Linha Verde sem semáfaros para o trânsito fluir

 

 

Por entender que existe uma grande falha na área da mobilidade urbana de Curitiba, em especial a Linha Verde, o MDB começou o ano colocando em debate este que é um dos temas que certamente vai polarizar  as eleições de outubro.

Para o arquiteto e urbanista, Luiz Forte Netto, coordenador do plano de governo do pré-candidato  a prefeito da capital,  ex-deputado federal, João Arruda, “é preciso reunificar Curitiba, dividida artificialmente pela Linha Verde”.

A intenção é eliminar os semáforos e fazer nove intervenções, entre trincheiras e viadutos, reduzindo o tempo de tráfego na via de uma hora para 25 minutos.

“A Linha Verde acabou se transformando num gargalo: um pesadelo urbano em que pedestre, ciclista e motorista disputam cada palmo de asfalto, em evidente prejuízo maior para os dois primeiros, mas com danos gerais para toda a população”, diz Forte Netto em artigo publicado na imprensa.

SOLUÇÃO

Segundo o arquiteto, milhares de motoristas ficam parados nos sinaleiros mesmo fora do pico de trânsito, provocando congestionamentos em praticamente toda a sua extensão de 22 quilômetros da via, do Atuba ao Pinheirinho. “A verdade é que a Linha Verde agravou ainda mais o apartheid urbano antes decorrente da BR-116”.

O MDB defende a eliminação de todos os semáforos dessa via, de ponta a ponta, e a construção de trincheiras e viadutos em nove cruzamentos de localização estratégica para que o tráfego flua mais rapidamente. “Obras que podem ser realizadas num cronograma de quatro anos”.

“A substituição dos semáforos permitirá que a travessia desta área da cidade, hoje feita em cerca de uma hora, seja reduzida para uns 25 minutos. Um ganho que virá em benefício não apenas dos motoristas e pedestres que cruzam as pistas da via, mas também dos moradores dos mais de 20 bairros abrangidos, para não falar de toda a população da capital”, adianta.

O urbanista diz que a prefeitura de Curitiba dispõe de uma reserva de R$ 600 milhões anuais destinados a investimento e com 10% desta soma é possível realizar as intervenções propostas e transformar a Linha Verde “numa via expressa que cumprirá sua função social de fomentar o desenvolvimento urbano e econômico de amplas regiões da cidade”.

Forte Netto diz ainda que sem os irritantes gargalos que se repetem a cada cruzamento, os motoristas terão mais tempo livre para dedicar às suas famílias, ao lazer e ao trabalho – e os pedestres e ciclistas terão maior segurança.

“Repensar Curitiba e trazer para o século 21 a cidade que já foi a mais inovadora do país, conciliando planejamento urbano com uma estética genuinamente ligada aos curitibanos, é o desafio que nos propomos”, completa.

 

preso, detento, suspeito, assalto, roubo, saidinha de natal, linha verde, prf, mulher, refém, pistola, polícia rodoviária federal, curitiba, paraná, linha verde

Durante ‘saidinha de Ano Novo’, detento rouba carro, faz mulher refém e é preso em Curitiba

Um detento beneficiado pela saidinha de Natal e Ano Novo foi preso em flagrante neste sábado (28), em Curitiba, suspeito de roubar um carro. Durante o assalto, o suspeito fez uma mulher refém por cerca de uma hora.

A prisão foi efetuada pela PRF (Polícia Rodoviária Federal), no trecho urbano da BR-116 (Linha Verde).

De acordo com as informações oficiais, um motorista de aplicativo denunciou o roubo.

Quando os agentes identificaram o carro, ordenaram a parada do veículo. O detento tentou fugir, mas acabou batendo o carro e sendo preso na sequência.

Dentro do veículo estavam pertences da dona do automóvel, que foi feita refém, além de uma réplica de pistola.

Conforme os policiais rodoviários federais, o homem cumpre pena no regime semiaberto pelo crime de roubo. Antes de ser beneficiado pela “saidinha de Natal e Ano Novo”, o detento estava preso na Colônia Penal Agrícola de Piraquara, região metropolitana.

