acidente ônibus

Acidente com ônibus causa transtorno na BR-376 e deixa 14 feridos

Um acidente envolvendo um ônibus, uma van e uma carreta vai causando transtorno no Contorno Sul, em Curitiba. A colisão aconteceu no início da tarde desta quarta-feira (26), no km 601 da BR-376, e deixou 14 pessoas feridas, sendo a maioria passageiros do transporte público da capital paranaense. As vítimas foram encaminhadas para o Hospital Evangélico e do Trabalhador.

O congestionamento durou mais de uma hora na região, mas a pista foi totalmente liberada por volta das 15h10. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) esteve no local e ajudou na orientação do trânsito, que ficou com apenas metade da pista liberada.

Segundo a PRF, o acidente foi originado pelo motorista do ônibus não conseguir frear na pista molhada. Por isso, ele acabou acertando a traseira da carreta. Há a possibilidade de um outro acidente, no km 115, ter gerado a batida. Nesse caso, o motorista viu o engarrafamento pela outra colisão, mas fracassou na tentativa de parar o veículo com os passageiros.

O estado de algumas pessoas é grave. O motorista do ônibus, por exemplo, sofreu uma fratura exposta. Por enquanto, não há nenhuma informação de óbito.

ônibus acidente
Imagem mostra como ficou a parte interior do ônibus. Foto: Divulgação PRF

LEIA TAMBÉM:

Homem morre após bater carro em mureta na Linha Verde

Um homem, de 42 anos, morreu após colidir o automóvel que dirigia na mureta da BR-476, na Linha Verde, em Curitiba. O acidente aconteceu na madrugada desta sexta-feira (21).

Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor estava na pista sentido Colombo, quando bateu na mureta que divide a pista principal e a via de acesso à Avenida Victor Ferreira do Amaral, no Viaduto do Tarumã.

O local precisou ser interditado para o atendimento. A via marginal foi liberada por volta das 5 horas.

Desvio Linha Verde Obras Congestionamento km 126

Após congestionamento, desvio na Linha Verde será invertido

O desvio da pista sentido norte da Linha Verde, implantado nesta quarta-feira (05) para as obras da trincheira no km 126, causou um congestionamento além do esperado.

Por esse motivo, nos próximos dias, o desvio na BR-476 será invertido. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou nesta quinta-feira (06) que ele passará do sentido norte para o sentido sul. A mudança tem o objetivo de diminuir os impactos no trânsito.

Na implantação inicial, identificou-se a formação de filas em dois pontos: no acesso da Avenida Victor Ferreira do Amaral para a Linha Verde, nas proximidades da Sociedade Hípica Paranaense, e no entroncamento da Linha Verde com a Rua Xaverianos.

Obras

Esta é a última etapa das obras da trincheira do km 126 da Linha Verde. Os trabalhos devem durar entre três e quatro meses.

A trincheira faz parte do Lote 6 das obras da BR-476.

As obras do Lote 7 (km 124 ao km 120) foram iniciadas com a implantação da canaleta de concreto do ônibus bi-articulado. Ela servirá como desvio para dar andamento à execução das pistas principais e vias marginais em ambos os sentidos.

Prefeitura anuncia novo leilão de potencial construtivo para obras na Linha Verde

A prefeitura de Curitiba anunciou para a próxima quarta-feira (dia 8) mais um leilão de potencial construtivo da Linha Verde. Se todos os 30 mil títulos forem vendidos a arrecadação será de R$ 10,080 milhões, mas é improvável que isto aconteça, já que nos últimos dois anos foram adquiridos apenas 25% e 10% dos papéis ofertados.

As duas vendas geraram R$ 3,5 milhões aos cofres municipais, e agora a prefeitura repetirá a oferta: são mais 30 mil Cepacs ao preço de R$ 336 cada. Os recursos serão aplicados nas obras que estão em andamento na Linha Verde Norte, que tem três lotes sendo tocados: um trecho de 2,2 km do viaduto da avenida Victor Ferreira do Amaral até o Rio Bacacheri, a ser entregue em 31 de julho; a trincheira da rua Fúlvio José Alice, prevista para terminar no segundo semestre de 2019, e o trecho final da Linha Verde, de 2,8 km, que vai da estação Solar ao Atuba e será finalizado em 2020.

O leilão não chega a ser determinante para a conclusão das obras, já que somente entre os projetos que estão sendo auditados pela Caixa Econômica a aplicação total de recursos é de R$ 108 milhões.

Como funciona

Os títulos são comprados principalmente por construtores, que com eles ficam liberados a ocupar espaços “a mais” em um determinado terreno a ser escolhido. Só na região da Linha Verde a prefeitura poderia liberar, por lei, construções de mais 4,475 milhões de metros quadrados por Cepacs. Até agora só 2,26% deste total foi vendido.

