Liderança: o eterno desafio

Em palestra para a equipe do Paraná Portal, nesta quarta-feira (12), onde o foco principal foi a “Ética nas Relações do Trabalho”, o consultor de empresas e diretor da Soul Gestão de Essência, Altair Turbay Junior, alinhou código de conduta e reflexões sobre o ser humano no século 21.

Ele pautou o tema aliando ao momento polarizado como agora, quando assistimos, ao vivo, jornalistas trocando socos e tapas e as enxurradas de notícias falsas derramadas sobre as redações e colocando nos ombros dos jornalistas – editores e repórteres – o peso da responsabilidade na comunicação com a sociedade.

Palestra de Altair Turbay Jr, da Soul Gestão de Essência

Turbay Junior resumiu sua palestra sobre a ética, como coletivo quando os nossos valores (cultural e moral) são aplicados a favor do coletivo em que estamos inseridos.

Humildade e harmonia são peças chaves dentro do contexto de desenvolvimento profissional e pessoal em uma organização. Falou em sociedade líquida, defendida pelo filósofo Zigmount Baumman, adaptação, conformidade, angústia, dilemas e propósitos de valor.

Chegando na redação do jornal, abro os e-mails e vejo artigo do professor e reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, falando sobre liderança, o que, de certa forma, se relaciona com a palestra de Turbay Junior aos jornalistas do Paraná Portal. Aproveitamos, também, os ensinamentos do Pio, um estudioso de filosofia e economia.

LIDERANÇA: O ETERNO DESAFIO

José Pio Martins

A definição mais divulgada de liderança diz que liderar é a capacidade de influenciar e convencer pessoas. Eu gosto da seguinte definição: “Liderança é a capacidade de influenciar e convencer pessoas, levá-las a acreditar na causa e despertar nelas a vontade de agir em favor de objetivos comuns, sobretudo quando elas são livres para seguir outro caminho.” Em resumo, liderança é o jeito de dirigir pessoas. Independentemente da definição, o líder é alguém que tem certos atributos úteis para atingir fins por meio de pessoas.

O líder é reconhecido segundo sua capacidade real de ter estratégia, deixar claro qual é o propósito, escolher as pessoas certas, comunicar-se com eficiência, dar orientações claras, apoiar o trabalho de seus liderados, valorizar os colaboradores, dividir resultados etc. Um dos atributos fundamentais do líder é o princípio da justiça, o que implica saber ouvir, analisar com isenção e, apenas depois, julgar e decidir.

O que resta claro é que os atributos do líder são úteis em todos os campos da vida: na família, no trabalho, nas atividades sociais e na interação com seres humanos em geral. Na política e na direção das nações, a capacidade de liderar é decisiva para o destino dos povos. Aprender e incorporar os princípios e atributos da liderança é útil não só para o trabalho, para a carreira ou para ganhar dinheiro. É útil, também, para o autodesenvolvimento, o autoconhecimento e a conquista de uma vida bem-sucedida.

O mundo nos oferece exemplos de bons líderes e de maus líderes. O bom líder detém os atributos relativos à liderança e, ademais, tem uma boa causa, uma causa nobre. O mau líder até pode demonstrar os atributos instrumentais da liderança, mas os usa para uma causa ruim, negativa. É grande o número de líderes que usaram sua capacidade de convencer, influenciar e liderar multidões direcionada para uma causa destrutiva.

Alguns exemplos interessantes são Hitler, Stalin, Mussolini, na política, Al Capone, Lucky Luciano, Pablo Escobar, no mundo crime, que demonstraram enorme capacidade de conduzir pessoas e levá-las a realizar coisas. Mas suas causas eram ruins, produtoras do mal. Mesmo assim, ainda hoje eles têm defensores e admiradores, a despeito do rastro de destruição que deixaram atrás de suas ações.

Sempre surge a clássica pergunta: liderança pode ser aprendida? Há atributos da liderança que são inatos, ou seja, já vêm com a pessoa em sua estrutura genética e de personalidade. Mas há atributos que podem ser aprendidos, treinados e melhorados. O filósofo Ortega y Gasset dizia que “a vida nos é dada, mas não nos é dada pronta”, ou seja, o ser humano se faz e se constrói em sua própria existência.

