jhonny lucas paraná clube

Maior venda da história do Paraná, Jhonny Lucas se despede do clube

O meia Jhonny Lucas se despediu do Paraná Clube nesta quarta-feira (21). O jogador de 19 vai defender o Sint-Truidense, da Bélgica, pelas quatro próximas temporadas.

“Hoje me despeço desse clube que me abriu as portas e me deu a oportunidade de realizar um sonho de criança ,porém meu carinho e admiração por esse clube fica , só tenho agradecer a torcida,diretoria e jogadores por sempre ter me tratado com muito carinho desde quando subi ao profissional, fica aqui meu agradecimento a esta instituição. OBRIGADO POR TUDO !!!”, postou o jogador em seu Instagram.

PROMESSA DA VILA

Segundo o jornalista Guilherme Moreira, do site Globoesporte.com, o Tricolor vai receber 2,3 milhões de euros pela transferência. Ou seja, o clube vai faturar cerca de R$ 10,3 milhões pela venda de 90% dos direitos do jogador, fechando a maior venda da história do Paraná.

Jhonny Lucas é visto como “diamante” desde as categorias de base do clube e chegou a ser chamado por Tite para treinar com a seleção brasileira. Teve propostas do Cruzeiro e Vasco, além de ser patrocinado pela Nike. No futebol europeu, despertou interesse de gigantes, como a Juventus, da Itália, e Arsenal, da Ingleterra.

DENTRO DE CAMPO

Entretanto, a definição da sua venda durou nove meses. O fato atrapalhou seu rendimento no Tricolor, já que ficou afastado da equipe principal.

No total, Jhonny Lucas atuou com a camisa paranista por 1.454 minutos. Foram 31 jogos e apenas dois gols marcados.

Ele começou a treinar com o time principal em julho de 2017, mas estreou em setembro daquele ano sob o comando de Matheus Costa. Entrou durante a vitória por 3 a 0 sobre o Náutico, pela 26ª rodada da Série B. Naquele ano, o time paranista conquistou o acesso à elite do futebol brasileiro, mas ele não pertencia ao time titular.

No ano seguinte, passou a ser titular da equipe no Campeonato Paranaense, ainda com o técnico Wagner Lopes. Atuou improvisado na lateral direita, mas passou a jogar no meio campo com o treinador Rogério Micale. O comandante, campeão olímpico pelo Brasil, trabalhou no Paraná na primeira parte do Brasileirão e chegou a comparar Jhonny com Paulinho, Elias e Ramires pela chegada no ataque.

Contudo, foi após a demissão de Micale que Jhonny Lucas teve mais oportunidades. Na reta final do Campeonato Brasileiro do ano passado, quando o Paraná já estava virtualmente rebaixado, Ele atuou como o camisa 10 e ganhou mais minutos em campo, apesar do rebaixamento do Tricolor. O técnico na época foi Dado Cavalcanti, demitido no começo desse ano.

Presidente do Paraná Clube revela o fracasso da negociação de Jhonny Lucas

Na apresentação do técnico Matheus Costa, na última sexta-feira (5), o presidente do Paraná Clube, Leonardo Oliveira, revelou o motivo de o meia Jhonny Lucas não ter sua saída do clube concretizada. O atleta, de 19 anos, recebeu várias propostas, mas voltou a estar à disposição do Tricolor e vai disputar a Série B – pelo menos até o meio do ano.

“O que aconteceu de errado é algo que não tenho a condição de te dar a resposta. Tivemos algumas propostas, que foram trabalhadas e até aceitas, mas não foram levadas adiante pelos clubes que fizeram as propostas. Os motivos eu não sei”, disse.

Oliveira explicou que os contratos foram afinados, mas, na hora de bater o martelo, os times interessados recuaram. “Nas duas situações onde trocamos minutas de contrato, a situação não evoluiu e a operação não aconteceu. Eles deixaram de fazer um investimento em um jogador promissor e nós deixamos de ter uma operação que nós sempre colocamos como prioridade do Paraná”, revelou.

