Bolsonaro chama de fake news livro que fala em demissão de Moro cogitada em 2019

O presidente Jair Bolsonaro se irritou nesta terça-feira (14) e encerrou entrevista à imprensa ao ser questionado sobre informações de um livro que será lançado na próxima semana, segundo o qual ele cogitou demitir o ministro da Justiça,  Sergio Moro, em 2019.

“Vocês têm uma colega de vocês que fez um livro que leu meu pensamento. Acho que não tenho que conversar com vocês, é só escrever o que você achar”, disse na entrada do Palácio do Alvorada. “O livro é fake news, mentiroso e não vou responder sobre o livro”, acrescentou.

O livro “Tormenta”, que será lançado pela jornalista Thaís Oyama, diz que Moro cogitou a demissão de Moro no segundo semestre do ano passado, mas foi demovido da ideia pelo general Augusto Heleno, ministro chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional).

Conforme noticiado na época, Moro enfrentou um processo de fritura de Bolsonaro em meio à crise com a Polícia Federal e à interferência do presidente no órgão. Heleno negou à revista Crusoé ter atuado para demover Bolsonaro da ideia de demitir Moro em agosto do ano passado.

O presidente também foi questionado se pediu para que Fabrício Queiroz faltasse a depoimento ao Ministério Público do Rio de Janeiro, informação presente em trecho da publicação divulgado pela imprensa. “Acabou a entrevista”, disse o presidente, retirando-se do local.

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) na época em que ele era deputado estadual é pivô de uma investigação contra o filho do presidente de um esquema conhecido como “rachadinha”.

Nas redes sociais, Bolsonaro também fez criticas ao livro que será lançado pela Companhia das Letras sobre os bastidores do primeiro ano do presidente à frente do Palácio do Planalto.

“Essa imprensa é uma vergonha. Lê meus pensamentos e ministros se convencem a não demitirem a si próprios”, escreveu o presidente.

lançamento do livro positivo nas mãos de benedita

Escritor Carlos Dala Stella lança “Nas mãos de Benedita”, em Curitiba

A Editora Positivo lança nesta sábado (07) o livro “Nas mãos de Benedita“, do escritor paranaense Carlos Dala Stella.

A obra é uma coletânea inédita de 22 contos e 24 desenhos, que retrata, em 160 páginas, o processo criativo do autor.

Para o processo de crianção de “Nas mãos de Benedita”, Dala Stella criou primeiro as imagens e depois os contos.

O artista, que escreve e desenha cotidianamente em seus cadernos ilustrados há mais de 40 anos, retirou boa parte da inspiração de seus diários.

“Consultando meus diários de ateliê, selecionei excertos de sonhos, reflexões sobre literatura, música, o tempo. E fui criando entrechos narrativos, cujos personagens estavam sempre a pensar pedaços de pensamentos, como fazemos tão frequentemente”, conta.

NARRATIVA

A narrativa visual corre paralela à narrativa ficcional, mas de forma relativamente autônoma. “Em todos os contos, a referência à imagem é sempre periférica, o núcleo correndo alheio a ela”, explica o autor. “Ainda que as imagens possam ser admiradas autonomamente em relação aos textos, é delicioso encontrar aqui e ali o alento comum do inventor que lhes deu forma e figura”, descreve a poeta, ensaísta, cronista e crítica literária, Mariana Ianelli, na abertura da obra.

Segundo ela, na obra, os leitores vão encontrar armadilhas de espanto, ternuras acutilantes, finas membranas de mistérios, visões que brotam de demoras contemplativas, entre pressentimento e revelação, pesadelo e maravilha. “Cada imagem, cada conto, um corpo-cosmo, uma miragem palpável do pensamento, uma invenção mágica, que eu espero chegue a muitas mãos e muitos olhos”, diz Mariana Ianelli.