Hoje, há escassez de líderes. A cada eleição vemos chegarem ao poder pessoas sem brilho intelectual, de poucos conhecimentos e até mesmo sem os atributos da liderança. E isso só ocorre porque, muitas vezes, os homens e mulheres do bem não vão para a vida pública. Infelizmente, a política tem afugentado os melhores cérebros, em parte pelo que ela se tornou: uma espécie de valhacouto (abrigo) para incompetentes e corruptos.

Vale dizer que seria injusto não reconhecer que há pessoas brilhantes e honestas atuando na política. Mas, sejamos francos, o número de pessoas desonestas e de parcos conhecimentos em cargos relevantes é bastante grande. É bem verdade que parte dessa realidade se deve ao fato de que a política, sobretudo em cargos eletivos, não é o regime dos melhores, mas o regime dos mais numerosos. Ganha quem tem mais votos, não quem é mais honesto e mais capaz. A técnica de conquistar votos tem sua lógica própria.

Os atributos da liderança são úteis não apenas para uso na atividade profissional, na política ou para ganhar dinheiro; são úteis também como um meio para melhorar a si mesmo e fazer o bem aos outros e à sociedade. É algo que vale desenvolver, estudar e aprender. O Brasil e o mundo precisam de mais líderes, sem os quais o progresso fica difícil.

*José Pio Martins, economista, é reitor da Universidade Positivo.

Liderança não é uma questão de popularidade

In loco: transmitindo informações e compartilhando experiências

 Da série “A Bíblia e a Gestão de Pessoas”

 Retomando as atividades na normalidade, em especial do In Loco, vamos para mais uma das lições do mestre, Paulo de Araújo:

Liderança não é uma questão de popularidade

Uma das melhores definições de liderança que tive a oportunidade de conhecer é a que diz: “Liderar é a capacidade de influenciar pessoas a fazerem aquilo que deve ser feito.” A palavra-chave nesta definição é influenciar; o prefixo “in” aponta para algo que está dentro enquanto que “fluenciar” vem de fluir ou de fluxo. Portanto, influenciar significa fazer fluir para dentro. Esta é a capacidade que têm os verdadeiros líderes: fazer fluir para dentro dos membros de sua equipe a paixão, a disposição, o genuíno interesse pelos objetivos propostos e o senso de conjunto onde a conquista não loura o líder, mas coroa o coletivo.

O segundo livro das Crônicas do povo hebreu registra nos capítulos 29 a 32 a extraordinária empreitada do Rei Ezequias. Movido pelo ideal de restauração da vida religiosa de seu povo, o monarca planejou e executou uma ampla reforma nacional. É possível identificar sete passos dados por ele que levaram à êxito seu grandioso empreendimento: 1º) Estabelecer prioridades; 2º) Dar e receber feedback; 3º) Trabalhar em equipe e confiar em pessoas; 4º) Estabelecer canais de comunicação eficazes; 5º) Aplicar a inteligência emocional e espiritual; 6º) Delegar; 7º) Saber lidar com oposições.

Há um registro nesta história digno de nota. Quando seu trabalho estava praticamente consolidado, o Rei dos assírios investiu contra os israelitas tentando desestruturar a liderança de Ezequias. Diante da ameaça de um inimigo muito mais poderoso do que eles, restou ao Rei hebreu animar e encorajar seu povo. O texto bíblico: “…e lhes falou ao coração, …” Esta expressão surge carregada de significado. Ela é pedagógica para os líderes de qualquer época e momento histórico. Um líder nato é capaz de trabalhar mentes e corações.

Há situações que exigem de um líder competências que extrapolam o tangível. É preciso ser espiritualizado e inteligente emocionalmente. Suas palavras e ações devem ser capazes de tocar o coração de seus liderados. Muitas vezes a única coisa que pode mudar uma situação adversa é a força que o líder tem de fazer fluir para dentro dos membros de sua equipe a esperança, a confiança, a convicção de que se chegamos até aqui, então podemos ir até o fim.

Paulo Roberto de Araujo – www.gentecompetente.com.br

Finalizamos hoje com uma música inspiradora a todos os líderes que “in” “fluenciam”:

Abraços a todos, até amanhã, com a série “Animais não são coisas”!

