mortes rj petrópolis Coronavírus - Covid-19 - Brasil - casos confirmados

Casos de coronavírus crescem 47% e chegam a 428 ocorrências no Brasil

Em 24 horas os casos do novo coronavírus (Covid-19) cresceram 47% e saltaram de 291 para 428 ocorrências da doença no país, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (18).

Também foram registradas mais três mortes pela doença, totalizando quatro óbitos totais, todos eles registrados em São Paulo.

A contaminação já chegou a 16 estados e no Distrito Federal, sendo que os estados de São Paulo (240), Rio de Janeiro (45), Distrito Federal (26), Rio Grande do Sul (19), Pernambuco (16), Minas Gerais (15) e Paraná (13) lideram os casos no país.

O Ministério da Saúde também confirmou que são 11.278 casos suspeitos (crescimento de 27% em comparação ao último boletim), enquanto outros 1841 casos foram descartados.

Em pronunciamento nesta quarta-feira, o presidente da República, Jair Bolsonaro, e sua equipe ministerial anunciaram algumas medidas para auxiliar à população a enfrentar essa pandemia. Algumas delas são o benefício de R$ 200 para trabalhadores autônomos e também a liberação das empresas em reduzir pela metade a jornada e o salário dos trabalhadores.

Já o Governo do Paraná anunciou que irá restringir a entrada de ônibus vindos de São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Distrito Federal. Além disso, o governador Ratinho Júnior mencionou que irá solicitar o fechamento das fronteiras com a Argentina e o Paraguai.

coronavírus, casos, sms, secretaria municipal da saúde, prefeitura de curitiba, paraná, exames, lacen, laboratório, casos confirmados, casos suspeitos

Coronavírus: 5 novos casos são registrados em Curitiba

Cinco casos dos novo coronavírus (Covid-19) foram confirmados pela Prefeitura de Curitiba nesta quarta-feira (18). Assim chega a 14 o número total de registros da doença na capital.

Conforme a prefeitura, entre as novas vítimas estão quatro mulheres e um homem entre as novas vítimas. Todos passam bem e não desenvolveram a forma mais grave da doença.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, os casos estão relacionados a viagens para locais onde há circulação ativa do novo coronavírus (Covid-19): São Paulo (2), Rio de Janeiro, Itália e Espanha.

Além disso, Curitiba investiga 68 casos suspeitos. Outras 64 investigações foram descartadas após a realização de exames laboratoriais.

CORONAVÍRUS: SESA ATUALIZA DADOS

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) atualizou de 12 para 14 os número de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19). Confira o boletim completo.

Foz do Iguaçu, na região oeste, e Maringá, na região noroeste, registraram nesta quarta-feira (18) os primeiros casos.

No entanto, os números da Sesa apontam apenas 8 casos em Curitiba. Somados os levantamentos do Paraná e da capital, chega a 20 o número de confirmações do novo coronavírus (Covid-19) no estado.

CURITIBA: NOVAS MEDIDAS CONTRA PANDEMIA DA COVID-19

A partir desta quinta-feira (19), novas medidas de combate ao novo coronavírus (Covid-19) entram em vigor em Curitiba.

Conforme a Prefeitura de Curitiba, sofrem alterações:

  • agendamentos pelo Aplicativo Saúde Já
  • atendimentos nas unidades de saúde
  • atendimentos nos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO)

CONFIRA AS MUDANÇAS

– Os agendamentos de atendimento pelo Aplicativo Saúde Já e os agendamentos presenciais nas unidades de saúde estão suspensos. Devem procurar as unidades apenas quem apresentar situação emergencial de saúde.

– Os atendimentos especializados agendados para os ambulatórios próprios e de hospitais e clínicas prestadores de serviços do SUS e CEOs estão suspensos e serão reagendados. Serão mantidas as consultas de retorno de pacientes, oncológicos, pós-operatórios e pessoas com doenças crônicas que necessitam de acompanhamento.  Casos graves que necessitem de consulta especializada, serão encaminhados para atendimento.

– As receitas de medicamentos de uso contínuo serão renovadas automaticamente por mais 90 dias. As unidades de saúde, com base nos registros disponíveis, entrarão em contato com os pacientes com as devidas orientações. Para usuários a partir de 70 anos ou com qualquer condição crônica (diabéticos, hipertensos e imunodeprimidos), a entrega deve ser domiciliar ou algum familiar pode fazer a retirada.

