dia da aplicação.

No dia do Enem, a dica é chegar no local com antecedência. Os portões abrirão às 12h, pelo horário oficial de Brasília, e serão fechados às 13h. O Inep recomenda que os participantes levem o Cartão de Confirmação da Inscrição impresso nos dois dias de aplicação do exame e alerta para que não deixem para acessar o documento somente na véspera da prova.

APLICATIVO ENEM

Segundo o Inep, mais de 2,5 milhões de pessoas já baixaram o aplicativo desde seu lançamento, em setembro de 2016. O dispositivo é gratuito e oferece acesso a diversas informações do Enem.

O usuário tem acesso, por exemplo, ao cronograma do exame, mural de avisos, edital, vídeo do edital em Língua brasileira de sinais (Libras), notícias, o programa Hora do Enem, da TV Escola, entre outras informações. O local de prova também estará disponível no aplicativo.

Após as provas, o participante poderá consultar no aplicativo o gabarito e o resultado final, conforme cronograma de divulgação.

O Enem 2019 será realizado em 1.727 municípios brasileiros. Quem já concluiu o ensino médio ou vai concluir este ano pode usar as notas do Enem para se inscrever no Sistema de Seleção Unificada, que oferece vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes podem ainda concorrer a bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos e a financiamentos pelo Fundo de Financiamento Estudantil.

ensino superior, educação, educação superior, censo, inep, dados, inpe, bolsas, bolsas de estudo, enem, enem 2019, pesquisa, crescimento

Educação superior: matrículas crescem no país, aponta Inep

O número de brasileiros cursando algum curso de educação superior no Brasil já avança para os mais de 8 milhões. Desse número, a maioria das matrículas, o equivalente a 6,37 milhões, está concentrada em 2.238 instituições de ensino privado. As demais 2,08 milhões de matrículas estão nas 299 instituições públicas. Os números foram levantados pelo Censo da Educação Superior 2018, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Também houve crescimento na oferta de vagas em cursos de cursos de graduação na modalidade educação a distância (EAD), tendo o número de ingressos nos cursos online dobrado de 20% em 2008, para 40% em 2018. Nos últimos cinco anos, segundo o Inep, os ingressos nos cursos presenciais diminuíram 13%. Em 2018, foram ofertadas 7,1 milhões de vagas nos cursos de educação a distância e 6,3 milhões em cursos presenciais.

Já o balanço do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2019 apontou que 30,3% dos estudantes participantes da avaliação chegaram ao final da graduação por conta do auxílio de programas de auxílio estudantil, Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) ou uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni).

Outros 17,8% conseguiram bolsas e financiamento com a própria instituição privada ou por empresas e organizações não governamentais (ONGs). Umas dessas empresas é o Educa Mais Brasil 2020, que com mais de 15 anos no mercado já beneficiou mais de 1 milhão de estudantes em todo país. Para conseguir uma bolsa de estudo de até 70% de desconto em cursos de educação superior, o interessado deve, apenas, acessar o site do programa e conferir todas as oportunidades disponíveis em sua região.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

enem, enem 2019, exame nacional do ensino médio, provas, inep, impressão, remessa

Primeira remessa de provas do Enem 2019 já saiu para distribuição

Começou a ser distribuída nessa quinta (3), em direção à Bahia e ao Pará, a primeira remessa das 10,2 milhões de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Segundo o Inep, do total de provas, 408 mil impressões pertencem ao primeiro malote que saiu do 4º Batalhão de Infantaria Leve do Exército, em Osasco (SP), com a escolta da Polícia Militar.

A logística das provas conta com reforço de diversas equipes de segurança, conforme reforça o diretor de Gestão e Planejamento do Inep, Murillo Gameiro: “destaco o papel da Polícia Militar de São Paulo que, durante todo o período de impressão dos cadernos das provas, fez o acompanhamento das provas na gráfica”.

O exame está previsto para ocorrer nos dias 3 e 10 de novembro deste ano em 1.727 municípios brasileiros. O Enem avalia o desempenho do estudante e viabiliza o acesso à educação superior, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e instituições portuguesas. O exame também possibilita o financiamento e apoio estudantil, através do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Fonte: Agência Educa Mais Brasil*Com informações do Inep

Governo desbloqueia R$ 1,15 bilhão de orçamento de universidades e institutos federais

Os R$ 1,99 bilhão desbloqueados do orçamento do Ministério da Educação serão destinados, em sua maioria, para universidades e institutos federais. Também haverá recomposição orçamentária para pagamento de bolsas de pesquisa vigentes, compra de material didático e avaliações de larga escala.

O governo Jair Bolsonaro (PSL) anunciou no último dia 17 o desbloqueio total de R$ 8,3 bilhões no orçamento federal até o fim de setembro, sendo R$ 1,99 bilhão para o MEC.

O MEC teve um congelamento neste ano de R$ 5,8 bilhões. Dessa forma, continuam contingenciados R$ 3,8 bilhões -desse valor, há R$ 926 milhões que devem ser transferidos para outras pastas mas isso depende de aprovação do Congresso de um projeto de remanejamento.

A recomposição será de R$ 1,156 bilhão para universidades e institutos federais (58% do total reativado no orçamento). Só as universidades haviam passado por um bloqueio de R$ 2,2 bilhões, que atingia 30% dos recursos discricionários (que não contam salários).