Janaina Chiaradia

Formação contínua de líderes é aspecto-chave para desenvolvimento do agro

Que o agronegócio é indispensável para a economia do Brasil, todo mundo sabe. Seja pelo fato de o setor ser o responsável pelo alimento que chega à mesa do brasileiro, seja pelas cifras bilionárias que a atividade movimenta a cada ano, seja pelos postos de trabalho que gera em cada rincão do país. Dentro do 1º Encontro Regional de Líderes Rurais, o consultor do Sebrae-PR Celso Garcia apresentou uma palestra em que conclamou os produtores rurais a tomarem participação nas organizações do setor, como forma de tornar definitivo o protagonismo do agronegócio.

“Se vocês não tomarem a responsabilidade e fizerem o agronegócio continuar a ser protagonista deste país, ninguém vai fazer isso por vocês. Essa mudança começa aqui e agora”, sentenciou Garcia.

Com o tema “O poder de influência do produtor rural na sociedade 4.0”, a palestra se dispôs a apontar porque é importante o desenvolvimento de novas lideranças rurais. Uma das respostas é ancorada justamente no viés econômico: o agronegócio responde a cerca de 30% do PIB do país. Só no ano passado, por exemplo, as exportações do setor passaram dos R$ 93,3 bilhões e a contribuição na geração de empregos teve um saldo positivo de 74,5 mil postos de trabalho. “Vocês alimentam este país. E mais que isso. Vocês estão sustentando o Brasil economicamente”, apontou o consultor do Sebrae-PR.

O outro ponto relacionado à importância de se formar líderes rurais está diretamente relacionado ao aspecto cultural do homem do campo. Neste ponto, Garcia afirma que a ética e o labor do produtor rural são indispensáveis à consolidação do país. “Vivemos em uma sociedade carente de referências. E vocês são referências, porque são orientados por valores e pelo trabalho. Nós precisamos de valores e os do homem do campo são muito positivos”, apontou o consultor do Sebrae-PR.

Como fazer?

Para que isso ocorra, Garcia enumerou uma série de desafios que devem ser superados e de elementos em que o produtor rural deve ficar de olho. Um deles é a necessidade de atualização constante. O palestrante exibiu no telão uma edição da revista Forbes (mais importante periódico de economia mundial) de 2007, cuja reportagem de capa fala da empresa de telefonia Nokia, com a manchete “Quem pode pegar o rei do telefone?”. Na ocasião, a multinacional tinha um bilhão de clientes e parecia insuperável. Hoje, 12 anos depois, é difícil encontrar quem tenha comprado um Nokia recentemente.

“Não importa o quão bom você é, nem o quão sólido parece ser o seu negócio. Se você não se adaptar às mudanças, você simplesmente vai acabar em nada, vai desaparecer”, disse o palestrante.

Além disso, Garcia ressaltou a necessidade de se entender as diferenças de padrões e paradigmas de cada geração, para, a partir daí, otimizar o relacionamento interpessoal e, por conseguinte, o desenvolvimento humano do setor. “É olhar para uma pessoa, saber o que ela pensa, para eu poder lidar com ela da melhor forma”, resumiu o consultor. “O sindicato só vai ser indispensável se conhecer as reais demandas do produtor”, acrescentou.

Aprofundando este raciocínio, o palestrante elencou outros comportamentos a serem excluídos, com forma de catapultar o desenvolvimento humano. Como exemplo, ele mencionou a necessidade de abandonar o modelo de gestão baseado em “comando e controle” e acabar com a punição dos erros.

“Nós temos que entender que o sindicato é um espaço de desenvolvimento humano. Precisamos acabar com velhas fórmulas. Propor ideias e arriscar mais. Temos que fazer de outra forma, mais ágil”, reforçou.

Vila Nova mantém o 100% e é líder da Série B, Avaí e São Bento empatam

Dois jogos movimentaram a tarde deste sábado pela Série B do Brasileiro. O Vila Nova, como visitante no Serra Dourada, venceu o clássico contra o Goiás por 3 a 1. Com a quarta vitória seguida, o Vila assumiu a liderança isolada da competição. Já o duelo entre Avaí e São Bento na Ressacada terminou empatado em 1×1.

Em Goiânia, o primeiro tempo foi intenso, com chances para os dois lados. O Vila abriu o placar com Reis, mas depois ficou apenas na defensiva. O esmeraldino aproveitou para empatar com o meia Rafinha. No último minuto, o Colorado ainda acertou uma bola na trave, mas o primeiro tempo terminou empatado.

