Motoristas, soltura, justiça, atropelamento, morte, estudante, universitária

Justiça determina soltura de motoristas envolvidos na morte de estudante universitária

O juiz Daniel Surdi de Avelar da 2ª Vara do Tribunal do Júri determinou a soltora dos dois motoristas suspeitos de envolvimento na morte da estudante universitária Caroline Beatriz Olímpio de 19 anos. Ela foi atropelada enquanto tentava atravessar a Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, na manhã do dia 12 de março.

Fernando Rocha Fabiane de 26 anos e Nicholas Henrique Castro de 22 anos foram presos no mesmo dia e foram denunciados por homicídio qualificado por meio cruel.

Segundo a Polícia Civil, os motoristas participavam de um racha na via quando o carro dirigido por Fernando Rocha atingiu a estudante.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) que ofereceu a denúncia já havia se manifestado favorável a soltura dos dois.

Segundo a decisão do juiz, “ocorre que ambos os denunciados não são pessoas perigosas, nunca foram presos ou processados, são possuidores de endereço fixo e certo, exercem atividade lícita e de certa forma colaboraram com a justiça”.

Avelar também fixou medidas cautelares como a suspensão da carteira de habilitação dos dois motoristas; retenção das CNH e dos passaportes e ainda determinou o comparecimento obrigatório à justiça toda última quinta-feira do mês, além de proibição de se ausentarem da comarca de Curitiba.

Em nota, o advogado que representa a família de Caroline, Jeffrey Chiquini, disse respeitar a decisão do juiz e afirmou que “a liberdade dos acusados não enfraqueceu a acusação e não impedirá que sejam responsabilizados pelo crime bárbaro que praticaram”.

Já a defesa de Fernando Rocha Fabiane informou que “na próxima fase do processo, terá a oportunidade de apresentar sua resposta técnica à acusação contida na denúncia”.

Por fim, os advogados de Nicholas Castro disseram receber a decisão de soltura com a mesma serenidade com que enfrentará a ação penal e que “agora, a defesa poderá responder à acusação e indicar as provas que serão produzidas, inclusive provas periciais, documentais e testemunhais, tudo sob o crivo do contraditório judicial”.

Leia mais: “Nós continuamos em casa”, diz Rafael Greca em relação à pandemia de coronavírus

mortes rj petrópolis Coronavírus - Covid-19 - Brasil - casos confirmados

Covid-19: Sobe para 12 o número de mortes pela doença no País

A Prefeitura de Petrópolis, no Rio de Janeiro, informou, na noite desta sexta-feira (20), a primeira morte por coronavírus na cidade.

A morte ainda não foi contabilizada pelo estado e não está no balanço oficial do Ministério da Saúde. O paciente havia entrado na lista de casos confirmados durante a tarde.

Com isso, sobe para três o número de mortos pelo vírus no Rio de Janeiro, e 12 no Brasil.

O paciente era um homem de 65 anos, que estava internado em unidade privada desde que retornou de viagem ao Egito. Sua esposa, que ainda aguarda resultado do teste, está internada em UTI no mesmo hospital.

Petrópolis tem mais um caso da doença confirmado e investiga outros 24.

Último balanço do governo fala em 109 casos confirmados no estado.

O Ministério da Saúde informa 977 casos em todo o país e 11 mortes.

coronavírus brasil morte casos

Segunda morte por coronavírus é confirmada no RJ; já são 6 mortes no País

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro confirmou na manhã desta quinta-feira (19) a segunda  morte por coronavírus no Estado.

Mais cedo a secretaria já havia confirmado a morte de uma idosa, de 63 anos, que faleceu em um hospital no sul fluminense.

A segunda vítima fatal do coronavírus no Rio de Janeiro é um homem de 69 anos, que morava em Niterói e que também apresentava problemas de saúde como diabetes e hipertensão.

O idosos faleceu nesta terça-feira (17) e teria sido contaminado pelo coronavírus através do contato com o enteado, que o voltou de viagem do exterior com confirmação da Covid-19.

Ao todo, são seis mortes pela Covid-19 foram confirmadas no Brasil: quatro em São Paulo e duas no Rio de Janeiro.

EM 24 HORAS, CASOS DA COVID-19 CRESCEM 47% NO BRASIL

Em 24 horas os casos do novo coronavírus cresceram 47% e saltaram de 291 para 428 ocorrências da doença no país, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira (18).

Além disso, no boletim, o Ministério também confirmou que são 11.278 casos suspeitos (crescimento de 27% em comparação ao último boletim), enquanto outros 1841 casos foram descartados.

CASOS NO PARANÁ

Cinco casos dos novo coronavírus (Covid-19) foram confirmados pela Prefeitura de Curitiba nesta quarta-feira (18). Já a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde do Paraná) atualizou de 12 para 14 os número de casos confirmados do novo coronavírus no Paraná.

