livros

Dia do Livro: pesquisa aponta principais interesses dos brasileiros para a leitura

A 4ª pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro (IPL), apontou os principais interesses dos brasileiros no universo dos livros. Entre as motivações estão: o gosto pela leitura (25%), atualização cultural (19%), distração (15%), motivos religiosos (11%), crescimento pessoal (10%), exigência escolar (7%) e atualização profissional ou exigência do trabalho (7%).

O hábito de ler, que traz diversos benefícios, como o estímulo à atividade cerebral e à criatividade, incitação ao senso crítico e redução do estresse, além de ser uma ótima fonte de conhecimento, pode ser adquirido em qualquer fase da vida, sendo o quanto antes melhor. Como foi o caso da relações-públicas Gabriele Silva, 25. “Eu me recordo que, quando era pequena, uma vizinha me emprestou um livro e, a partir de então, adentrei cada vez mais no mundo da leitura. Sou muito grata”, relembra.

Na vida de Gabriele, através da leitura, houve diversos pontos positivos, como na concentração e ampliação do vocabulário, o que refletiu na melhora nas apresentações em público. “A leitura de alguma forma me transborda, me leva a outros mundos, pois é nos livros que eu posso me transportar para onde eu quiser”, enfatiza.

Já a bióloga e escritora Carla Chastinet acreditava que os artigos científicos que escrevia ficavam entre os próprios colegas do universo acadêmico. Então, movida pela vontade de levar a biologia para sociedade, ela descobriu a literatura infantil. Seu mais recente livro “O rio que sentia cócegas” fala da transformação que acontece com um rio e que afeta a vida de todos nós.

“Acho que as crianças têm maior sensibilidade para poder fazer com que os adultos compreendam a importância da natureza. Elas também serão nossos futuros adultos e, quanto mais cedo elas começarem a ter essa sensibilidade, a natureza tem maior chance de ser preservada”, pondera.

Para a escritora, cada leitor entende a história do seu jeito, o que a torna mais rica. “O bonito da história é a gente contar sem explicar nada, deixar cada um escolher a sua mensagem porque cada pessoa tem uma vivência, uma realidade. As histórias tocam as pessoas de maneiras diferentes”, pontua.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Literatura - Sesc - Feira do Livro - Curitiba - Paraná

Sesc PR promove evento literário em 24 cidades do estado

Até o próximo sábado (28), o Paraná será palco de um dos maiores eventos literários do Brasil. A 38ª edição da Semana Literária Sesc PR e XVII Feira do Livro é realizada em 24 cidades do estado e conta em sua programação com palestras, oficinas e encontros para debater a literatura e a sociedade atual.

A abertura do evento ocorre em Curitiba nesta segunda-feira (23), às 19h. O evento vai contar com a presença do vice-governador do Paraná, Darci Piana, do reitor da UFPR (Universidade Federal do Paraná), Ricardo Marcelo Fonseca, e da apresentadora e escritora, Bela Gil.

O evento deste ano terá o tema “Literatura: vozes para (re)criar o mundo” e em Curitiba ocorre em parceria com a UFPR e Editora UFPR, responsáveis pela Feira do Livro. Ao todo 50 livrarias e editoras universitárias vão comercializar livros com até 30% de desconto.

O evento em Curitiba ocorre em duas sedes. Enquanto a Feira do Livro é realizada na Praça Santos Andrade a Semana Literária é locada na Unidade do Sesc Paço da Liberdade.

Além de Curitiba, as discussões literárias passam também por Apucarana, Campo Mourão, Cascavel, Cornélio Procópio, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Guarapuava, Ivaiporã, Jacarezinho, Londrina, Marechal Cândido Rondon, Maringá, Matinhos, Medianeira, Paranaguá, Paranavaí, Pato Branco, Ponta Grossa, Rio Negro, São José dos Pinhais, Toledo, Umuarama e União da Vitória.

As atividades nesses seis dias contemplam meses-redondas, oficinas, apresentações artísticas, exibições de filmes e lançamento de livros. A programação completa está disponível no site www.sescpr.com.br/semanaliteraria e mais informações podem ser obtidas no telefone (41) 3304-2266.