O homem, de 24 anos, foi encaminhado à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba.

preso, assalto, saidinha de natal, linha verde, prf, mulher, refém, pistola, polícia rodoviária federal 2
Réplica de pistola foi encontrada dentro do carro roubado. (Divulgação/PRF)

* Com informações da rádio BandNews FM

Motorista, de 25 anos, morre em acidente na Linha Verde, em Curitiba

Um motorista, de 25 anos, morreu em um acidente, na noite desta segunda-feira (16), na BR-476, conhecida como Linha Verde, em Curitiba. O rapaz transitava pela rodovia, quando o carro em que ele estava, um Fiat Uno, foi atingido lateralmente por outro veículo. Com isso, o automóvel da vítima atravessou a pista e bateu de frente com um terceiro carro, um Citroen C3.

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o veículo que atingiu o Uno ainda não foi identificado. No local do acidente, nenhuma testemunha se apresentou à polícia para passar detalhes sobre o ocorrido. Os policiais acreditam que, pelas marcas na lateral do Uno, seja um caminhão ou um veículo de maior porte, de cor vermelha.

No local do acidente não há mureta para dividir as pistas, apenas uma espécie de meio-fio. O limite de velicidade é 70 km/h e o asfalto estava molhado.

A PRF informa ainda que o rapaz morto provavelmente não utilizava cinto de segurança. A motorista do Citroen, de 34 anos, foi encaminhada para o Hospital do Trabalhador em estado grave.

Quem eventualmente tiver informações sobre o fato pode usar o telefone de emergência da PRF, o 191.

Arruda e Forte Neto buscam solução à Linha Verde

 

As constantes reclamações de usuários e moradores ao longo da Linha Verde, principalmente na região norte da cidade, levaram o pré-candidato a prefeito de Curitiba, João Arruda (MDB), a defender mudanças urgentes no traçado.  O ex-deputado federal quer o “destravamento” dos 22 quilômetros da Linha Verde para agilizar o tráfego e trânsito em pelo menos 25 minutos.

Para que isso aconteça, João Arruda adiantou que o arquiteto Forte Neto, ex-secretário estadual de Desenvolvimento Urbano, está elaborando um estudo para a Fundação Ulisses Guimarães para diminuir “o transtorno do tempo de percurso”.

“A proposta em execução é fazer nove obras nas transposições, trincheiras e viadutos, que vão substituir os semáforos e com reduzir o tempo de percurso do Pinheirinho ao Atuba. Vai diminuir também o tempo de espera das transversais, tempo de espera e mais segurança de motoristas que atravessam por essas vias”, disse João Arruda.

A redução do tempo no tráfego na Linha Verde, segundo João Arruda, além de agilizar o trânsito e assegurar mais conforto, segurança e comodidade aos moradores, vai diminuir a emissão de poluentes em todo trecho de sul ao norte de Curitiba. “O carro produz mais poluentes quando está parado. Essas obras também vão ajudar a economia como um todo, vai dinamizar o consumo de bens e serviços na linha verde”.

“Essas intervenções são fundamentais no plano de mobilidade de Curitiba .Todo estudo, vamos apresentar de forma mais detalhada nos próximos dias”, adianta o pré-candidato a prefeito.

Nos últimos três anos, reafirma João Arruda, as obras na Linha Verde estavam praticamente paradas e somente agora, às vésperas da eleição, foram reiniciadas, mas ainda não devem ficar prontas em 2020. O pré-candidato tem se reunido semanalmente com Forte Neto para avaliar detalhes da obra e os custos de novas intervenções. “A Linha Verde vai estar no plano de governo e a prioridade será a conclusão, incluindo as trincheiras e viadutos para aliviar os engarrafamentos constantes”.

