crianças sem terrinha, lula, luiz inácio lula da silva, curitiba, paraná, encontro crianças sem terrinha, mst, manifesto, despejos, assembleia legislativa - capa Valmir Fernandes MST

Crianças Sem Terrinha visitam Lula em Curitiba e pedem fim dos despejos

Os cerca de 400 jovens que participam do XIII Encontro das Crianças Sem Terrinha no Paraná visitaram nesta quinta-feira (17) a vigília Lula Livre, que fica em um terreno ao lado da Superintendência Regional da PF (Polícia Federal) em Curitiba. Ainda pela manhã, as crianças realizaram atividades na Assembleia Legislativa do Paraná, onde entregaram um manifesto e pediram pelo fim dos despejos.

Nas primeiras horas da manhã, o grupo participou das atividades de rotina da vigília Lula Livre, inclusive da tradicional saudação de “bom dia”. Diariamente, os apoiadores do ex-presidente lembram os dias de prisão e reclamam a liberdade do líder político.

Depois disso, as Crianças Sem Terrinha leram uma carta dedicada ao ex-presidente, na qual agradecem Lula pelas políticas afirmativas adotadas nos dois mandatos do petista e afirmam: “nós sabemos que não está nada fácil para você e não está nada fácil pra nós também. Queremos que saiba que estaremos com vocês”.

NA ASSEMBLEIA, MOVIMENTO DENUNCIA DESPEJOS

crianças sem terrinha leem manifesto pedindo fim dos despejos nos assentamentos e acampamentos do Paraná Leandro Taques
Crianças Sem Terrinha leem carta de manifesto pedindo o fim dos despejos nos assentamentos e acampamentos Sem Terra do Paraná. (Leandro Taques/MST)

No decorrer das atividades do XIII Encontro das Crianças Sem Terrinha no Paraná, o grupo participou de um ato na Assembleia Legislativa do estado, no Centro Cívico de Curitiba. Na sede do Legislativo paranaense, elas entregam um manifesto.

“Estamos sabendo que tem muitas ameaças de despejo. Isso tem que parar, porque a nossa vida está lá, a nossa família está lá”, disse Anderson, um dos 10 pequenos manifestantes que discursaram no Plenarinho da Assembleia nesta quinta-feira (17). Ele mora com a família em uma assentamento de Antonina, no litoral do Paraná.

“Queremos que não tenha mais violência contra os Sem Terra e que o Estado cumpra sua obrigação de garantir a segurança do povo. Nós, Sem Terrinha, estamos sentindo que nossas famílias estão sendo discriminadas, ameaçadas e tratadas como ‘bandidos’, criminalizando nosso direito de luta. Exigimos respeito e o direito de permanecer em nossas terras. Pois nossas famílias produzem alimentos que ajudam a alimentar a população da cidade e melhorar a economia do município”, diz um trecho do manifesto das crianças.

XIII ENCONTRO CRIANÇAS SEM TERRINHA NO PARANÁ

O encontro regional começou nesta quarta-feira (16) e vai até amanhã (18), em Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba. Cerca de 400 crianças, com idades entre 6 e 12 anos, participam da programação. Elas vêm de todas as regiões do Paraná e estudam nas 10 escolas itinerantes de acampamentos, bem como nas escolas municipais dos assentamentos.

Organizado pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), o encontro dura três dias e prevê atividades voltadas à educação, como o estudo sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), apresentações artísticas, oficinas, brincadeiras, contação de história e visita ao Zoológico de Curitiba.

10 crianças sem terrinha fizeram uso da palavra no Plenarinho da Assembleia Legislativa, em Curitiba, Paraná
10 crianças Sem Terrinha fizeram uso da palavra no Plenarinho da Assembleia Legislativa. (Leandro Taques/MST)

Estudantes marcam novo ato após apoiadores de Bolsonaro arrancarem faixa na UFPR

Estudantes organizam um novo ato para a próxima quinta-feira (30), em Curitiba, para recolocar a faixa em favor da educação no prédio histórico da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O novo manifesto acontece após a faixa ter sido arrancada por apoiadores do presidente da Jair Bolsonaro, neste domingo (26).

A faixa, em que se lia “Em defesa da educação #OrgulhoDeSerUFPR #UniversidadePública #EuDefendo”, foi retirada sob aplausos na tarde de ontem.

Reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca, no Twitter, classificou a ação como “inacreditável”.

Neste domingo, atos em apoio ao presidente Jair Bolsonaro aconteceram em diversos municípios paranaenses.

A manifestação da próxima quinta-feira está agendada para às 17h. No evento do Facebook, às 8h50 desta segunda-feira (27), 1.200 pessoas haviam confirmado presença e outras 1.300 demonstraram interesse.

 

Lideranças do MDB do interior do Estado assinam manifesto contra senador Requião

Prefeitos, vereadores e lideranças do MDB do interior do Estado realizaram manifesto contra a postura de Roberto Requião, depois de uma aliança feita pelo senador entre o MDB paranaense e o diretório estadual do PT. Com o título “PT NÃO, REQUIÃO”, quase 100 lideranças do partido, como o prefeito de Castro, Moacyr Fadel, assinaram a nota. O manifesto deixa claro que o grupo não está e não pretende se aliar ao Partido dos Trabalhadores.

Fadel afirmou que a atitude do senador foi tomada sem consulta aos membros ativos do partido.Para as eleições internas do MDB paranaense marcada para dezembro, as lideranças pretendem apoiar o deputado Antônio Anibelli Neto (MDB), na tentativa de tirar o grupo político de Requião da linha de frente do partido.

O prefeito de Castro afirmou ainda que, caso não haja mudança até o final do ano no diretório estadual do partido, os políticos do interior podem abandonar o MDB e buscar um novo partido.

Lutador de MMA curitibano participa de campanha-manifesto

Engajada com a vida real, a marca carioca acaba de lançar sua campanha Inverno 2018, batizada Filho teu não foge à luta.  Para isso, escalou o lutador de MMA curitibano Mauricio Shogun, e seu colega de profissão, o paulistano Demian Maia,  para estarem no octógono e mostrarem roupas de verdade e de infinitas combinações.

O lutador Demian Maia.

Estampas carregadas de mensagens vestem nossos campeões. ‘Pátria’ e ‘Cruzeiros’ trazem elementos da bandeira nacional desorganizados; ‘Cerrado’, a mistura da natureza com dinheiro. Mas as superapostas da temporada são ‘Ratos’ e ‘Caos’ que elevam perturbadores lobos e repulsivos roedores às principais imagens da coleção.

Neste momento sócio-político-econômico caótico do Brasil, a marca aproveita ainda para subir ao ringue e bater no que dos agride. E convida a todos lutar juntos, promovendo uma surra nos problemas sociais, na violência psicológica e de gênero e tudo mais que nos envergonha. Para vencer é preciso um único peso-pesado: o amor.

Uma linha de camisetas convoca para a batalha de diversas causas, como racismo (“Diga-me a cor da sua pele e não te direi porra nenhuma”); censura (“Cala a boca já morreu. Quem manda na minha boca sou eu”); assédio (“A de assédio, B de bullying, C de chega”); Machismo (“Mulher é o sexo ágil”); entre outras.

Para a caminhada do dia a dia, o jeans surge com mais força. Além dos tradicionais modelos de calças que combinam gancho, perna e barra por tipo físico, a linha Estique-se, em superelastano, agora integra calças e bermudas. O moletom ganha espaço no armário em peças dupla face, jaquetas e calças skinny color – novidade da temporada. As jaquetas vêm de todos os jeitos: militar, bomber, biker, overshirt e denim.

www.usereserva.com