Escritor - Curitiba - Desenvolviemnto Sustentável - Crianças

Escritor de Curitiba lança livro infantil sobre desenvolvimento sustentável

O desenvolvimento sustentável é um conjunto de práticas que permite maior bem-estar social em conjunto com o meio ambiente. E um escritor de Curitiba tem como objetivo levar esses conceitos para a sociedade por meio das crianças.

Rodrigo Titon irá lançar em Curitiba nesta sexta-feira (13), o livro “O Menino Hiper Ativo em: O que são as ODS?”. A publicação será a segunda com o personagem que Titon criou inspirado em seu filho de quatro anos.

“Ano passado eu fiz um livro em homenagem ao meu filho e dei o nome do livro de ‘O Menino Hiper Ativo’. Na época ele tinha três anos e era uma pessoa muito ativa, embora não tenha o transtorno de hiperatividade”, explicou o escritor.

O que são as ODS?

Titon é um dos participantes do programa ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (Organização das Nações Unidas), Ao todo são 17 propostas que pregam não somente a proteção ao meio ambiente, mas também maior igualdade social.

A ONU lançou o projeto em 2015, com objetivo de cumprir todas as metas até o ano de 2030. Titon decidiu auxiliar o projeto com sua obra esse e explicar com linguagem e práticas acessíveis para o público infantil a importância da conscientização sobre o desenvolvimento sustentável.

“A sustentabilidade acaba sendo um conceito tão abrangente que na prática fica difícil você definir o que ela é. Falar do ODS para o público infantil, possibilita que as crianças disseminem esse conhecimento dentro de casa e também na escola ou em outros núcleos que ela participe”, analisou Titon.

As aventuras de Pedro Titon, o menino hiper ativo, já conseguiram boa impressão da crítica. A primeira publicação do escritor foi indicada ao Prêmio Jabuti. principal premiação da literatura brasileira. O resultado dos finalistas desta edição será divulgado no mês de novembro.

“A paz e a erradicação da pobreza são alguns temas dentro da sustentabilidade que muitas vezes não ganham a atenção que merecem. Quando falamos em pobreza, olhamos normalmente para fora e esquecemos do olhar para o nosso local, como por exemplo a Caximba, aqui em Curitiba”, finalizou Titon.

Serviço

Livro: O Menino Hiper Ativo em: O que são as ODS?;

Autor: Rodrigo Titon;

Ilustrações: Marcelo Bittencourt;

Editora: Verso;

Páginas: 22;

Lançamento: 13 de setembro (sexta-feira), das 19h às 21h30;

Endereço: Shopping Pátio Batel, Livraria da Vila. Avenida do Batel, 1868 – Loja 314, Batel, Curitiba, Paraná.

toni morrison prêmio nobel

Toni Morrison, primeira negra a ganhar o Prêmio Nobel, morre aos 88 anos

A escritora Toni Morrison, vencedora do Nobel de Literatura de 1993, morreu na noite de segunda-feira (5), aos 88 anos. Ela foi a primeira mulher negra a ganhar o prêmio.

A informação foi confirmada pela sua editora, em uma publicação no Twitter. “Sua narrativa e sua prosa hipnotizante deixaram uma inegável marca em nossa cultura”, escreveu.

Nascida no estado de Ohio, ela ficou conhecida por obras que descrevem os obstáculos políticos e sociais enfrentados pela comunidade negra ao longo da história americana.

Em “O Olho Mais Azul”, seu romance de estreia publicado em 1970 nos EUA, Morrison conta a história de uma moça negra que sonhava em ser loira e de olhos azuis como a atriz Shirley Temple.

Com sua ficção sobre as conflituosas relações de negros e brancos no país, ganhou o apelido de Pantera Negra, em analogia ao grupo que inseriu com força o debate das questões raciais na sociedade americana. Ela também escreveu livros como “Amada” e Canção de Salomão”.