– A SMS manterá um profissional na porta de cada unidade de saúde, durante o período de funcionamento. Ele vai perguntar a todos os usuários o motivo pelo qual procuram a unidade. Em caso de queixa compatível com caso suspeito de coronavírus, serão seguidas as recomendações do protocolo especial.

– Pessoas com sintomas respiratórios devem prioritariamente ligar para a Central 3350-9000 apenas quem viajou, nos últimos 14 dias, para o exterior (qualquer país), São Paulo ou Rio de Janeiro, e apresenta febre e sintomas respiratórios (coriza, dor de garganta, tosse, dificuldade para respirar). Devem ligar também aqueles que tiveram contato com alguém que tenha retornado desta viagem.

EVITE HOSPITAL, UBS E UPA

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, orienta que as pessoas com sintomas leves de infecção respiratória não procurem as unidades de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

“Grande parte dos casos do novo coronavírus são leves e com boa resolução”, diz a secretaria municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.

Só devem buscar o atendimento de saúde aqueles com sintomas respiratórios agudos (falta de ar ou febre por mais de 24 horas).

*Com informações da SMCS

coronavírus, casos, sms, secretaria municipal da saúde, prefeitura de curitiba, paraná, exames, lacen, laboratório, casos confirmados, casos suspeitos

Coronavírus: exames confirmam dois casos novos em Curitiba

Exames realizados em um laboratório particular confirmaram dois casos novos de coronavírus (Covid-19) em Curitiba. Assim, chega a 7 o total de casos na capital paranaense.

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) atualizou hoje (16) os dados do novo coronavírus no Paraná. No entanto, apenas seis casos foram chancelados por exames do Lacen (Laboratório Central do Estado).

Somados os casos confirmados pela Sesa e pelas prefeitura, o número de casos confirmados no Paraná chega a 10. São 7 casos em Curitiba, além de registros em Campo Largo, Pinhais e Cianorte.

De acordo com a Prefeitura de Curitiba, os exames que confirmam os dois novos casos de coronavírus na capital foram realizados por um laboratório particular referenciado pelo Ministério da Saúde.

Ainda conforme a apuração das autoridades da saúde de Curitiba, os pacientes foram infectados provavelmente durante viagens a São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ).

De acordo com a prefeitura, os 7 casos de coronavírus confirmados em Curitiba têm origens em outras cidades. Por isso, não foi registrada, ainda, nenhuma transmissão comunitária — quando não é possível chegar à origem da infecção.

CORONAVÍRUS: CASOS EM CURITIBA SÃO MONITORADOS

Os pacientes estão isolados e sofrem com sintomas leves. Conforme a Secretaria Municipal da Saúde, todos passam bem e estão orientados sobre como proceder. O isolamento domiciliar voluntário tem duração de 14 dias.

Por precaução, pessoas que tiveram contato com os infectados são monitoradas pelas equipes de epidemiologia. Ao todo, Curitiba tem 43 casos suspeitos do novo coronavírus. Desde o início do surto, outras 45 investigações foram descartadas.

“O tamanho da epidemia será do tamanho da solidariedade de cada curitibano. Se cada um nos ajudar, teremos menos casos, menos transmissão. Quem veio do exterior, fique em casa”, orientou a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

coronavírus, casos, sms, secretaria municipal da saúde, prefeitura de curitiba, paraná, exames, lacen, laboratório, casos confirmados, casos suspeitos

Fiocruz descarta suspeita de coronavírus em criança de Ponta Grossa

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) descartou a suspeita de coronavírus em criança de Ponta Grossa, nos Campos Gerais do Paraná. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a negativa foi confirmada nesta sexta-feira (14).

O caso suspeito era de uma criança, de 7 anos, que esteve no sul da China, em Taishan, e retornou ao Brasil no dia 30 de janeiro com familiares. No dia 6 de fevereiro, ele passou por avaliação médica e foi diagnosticado com sintomas leves de síndrome respiratória; tosse e febre.

Na terça-feira (11), o Lacen encaminhou para a Fiocruz as amostras de material coletado, após não apresentaram resultados para outros vírus respiratórios.