Linha Fagundes Varela/Fanny na Linha Verde é adiada de novo

A linha de ônibus Fagundes Varela/Fanny, primeira a integrar os trechos Sul e Norte da Linha Verde, em Curitiba, deveria começar a funcionar nesta segunda-feira (15), a partir das 10h, mas o início foi adiado pela Urbanização de Curitiba S/A (Urbs), que gerencia o transporte coletivo.

O começo do serviço está com mais de duas semanas de atraso, já que estava previsto para o aniversário de Curitiba, celebrado no dia 29 de março. Na época, a Prefeitura de Curitiba informou que mudanças operacionais nas estações-tubo por onde o ônibus passaria não foram concluídas a tempo.

Neste final de semana, a Prefeitura emitiu uma nota dizendo que “um problema no raio de giro dos ônibus articulados foi detectado durante os últimos testes antes da ativação da linha”.

A nota também ressalta que nesta segunda-feira, dia em que o serviço deveria iniciar, técnicos da Urbs, da Superintendência de Trânsito (Setran) e da Secretaria Municipal de Obras Públicas farão uma reunião para avaliar a situação.

Inicialmente, a linha deve funcionar com horários de segunda a sábado. Em dias úteis, os ônibus vão das 6h à meia-noite. A última viagem sai da estação Fanny, às 23h40. No sábado, o horário será das 6h às 14h.

Homem morre atropelado na Linha Verde, em Curitiba

Um homem morreu atropelado, na madrugada desta segunda-feira (11), na BR-476, a chamada Linha Verde, em Curitiba. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um automóvel atingiu a vítima por volta das 3h35.

O atropelamento aconteceu na pista sentido Curitiba, no Bairro Alto, em frente a um hospital. Não há informações se o motorista ficou no local e solicitou o socorro.

O Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma (Siate) foi acionado, mas o homem não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O corpo foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML).

Sobrado às margens da Linha Verde incendeia e assusta moradores

Um princípio de incêndio por volta do meio-dia de ontem (06) no bairro Guabirotuba, em Curitiba, assustou moradores e também motoristas que trafegavam pela Linha Verde. A coluna de fumaça e as chamas podiam ser vistas de longe, mas o fogo não demorou a ser controlado. O imóvel – um sobrado – fica na rua Plácido de Castro, às margens da rodovia, e a ocorrência foi atendida por dois caminhões e uma caminhonete do Corpo de Bombeiros.

Por enquanto, de acordo com a Polícia Militar, não há notícia de feridos no incidente. Já o estrago parece ter sido grande, segundo o fotógrafo Rogério Marcos de Freitas, que passou pelo local. “Eu tava passando no trevo da PUC com a Linha Verde e quando olhei não acreditei naquele sobrado pegando fogo. Aqueles sobrados germinados, provavelmente afetou o outro. Os Bombeiros ainda não tinham chegado. Aí acaba com o feriado, você fica pensando: e se fosse sua casa?”, relatou.

Por causa do trabalho de contenção das chamas, o trânsito ficou fechado no trecho entre as ruas Plácido de Castro e Araújo Porto Alegre. As causas do incêndio ainda vão ser investigadas.

Motorista que provocou acidente com cinco mortes é denunciado por homicídio

O Ministério Público do Paraná denunciou criminalmente, por homicídio com dolo eventual, o motorista que provocou um acidente e matou cinco pessoas ao dirigir embriagado, no bairro Pinheirinho, em Curitiba.

O acidente aconteceu no dia 5 de novembro de 2017.

De acordo com a denúncia do MP, ele assumiu a direção do veículo após consumir bebidas alcoólicas em uma casa noturna. Outras três pessoas estavam no carro.

No trajeto, com a pista molhada, o motorista dirigia em velocidade maior do que a permitida, na BR-476, conhecida como Linha Verde.

O carro avançou contra o canteiro central, invadiu a pista contrária e bateu em outro veículo, com três passageiros.

A colisão provocou  um incêndio que matou cinco dos sete envolvidos. Além do motorista, o outro sobrevivente, que estava no mesmo carro do denunciado, sofreu queimaduras na perna e foi socorrido por terceiros.

O motorista fugiu do local e foi para casa em um táxi.

O investigado foi denunciado pelos crimes de embriaguez ao volante; homicídios e tentativa de homicídio (todos com dolo eventual); omissão de socorro e fuga do local do crime.