A vitória foi construída na etapa final, quando o meia Alan Mineiro marcou dois gols – um de falta – e selou a vitória do Tigre. O Alviverde segue sem vencer no campeonato. A nota negativa do clássico foi o confronto entre a torcida do Goiás – única no estádio –  com a Polícia Militar.

Em Santa Catarina, o Avaí teve mais a posse da bola e abriu o placar com apenas nove minutos de jogo, com o zagueiro Fágner Alemão na cobrança de um pênalti. Quatro minutos depois veio a reação do São Bento, que empatou com gol de calcanhar de Zé Roberto. Com o resultado, o time de Sorocaba segue sem perder no retorno à Série B ocupando a 10ª posição, com 6 pontos. Já o Avaí vem logo em seguida na 11ª colocação, com 5 pontos conquistados.

Paranaenses

O Londrina ocupa a 6ª posição no campeonato e o Coritiba a 7ª, ambos com sete pontos. O Tubarão tem vantagem pelo saldo de gols, um a mais que o Coxa.

Paraná vence o Prudentópolis e mantém a liderança. Confira a rodada

O Paraná confirmou sua liderança no Paranaense ao vencer o Prudentópolis por 3 a 1, na Vila Capanema, pela oitava rodada do Estadual.

O Tricolor começou bem a partida, mas a partir dos 15 minutos, começava a ser acuado pelo time do Prude, quando aos 21 minutos Felipe Alves fez excelente cruzamento e Zezinho, que retornava à equipe pulou mais alto que a zaga para abrir o placar.

Aos nove minutos, em jogada iniciada em uma roubada de bola de Betancourt, Felipe Alves fez boa jogada pela esquerda cruzou para trás e Nathan, que acompanhava a jogada tocou para marcar o segundo gol.

O time da Vila mantinha a pressão, e aos 33 minutos Bruno Catanhede recebeu um lançamento pela direita e encobriu o goleiro Vítor para marcar o terceiro gol.

Já nos acréscimos, o Prudentópolis descontou com Thomas, que arriscou um chute de longe, a bola bateu no travessão, nas costas de Marcos e entrou no gol.

Nos outros jogos da rodada, PSTC 1 x 2 Cianorte, Rio Branco 1 x 2 JMalucelli, Foz 0 x 1 Londrina.

FICHA TÉCNICA
PARANÁ x PRUDENTÓPOLIS

Local: Vila Capanema, em Curitiba (PR).
Data: 19 de março de 2017
Horário: 16 horas
Árbitro: José Mendonça da Silva Júnior (PR)
Assistentes: Felipe Gustavo Schmidt (PR) e Ideidy Henrique Costa (PR)

Cartões amarelos: Fernando

Gols: Zezinho, aos 21’ do 1º tempo, Nathan, aos 9, Thomas, aos 48’ do segundo tempo

Paraná: Marcos; Diego Tavares, Artur, Rayan e Kaike; Jhony, Diego Canuto (Alleson), Zezinho e Nathan (Bruno Catanhede); Felipe Alves e Betancourt (Rafael Furtado). Técnico: Wagner Lopes

Prudentópolis: Edvaldo; Fernando, Felipe e Diego Alemão; Jean, Edu Raposa (Thomas), Cícero, Fabinho, Wagner (Lucas) e Cassimba (Mateus Oliveira); Raí. Técnico: Milton Do Ó

Paraná vence o PSTC e reassume a liderança

Sob uma temperatura elevada e tendo pela frente um gramado alto e “atípico”, o Paraná Clube venceu mais uma e voltou à liderança isolada do Campeonato Paranaense. O Tricolor fez 1×0 no PSTC, neste domingo (19), no Ubirajara Medeiros, em Cornélio Procópio. O gol foi marcado no segundo tempo, pelo atacante Felipe Alves, que entrara na vaga de Vitor Feijão, ainda no primeiro tempo. “Tenho que dar parabéns aos jogadores. Não foi um bom jogo. Mas soubemos sofrer e arrancar um resultado importantíssimo”, disse o técnico Wagner Lopes.