As mãos aparecem em quase todas as imagens do livro: mãos que acarinham, revelam, advertem, plantam, afagam, debulham, fazem música, leem, esculpem, jogam, rezam, produzem ou, ainda, que contêm, nelas mesmas, outros signos, grafismos e gestos. O conto que dá nome ao livro começa pelo fim e traz um romance trágico que gira em torno de um mistério anotado no caderninho de uma quiróloga chamada Benedita.

Benedita é uma polaca ossuda, quiróloga que atende no bairro das Mercês, nos fundos da igreja dos Capuchinhos. É a ela que o personagem do conto recorre quando vê a dúvida recair sobre suas certezas matemáticas. Logo ele, tão fascinado pela exatidão matemática que chegara a crer na “possibilidade de ver o cerne em tudo, de pressenti-lo em cada rosto”. O conto transcorre no vértice desse paradoxo, quando a certeza é atingida pelas transparências do contraditório.

CARLOS DALA STELLA

Carlos Dala Stella nasceu em 1961, no bairro de Santa Felicidade, em Curitiba. É poeta, artista plástico e também contista. Formado em Letras pela Universidade Federal do Paraná, dedica-se ao desenho desde a década de 80, quando expôs na Itália. Publicou os livros “O caçador de vaga-lumes” (poemas, 1998), “Riachuelo, 266” (contos e crônicas, 2000), “Bicicletas de Montreal” (fotografia e outras artesvisuais,2002) e “Ogatosemnome” (poemas, 2007). Foi finalista do Prêmio Jabuti em 2012 na categoria Ilustração com o livro “Quer Jogar?” (livro ilustrado, 2011). Nas artes, o autor transita por murais de cimento e vidro, telas, retratos a lápis, nanquim e esculturas em papel, mas é nos cadernos de ateliê que cotidianamente escreve e desenha. Em 2018, estreou na poesia com a obra A arte muda da fuga, da Editora Positivo.

O lançamento do livro acontece neste sábado (07), às 11, na  Livraria Arte e Letra,na Rua Desembargador Motta, 2011 , em Curitiba.

doutor sono, o iluminado, kubrick, stephen king, horários, cinema, curitiba, paraná, cinemas, filme, sinopse, trailer, salas

Doutor Sono: continuação de O Iluminado estreia nos cinemas; veja horários

Continuação do clássico O Iluminado (Stanley Kubrick), Doutor Sono estreia nos cinemas de Curitiba nesta quinta-feira (7). O filme conta a história de Danny Torrance (Ewan McGregor), que sobreviveu, na infância, a uma tentativa de assassinato pelo próprio pai (assista ao trailer logo abaixo). Dirigido por Mike Flanagan, Doutor Sono é baseado na obra de Stephen King.

Danny é o filho de Jack Torrance (Jack Nicholson), um escritor que arranja um trabalho de caseiro em um hotel abandonado para curar um bloqueio mental. Mas, atormentado por visões, acaba por se tornar um maníaco homicida que aterroriza a própria família.

Sinopse: Danny cresceu. Ele tornou-se um adulto traumatizado, alcoólatra e sem residência fixa. Estabeleceu-se em uma pequena cidade e trabalha em um hospital local. A paz de Danny está com os dias contado a partir do momento em que cria um vínculo telepático com Abra. Ela é uma menina com poderes telepáticos tão fortes quanto aqueles que bloqueia dentro de si.

VEJA OS HORÁRIOS DE DOUTOR SONO EM CURITIBA: SEXTA-FEIRA (8)