 

literatura leitura

Clássicos da literatura brasileira estão disponíveis para download

As obras literárias consideradas como clássicos são lembrados, geralmente, apenas em época de vestibular. O motivo principal é por conta da lista de livros adotados para as etapas do processo seletivo, em provas de língua portuguesa e literatura brasileira. Questões objetivas ou discursivas, na primeira ou na segunda etapa. O importante é fazer a leitura e compreender as ideias.

No entanto, existem obras que – mesmo consideradas fundamentais no Brasil (ou fora dele) – não caem nas provas de vestibular e não são menos importantes por isso. Independente dos processos seletivos, existem sites que disponibilizam gratuitamente os livros online e também com possibilidade de download. Com a possibilidade da leitura através dos aparelhos digitais, ficou mais fácil ter acesso a essas obras. Confira abaixo:

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Editora MercadoLivros lança “Aventuras Passarinhas”

A Editora MercadoLivros lança, no próximo domingo (16), na Livraria da Vila, o livro de literatura infantojuvenil “Aventuras Passarinhas”, da autora Josiane Orvatich, com ilustrações de Birgitte Tümmler, e cuidados editorias de Yvette Pais.

A Editora conta com seis títulos de literatura infantil em seu catalogo, sendo este o primeiro infanto-juvenil. Também a autora, Josiane Orvatich, e a ilustradora, Birgitte Tümmler, são estreantes no mundo da publicação literária infanto-juvenil. O projeto iniciou-se em novembro de 2018 e agora segue para as livrarias.

O livro é composto por três contos, em que três personagens diferentes encontram-se com um pássaro que se torna decisivo e especial no desdobramento de suas trajetórias. São histórias sobre infância, medo, amizade, solidão e amor.

Na ocasião do lançamento, haverá exposição de originais das ilustrações e acompanhamento musical com Carlos Simas.

Biblioteca Pública do Paraná guarda livro de 435 anos e outras obras raras

1.584: Este foi o ano em que foi fabricado o livro mais antigo do acervo da Biblioteca Pública do Paraná. O exemplar é de Orlando Furioso, poema épico renascentista escrito em 1.516 pelo italiano Ludovico Ariosto e publicado pela primeira vez em 1.532.

O livro é uma das obras raras da biblioteca, que incluem livros antigos, primeiras edições, livros censurados ou assinados pelo autor que recebem tratamento especial para o armazenamento, acesso e manuseio.

Foto: Jaelson Lucas/ANPr

Com a reforma da Biblioteca Pública, a seção de obras raras ganhou um espaço mais adequado, com controle de luz e climatização para evitar a deterioração das publicações. A temperatura do local, por exemplo, varia de 18ºC a 20ºC para que não haja a proliferação de fungos.

Só pessoas autorizadas, geralmente pesquisadores, têm acesso ao local, e o manuseio das obras também é controlado. O uso de luvas, máscara ou até mesmo avental é exigido para evitar tanto a deterioração da obra como uma possível contaminação do leitor, já que pela idade o livro pode ter fungos ou outros agentes. As páginas também não podem ser xerocadas ou fotografadas com flash, pois a luz pode estragar as folhas.

No caso de Orlando Furioso, descoberto por acaso no depósito da biblioteca nos anos 1990, o acesso físico é ainda mais restrito, o que justifica o armazenamento da relíquia em um cofre. As equipes das divisões de Preservação e de Coleções Especiais, porém, fizeram um trabalho minucioso de digitalização para disponibilizar ao público a obra raríssima. Há apenas outro exemplar dessa edição no Brasil, guardado na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro.

Conservação

Os métodos de conservação seguem o manual de obras raras da Biblioteca Nacional, explica a bibliotecária Lidiamara Gross, chefe da Divisão de Coleções Especiais da Biblioteca Pública do Paraná. “Tomamos esses cuidados para que os livros durem ainda muito tempo. Temos livros com quase 500 anos e esperamos que eles estejam conservados pelos próximos 500”, diz.

Antes de chegar ao acervo, os livros passam por uma higienização, feita página por página. A Divisão de Preservação também identifica pequenos rasgos e faz uma conservação curativa na obra. Os livros mais sensíveis são revestidos por uma jaqueta de poliéster ou acondicionados em uma pequena caixa.