CASOS SUSPEITOS DE CORONAVÍRUS NO PARANÁ

Além da criança, o Paraná já descartou outros dois casos notificados como suspeitos:

  • a primeira suspeita foi um rapaz, de 29 anos, de Fortaleza (CE), que estave em Curitiba e havia passado pela China, e foi diagnosticado com influenza B;
  • a segunda situação foi de uma mulher, de 23 anos, moradora de Curitiba, que também esteve na China e procurou uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da capital, igualmente descartado;

SINTOMAS DO VÍRUS

Pessoas com sintomatologia respiratória, incluindo febre, tosse e dificuldade para respirar, e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local (China) nos últimos 14 dias ou ter tido contato próximo com pessoas e casos suspeitos ou confirmados da doença devem procurar a Unidade Básica de Saúde.

PREVENÇÃO

O COE (Centro de Operações em Emergências) alerta para as informações de prevenção ao Coronavírus que, neste momento, são as mesmas indicadas para outras síndromes respiratórias, como a Influenza. As principais medidas são:

  • evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;
  • lavar frequentemente as mãos, especialmente após o contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar;
  • usar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca ao espirrar e tossir;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres pratos, copos ou garrafas;
cornavirus, coronavírus, covid-19, lacen, caso suspeito, paraná, casos suspeitos, curitiba

Paraná encaminha à Fiocruz material do caso suspeito de coronavírus em Ponta Grossa

O LACEN (Laboratório Central do Estado do Paraná) encaminhou nesta terça-feira (11) para a Fiocruz, no Rio de Janeiro, as amostras de material coletado de caso suspeito do Novo Coronavírus de Ponta Grossa.

O caso foi notificado ao Centro de Operações em Emergências (COE) do Paraná e os exames preliminares feitos pelo Lacen não apresentaram resultados para outros vírus respiratórios.

A notificação é de um menino de 7 anos que esteve no sul da China, em Taishan, e que retornou ao Brasil no dia 30 de janeiro com familiares.

No dia 6 de fevereiro, o garoto passou por avaliação médica e diagnosticado com sintomas leves de síndrome respiratória, tosse e febre. A família não apresenta sintomas e todos estão sendo acompanhados em domicílio pela Vigilância Estadual e Vigilância municipal.

Todas as medidas indicadas pelo Ministério da Saúde foram adotadas e o caso segue sendo monitorado pela Secretaria da Saúde do Paraná, por meio do COE e 3ª Regional de Saúde de Ponta Grossa, e Secretaria da Saúde de Ponta Grossa.

REDE

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, afirma que o Paraná está em alerta para possíveis casos do Novo Coronavírus. “Neste momento não temos casos da doença, mas nosso dever é de estar com estratégias e estruturas preparadas para um eventual atendimento. A rede estadual do Paraná conta com 60 hospitais para urgência e emergência”, afirma o secretário.

Desta rede, oito hospitais estão confirmados como estratégicos para o atendimento de possíveis casos. São eles: Complexo Hospitalar do Trabalhador, em Curitiba; Hospital Universitário do Oeste do Paraná e Hospital de Ensino São Lucas, em Cascavel; Hospital Universitário da Região Norte do Paraná, em Londrina; Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá; Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais, em Ponta Grossa; Hospital Municipal de Foz do Iguaçu Padre Germano Lauck e Hospital Regional de Maringá.

“O Paraná vem seguindo os trâmites e protocolos estabelecidos internacionalmente para a situação do Novo Coronavírus e estamos tratando todas as situações de fluxo de atendimento e de medidas preventivas de forma rigorosa e com toda transparência”, informou o secretário Beto Preto.

SINTOMAS

São considerados suspeitos e devem procurar as unidades de saúde pessoas com sintomatologia respiratória, incluindo febre, tosse e dificuldade para respirar, e que apresentam histórico de viagens para áreas de transmissão local (China) nos últimos 14 dias ou ter tido contato próximo com pessoas e casos suspeitos ou confirmados da doença.

PREVENÇÃO

O COES alerta para as informações de prevenção que, neste momento são as mesmas indicadas para outras síndromes respiratórias, como a Influenza. As principais medidas são: evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, especialmente após o contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar; usar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca ao espirrar e tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres pratos, copos ou garrafas.

coronavírus, corona, virus corona, coronavirus sintomas, corona virus, o que é coronavirus, china, wuhan, brasil, ministério da saúde, oms, opas, casos confirmados, mortes,

Ponta Grossa tem caso suspeito de coronavírus em menino de sete anos

Um menino de sete anos de idade de Ponta Grossa, região dos Campos Gerais, é o terceiro caso suspeito de coronavírus no Paraná. A ocorrência foi confirmada pelo Ministério da Saúde e pela Sesa (Secretaria da Saúde do Paraná) nesta segunda-feira (10).