Confira o boletim completo aqui!

Brasil - coronavírus - brasileiros - China - Goiás

Brasileiros resgatados da China devido ao coronavírus chegam em Goiás

Os 34 brasileiros resgatados na China chegaram à Base Aérea de Anápolis, em Goiás, na manhã deste domingo (9). Eles vieram em dois aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) enviados ao país asiático na última quarta-feira (5). As aeronaves pousaram às 6h05 e 6h12 vindas de Fortaleza, última escala técnica no trajeto da chamada Operação Regresso.

O resgate foi feito na cidade chinesa de Wuhan, epicentro do surto mundial do coronavírus. As aeronaves também trouxeram quatro poloneses e um chinês que desembarcaram em Varsóvia, na Polônia, um dos locais de escala para abastecimento.

Os repatriados vão permanecer em quarentena por 18 dias, no hotel de trânsito da Base Aérea de Anápolis, que foi especialmente preparado para essa operação. A tripulação –médicos, pilotos, enfermeiros, etc… – que participou do resgate também vai cumprir período de quarentena.

Todos ficarão em apartamentos individuais ou, no caso dos que são pais ou mães de crianças menores, poderão ficar no mesmo quarto. O grupo inclui crianças de 2 e 3 anos e outras de 7 a 12 anos. As visitas estão proibidas.

Os dois aviões da FAB com os resgatados a bordo decolaram de Wuhan, na China, no início da noite de sexta-feira (7). No trajeto para o Brasil, as aeronaves pararam para reabastecimento em Ürumqi (China), Varsóvia (Polônia), Las Palmas (Espanha), e em Fortaleza, já em território brasileiro.

brasileiros na china fazem apelo ao governo que decide repatriar

Brasileiros na China fazem apelo por vídeo e governo decide repatriar

Por meio de nota conjunta emitida neste domingo(2), o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério da Defesa anunciaram que o governo brasileiro adota todas as medidas necessárias para trazer de volta ao Brasil os cidadãos brasileiros que se encontram na província de Hubei, especificamente na cidade de Wuhan, na China, região de origem da epidemia do coronavírus.

Serão trazidos todos os brasileiros que se encontram naquela região e que manifestarem desejo de retornar ao Brasil.

Assim que chegarem ao Brasil, eles deverão ser submetidos a quarentena, de acordo com procedimentos internacionais, sob a orientação do Ministério da Saúde.

O Ministério da Defesa, por meio da Força Aérea Brasileira, trabalha na elaboração do plano de voo da aeronave, possivelmente fretada, que será enviada à China.

Duas brasileiras, que se encontravam em Wuhan e também possuíam nacionalidade portuguesa, já embarcaram em voo francês que transportou cidadãos da União Europeia. Elas farão quarentena em Portugal.

O anúncio também foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro no Twitter.

Neste domingo, um grupo de brasileiros que está na China publicou uma carta aberta, no youtube, pedindo ajuda ao governo brasileiro para retornar ao Brasil.
No vídeo, o grupo afirma que está disposto a passar por quarentena após chegar ao Brasil.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, elogiou a decisão do governo brasileiro em repatriar seus cidadãos que estão na China. Mais cedo, Alcolumbre havia dito que governo “terá total e irrestrito apoio” do Congresso Nacional.

Histórico do Coronavírus

Os coronavírus são conhecidos desde meados dos anos 1960 e já estiveram associados a outros episódios de alerta internacional nos últimos anos. Em 2002, uma variante gerou um surto de síndrome respiratória aguda grave (Sars) que também teve início na China e atingiu mais de 8 mil pessoas. Em 2012, um novo coronavírus causou uma síndrome respiratória no Oriente Médio que foi chamada de Mers.

A atual transmissão foi identificada em 7 de janeiro. O escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) na China buscava respostas para casos de uma pneumonia de etiologia até então desconhecida que afetava moradores na cidade de Wuhan. No dia 11 de janeiro foi apontado um mercado de frutos do mar como o local de origem da transmissão. O espaço foi fechado pelo governo chinês.

coronavírus, corona, virus corona, coronavirus sintomas, corona virus, o que é coronavirus, china, wuhan, brasil, ministério da saúde, oms, opas, casos confirmados, mortes,, morte, china, filipinas, oms, sapude, brasil

Coronavírus causa a primeira morte fora da China, diz OMS

O novo coronavírus causou a primeiro morte fora da China. Autoridades da saúde das Filipinas confirmaram neste sábado (1º) o primeiro óbito causado pela infecção. O caso foi classificado pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como a primeira morte relacionada à doença fora da China.

De acordo com o Departamento de Saúde das Filipinas, a primeira vítima do coronavírus no país é um homem de 44 anos. Conforme a apuração das autoridades sanitárias, ele veio de Wuhan. O município chinês, que pertence à província de Hubei, é considerado o epicentro do novo vírus.