O dirigente paranista ainda destacou as qualidades do jogador e afirmou que as negociações continuam.  “Para nós, é comemorar que temos um atleta no nível do Jhonny Lucas e temos a possibilidade de usá-lo. Essa operação vai acontecer? Espero que sim, pelo bem do Jhonyny, que tem um potencial muito grande, e para o clube, que temos um dos objetivos da gestão. Agora é dar sequência nos contatos que estão sendo feitos”, apontou.

RETORNO DE MATHEUS COSTA

Oliveira também comentou em relação ao retorno de Matheus Costa, após o treinador ter sido preterido após conseguir o acesso com o Paraná Clube em 2017. “Acho que corrige um pouco o que a gente fez no passado. É algo que acreditamos muito e desejo ao Matheus reconquiste tudo que ele já conquistou. O caminho ele já conhece e já provou ter a capacidade de nos levar à Série A”, ressaltou.

APRESENTAÇÃO DO TÉCNICO

Foto: Geraldo Bubniak / AGB

Matheus Costa, confirmado como o técnico do Tricolor para a disputa da Série B neste ano após a demissão de Dado Cavalcanti, foi apresentado nesta sexta-feira (5), no CT do Ninho da Gralha. Além de elogiar a estrutura do clube, ele agradeceu o convite da diretoria e ressaltou a dificuldade de disputar a Segundona.

“Estou muito confiante e esperava muito por essa oportunidade. A Série B é uma das competições mais difíceis do mundo. Você realmente não sabe quais equipes têm condição de disputar as primeiras colocações. No ano passado, duas equipes que tinham vindo da Série C acabaram subindo para a Série A”, analisou Matheus, que ainda revelou que aguarda pela contratação de quatro ou cinco jogadores para o torneio nacional.

Paraná estreia na competição no dia 27 de abril (sábado), às 19h, contra o Vila Nova, em Goiânia.

Paraná Clube - contrato - crise financeira

Presidente vê título estadual como ‘principal objetivo’ do Paraná

O presidente do Paraná, Leonardo Oliveira, declarou que o título do Campeonato Paranaense 2019 é a meta do clube neste momento. Em entrevista exclusiva à Rádio Banda B, o dirigente também lembrou que o Tricolor não conquista o título paranaense há 13 anos.

“Hoje a nossa meta é ser campeão paranaense. Não vencemos desde 2006, é o nosso principal objetivo neste momento”, declarou o mandatário.

Na Taça Barcímio Sicupira, o primeiro turno do Estadual, o time paranista ficou na terceira posição do Grupo B e não chegou a conquistar vaga na semifinal. Após a eliminação precoce, o técnico Dado Cavalcanti afirmou que espera mais competência da equipe para classificar ao mata-mata do segundo turno, a Taça Dirceu Krüger.

O Tricolor dá a largada na disputa contra o FC Cascavel. O jogo está marcado para o próximo sábado (9), às 16h, na Vila Capanema.

Venda de Jhonny 

Jhonny Lucas não teve sua transferência concretizada nessa janela. Foto: Geraldo Bubniak /AGB

Leonardo Oliveira também falou que o volante Jhonny Lucas está reintegrado ao Paraná e está à disposição do treinador Dado Cavalcanti. Com contrato até dezembro de 2020, o jogador de 19 anos ficou de fora da disputa da Taça Sicupira por causa das negociações. Entretanto, a diretoria tricolor não conseguiu concretizar a saída do atleta promissor antes do término da janela de transferências.

“Tivemos algumas situações que foram avaliadas, foram descartadas e temos algumas outras em negociação. Em virtude disso, ele ficou afastado no Paranaense por questão de respeito. Ele está reintegrado, apto a jogar e isso não suspende as negociações. Até este momento não tem nada fechado”, disse o presidente.

O destino de Jhonny Lucas mudou bastante. Além do interesse do Vasco, também especulou-se a venda para o futebol italiano, com suposta sondagem da Juventus, e do futebol português, onde iria atuar no Sporting Braga. No Brasil, o clube mais interessado em contar com o jogador foi o Vasco.