Foto: Jaelson Lucas/ANPr

Após o restauro e limpeza, é feita a catalogação para disponibilizar a obra na base de dados da Biblioteca Pública. Especificidades da publicação são destacadas nesse processo, incluindo no catálogo informações como se há no livro a assinatura do autor, anotações, dedicatórias ou filete de ouro na capa, por exemplo.

Coleção

Além de livros, a seção conta com revistas, publicações e uma coleção de ex-libris (rótulo que era colado geralmente na contracapa do livro para identificar seu dono) que pertenceu ao pesquisador Ely de Azambuja Germano, adquirida pela biblioteca em 1981. “Esses materiais são fundamentais para pesquisadores. Um exemplo é a coleção de livros com as leis da província, da época em que o Paraná ainda não tinha se emancipado do Estado de São Paulo”, destaca Lidiamara.

Toda a coleção está sendo recatalogada. Por isso, não é possível saber a quantidade exata de materiais raros. Porém, novas obras devem entrar para a seção, como um livro de artes publicado no século 18 na Europa que, assim como Orlando Furioso, também estava no depósito da biblioteca.

Com informações da Agência Estadual de Notícias do Paraná

Semana Curitiba Lê terá palestras, cursos e flash mob de leitura

Começou nesta segunda-feira (8) e segue até o dia 12 de abril a Semana Curitiba Lê, que reúne grandes nomes da literatura brasileira na capital paranaense. A programação do evento conta com oficinas literárias, palestras, rodas de leitura, mesas-redondas, contação de histórias, entre outras atividades. Todas são gratuitas.

A programação começa, nesta segunda-feira, com o debate O Direito à Literatura: a Censura do Livro Infantil na Contemporaneidade. A palestrante Rosana de Mont’Alverne Neto vai discutir casos específicos de censura em livros infantis e apresentar pontos para reflexão e debate.

Em parceria com o Litercultura, na terça-feira (9), será promovida uma roda de leitura com José Castello e leitores sobre o tema do próximo Litercultura (Fronteiras). As inscrições são feitas no local e horário do evento.

Outra ação literária ocorre na quinta-feira (11), com a mesa-redonda sobre Ações de Leitura e Formação para o Sensível, com a presença de Bel Santos Mayer, Pierre André Ruprecht e Flávio Stein.

Outro destaque da programação é o pré-lançamento do romance Carta à Rainha Louca, da escritora Maria Valéria Rezende. A autora ministra a palestra Leitura: Caminho Aberto para Vários Mundos. Nela fala de sua vivência, que a leva a percorrer quatro continentes formando novos leitores.

Maria Valéria, 77 anos, estreou na literatura em 2001, com o livro Vasto Mundo. Ganhou os prêmios Jabuti de 2009, 2013 e 2015, com livros nas categorias infantil, juvenil e romance. A obra Quarenta Dias foi considerada Livro do Ano de Ficção em 2015. O livro Outros Cantos ganhou em 2017 o Prémio Casa de las Américas.

Flash Mob

Para terminar a Semana, haverá um encontro com o objetivo de incentivar a leitura: o flash mob O Leitor, que será realizado na sexta-feira (12), das 16h às 17h, na Praça Rui Barbosa. Todos os interessados devem se dirigir ao local indicado e ler, durante uma hora, um livro de sua preferência.

Uma das recomendações é que em momento algum os participantes assumam que o evento foi previamente programado e que se chama flash mob, para não comprometer o efeito da ação.

Programa

Criado em 2010 pela Fundação Cultural de Curitiba, o programa Curitiba Lê é composto por um conjunto de ações de fomento, difusão e formação que visam aumentar quantitativa e qualitativamente os índices de leitura entre crianças, jovens e adultos.

Atualmente, conta com 16 Casas da Leitura e o Bondinho da Leitura no Calçadão da Rua XV de Novembro, no Centro. Além dos espaços físicos, o programa também promove, junto à comunidade, rodas de leitura e contações de histórias, laboratórios de leitura, palestras, seminários e oficinas de análise e criação literária.