A Linha Verde é o 6º eixo de transporte e de integração viária de Curitiba. São 22 quilômetros de extensão ligando Curitiba do Sul ao Norte desde o Pinheirinho ao Atuba, passando por 22 bairros numa área de abrangência de 287 mil moradores. A Linha Verde começou a ser construída em janeiro de 2007, no trecho sul, e desde então as obras vão de trecho em trecho.

empréstimo, curitiba, câmara, obras, infraestrutura

Câmara aprova empréstimo de R$ 250 milhões para obras em Curitiba

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou nesta terça-feira (3), em segundo turno, o pedido de autorização para que a Prefeitura de Curitiba contrate um empréstimo de até R$ 250 milhões junto a Caixa Econômica Federal. O texto foi aprovado com 18 votos favoráveis e cinco contrários. Conforme o projeto, os recursos serão usados para obras de infraestrutura.

Além disso, a discussão e votação foram feitas em regime de urgência. De acordo com a prefeitura, o dinheiro será captado por meio do programa Finisa (Financiamento para Infraestrutura e Saneamento), do governo federal, para a realização de diversas obras na cidade.

Na descrição do projeto, os recursos devem ser usados para implantação de 50 quilômetros de asfalto sobre saibro, recuperação de 168 quilômetros de asfalto danificado e a construção de viaduto e alças de acesso na estação Tarumã na Linha Verde. Além disso, estão previstas a requalificação do Moinho Rebouças e a construção da Rua da Cidadania da CIC. Bem como obras de drenagem e contenção de cheias.

Para viabilizar o empréstimo, a prefeitura deu garantias. Entre elas, repasses federais e a expectativa de receita própria, conforme legislação federal.

obras paradas linha verde curitiba prefeitura construtora empreiteira suspensa contrato rompido Luiz CostaSMCS

Greca anuncia a retoma das obras na Linha Verde

O prefeito Rafael Greca anunciou na rede social a retomada das obras da Linha Verde Norte, nesta segunda-feira (2), paralisadas em agosto deste ano.

Para retomada das obras foram necessárias a realização de perícia por uma comissão formada por engenheiros da Secretaria Municipal de Obras Públicas e do Instituto Falcão Bauer, foram feitas também análises de procedimentos e de documentos.

Este é o trecho final da via de 22 km e 12 pistas que corta a cidade de norte a sul, ligando as estações de ônibus Solar e Atuba, nos limites entre Curitiba e Colombo.

A obra será executada pelo consórcio Estação Solar, formado pela TCE Engenharia Ltda. e a Construtora Triunfo S.A., segundo colocado no processo licitatório realizado para a eleger a empresa que executaria a obra. O consórcio Estação Solar aceitou assumir a obra após o contrato com a primeira colocada na licitação ter sido rescindido, em agosto deste ano.

A rescisão ocorreu por falhas no atendimento ao cronograma de execução da obra e a lentidão dos serviços. Somente neste Lote 4.1, a Secretaria Municipal de Obras Públicas aplicou 31 notificações na empresa que estava responsável pelo trecho.

O Lote 4.1 foi licitado em 24 de julho de 2018. As propostas foram abertas em 16 de agosto de 2018 e a homologação da vencedora ocorreu em 30 de outubro de 2018. A ordem de serviço para a execução dos trabalhos foi assinada em 7 de novembro do ano passado.

As obras tiveram início em novembro de 2018 e a previsão era que fossem entregues até o final de 2020. Apenas 4,16% da obra foi feito pela empresa que iniciou os trabalhos. Por isso foi dispensada.

motoqueiro linha verde policial militar

Policial militar morre em acidente de moto na Linha Verde

Um policial militar faleceu no início da manhã desta segunda-feira (7), após um acidente na Linha Verde, em Curitiba. Ele estava dirigindo uma motocicleta e acabou colidindo com uma placa de sinalização no quilômetro 125 da BR-476, no bairro Tarumã, em frente ao Hospital Vita.

Por volta das 5h30, o homem de 32 anos estava tentando sair da via marginal e entrar na pista principal da rodovia.

Vale ressaltar que a pista estava molhada por causa da chuva que atinge a capital paranaense nesse início de semana.

Segundo as informações da PRF (Polícia Rodoviária Federal), nenhuma testemunha do acidente se apresentou à equipe no local. Além disso, o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Curitiba.