De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a recomposição será distribuída de forma igual para as instituições. Assim, o desbloqueio deve ser reduzido para 15% dos recursos discricionários.

“Não foi corte, foi contingenciamento, por isso estamos descontingenciando, como anunciamos desde o primeiro momento”, disse Weintraub em entrevista coletiva nesta segunda-feira (30) em Brasília. “Tudo foi feito para não ter interrupção dos serviços”.

A ação de compra de livros didáticos terá recomposição de R$ 290 milhões. Outros R$ 270 milhões serão direcionados para a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) arcar com as bolsas vigentes.

O governo cortou 8.629 bolsas de pesquisa financiada pela Capes, o equivalente a 9% do total disponível no início do ano.

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) terá o desbloqueio de R$ 105 milhões. O órgão é responsável por avaliações de larga escala, como o Enem e o Saeb (Sistema de Avaliação da Educação Básica).

O contingenciamento de recursos é prática recorrente realizada pelo governo federal. Neste ano, no entanto, o ministro Weitraub iniciou uma crise ao afirmar em entrevista que algumas universidades teriam cortes porque praticavam o que ele chamou de balbúrdia.

Após má repercussão, a pasta divulgou que o percentual de congelamento seria aplicado de forma isonômica a todas as instituições.

O ministro disse nesta segunda que o governo estuda a possibilidade de desbloquear todos os valores bloqueados até o fim do ano, mas isso depende do comportamento da arrecadação.
“A probabilidade é muito maior do que há seis meses. Acho que a gente caminha para descontingenciar tudo que foi contingenciado”, disse Weintraub.

Inep afasta servidores por quebra de protocolo de segurança no Encceja

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Alexandre Lopes, informou nesta terça-feira (21) que afastou dois servidores por quebra no protocolo de segurança nos procedimentos de confecção da prova do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) 2019.

O Encceja serve para conceder o diploma de conclusão do ensino fundamental ou médio para jovens e adultos que não conseguiram obtê-lo na idade adequada. Lopes disse que ainda não é possível avaliar se a medida vai resultar no adiamento do exame, previsto para ocorrer no dia 25 de agosto em 611 municípios.

Segundo o presidente do Inep, a quebra de segurança ocorreu durante a etapa de entrega da prova para a gráfica que vai confeccionar o exame. Pelo protocolo do Inep, um servidor transporta uma mídia física, como um pendrive ou DVD, com as questões do exame e outro servidor leva a senha memorizada para a abertura da mídia.

Os dois viajam em voos separados. A servidora que deveria memorizar a senha, esqueceu e pediu para o seu superior entrar na sala de segurança do Inep para enviar. O novo envio da senha ocorreu de forma eletrônica, o que é proibido pelos protocolos do Inep. O motivo é evitar que haja algum tipo de captura dos dados eletrônicos seja por ligação, ou envio de dados por e-mail ou aplicativos.

“O que houve foi que a servidora que memorizou a senha, esqueceu a senha. Entrou em contato com seu superior no Inep que entrou novamente na nossa sala segura e transmitiu a senha por forma eletrônica, aí é que houve a quebra no protocolo de segurança. A partir daí foi que tomamos a decisão de fazer o desligamento das pessoas e o afastamento para que a gente possa fazer a apuração de responsabilidade e, junto com a equipe, a gente trabalhe como fazer o Encceja”, disse Lopes em coletiva no Ministério da Educação na noite desta terça-feira.

Inscrição garantida

Lopes, que assumiu a presidência do Inep há poucos dias, disse que a quebra no protocolo não afetará os calendários de inscrições para o exame, que começaram ontem (20) pela internet e seguem até o dia 31 de maio.

A inscrição é gratuita. Para se inscrever é preciso ter, pelo menos, 15 anos completos na data da prova. Para o certificado do ensino médio, a idade mínima exigida é 18 anos. Até o momento cerca de 730 mil pessoas se inscreveram para o Encceja.

“Houve uma quebra no protocolo de segurança e por conta disso a gente resolveu trazer isso a publico e informar que as pessoas podem continuar a fazer suas inscrições no Encceja. Vamos fazer o desligamento dos servidores que fizeram essa inconformidade e reunir a equipe técnica para ver como vamos proceder em relação a prova”, disse.

As provas serão aplicadas no dia 25 de agosto em 611 municípios. Serão quatro provas objetivas, cada uma com 30 questões de múltipla escolha e uma redação. A nota mínima exigida para obtenção da proficiência é 100 pontos nas provas objetivas e de cinco pontos na redação.

Risco de adiamento

Hoje (22) a equipe do Inep vai se reunir para decidir se haverá ou não necessidade de adiar a realização do exame. “Isso pode acontecer, isso vai depender do que a equipe técnica vai falar. Assim que tivermos a informação a gente traz. A gente quer dar de forma muito transparente as informações para as pessoas que vão fazer o Encceja, para poder tranquilizá-las”, disse Lopes.

Questionado se a quebra de protocolo poderia se repetir com a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), Lopes disse que as medidas de segurança para o exame do Enem são mais rígidas.

“O protocolo de segurança do Enem é mais rígido. Esse transporte da mídia e da senha é feito com o acompanhamento da Polícia Federal e a abertura da prova na sala segura da gráfica também é acompanhada e filmada pela Polícia Federal”, disse.