“Proposta oficial de dentro do Brasil nós tivemos uma. Tiveram sondagens de diversos clubes, mas a única proposta não nos agradou. As que tratamos com clubes de fora são mais atrativas e por disso estão sendo trabalhadas com prioridade”, completou Oliveira.

A venda do jogador é vista como fundamental para as finanças do clube. Segundo o site transfermkt, Jhonny é avaliado em € 800 mil, mas a transferência deverá chegar na casa dos 2 milhões de euros. Além da pouca idade e seu potencial, Jhonny é valorizado por ser convocado para a seleção brasileira de base e já ter sido chamado por Tite para treinar com a seleção principal.

Jhonny Lucas, do Paraná Clube, é desconvocado da Seleção Brasileira por lesão

O meia Jhonny Lucas, do Paraná Clube, foi desconvocado da semana de treinos da Seleção Brasileira Sub-20, em São Paulo, por causa de uma lesão na região do púbis. Ele retorna ao Tricolor para efetuar o tratamento médico. De acordo com a Confederação Brasileira de Futebol, a comissão técnica decidiu que não substituirá a vaga deixada pelo atleta.

Jhonny se apresentou à Seleção na última terça-feira (8). Na segunda-feira (7), ele atuou no empate em 1 a 1 entre Paraná e Chapecoense. O atleta foi avaliado pelo departamento médico da Seleção e queixou-se de dores, que aumentaram nesta quarta-feira (9), impedindo-o de estar apto para a prática de atividade física.

A Seleção Sub-20 volta a treinar nesta quinta-feira (10) às 15h30, no campo 1 do CT Joaquim Grava, do Sport Club Corinthians, em São Paulo. Na próxima segunda-feira (14), o time comandado por Carlos Amadeu disputa amistoso contra equipe de profissionais do Corinthians às 9h30.  O duelo faz parte da preparação para o Sul-Americano de 2019, que será realizado em janeiro. Torneio dá duas vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e também classifica os quatro primeiros para o Mundial Sub-20 da Polônia 2019.

Paraná Clube renova contrato com meia convocado para Seleção Brasileira Sub-20

O jogador do Paraná Clube, Jhonny Lucas, foi convocado para a Seleção Brasileira Sub-20. O meia foi titular do Tricolor nas últimas três partidas e também renovou contrato com o clube por mais três temporadas.

O meia tem 18 anos e teve o contrato prorrogado até dezembro de 2020.  “Vestir a camisa do Paraná Clube me enche de orgulho. Sempre torci para o Tricolor, cresci amando o clube e saber que vou jogar a Série A com esta camisa é outro sonho realizado”, disse o jogador.

Após vários dias de conversações, a reunião definitiva para a assinatura do novo contrato aconteceu na manhã desta quarta-feira (14), na Vila Capanema. “Agradeço ao Jhonny Lucas e seus agentes pela confiança no nosso trabalho. Estamos fazendo de tudo para reorganizar o clube em todos os setores e a permanência de um jogador deste nível mostra que estamos no caminho certo”, comentou o presidente Leonardo de Oliveira.

Na última convocação de atleta do Paraná Clube para a Seleção Sub-20, Jhonny Lucas estava praticamente dando os primeiros passos – ou melhor, chutes – no futsal do Tricolor. Em 2009, Giuliano foi chamado para disputa do Sul-Americano da categoria. Desde então, o Tricolor teve outros dois jogadores chamados para seleções menores, Kelvin, em 2011 (Seleção Sub-18) e Hudson, em 2015 (Seleção Sub-15).

“É um sonho realizado. Não esperava que fosse acontecer agora. Estou muito, mas muito feliz. Pela convocação e por esta renovação de contrato. Espero ainda fazer muito com a camisa do Paraná”, finalizou Jhonny Lucas.

O presidente Leonardo Oliveira comemorou a convocação. “É uma felicidade vê-lo convocado, pois sei o que esse menino batalhou para chegar nesse momento, sempre vestindo nosso Manto com muito orgulho”, celebrou.