O Paraná Clube já previa um jogo complicado, pela condição do gramado e pela alta temperatura, além – é claro – do adversário, que precisava do resultado para se afastar das últimas colocações. Logo no início, Gabriel Dias arriscou de longe, mas a bola subiu demais. Aos poucos, o PSTC se lançou ao ataque e começou a levar perigo ao goleiro Léo. Para piorar, Vitor Feijão sofreu uma lesão de joelho, aos 15 minutos. Sua perna “travou” no gramado irregular e teve que sair de campo para a entrada de Felipe Alves.

A melhor oportunidade caiu nos pés de Matheus Carvalho, aos 24 minutos. Lançado em profundidade, ele tentou encobrir o goleiro Juninho, mas mandou por cima do travessão. Do outro lado, Léo foi preciso em finalizações de Rone Dias e Carlos Henrique. O zagueiro Denílson ainda acertou o travessão, de cabeça, após cobrança de falta de Rone Dias. Nos acréscimos, Eduardo Brock também teve boa chance, de cabeça, mas mandou pela linha de fundo.

No intervalo, Wagner Lopes procurou ajustar o posicionamento da equipe, minimizando as infiltrações do PSTC. Com a correção, o Paraná voltou “ligado” e aos 5 minutos chegou ao gol. Na cobrança de escanteio de Renatinho, a bola sobrou para Felipe Alves, que ajeitou e mandou no canto esquerdo: 1×0. Com a vantagem, o Tricolor se postou na marcação e passou a explorar os contragolpes, com velocidade, principalmente após a entrada de Guilherme Biteco. O PSTC tentou pressionar, mas as raras oportunidades pararam sempre nas mãos de Léo, um dos destaques do jogo. Com a vitória o Tricolor chega aos 12 pontos, encaminhando classificação para a fase decisiva do Estadual.

PSTC 0x1 PARANÁ CLUBE

PSTC: Juninho; Paulinho, Denílson, Marcão e Guilherme; Cleverson (Dener), Santiago, Erik e Rone Dias (Lima); Lucão (Boré) e Carlos Henrique. Técnico: Reginaldo Vital.

Paraná: Léo; Diego Tavares, Airton, Eduardo Brock e Igor; Leandro Vilela (Jhony), Gabriel Dias, Renatinho e Matheus Carvalho (Guilherme Biteco); Vitor Feijão (Felipe Alves) e Ítalo. Técnico: Wagner Lopes.

Local: Ubirajara Medeiros (Cornélio Procópio-PR)

Árbitro: Felipe Gomes da Silva

Assistentes: Felipe Gustavo Schmidt e Luiz Paulo Galli

Renda: R$ 11.510,00

Público pagante: 678

Público total: 764

Gol: Felipe Alves aos 5’ do 2º tempo

Cartões amarelos: Guilherme e Rone Dias, Brock e Leandro Vilela e Diego Tavares

Com assessoria de imprensa

Paraná e JMalucelli disputam liderança na Vila

O Paraná entra em campo neste domingo, às 17 horas, na Vila Capanema, diante do JMalucelli disposto a retomar a liderança do Jotinha, um ponto à frente. O técnico Wagner Lopes ainda não definiu a equipe, mas deve manter o hábito de utilizar uma equipe alternativa. Já o Jotinha vive a a expectativa do que poderá acontecer no TJD-PR, depois que foi denunciado pelo uso do artilheiro Getterson, supostamente de forma irregular.

“O J. Malucelli tem um time bem encaixado, com velocidade à frente. Temos que impor o nosso ritmo, mas sem descuidos”, avaliou Wagner.

Para Wagner Lopes, o segredo neste jogo será a paciência. “Sabemos que nosso torcedor quer ver gols, quer vitórias. Vamos buscar isso, mas com inteligência”, resumiu. O treinador comandou um treino neste sábado pela manhã, no Ninho da Gralha, mas não definiu a equipe de forma oficial.

O técnico Luciano Gusso recebeu nesta semana o reforço do meia Netinho, que já atuou pelo clube há dois anos. Nas outras posições ele deve manter o time base que  está na liderança.