A criança esteve no mês de janeiro na cidade de Taishan, no sul da China. O menino retornou no dia 30 de janeiro ao Brasil, apresentando um quadro leve de problemas respiratórios. Como os exames do garoto ainda não retornaram da análise, o paciente está sendo acompanhado em seu domicílio.

Anteriormente outros dois casos suspeitos de coronavírus -ambos em Curitiba, já haviam sido descartados. Atualmente são outros seis pacientes em observação para a doença no Brasil, sendo três em São Paulo e uma ocorrência em Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

A Sesa faz o alerta que caso sintomas como febre, tosse e dificuldades para respirar aparecem em pessoas com histórico de viagem nos últimos 14 dias para China ou com contato com algum indivíduo que tenha tido suspeita para o coronavírus, que procure uma unidade de saúde.

CORONAVÍRUS PELO MUNDO

Ao todo são 40.726 pessoas infectadas no mundo, com casos registrados na América do Norte, Oceania e Europa. Desses números, 910 indivíduos morreram em decorrência do coronavírus, enquanto 3578 pessoas se curaram da doença.

Entre os países fora da Ásia, a Alemanha lidera a aparição de infecções com 14 casos, seguido dos Estados Unidos com 12 e pelo Reino Unidos com oito. Confira abaixo mapa com todas as ocorrências da doença no mundo.

coronavírus, corona, virus corona, coronavirus sintomas, corona virus, o que é coronavirus, china, wuhan, brasil, ministério da saúde, oms, opas, casos confirmados, mortes,

Brasileiros retornam da China e Bolsonaro divulga regras da quarentena

O presidente Jair Bolsonaro  sancionou, nesta quinta-feira (6), o projeto que cria as regras para colocar em quarentena os brasileiros evacuados do epicentro da epidemia de coronavírus na China.

O texto tramitou com rapidez no Congresso para ser aprovado antes do retorno ao país dos brasileiros que serão repatriados de Wuhan, na China.

A conclusão dos trâmites legislativos da matéria ocorreu na quarta (5).  As aeronaves que buscarão essas pessoas decolaram nesta quarta e têm previsão de retorno para o sábado (8).

Bolsonaro vinha apontando a ausência de uma lei que criasse a figura jurídica da quarentena sanitária como um dos obstáculos para a evacuação dos brasileiros de Wuhan. O objetivo da norma agora sancionada é justamente suprir essa lacuna.

“Considerando a situação de emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus, consoante já reconhecido pela Organização Mundial de Saúde, o anteprojeto de lei visa adequar a legislação interna, coordenando as ações e os serviços do SUS em todas as esferas federativas para permitir uma atuação eficiente e eficaz, mediante a definição de instrumentos que possibilitem o enfrentamento ágil da situação de emergência sanitária internacional existente, objetivando a proteção da coletividade, com maior segurança jurídica”, argumentou o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde), na exposição de motivos.

Em uma live nas redes sociais, Bolsonaro disse que cerca de 40 brasileiros deverão ser retornados ao país.

Eles permanecerão em quarentena de 18 dias em uma base militar na cidade de Anápolis (GO).

Estrangeiros de países da América do Sul e da Polônia –país onde as aeronaves realizarão escala–também poderão ser transportados nos assentos livres, disse Bolsonaro.

Ele calculou em 10 o número de vagas disponíveis para esses estrangeiros.

Antes do embarque em Wuhan, os brasileiros e demais passageiros passarão por exames e avaliação médica.

coronavírus, corona, virus corona, coronavirus sintomas, corona virus, o que é coronavirus, china, wuhan, brasil, ministério da saúde, oms, opas, casos confirmados, mortes, quarentena

Brasileiros em Wuhan serão trazidos no sábado e ficarão de quarentena em Goiás

O governo decidiu enviar dois aviões para buscar brasileiros e parentes que estão em Wuhan, na China. A cidade é o epicentro da epidemia de coronavírus e está isolada para conter a disseminação da infecção.

Ao chegar ao Brasil, eles ficarão em quarentena na Base Aérea de Anápolis (GO). A previsão é que os aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) deixem Brasília nesta quarta (5) às 12h e voltem ao país até a manhã de sábado (8).

