Paraná Clube - contrato - crise financeira

Paraná Clube tem apenas 11 jogadores sob contrato para 2020

Com uma grave crise financeira, o departamento de futebol do Paraná Clube tem encontrado dificuldades em dar andamento no planejamento para a próxima temporada. No momento, apenas 11 atletas estão sob contrato da equipe tricolor.

Apenas o goleiro Alisson, o lateral Juninho, os zagueiros Fabrício e Fernando Timbó, os volantes Jhonny Douglas e Luan, os meias Alesson e Jhemerson, além dos atacantes Rafael Furtado, Raphael Alemão e Warley estão com vínculos ativos com a equipe.

Nenhum desses atletas era titular no elenco que ficou na sexta posição ao final do Campeonato Brasileiro da Série B desta temporada.

O Paraná Clube ainda não pagou os salários de outubro a dezembro de atletas e demais funcionários. Com isso, jogadores como Jenison e Éder Sciola estão acionando a equipe na Justiça.

Outras saídas importantes registradas nas últimas semanas foram as do goleiro Thiago Rodrigues, que assinou com o CSA-AL, do lateral Guilherme Santos, fechado com o Botafogo, do zagueiro Rodolfo, novo reforço do Coritiba, além do volante Luiz Otávio, negociado ao Tombense.

Até o momento nenhuma contratação para a próxima temporada foi anunciada, sendo que o Paraná Clube ainda não tem um técnico definido, após a não renovação do contrato de Matheus Costa.

Presidente do Paraná Clube revela o fracasso da negociação de Jhonny Lucas

Na apresentação do técnico Matheus Costa, na última sexta-feira (5), o presidente do Paraná Clube, Leonardo Oliveira, revelou o motivo de o meia Jhonny Lucas não ter sua saída do clube concretizada. O atleta, de 19 anos, recebeu várias propostas, mas voltou a estar à disposição do Tricolor e vai disputar a Série B – pelo menos até o meio do ano.

“O que aconteceu de errado é algo que não tenho a condição de te dar a resposta. Tivemos algumas propostas, que foram trabalhadas e até aceitas, mas não foram levadas adiante pelos clubes que fizeram as propostas. Os motivos eu não sei”, disse.

Oliveira explicou que os contratos foram afinados, mas, na hora de bater o martelo, os times interessados recuaram. “Nas duas situações onde trocamos minutas de contrato, a situação não evoluiu e a operação não aconteceu. Eles deixaram de fazer um investimento em um jogador promissor e nós deixamos de ter uma operação que nós sempre colocamos como prioridade do Paraná”, revelou.

O dirigente paranista ainda destacou as qualidades do jogador e afirmou que as negociações continuam.  “Para nós, é comemorar que temos um atleta no nível do Jhonny Lucas e temos a possibilidade de usá-lo. Essa operação vai acontecer? Espero que sim, pelo bem do Jhonyny, que tem um potencial muito grande, e para o clube, que temos um dos objetivos da gestão. Agora é dar sequência nos contatos que estão sendo feitos”, apontou.

RETORNO DE MATHEUS COSTA

Oliveira também comentou em relação ao retorno de Matheus Costa, após o treinador ter sido preterido após conseguir o acesso com o Paraná Clube em 2017. “Acho que corrige um pouco o que a gente fez no passado. É algo que acreditamos muito e desejo ao Matheus reconquiste tudo que ele já conquistou. O caminho ele já conhece e já provou ter a capacidade de nos levar à Série A”, ressaltou.

APRESENTAÇÃO DO TÉCNICO

Foto: Geraldo Bubniak / AGB

Matheus Costa, confirmado como o técnico do Tricolor para a disputa da Série B neste ano após a demissão de Dado Cavalcanti, foi apresentado nesta sexta-feira (5), no CT do Ninho da Gralha. Além de elogiar a estrutura do clube, ele agradeceu o convite da diretoria e ressaltou a dificuldade de disputar a Segundona.

“Estou muito confiante e esperava muito por essa oportunidade. A Série B é uma das competições mais difíceis do mundo. Você realmente não sabe quais equipes têm condição de disputar as primeiras colocações. No ano passado, duas equipes que tinham vindo da Série C acabaram subindo para a Série A”, analisou Matheus, que ainda revelou que aguarda pela contratação de quatro ou cinco jogadores para o torneio nacional.

Paraná estreia na competição no dia 27 de abril (sábado), às 19h, contra o Vila Nova, em Goiânia.