FICHA TÉCNICA
PARANÁ X JMALUCELLI

Local: Vila Capanema, Curitiba (PR)
Data: 12 de fevereiro de 2017
Horário: 17 horas
Árbitro: Nilo Neves de Souza Júnior
Assistentes: Bruno Boschilia e Wesley Waldir Marmitt

Paraná: Léo; Júnior, Rayan, Eduardo Brock e Kaike; Jhony, Alex Santana e Guilherme Biteco; Vitor Feijão (Guga), Felipe Alves e Bruno Cantanhede (Matheus Carvalho). Técnico: Wagner Lopes.

JMalucelli: Fabrício; Cristovam, Alex Fraga, Cris e Héracles; Wellington Reis, Carlos Jatobá, Eltinho e Tomas Bastos; Getterson e Jenison. Técnico: Luciano Gusso.

Brasil vence o Peru e mantém a liderança

O Brasil manteve o bom momento que vive nas Eliminatórias e contra o Peru não foi diferente. A seleção brasileira venceu os peruanos por 2 a 0, em Lima, e ampliou para quatro pontos a diferença para o Uruguai, vice líder, que perdeu para o Chile. Os peruanos ficaram na oitava colocação com 14 pontos.

Os gols da vitória foram marcados por Gabriel Jesus, aos 13 minutos e Renato Augusto, aos 33 minutos, todos no segundo tempo, e com eles o Brasil chegou aos 17 gols marcados contra apenas um levado.

Essa foi a sexta vitória consecutiva de Tite à frente da seleção, o feito havia sido conquistado apenas por João Saldanha, que em 1969 conseguiu emplacar seis vitórias consecutivas.

Apesar da vitória, o Brasil passou sufoco logo no começo, quando Carrijo mandou uma bola na trave aos sete minutos. Em seguida, aos dez, foi a vez de Paulinho desperdiçar uma chance ao chutar fraco para o gol de dentro da área.

Já na segunda etapa, os brasileiros começaram de forma mais lenta, cadenciando o jogo, porém aos 13 minutos, Gabriel Jesus aproveitou uma disputa de bola de Coutinho com o zagueiro Rodrigues e tocou para o gol.

O time da casa teve nova chance de marcar, aos 27, quando Guerrero desperdiçou uma chance na pequena área, minutos depois, aos 33, Gabriel Jesus recebeu um lançamento pelo lado esquerdo, tocou para Renato Augusto que, sem marcação, ampliou o placar.

Antes disso, aos 30 minutos, Neymar havia feito uma bonita jogada e arriscou de fora da área, porém, a bola bateu no travessão antes de sair.

Palmeiras vence, Flamengo empata e diferença sobe para seis pontos

O Palmeiras deu mais um importante passo na luta pelo título do Campeonato Brasileiro. Jogando em casa, diante do ameaçado Sport, o time do técnico Cuca fez a sua parte e conquistou mais uma vitória, por 2 a 1, chegando aos 67 pontos, na ponta da tabela de classificação. E o líder do campeonato ainda contou com uma ajuda inesperada, do principal rival. No Rio de Janeiro, o Corinthians segurou a pressão do Flamengo nos minutos finais e tirou dois pontos do principal adversário palmeirense na disputa pelo título com um empate em 2 a 2.

No Allianz Parque

Diante de 31.107 pessoas, o Palmeiras recebeu o Sport no Allianz Parque, neste domingo (23), em partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em um jogo difícil, o Verdão contou com a força da torcida para construir o resultado no primeiro tempo, segurar a pressão do Sport nos últimos minutos e garantir a vitória pelo placar de 2 a 1. Dudu e Tchê Tchê marcaram os gols do triunfo alviverde.

Todos os gols do jogo foram marcados no primeiro tempo. Aos 20 minutos, o líder do Brasileirão abriu o placar, com Dudu. Jailson saiu rápido com Allione e Moisés lançou Dudu pela direita. O capitão palmeirense dominou, invadiu a área e tocou com categoria na saída de Magrão para marcar o primeiro gol do jogo e colocar o Verdão na frente.

O Sport não demorou a empatar, aos 32 minutos. Rithely cabeceou no travessão após cobrança de escanteio e, no rebote, Rogério fez o gol pernambucano.

Já aos 45, Aos 45, Moisés cobrou lateral para dentro da área, Dudu tentou o chute e foi bloqueado pela defesa adversária. Na sobra, Tchê Tchê acertou um belo chute no canto direito do gol, sem chances para Magrão.

No segundo tempo, o Verdão controlou o jogo, anulou as investidas do Sport e confirmou a vitória.