A missão foi anunciada nesta terça-feira (4) pelos ministros da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Ainda nesta terça, o Brasil declarou emergência de saúde pública por causa do novo coronavírus.

Um PL (projeto de lei) com as regras da quarentena também foi enviado ao Congresso. Por volta de 20h, deputados aprovaram a urgência da matéria. O mérito do texto ainda seria analisado.

O ministro da Defesa afirmou que a base aérea de Anápolis tem boas condições para receber os brasileiros. Segundo ele, o local atende o demandado por protocolos de saúde.

Está prevista na base a possibilidade de uso de diferentes protocolos de segurança, conforme a gravidade da situação, divididos nas cores branca, amarela e vermelha.

“Tem condições de aqueles em quarentena inicialmente chegarem a uma área branca. Qualquer problema, passamos a uma área amarela, tudo com apartamentos individuais. E, caso necessário, uma área vermelha, com evacuação aeromédica para o Hospital das Forças Armadas, em Brasília”, disse.

A previsão atual é que 29 pessoas venham da China, incluindo sete crianças. É possível que o número mude conforme o governo receba novos pedidos de evacuação.

Silva afirmou que as pessoas que apresentarem sintomas antes da viagem não poderão vir ao Brasil.

Segundo ele, o período normal de quarentena são 14 dias, mas o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, solicitou o uso de uma margem de segurança de cerca de 20%. “Então serão 18 dias”, afirmou.

Brasileiros que vivem em Wuhan começaram a receber um formulário para ser preenchido com informações pessoais e condições para retorno ao país –como ausência de sintomas e concordância por quarentena ao chegar no Brasil. Ao menos 15 pessoas já enviaram informações.

Durante a quarentena, visitas serão proibidas. O projeto de lei autoriza a realização compulsória de exames médicos, testes laboratoriais, coleta de amostras, vacinação e tratamento médico de eventuais portadores da doença.

Equipes também devem aferir dados três vezes ao dia. Também serão coletadas amostras respiratórias no primeiro e no 14º dia, diz o documento, assinado pelo Ministério da Defesa, Saúde e Relações Exteriores.

Os aviões para a evacuação deverão sair da capital federal e fazer escalas em Fortaleza (CE), Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia) e em Ürumqi (China) até chegar a Wuhan, na província de Hubei. O trajeto de volta é idêntico, no sentido inverso.

Duas aeronaves são necessárias, segundo os ministros, para dar mais espaço entre os brasileiros por questão de segurança.

Segundo os ministros, os aviões a serem usados para irem à China são os que hoje ficam à disposição do presidente Jair Bolsonaro.

“O presidente concordou em ceder as suas duas aeronaves VC-2, as duas aeronaves reserva Embraer 190, com capacidade de 30 passageiros cada uma. Foi um gesto do presidente abrir mãos da aeronave tendo em vista a precariedade dos meios que a FAB tem e da burocracia”, disse Silva.

Araújo afirmou que outros brasileiros que queiram ser trazidos na operação devem manter contanto permanente com o governo.

“É essencial que os brasileiros que desejam retornar, que estão na província de Hubei [onde fica Wuhan], fiquem em contato permanente com nossa embaixada em Pequim, que está coordenando todos os processos para a saída dos brasileiros”, disse.

O projeto de lei prevê punição para os brasileiros que descumprirem as regras da quarentena. O texto diz que “cidadãos deverão sujeitar-se ao cumprimento das medidas previstas neste artigo, cujo descumprimento acarretará responsabilização, nos termos da lei”.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, o trecho foi incluído para assegurar que medidas recomendadas sejam seguidas.

Atualmente, o Código Penal prevê penas para quem “infringir determinações do poder público para impedir a propagação de doença contagiosa” que vão de multa a detenção.

“Houve, em alguns países que fizeram repatriação das pessoas, tentativa de fuga da quarentena. É uma infração que deve ter uma penalidade. Essas penalidades devem variar de acordo com o grau de importância da infração cometida”, disse.

O estado de emergência foi declarado em uma portaria publicada em edição extra do DOU (Diário Oficial da União).

Foi criado ainda o Centro de Operações de Emergências, estrutura federal responsável por articular políticas de prevenção à nova doença.