Policial que conduzia viatura a 138 km/h deve ser indiciado por homicídio com dolo eventual

O policial que conduzia a viatura da Polícia Militar que se envolveu em um acidente que deixou quatro pessoas mortas, no dia 31 de julho, na Linha Verde, em Curitiba, deve ser indiciado pelo crime de homicídio com dolo eventual, segundo o delegado-titular da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), Vinicius Augustus de Carvalho. O colega que estava na viatura será indiciado por falso testemunho. Ontem, um laudo do Instituto de Criminalística do Paraná revelou que o veículo estava a 138 km/h na via em que a velocidade permitida é 70 km/h.

> Viatura da PM envolvida em acidente com quatro mortes estava a 138 km/h, aponta laudo

Em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (23), o delegado responsável pelo caso afirmou que aguarda a conclusão de um segundo laudo e a oitiva das últimas testemunhas para concluir o inquérito que deve ser encerrado amanhã.

Delegado-titular da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), Vinicius Augustus de Carvalho / Foto: Divulgação

“Diante das leituras, os peritos acabaram vendo que o veículo estava numa velocidade de 138 km/h, quando ele bateu no meio-fio estava a 89 km/h. Quando atingiu as pessoas que estavam no ponto de ônibus, ele estava a 74 km/h. Ele só foi parar quando estava a 48 km/h, quando bateu em um veículo do outro lado da pista. Foi nesse impacto com o veículo do outro lado que foi acionado os airbags”, conta Vinícius Carvalho.

De acordo com o delegado, o laudo que comprova o excesso de velocidade pode mudar a tipificação do crime. “A velocidade permitida no local é 70 km/h, ele estando a 138 km/h, existe doutrina que nesses casos, o policial que conduzia o veículo, assumiu o risco”, afirma.

Agora, a polícia irá concluir o inquérito e encaminhar o caso para o Ministério Público do Paraná (MPPR) que decide se apresenta a denúncia por dolo eventual, quando se assume o risco de matar, ou por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. No primeiro caso, o policial que conduzia o veículo será julgado em júri popular. Na segunda hipótese, o processo irá tramitar na Vara de Delitos de Trânsito.

O delegado adiantou que deve concluir o inquérito e indiciar o motorista da viatura por homicídio com dolo eventual. O passageiro será indiciado por falso testemunho. Em depoimento, ele disse que o excesso de velocidade se justificava para atender uma ocorrência, o que não é verdade segundo a própria Polícia Militar.

Acidente na Linha Verde

O acidente aconteceu no dia 31 de julho embaixo do viaduto da Avenida das Torres, depois que uma viatura do 20° Batalhão da Polícia Militar perdeu o controle. Quatro mulheres estavam em um ponto de ônibus foram atingidas. Duas delas, uma de 29 e outra de 67 anos, morreram na hora com o impacto do acidente. Uma terceira, de 33 anos, chegou a ser socorrida, mas faleceu na ambulância a caminho do Hospital Cajuru. A quarta vítima deu entrada no hospital em estado grave, não resistiu e morreu no Cajuru já durante a noite.

Em depoimento, os policiais afirmaram que a sirene e o giroflex estavam ligados, no entanto, as investigações apontaram que a informação era falsa. Além disso, a polícia civil apurou que a equipe – que trafegava na canaleta exclusiva do ônibus, não estava a caminho de nenhuma ocorrência.

Em nota, a Polícia Militar afirma que não compactua com desvios de conduta de seus integrantes.

Viatura da PM envolvida em acidente com quatro mortes estava a 138 km/h, aponta laudo

De acordo com um laudo do Instituto de Criminalística do Paraná, divulgado nesta segunda-feira (22), a viatura da Polícia Militar, que se envolveu em um acidente com quatro mortes na Linha Verde, em Curitiba, estava a 138 km/h antes da batida. No dia 31 de julho, quatro mulheres morreram após serem atropeladas pelo carro em um ponto de ônibus. Duas delas, uma de 29 e outra de 67 anos, morreram na hora com o impacto do acidente.

Os dois policiais que estavam na viatura e outro motorista, envolvido no acidente, tiveram ferimentos leves. Em depoimento, os policiais afirmaram que atendiam uma ocorrência e a sirene e o giroflex estavam ligados, no entanto, as investigações apontaram que a informação era falsa.

O policial que dirigia a viatura deve ser indiciado por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar. Já o passageiro deve responder por falso testemunho, por ter afirmado que eles atendiam uma ocorrência durante a batida.

Uma coletiva de imprensa com o delegado-titular da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), Vinicius Augustus de Carvalho, está agendada para a manhã desta terça-feira (23) para dar mais detalhes sobre o laudo.

À época do acidente, a PM afirmou, por meio de nota que não compactua com desvios de conduta de seus integrantes e, se ficar comprovada alguma irregularidade ou desvio de conduta dos policiais, respeitados os princípios da ampla defesa e do contraditório, os policiais militares serão responsabilizados dentro do rigor da lei.