Na volta ao Maraca

65 mil pessoas foram ao Maracanã assistir às duas equipes de maior torcida do futebol brasileiro no jogo que marcou o retorno do Flamengo ao estádio em que costuma mandar seus jogos, que ficou meses fechado por conta de reformas e dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. E os milhares de torcedores assistiram a um grande espetáculo. Flamengo e Corinthians protagonizaram o melhor jogo da rodada até o momento, e um dos melhores do campeonato.

Lutando pelo G-6, o Corinthians foi para cima do adversário mesmo jogando fora de casa, e abriu o placar logo aos 5 minutos, com Guilherme acertando um belo chute no cantinho de Muralha. O Flamengo empatou aos 14′, com Guerrero (em posição irregular) aproveitando, de cabeça, cobrança de falta de Diego. Aos 46 minutos, com um golaço, o Corinthians voltou à frente no placar. Rodriguinho iniciou a jogada no meio de campo, lançando Romero na ponta esquerda e arrancando para a área para concluir em gol, depois de um belo corta-luz de Guilherme, que deixou a bola passar por entre suas pernas.

No segundo tempo, Guerrero, novamente, empatou a partida, aproveitando rebote do goleiro Walter que havia feito bela defesa em cabeçada a queima-roupa após cobrança de escanteio. O Corinthians ainda teve Guilherme expulso e, a partir daí, passou a ser pressionado pelo Flamengo, que criou várias oportunidades para virar o jogo, mas não conseguiu fazer o terceiro gol.

Com o resultado, o Corinthians, entra, ao menos temporariamente, no G-6, com 49 pontos, um a mais que o Atlético-PR, que joga nesta segunda-feira. E o Flamengo segue na vice-liderança, a seis pontos do do Palmeiras, faltando seis rodadas para o fim do campeonato.

 

Dragão goleia o Avaí e confirma a liderança da Série B

O Atlético-GO confirmou a boa fase nesta 30ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, ao golear o Avaí por 3 a 0 neste sábado (8), em Goiânia (GO).  O time chegou aos 55 pontos, e garantiu a liderança, mesmo com a vitória do Vasco por 1 a 0 sobre o Londrina, em Manaus (AM).

No Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia, o Atlético-GO contou com uma atuação inspirada para bater o Avaí por 3 a 0. Com dois gols de Júnior Viçosa no primeiro tempo e um de Luiz Fernando na etapa final, o Dragão levou a melhor no confronto direto com o Leão. Com o resultado, o time goiano garantiu a liderança da Série B e deu fim à serie invicta de nove jogos dos catarinenses.

No Castelão, em São Luís, o Sampaio Corrêa mostrou que está vivo na luta contra o rebaixamento. Com uma boa atuação, o Tricolor bateu o Luverdense por 2 a 0. Os gols saíram ainda na primeira etapa. Aos 14 minutos, Thiago Santos recebeu de Eder Sciola e abriu o placar. Aos 42, o atacante obrigou o goleiro Diogo Silva a dar o rebote que Diego Lorenzi aproveitou para ampliar. Após pontuar nas últimas cinco rodas, o Verdão do Norte teve sua boa sequência interrompida e segue na 11ª posição com 42 pontos.

Na Arena Barueri, em Barueri (SP), Oeste e Ceará ficaram no empate em 1 a 1. As redes balançaram ainda na primeira etapa. Aos 26 minutos, o Vozão fez boa trama ofensiva que deixou Wescley na cara do goleiro Felipe Alves. O meia não desperdiçou a chance e fez 1 a 0. A resposta dos paulista veio logo em seguida, aos 33 minutos. Marquinhos recebeu na área e finalizou sem chances para Éverson, deixando tudo igual. Com a igualdade, o Ceará perdeu a chance de encostar no G-4 e, com 44 pontos, ocupa a oitava posição.

Na Arena Joinville, em Joinville (SC), o Tricolor catarinense esbarrou nas grandes defesas do goleiro Emerson e empatou com o Paysandu. Apesar de pressionar e criar boas oportunidades, os donos da casa não conseguiram vazar o arqueiro adversário e seguem em situação delicada na competição. Com 26 pontos, o Joinville está na 19ª posição. Em 14º, o Papão soma mais um ponto fora de casa e chega a 39.