De acordo com órgão, o chinês chegou às Filipinas no dia 21 de janeiro. Ele adentrou no território filipino por meio de Hong Kong. Além disso, as autoridades confirmaram que o homem passou pela ilha turística de Cebu, na região central do país.

Ainda conforme as autoridades das Filipinas, o homem estava acompanhado de uma mulher chinesa de 38 anos. Ela também foi diagnosticada com coronavírus na quinta-feira da semana passada. Assim, ela foi internada e isolada para tratamento.

CORONAVÍRUS: MORTES PASSAM DE 300 NA CHINA

O número de mortes causadas pela novo surto de coronavírus foi atualizado neste domingo pela China. De acordo com a Comissão Nacional de Saúde, 304 pessoas morreram – a província de Hubei, considerada o epicentro da doença, tem 45 casos fatais.

Ainda conforme a comissão, 2.590 novos casos foram confirmados na China. Assim, o total de infecções pelo novo coronavírus chega a 14.380 apenas neste país. De acordo com relatos, 2.110 pacientes estão em estado grave.

Conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde), fora da China, o novo coronavírus já foi identificado em 26 países ou territórios. O número de pessoas afetadas nestes casos chega a 170.

No Brasil, nenhum caso foi confirmado. De acordo com o Ministério da Saúde, 16 casos suspeitos são investigados. Um deles é no Paraná, embora as autoridades de saúde do estado já tenham descartado os dois casos suspeitos investigado em Curitiba.

coronavírus, infográfico, chiina, wuhan, sintomas do coronavírus, brasil, casos suspeitos, tratamento
A suspeita só ocorre quando a pessoa com sintomas esteve em locais onde há circulação do coronavírus, ou se esteve com alguma pessoa com diagnóstico confirmado (Infografia/Agência Brasil)
renato kramer, morre, morte, wandeca, wanderlea, wandeca meia noite e meia

Jornalista Renato Krämer morre aos 64 anos

O ator e jornalista Renato Krämer, também conhecido pelo papel Wandeca Meia Noite e Meia, morreu na última sexta-feira (3), aos 64 anos. Krämer caiu em casa e sofreu uma hemorragia cerebral no último dia 20 de dezembro. Ele foi submetido a uma cirurgia no dia seguinte, mas precisou refazê-la e teve uma infecção generalizada que culminou em falência múltipla dos órgãos.

Nascido em Porto Alegre, Krämer se formou em estudos sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande de Sul e começou a fazer teatro ainda em sua cidade natal. Já em São Paulo, ele se formou como ator na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo.

Escreveu, dirigiu e atuou em diversos espetáculos, mas ficou conhecido por dar vida a mulheres -principalmente pelo papel de Wandeca Meia Noite e Meia, sua interpretação da cantora Wanderléa.

Ele começou a se apresentar como Wandeca nos anos 1980, mas seguiu fazendo shows em teatros e casas noturnas com a personagem por mais de 20 anos.

Segundo Angela Cristina Schiess, sua amiga há 40 anos, os shows ficaram tão conhecidos que a própria Wanderléa chegou a ir ao camarim para encontrá-lo em uma apresentação. “Viraram amigos”, diz.

Apaixonado por Wanderléa, Krämer tinha uma tatuagem no braço com o nome dela.

Pela fama de Wandeca, chegou a ser entrevistado por Hebe Camargo e Jô Soares. Também foi garoto propaganda da Walita em um comercial sobre uma linha de secadores da marca.

Seu último papel foi como Murila Martírio na peça “Miss Brasil Sou Eu”, do amigo Ronaldo Ciambroni, com a qual ele se apresentou até o ano passado. Ele interpretava a apresentadora de um concurso de misses.

No jornalismo, Renato Krämer assinou a coluna Antena, na revista Contigo!, além de ter feito críticas teatrais para o Jornal da Tarde e para a rádio Eldorado AM. Na Folha de S.Paulo, colaborou com a Ilustrada, escrevendo sobre teatro e televisão -cobrindo reality shows como o “Big Brother Brasil”-, e depois se tornou colunista do site F5.

Ele deixa dois irmãos e sobrinhos.

mulher marido curitiba

Mulher é presa em Curitiba por encomendar a morte do próprio marido

Uma mulher de 22 anos foi presa, em Curitiba, por ser a suspeita de encomendar a morte do próprio marido há dois meses atrás. Welington Leal Pereira foi alvo de 35 disparos efetuados por dois homens com revólveres calibre de nove milímetros. Ele estava no lava-car, onde era sócio, no bairro Novo Mundo.

Ela foi detida ontem (18), dentro de casa, no bairro Cajuru. Além disso, os policiais que efetuaram a prisão também encontraram uma arma de fogo calibre 22.