Semana Curitiba Lê 

Programação da Capela Santa Maria:

8/4 – Palestra: O Direito à Literatura: A censura do livro infantil na contemporaneidade, com Rosana de Mont’Alverne Neto (MG)
9/4 – Palco da Leitura, com José Castello
10/4 – Palestra e pré-lançamento do romance Carta à Rainha Louca, com Maria Valéria Rezende (PB)
11/4 – Mesa-redonda: Ações de leitura e formação para o sensivel: ou como resistir às adversidades, com Bel Santos Mayer, Pierre André Ruprecht e Flávio Stein

Entrada gratuita

Flash mob O Leitor

Data: sexta-feira (12/4)
Horário: das 16h às 17h
Local: Praça Rui Barbosa
Evento gratuito

Veja aqui a programação completa

Inscrições para as oficinas

Inscrições para a programação especial

Com informações da Prefeitura de Curitiba

Prêmio Sesc de Literatura encerra inscrições na quinta-feira (14)

As inscrições para o Prêmio de Literatura do Sesc terminam nesta quinta-feira (14), às 18h. Lançado pelo Sesc em 2003, o concurso identifica escritores inéditos, cujas obras possuam qualidade literária para edição e circulação nacional.

Além de inclui-los em programações literárias do Sesc, o Prêmio também abre uma porta do mercado editorial aos estreantes: os livros vencedores são publicados e distribuídos pela editora Record.

Os autores podem concorrer nas categorias Romance ou Conto, com obras inéditas. O concurso nacional oferece como prêmio a publicação e distribuição das obras pela Editora Record, parceira do Sesc no projeto. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas no site, onde está disponível o edital com regulamento completo.

Jornalista lança romance ambientado no Brasil pós-Lava Jato

O livro ‘O Inferno é Verde’, do jornalista e psicólogo Reginaldo Daniel Silveira, descreve uma ação chamada Operação Green Hell, força tarefa criada por uma agência internacional de inteligência para investigar o tráfico de drogas a partir de guerrilhas na Amazônia.

O romance psicológico, que em parte também se passa em Curitiba e no Litoral do Paraná, pretende atrair pelas referências à realidade brasileira e pela riqueza do arranjo literário.

A inspiração inicial descompromissada e natural acabou sendo influenciada pela realidade brasileira após a Lava Jato. A história começa com o assassinado de uma agente na Serra do Mar, empurrada em um precipício na BR-277, entre Curitiba o litoral.

O protagonista da história, também agente internacional, passa a investigar o caso e termina preso na Amazônia. Depois, ele consegue escapar, após reunir informações sobre uma organização criminosa.

O autor menciona personagens centrais da Lava Jato, da corrupção brasileira e cita outras referências contemporâneas. A obra colocada como entretenimento traz conexões críticas ao cenário do mundo contemporâneo. A tecnologia também integra a trama por meio de mecanismos utilizados pelos personagens. Outro paralelo é a agência internacional de investigação criada pelo autor, elaborada como alternativa às organizações existentes. O resultado final, segundo Reginaldo, se mostra como modelo ideal para compor um roteiro cinematográfico.

22406502_1111652025638073_7529878448201090757_nCom enredo particular, o livro paranaense promete se destacar entre as produções nacionais do gênero em 2018. Mesmo antes do lançamento, a obra foi indicada para receber o Troféu Castro Alves, em Minas Gerais, no dia 5 de maio.

O livro será lançado no dia 15 de março, às 19h30, na Livrarias Curitiba do ParkShopping Barigüi.

“Posso afirmar a qualidade do livro, pois o autor consegue relacionar os diversos episódios com a realidade da situação brasileira e, de certa forma, do mundo, vivida nos tempos atuais da segunda década do terceiro milênio, em que a tecnologia impera. Isso paralelo ao acirramento do tráfico de drogas e de influências em que o ganho de muito dinheiro é muitíssimo mais importante do que são os valores da vida humana”, avalia o crítico literário Roque Aloisio Weschenfelder.

Serviço:
Livro: O Inferno é Verde
Autor: Reginaldo Daniel Silveira (R.D. Silveira)
Lançamento: Livrarias Curitiba – Park Shopping Barigüi – 15/03 – 19h