  • Cinesystem (Shopping Ventura)
    • Legendado em português: 21:30
    • Dublado em português: 15:30, 19:00
  • UCI (Shopping Palladium)
    • Legendado em português: 16:10, 22:20
    • Dublado em português: 13:05, 19:15, 21:35
  • Cinépolis (Shopping Pátio Batel)
    • Legendado em português: 15:45, 19:00, 22:15
  • Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal)
    • Legendado em português: 15:00, 18:00, 21:00
  • Cinemark (Park Shopping Barigui)
    • Legendado em português (XD): 14:40, 17:45, 20:50
  • Cinesystem (shopping Curitiba)
    • Legendado em português: 15:30, 18:30, 20:00, 21:30
  • UCI (Shopping Estação)
    • Legendado em português: 13:30, 18:35, 21:40
    • Dublado em português: 13:00, 16:05, 19:10, 22:15
  • Cine Passeio
    • Legendado em português: 20:00
  • Cinemark (Shopping Mueller)
    • Legendado em português (XD): 14:45, 18:15, 21:30
  • Cineplus (Shopping Jardim das Américas)
    • Legendado em português: 18:10
    • Dublado em português: 15:00, 18:40, 21:10
  • Cinemark (Shopping São José)
    • Legendado em português: 20:30
    • Dublado em português: 13:30, 16:50
livros

Dia do Livro: pesquisa aponta principais interesses dos brasileiros para a leitura

A 4ª pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, desenvolvida pelo Instituto Pró-Livro (IPL), apontou os principais interesses dos brasileiros no universo dos livros. Entre as motivações estão: o gosto pela leitura (25%), atualização cultural (19%), distração (15%), motivos religiosos (11%), crescimento pessoal (10%), exigência escolar (7%) e atualização profissional ou exigência do trabalho (7%).

O hábito de ler, que traz diversos benefícios, como o estímulo à atividade cerebral e à criatividade, incitação ao senso crítico e redução do estresse, além de ser uma ótima fonte de conhecimento, pode ser adquirido em qualquer fase da vida, sendo o quanto antes melhor. Como foi o caso da relações-públicas Gabriele Silva, 25. “Eu me recordo que, quando era pequena, uma vizinha me emprestou um livro e, a partir de então, adentrei cada vez mais no mundo da leitura. Sou muito grata”, relembra.

Na vida de Gabriele, através da leitura, houve diversos pontos positivos, como na concentração e ampliação do vocabulário, o que refletiu na melhora nas apresentações em público. “A leitura de alguma forma me transborda, me leva a outros mundos, pois é nos livros que eu posso me transportar para onde eu quiser”, enfatiza.

Já a bióloga e escritora Carla Chastinet acreditava que os artigos científicos que escrevia ficavam entre os próprios colegas do universo acadêmico. Então, movida pela vontade de levar a biologia para sociedade, ela descobriu a literatura infantil. Seu mais recente livro “O rio que sentia cócegas” fala da transformação que acontece com um rio e que afeta a vida de todos nós.

“Acho que as crianças têm maior sensibilidade para poder fazer com que os adultos compreendam a importância da natureza. Elas também serão nossos futuros adultos e, quanto mais cedo elas começarem a ter essa sensibilidade, a natureza tem maior chance de ser preservada”, pondera.

Para a escritora, cada leitor entende a história do seu jeito, o que a torna mais rica. “O bonito da história é a gente contar sem explicar nada, deixar cada um escolher a sua mensagem porque cada pessoa tem uma vivência, uma realidade. As histórias tocam as pessoas de maneiras diferentes”, pontua.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Paulo Venturelli - Curitiba - Livro

Escritor paranaense Paulo Venturelli lança livro escrito há três décadas

Guardado há mais de 30 anos, “O navio e o grande segredo” chega as livras neste sábado (19), em lançamento na Livraria da Vila, em Curitiba, às 19h. A obra é de Paulo Venturelli, um dos principais escritores paranaenses.

Com ilustrações de Carla Linhares, “O navio e o grande segredo” é sinestésico e profundo, escrito em uma narrativa lírica, com elementos surrealistas e um clima nonsense, que busca provocar o leitor e tirá-lo de sua zona de conforto.

Para Venturelli essa é uma característica fundamental da leitura, a possibilidade de questionar verdades impostas e transportar o leitor para fora de sua caixa.

“Não acredito em inspiração, mas em escrita disciplinada, em um trabalho que é antecedido por muita leitura”, explica Venturelli. O autor ainda reforça que sua obra permite que os leitores possam questionar o mundo ao seu redor, assim como a si mesmo.