De acordo com a PCPR (Polícia Civil do Paraná), ela planejou o crime porque estaria sendo ameaçada pelo companheiro após ele ter descoberto uma traição dela.

A ação dos criminosos foi inteiramente flagrada por uma câmera de segurança no estabelecimento. O vídeo não mostra o homem baleado, mas é possível ouvir a enorme quantidade de tiros e o susto de testemunhas.

A mulher está à disposição da Justiça. Ela foi indiciada por homicídio qualificado e autuada em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

caminhão, caminhões, morte, morrem, pr-323, sertaneja, paraná

Dois morrem após acidente com quatro caminhões na PR-323

Dois motoristas de caminhão morreram após colidirem frontalmente com seus caminhões na PR-323, em Sertaneja, na região norte do Paraná. O acidente ainda deixou uma terceira vítima, encaminhada a um hospital da região.

Ao todo, o acidente envolveu quatro caminhões. Conforme a PRE (Polícia Rodoviária Estadual), além dos dois veículos que bateram de frente, outros dois caminhões que trafegavam pela PR-323 acabaram saindo da pista após a batida de frente.

De acordo com a PRE, a colisão frontal aconteceu na altura do km 8, em um trecho de reta, com descidas e subidas leves. Assim, a principal suspeita é de que um dos caminhões envolvidos tenha invadido a pista contrária. Conforme o policial que atendeu a ocorrência, é possível que um dos caminhoneiros tenha sofrido um mal súbito.

Após a colisão frontal, os caminhões ficaram na pista. Outros dois veículos pesados que vinham na sequência também se acidentaram. Em um dos casos, um homem precisou ser levado até o hospital de Sertaneja, no norte do Paraná.

Houve cerca de 16 km de lentidão (8km em cada um dos sentidos). As pistas foram completamente liberadas por volta de 13h.

O SAMU e o Instituto Médico-Legal (IML) foram acionados para prestar apoio ao atendimento.

caminhão, caminhões, morte, morrem, pr-323, sertaneja, paraná 2
Divulgação/PRE
dengue, paraná, casos, morte, primeira morte, temporada, período epidemiológico, 2019, sesa, boletim da dengue, secretaria de estado da saúde, saúde, mosquito, aedes aegypti

Paraná registra primeira morte por dengue da nova temporada

Uma mulher de 31 anos morreu após complicações relacionadas à dengue em Nova Cantu, na região centro-oeste do Paraná. Foi a primeira morte relacionada ao vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti nesta temporada (o atual ciclo epidemiológico conta os casos a partir do dia 28 de julho).

De acordo com a Sesa (Secretaria de Estado da Saúde), a vítima morreu no dia 17 de novembro. A mulher de 31 anos convivia com um quadro de anemia crônica. Doenças como essa são consideradas fatores de risco que podem agravar as complicações causadas pela dengue. Por isso, nestes casos, o cuidado precisa ser dobrado.

O novo boletim epidemiológico, divulgado nesta terça-feira (26) pela Secretaria de Estado da Saúde do Paraná confirmou um total de 330 novos casos. O município de Nova Cantu, onde foi registrada a primeira morte relacionada ao vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, concentra sozinho 135 casos.

O município de Quinta do Sol, também na região centro-oeste do Paraná, tem 78 casos de dengue confirmados. Cianorte, na região noroeste, também está em alerta: são 25 registros da doença desde o início da atual temporada.

PRIMEIRA MORTE POR DENGUE NO PARANÁ REFORÇA O ALERTA

Foram quatro meses desde o início do novo ciclo epidemiológico até a primeira confirmação de morte relacionada à dengue no Paraná. De lá pra cá, 1.564 casos foram confirmados.

De acordo com os dados da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, a dengue avançou mais de 26% em apenas uma semana.

A chegada dos dias mais quentes do ano também reforça os cuidados contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Ele transmite não apenas a dengue, mas também o zika e a febre chikungunya.

“A maioria dos focos está em ambientes domiciliares e precisamos de uma ação urgente de todos no combate ao mosquito Aedes aegypti”, afirmou o secretário da saúde Beto Preto.

Conforme a Sesa, são sete cidades em situação de epidemia:

  1. Nova Cantu
  2. Quinta do Sol
  3. Inajá
  4. Santa Isabel do Ivaí
  5. Ângulo
  6. Floraí
  7. Uniflor

Outras 10 cidades estão em situação de alerta:

  1. Lindoeste
  2. Juranda
  3. Douradina
  4. Indianópolis
  5. São Carlos do Ivaí
  6. Flórida, Munhoz de Mello
  7. Florestópolis
  8. Leópolis
  9. Uraí

De acordo com a Secretaria da Saúde do Paraná, na temporada passada, entre junho de 2018 e julho de 2019, foram registrados 22.946 casos de dengue e 23 mortes relacionadas à doença.