O texto define que o centro de operações de emergência, já em funcionamento no Ministério da Saúde, será a estrutura federal responsável por articular políticas de prevenção à nova doença.

Na portaria, o ministério ressalta que a epidemia é um evento complexo e demanda um esforço do SUS (Sistema Único de Saúde) para a identificação de eventuais afetados e para a implementação de políticas para reduzir os riscos de transmissão.

“Vamos fazer isso para facilitar a montagem de quarentena, contratar servidores, ver necessidade de equipamento de proteção. Mas hoje não temos o vírus confirmado no Brasil”, disse Mandetta à Folha.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) já havia declarado emergência global para o novo vírus. A última vez que essa emergência havia sido decretada no Brasil ocorreu em 2015, em meio ao aumento de casos de microcefalia relacionados ao vírus zika.

Pelo protocolo, a medida seria adotada apenas quando houvesse a confirmação de um caso da doença. Não há registros confirmados até o momento.

Nesta terça, balanço do Ministério da Saúde apontou que caiu de 14 para 13 número de casos de suspeita de infecção pelo novo coronavírus.

Já o número de casos descartados passou de 13 para 16. Os dados correspondem a informações enviadas por secretarias de saúde até as 12h.

Do total de casos em investigação, 6 foram registrados em São Paulo, 4 no Rio Grande do Sul, 2 em Santa Catarina e 1 no Rio de Janeiro.

Laboratório Curitiba Coronavírus teste exame dez dias

Laboratório de Curitiba tem exame para detectar Coronavírus

Um laboratório curitibano desenvolveu um exame para identificar o novo coronavírus em seres humanos.

A proposta é elaborar um diagnóstico mais rápido e específico do que os convencionais, em dez dias. De acordo com a empresa responsável pelo estudo, o exame é feito a partir da coleta da mucosa do paciente.

Em entrevista à Radio Band News Curitiba, o gerente geral do laboratório Nelson Gaburo, explica que o material coletado é comparado com a sequência de DNA do novo coronavírus, a partir do resultado é possível identificar se uma pessoa foi infectada ou não.

”Chegou material, você usa uma técnica chamada as técnicas molecular, em tempo real , sequenciamento ou até mesmo sequenciamento massivo extraí o material, você junta com os reagentes que a gente padronizou, a gente resenhou, a gente mandou sintetizar e aí você vai para a a próxima parte que é analisar o resultado, no teste a rotina é feita com controles positivos, controle negativos, controle interno da reação, porque é aí que ele vai dizer se existe amostra se existe algum tipo de lá que ele foi extraído de forma afetiva e aí são controles de reação pra que você garante o resultado, você libera o resultado específico, positivo ou negativo do coronavírus.”

Ainda não há registro da doença no Brasil. No entanto, para atender qualquer eventual demanda para estudo de casos suspeitos, o laboratório deve disponibilizar o resultado para agilizar o diagnóstico até mesmo na rede pública.

Segundo Nelson, apesar do exame ainda estar na fase de testes, a expectativa é de que nos próximos dias ele esteja disponível para utilização.

” Então a partir daqui uns 10 dias quando eu acabar de desenvolver, aí o teste ele bateu pra mim, entrou no laboratório e em 24 horas eu libero, mas a grande vantagem dos testes moleculares é a especifidade, rapidez versos agilidade vai depender da técnica utilizada. Então hoje qualquer laboratório que tenha as boas práticas de moleculares você pode liberar o resultado em 24 horas, há não ser que você usa uma outra técnica que é o sequenciamento mafisio que ele é mais complexo de fazer, tem mais etapas na rotina então ele demora uns 8 dias para serem feitos. Então teste molecular que a gente está desenvolvendo é um teste específico para o novo coronavírus, você estuda algumas regiões do vírus e todas elas vão ficar positivas, são basicamente, essas técnicas são de fácil acesso, de fácil abstenção, ágil e específica”

NOVO CORONAVÍRUS

O coronavírus  matou pelo menos 425 pessoas na China, uma outra morte também foi registrada nas Filipinas. Os casos confirmados ultrapassam os 20 mil e 400 somente na China. Outros 159 casos são investigados em 24 países. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil quatorze pessoas estão sob cuidados médicos com suspeita da doença.

Os sinais comuns da infecção do Novo Coronavírus incluem sintomas respiratórios, febre, tosse e dificuldade para respirar. Nos casos mais graves, a infecção pode evoluir para pneumonia, síndrome respiratória aguda grave e até a morte.