A publisher da Editora InVerso, Cristina Jones, foi aluna de literatura de Venturelli e destacou seu sentimento em publicar a obra. “É uma honra publicar uma obra tão singular, fruto do trabalho de alguém que é um símbolo de inspiração desde minha infância”, explicou.

SERVIÇO

Lançamento do livro “O navio e o grande segredo”

Local: Livraria da Vila (Av. do Batel, 1868 – Loja 314)

Data: 19/10

Horário: 19h

augusto aras, rodrigo janot, gilmar mendes, supremo tribunal federal, stf, procurador-geral da república, pgr, arma, tiro, assassinato, livro - PGR - CNJ - Congresso - juiz das garantias

Augusto Aras: “Inaceitável”, afirma novo PGR sobre postura de Janot

O recém-empossado PGR, Augusto Aras, afirmou que a postura de Rodrigo Janot é “inaceitável” e o que os erros de um ex-procurador não podem macular o MP e seus membros. Ele condenou as declarações do antecessor, que revelou ter tido um plano para matar Gilmar Mendes.

Em nota publicada neste sábado (28), o procurador-geral da República disse que o MPF (Ministério Público Federal) é uma instituição “que está acima dos eventuais desvios praticados por qualquer um de seus ex-integrantes”.

Aras faz referência às declarações recentes de Rodrigo Janot à imprensa. O ex-procurador-geral da República revelou em entrevistas que planejava matar o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

Segundo Janot, no auge da Operação Lava Jato, e dos desentendimento públicos dele com o magistrado da Suprema Corte, ele foi armado até uma sessão. O plano seria atirar contra Gilmar Mendes e depois se matar.

Prestes a lançar um livro sobre a carreira, o ex-PGR disse que o assassinato só não foi consumado porque suas duas mãos falharam em puxar o gatilho. Rodrigo Janot atribuiu a falha a uma “intervenção de Deus”.

Em nota publicada neste sábado, o atual procurador-geral da República Augusto Aras diz que “considera inaceitáveis as atitudes divulgadas no noticiário”.

LEIA A NOTA DE ARAS SOBRE JANOT

“O Ministério Público Federal é uma instituição que está acima dos eventuais desvios praticados por qualquer um de seus ex-integrantes. O procurador-geral da República, Augusto Aras, considera inaceitáveis as atitudes divulgadas no noticiário a respeito de um de seus antecessores. E afirma confiar no conjunto de seus colegas, homens e mulheres dotados de qualificação técnica e denodo no exercício de sua atividade funcional. Os erros de um único ex-procurador não têm o condão de macular o MP e seus membros. O Ministério Público continuará a cumprir com rigor o seu dever constitucional de guardião da ordem jurídica”

Escritor - Curitiba - Desenvolviemnto Sustentável - Crianças

Escritor de Curitiba lança livro infantil sobre desenvolvimento sustentável

O desenvolvimento sustentável é um conjunto de práticas que permite maior bem-estar social em conjunto com o meio ambiente. E um escritor de Curitiba tem como objetivo levar esses conceitos para a sociedade por meio das crianças.

Rodrigo Titon irá lançar em Curitiba nesta sexta-feira (13), o livro “O Menino Hiper Ativo em: O que são as ODS?”. A publicação será a segunda com o personagem que Titon criou inspirado em seu filho de quatro anos.

“Ano passado eu fiz um livro em homenagem ao meu filho e dei o nome do livro de ‘O Menino Hiper Ativo’. Na época ele tinha três anos e era uma pessoa muito ativa, embora não tenha o transtorno de hiperatividade”, explicou o escritor.

O que são as ODS?

Titon é um dos participantes do programa ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU (Organização das Nações Unidas), Ao todo são 17 propostas que pregam não somente a proteção ao meio ambiente, mas também maior igualdade social.