Por fim, o tráfego na Linha Verde, já carregado pelo movimento do início da semana, também foi afetado na região.

trânsito linha verde caminhão

Caminhão tem pane mecânica e trava a Linha Verde; fila vai até o Jardim Botânico

Um caminhão teve uma pane mecânica na Linha Verde, sentido Pinheirinho, no início da tarde desta sexta-feira (6) e vai travando o trânsito na PR-476. O veículo parou na pista do meio do km 130 e causa um enorme congestionamento na região.

O caminhão carrega pelo menos nove carros e trava um ponto de alto fluxo na Linha Verde. O local é próximo do Colégio Medianeira e ao semáforo da entrada para o campus da PUCPR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). Para fechar, aquele local também é próximo ao cruzamento com a Avenida Senador Salgado Filho.

De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), a fila vai até o Jardim Botânico. Ainda não há previsão para a liberação total da pista. Uma equipe de policiais rodoviários está no local e tenta ajudar o fluxo de automóveis.

trânsito linha verde caminhão
Foto: Divulgação / PRF

 

 

Engavetamento na Linha Verde em Curitiba deixa uma pessoa ferida

Um acidente no inicio da tarde deste sábado (24) deixa uma pessoa ferida, na Linha Verde, em Curitiba.

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Estadual), quatro carros se envolveram num engavetamento, na Linha Verde, sentido sul. O acidente foi em frente ao comércio Assaí Atacadista.

Foto: Divulgação PRF

Um carro que transitava numa das pistas da Linha Verde foi fechado por outro veículo.

O motorista do carro que foi fechado acabou atravessando a pista do lado contrário e batendo em mais três veículos.

A PRF ainda não divulgou mais informações sobre o acidente.

 

TCE fiscaliza qualidade do asfalto da Linha Verde

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) iniciou nesta madrugada uma auditoria para verificar a qualidade da pavimentação realizada em um trecho de 2,46 quilômetros da Linha Verde Norte, situado entre as ruas Bandeirantes Dias Cortês e Ingabaú, em Curitiba. A ação faz parte do Plano Anual de Fiscalização do órgão de controle. O recolhimento de material é feito sempre da 00h às 5h até essa quinta-feira (15).

O objetivo, segundo o TCE, é verificar, por meio da extração de 59 amostras do asfalto, que serão analisadas em laboratório, se os atributos presentes na obra finalizada correspondem aos parâmetros definidos no projeto da Prefeitura. Serão avaliadas a espessura do revestimento, o teor de betume, o grau de compactação, a granulometria e a resistência à tração.

O resultado constará em relatório de auditoria que será encaminhado até 31 de janeiro de 2020 ao Município de Curitiba, responsável pela obra. A pavimentação foi executada pela empresa Terpasul Construtora de Obras, que venceu o lote da licitação da Secretaria Municipal de Obras Públicas, correspondente às estações Vila Olímpica e Fagundes Varela. O montante definido no contrato assinado em julho daquele ano foi de R$ 48 milhões.

Caso a fiscalização, realizada por técnicos da Coordenadoria de Auditorias (Caud) do TCE-PR, identifique situações irregulares ou causadoras de dano ao patrimônio público, estas serão apuradas em procedimentos processuais específicos à atividade de controle externo exercida pelo Tribunal, com a possibilidade de aplicação de sanções aos responsáveis.

O trabalho fiscalizatório no referido trecho da Linha Verde integra a auditoria financeira do Programa de Recuperação Ambiental e Ampliação da Capacidade da Rede Integrada de Transporte de Curitiba, oriundo de contrato de empréstimo externo firmado entre o município e a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

RESCISÃO CONTRATUAL

Nesta terça-feira (13), a Prefeitura de Curitiba oficializou a rescisão de contrato com a construtora Terpasul, responsável pelas obras da Linha Verde. O anúncio já tinha sido feito pelo Prefeito Rafael Greca na última semana.

Segundo a administração municipal, rompimento ocorre após o município ter esgotado as negociações para que a empresa cumprisse devidamente os contratos obtidos por meio de licitação.

Conforme a Prefeitura, a Terpasul parou a execução em alguns trechos da Linha Verde, tendo, inclusive, sido notificada por abandono de obra.  O Executivo Municipal disse que a empresa foi informada da rescisão contratual.