 

Mapa credencia laboratório em Curitiba para exames de mormo

A equideocultura paranaense já pode comemorar nova conquista. Mais um laboratório do Estado foi credenciado para a realização de exames e emissão de laudos de mormo, doença infectocontagiosa que acomete equídeos. O VP Laboratório, localizado em Curitiba, recebeu o aval do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no dia 19 de novembro.

No ano passado, a FAEP, por meio de ofício encaminhado ao Mapa, solicitou agilidade no processo de credenciamento de três laboratórios paranaenses. Um deles foi o Mercolab, de Cascavel, na região Oeste, primeiro credenciado em maio de 2018. O laboratório Campos Imagem de Diagnóstico Veterinário, de Londrina, na região Norte, ainda aguarda autorização.

O credenciamento dos laboratórios é importante para o cumprimento da Portaria 22, de 16 de março de 2018, do Mapa, e da Portaria 183, de 25 de junho de 2018, da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar). Desde o dia 1º de setembro de 2018, o ingresso de equídeos (cavalos, mulas, jumentos, etc.) no Paraná só é permitido mediante apresentação de laudo laboratorial negativo para o mormo.

Um dos grandes benefícios para os criadores de equídeos e demais envolvidos com a atividade é a redução dos custos e do tempo de retorno dos laudos laboratoriais. Para o exame ser realizado em laboratório credenciado em outro Estado, o valor do frete fica em torno de R$ 70 a 100, enquanto o tempo para entrega dos resultados pode chegar a 15 dias. Com o laboratório credenciado em Curitiba, esse tempo de espera reduz para 24 horas.

Segundo a médica veterinária e proprietária do VP Laboratório, Vanessa Benoni, a agilidade dos laudos também é resultado de uma nova tecnologia implantada para a realização dos exames, que garante mais precisão e confiabilidade nos resultados. Ainda, o credenciamento de mais laboratórios paranaenses auxilia no reforço da barreira sanitária do Estado. “Além de redução de custos e tempo, temos redução de riscos. Não haverá mais a necessidade de essas amostras biológicas serem transportadas para fora do Estado para a realização dos exames. É uma conquista do setor privado e de todas as entidades envolvidas”, destaca Vanessa.

O credenciamento de um laboratório em Curitiba também se consolida como um passo fundamental para a valorização da cadeia, principalmente em relação ao esporte e à economia, visto que a capital paranaense está no centro de muitas atividades da equideocultura. “Temos o Jockey Club do Paraná e a Sociedade Hípica Paranaense, além de polos de forte comercialização para exportação de animais e material genético, como Tijucas do Sul e São José dos Pinhais. Esse laboratório irá facilitar o trânsito para outros municípios próximos, que conseguem enviar amostras para realizar os exames aqui”, afirma a técnica do Departamento Técnico Econômico (Detec) do Sistema FAEP/SENAR-PR Nicolle Wilsek.

Mudanças no prazo de validade de exames de AIE

As novidades para a equideocultura não param por aí. No dia 17 de outubro, a Adapar publicou Portaria que estabelece novas regras para os exames de Anemia Infecciosa Equina (AIE), que passa a valer em janeiro de 2020. A Portaria 322 prevê que, para a movimentação de equídeos dentro do Estado, os exames de AIE passam a contar com um prazo de validade maior, de 60 dias para 180 dias.

A decisão partiu de um estudo epidemiológico sobre a doença realizado pela Adapar, que identificou baixa prevalência no Paraná. Em contrapartida, a vigilância da AIE é reforçada pela Portaria, que passa a estabelecer exigência de laudos negativos do exame para todas as finalidades.

De acordo com o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias, a extensão de prazo é benéfica tanto para os produtores, por exigir menos frequência de realização de exames, quanto para a sanidade animal do Estado, pois inclui essa obrigatoriedade para situações em que antes não existia. “Identificamos que a prevalência da AIE é baixa, em cerca de 0,5% dos animais. Mas, ao mesmo tempo, aumentamos a vigilância da doença. Não importa para o que for, tirou o animal da propriedade, precisa fazer o exame”, observa.

Ainda, segundo Dias, a Adapar está trabalhando em novos estudos de mormo ao lado de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, o que irá possibilitar novas ações para desburocratizar os processos e modernizar a cadeia de equinos no Estado.