A ONU lançou o projeto em 2015, com objetivo de cumprir todas as metas até o ano de 2030. Titon decidiu auxiliar o projeto com sua obra esse e explicar com linguagem e práticas acessíveis para o público infantil a importância da conscientização sobre o desenvolvimento sustentável.

“A sustentabilidade acaba sendo um conceito tão abrangente que na prática fica difícil você definir o que ela é. Falar do ODS para o público infantil, possibilita que as crianças disseminem esse conhecimento dentro de casa e também na escola ou em outros núcleos que ela participe”, analisou Titon.

As aventuras de Pedro Titon, o menino hiper ativo, já conseguiram boa impressão da crítica. A primeira publicação do escritor foi indicada ao Prêmio Jabuti. principal premiação da literatura brasileira. O resultado dos finalistas desta edição será divulgado no mês de novembro.

“A paz e a erradicação da pobreza são alguns temas dentro da sustentabilidade que muitas vezes não ganham a atenção que merecem. Quando falamos em pobreza, olhamos normalmente para fora e esquecemos do olhar para o nosso local, como por exemplo a Caximba, aqui em Curitiba”, finalizou Titon.

Serviço

Livro: O Menino Hiper Ativo em: O que são as ODS?;

Autor: Rodrigo Titon;

Ilustrações: Marcelo Bittencourt;

Editora: Verso;

Páginas: 22;

Lançamento: 13 de setembro (sexta-feira), das 19h às 21h30;

Endereço: Shopping Pátio Batel, Livraria da Vila. Avenida do Batel, 1868 – Loja 314, Batel, Curitiba, Paraná.

livro lançamento cervejaria cerveja

Livro sobre a criação da maior cervejaria do mundo é lançado em Curitiba

Livro de estreia da jornalista Ariane Abdallah traz histórias dos bastidores da Ambev. (Foto: Divulgação)

O livro “De um gole só – A história da Ambev e a criação da maior cervejaria do mundo” será lançado nesta quinta-feira (15), em Curitiba. O evento é gratuito e contará com a participação da autora, a jornalista Ariane Abdallah, e outros convidados.

Entre os participantes do bate-bapo estará o empresário Murilo Foltran, da microcervejaria DUM, de Curitiba. O lançamento será na Livraria da Vila do Shopping Pátio Batel, das 18h30 às 21h30.

“De um gole só” traz histórias dos bastidores da formação da Anheuser-Busch InBev. O título, no entanto, é metafórico, já que a história da gigante mundial de bebidas e cervejas foi construída, nas palavras da autora, em “várias etapas”.

A saga tem início em 1989, com a compra da Brahma pelos sócios do banco Garantia Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira; passa pela fusão com a Antarctica, em 2000, que formou a Ambev; pela união com a belga Interbrew, em 2004, que resultou na criação da InBev; e chega até as compras da norte-americana Anheuser-Busch, em 2008, e da sul-africana SABMiller, em 2016, que transformaram a empresa na maior cervejaria do mundo.

“O livro é um olhar detalhado e independente sobre a construção do maior case de sucesso do capitalismo brasileiro”, destaca Ariane Abdallah.

A obra narra como os brasileiros convenceram os líderes do setor mundial a se unirem a eles — ou a venderem seus negócios, os choques de cultura a cada nova fusão ou aquisição, e o peso de se tornar uma referência em gestão.

“Esta é uma história improvável: sobre como uma empresa familiar obsoleta, ineficiente, nascida em um país de economia emergente, se tornou a maior do mundo em seu setor. Meu objetivo foi fazer um livro sóbrio, sem juízo de valor. Quem conhece e quem não conhece a história terá a oportunidade de conhecer ainda mais e, quem sabe, reconhecer seu valor”, pontua Ariane Abdallah.

Lançamento do livro “De um gole só – A história da Ambev e a criação da maior cervejaria do mundo”

  • Local: Livraria da Vila do Shopping Pátio Batel
  • Data: 15 de agosto
  • Horário: das 18h30 às 21h30
  • Endereço: Avenida do Batel, nº 1868, Loja 314 – Piso L3 – Batel, Curitiba, PR
  • Evento Gratuito
  • Preços do livro: R$ 69,90 e R$ 39,90 (e-book)

Com informações de Assessoria de Imprensa

Aroldo Murá lança “Vozes do Paraná 11” com 15 novos retratos de personalidades do Estado

A 11ª edição da coleção “Vozes do Paraná – Retratos de Paranaenses” traz 15 perfis biográficos que abordam a trajetória profissional de paranaenses que se destacam em suas áreas de atuação. O livro do jornalista e professor Aroldo Murá G. Haygert será lançado na próxima segunda-feira (12), a partir das 19h, no Palácio Garibaldi (localizado no Alto São Francisco, em Curitiba). Parte da renda da noite será revertida às obras sociais do Instituto Ciência e Fé de Curitiba.

Aroldo Murá dá sequência à sua coleção “Vozes do Paraná”, que começou em 2008 e cursa uma trajetória singular e pioneira no mercado editorial paranaense. Nesse período, ao todo, 255 personalidades foram retratadas, formando um mosaico ímpar da história moderna e contemporânea do Paraná. Os perfis apresentam uma breve passagem genealógica retrospectiva aliada a um trabalho jornalístico de prospecção, que são as marcas de seu autor, com 79 anos e mais de 50 desempenhando a atividade de jornalista.

Homenageados

Além do papel de captadora da história em tempo real, a coleção reconhece também a contribuição dada ao Paraná por personalidades já falecidas. É o caso, nesta edição, do empresário Abdo Abage, que foi Cônsul Honorário da Síria para o Paraná e Santa Catarina entre 1987 e 2017. 

Ao longo dessas 30 décadas, Abage, que morreu em 2018, realizou um trabalho dedicado a favor dos imigrantes sírios que vieram para o Brasil. Ele também foi membro do Conselho Superior da Associação Comercial do Paraná (ACP) e personalidade de destaque na vida social e econômica do Paraná.

Abage nasceu em 27 de maio de 1940 em Curitiba, foi casado com Ironita Carmen Ghesti Abage e teve três filhos: Fabiana, Adriane e Rafael. Realizou sua formação acadêmica na Universidade Federal do Paraná, na qual formou-se em 1968 em Engenharia Civil.  Abagefoi sócio-diretor das empresas Plastilit e da Polifort.

“Nada o tirava do foco de suas atenções prioritárias: Ironita, os filhos, netos e irmãos, a comunidade de sírios e seus descendentes aos quais representou como cônsul por 30 anos. Nisso, como cônsul honorário, foi dono de reconhecimento unânime”, descreve Haygert.

Protagonistas do Paraná de hoje

O volume 11 de “Vozes do Paraná” contém boa amostra dos que fazem o Paraná de hoje, como o senador Flávio Arns, o jornalista Walter Schmidt, o desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira e Fernando Xavier Ferreira, que presidiu a Itaipu Binacional, substituindo Ney Braga, é ex-presidente da Telefônica do Brasil e foi ministro interino das Comunicações no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso.

Esses são apenas alguns das dezenas de personalidades da era contemporânea do Paraná que estão no livro produzido pelo jornalista Aroldo Murá. A intenção primordial da obra é retratar a história do Paraná em tempo real, apontando para a trajetória de pessoas que estão escrevendo e construindo, na atualidade, a saga do estado.

A edição traz ainda os empresários Adonai Arruda, Alexandre Berger, Samuel Ferrari Lago e Pedro de Paula Filho, presidente da Associação dos Amigos do Hospital das Clínicas (HC). Faz parte do livro o médico homeopata, compositor e pianista Iso Fischer, e do cantor e compositor Leonardo Fabbri, o Chameleo, na seção Nova Geração.

Também está sendo homenageada a professora aposentada da UFPR, Cecilia Maria Vieira Helm. “Pós doutora em Antropologia, Cecilia ajudou a salvar substantiva parte de, pelo menos, duas etnias cruelmente tratadas pela sociedade e pelos governos ao longo de dezenas de anos, os guaranis e os caingangues. Ela é raridade de ser humano, vive meio esquecida num país fundamentalmente ingrato com seus cidadãos notáveis. Afinal, nada surpreendente, pois ela não é influenciadora das redes sociais, nem celebridade da mídia e/ou do mundo político”, enfatiza o autor.

Da periferia para o mundo, Hebert Mota lança livro em Curitiba

Hebert Mota vem a Curitiba nesta quinta-feira (25) e sexta-feira (26) para lançar o livro “Movimento, Logo Existo”. O evento será no dia 25 de julho, das 19h às 21h30, na Livraria da Vila Pátio Batel, localizada à avenida do Batel. No local haverá bate-papo e sessão de autógrafos.

Na sexta-feira, acontece o Conecta PR, que  é um evento com iniciativa do Sebrae Paraná. O evento traz palestras e painéis tendo como temas centrais empreendedorismo, inovação e cultura digital. Hebert Mota  participará do painel “A Nobre Arte de Empreender” ao lado de Edson Mackeenzie e Marcio Libar, no dia 26, às 17h.

O público presente em ambos os eventos poderá conhecer um pouco a história do proprietário da Kal911, que se dedica a negócios com agências de publicidade. Hebert Mota foi agente do lutador Anderson Silva, e traz, em seu portfólio, histórias especiais e inusitadas: gravou com Kanye West, se reuniu com Jay-Z para tratar de negócios, esteve no aniversário de Michael Jordan e foi convidado para a posse do ex-presidente norte-americano Barack Obama. Entre as personalidades brasileiras com quem já foi conector de negócios, figuram nomes como Mano Brown, Alex Atala, Maria Rita, Daniel Zuckerman, Lázaro Ramos e Taís Araújo, todos amigos pessoais do empresário.

‘Movimento, Logo Existo’ não é só uma biografia. Trata-se de uma história para inspirar e motivar pessoas que querem sair de onde estão para lugares melhores. Quando falamos de Hebert Mota, de 41 anos, é impossível não mencionar as pessoas influentes que estão ao seu redor, e que confirmam sua reputação de que, onde o empresário “põe a mão”, o resultado é sempre frutífero. Aos 12 anos, Hebert ajudou o pai a erguer, com as próprias mãos, a casa da família em Americanópolis, zona sul da capital paulista, bairro em que nasceu e cresceu.

Em seguida, foi office-boy e também entregador de marmitas. Quando tinha apenas 16 anos, tornou-se roadie de bandas, carregando caixas de som e acompanhando turnês nacionais e internacionais ao redor do mundo. De lá para cá, nunca mais saiu do meio do entretenimento, como narra em sua trajetória inspiradora, tendo passado pelas mais diversas funções e, assim, construído uma visão ampla do show business.

Hebert não fez faculdade, mas graças a sua curiosidade, talento, esforço e senso de oportunidade para sair da invisibilidade, foi, aos poucos, abrindo novos caminhos, que o levaram a se tornar um empresário respeitado internacionalmente.

“Eu fiz um MBA prático de gerenciamento da vida”, costuma dizer. Como nem só de alegrias vive uma pessoa; em ‘Movimento, Logo Existo’, o autor também relata suas dificuldades diante da vida. Mas Hebert, mais que um sonhador, é um transformador de realidades. Porque sonhar, sem ir atrás do sonho, não serve para nada. Ele foi buscar o que queria, movimentando-se e gerando negócios que o projetariam internacionalmente, tornando-se um respeitado empresário na área de entretenimento.

Suas lições em palestras motivam tanto jovens quanto executivos experientes em posições de destaque. Este é um livro para o Brasil dos novos tempos, mais diverso e ávido por movimentos inovadores. De gente que conecta pessoas e projetos, disposta a sempre surpreender, revelando seu talento e competência com a maior dignidade. Hebert mostra o caminho.