Motorista de ônibus é denunciado por acidente que deixou 21 mortos em 2016

Um motorista do ônibus foi denunciado por ser um dos responsáveis de um acidente, em 2016, que deixou 21 mortos e oito feridos. O homem é funcionário da Prefeitura de Altônia, no noroeste do Paraná, e, segundo o Ministério Público (MP-PR), teve uma conduta imprudente na colisão com um caminhão na PR-323.

O acidente foi registrado em Cafezal do Sul, também no noroeste do estado, no dia 31 de outubro de 2016. O motorista, servidor público que prestava serviços para a Secretaria Municipal de Saúde, levava pacientes até a cidade de Umuarama para cirurgias de catarata.

As investigações do inquérito policial apontaram que o motorista conduziu o ônibus na contramão, o que levou à colisão frontal com um caminhão que vinha no sentido contrário. O acidente provocou o vazamento de combustível do caminhão e o consequente incêndio nos dois veículos.

Segundo o promotor Alan Bolzan Witczak, a culpa pela colisão seria imputada aos dois motoristas. Isso porque as perícias indicam que o condutor do caminhão também estava na contramão momentos antes do acidente.

“Os laudos apontam que o motorista efetuou uma manobra de fuga para sua esquerda. Na visão do Ministério Público, de maneira imprudente. Ele invadiu a pista na contra-mão e por isso o acidente ocorreu. Era possível simplesmente utilizar o acostamento. Assim, aconteceu uma responsabilidade recíproca de ambos os condutores. No direito penal, essas responsabilidades não se anulam”, diz o promotor.

Em nota, a prefeitura de Altônia afirma que o motorista continua exercendo a função e que prestou atendimento às vítimas.

Motorista na contramão morre ao bater de frente com carreta

Um motorista, de 38 anos, morreu em um grave acidente na manhã desta sexta-feira (5), no KM 11, da BR-277, em Paranaguá, no litoral do Paraná. O acidente aconteceu na pista sentido Curitiba.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do automóvel trafegava na contramão quando colidiu de frente com o caminhão. Ele teria ingressado na rodovia na altura do quilômetro 11,5. Ele percorreu cerca de 400 metros na contramão, antes do acidente.

Com a intensidade da colisão, o homem morreu no local.

Uma das faixas precisou ser interditada para atendimento da ocorrência.

Motorista esquece o BO, tem carro guinchado após furto, e precisa arcar com os custos

Um homem que teve o carro furtado e depois guinchado — porque os ladrões estacionaram em local proibido — reclama que precisou pagar quase R$ 2,5 mil para recuperar o veículo. Segundo a vítima, ele só soube que o carro havia sido confiscado quando foi notificado de que bem poderia ser leiloado. Para evitar o prejuízo maior ele pagou as taxas e as diárias cobradas pela Superintendência de Trânsito, e agora vai buscar na Justiça o ressarcimento dos gastos.

O caso, apesar de inusitado, não é inédito. O problema foi que a vítima não acionou a Polícia Militar para fazer a denúncia do furto. E o Boletim de Ocorrência na Polícia Civil foi feito no dia seguinte, quando o carro já havia sido guinchado.

O delegado Erick Tutia Guedes, titular da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), orienta os motoristas a acionarem primeiro a Polícia Militar. Essa é a forma mais rápida de realizar o “alerta” de roubo. “Logo que o carro for furtado faça este alerta pelo 190 e ali a pessoa ganha 24 horas para fazer o BO na delegacia. É importante que seja o proprietário e que tenha todos os dados do veículo para que seja colocado o alerta d.e furto no sistema.”

O alerta de roubo é fundamental para evitar situações como a que foi registrada. De acordo com a Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito de Curitiba (Setran),  o cidadão não passaria por essa ‘dor de cabeça’. Isso porque veículos com alerta de furto ou roubo não são levados para o pátio do município, a fiscalização entra informa com a polícia que toma as devidas providências.

A remoção do carro em questão aconteceu no dia 20 de março, às 14h36, na Rua Rockfeller, no bairro Rebouças. Treze minutos mais tarde, às 14h49, a Setran comunicou a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. O Boletim de Ocorrência só foi realizado no final da tarde daquele dia.

O motorista deve entrar na Justiça para evitar o pagamento das diárias pelo período em que o carro ficou no pátio da Setran e da multa por estacionar em local proibido.

PRF prende motorista após perseguição e capotamento; condutor carregava quase 200 quilos de maconha

196,2 quilos de maconha foram apreendidos na manhã desta segunda-feira (15), em Santa Terezinha de Itaipu, no Oeste do Paraná. O motorista de 19 anos foi perseguido por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF), mas acabou preso em flagrante após capotar o carro.

Ele saiu de Foz do Iguaçu e levaria a carga até Curitiba.

LEIA TAMBÉM:

>>> Assaltante tenta roubar policial e é baleado em bairro de Curitiba

>>> Delegado suspeito de atirar contra um bombeiro é investigado pela Polícia Civil

A droga estava em um Fiat Uno que trafegava na BR-277. Os policiais rodoviários concluiam um atendimento de um acidente quando desconfiaram do veículo.

Eles fizeram a abordagem, mas o motorista não obedeceu a ordem de parada e tentou fugir. A perseguição durou por dois quilômetros, quando o motorista perdeu o controle e capotou o carro em uma estrada rural.

Preso em flagrante, ele vai responder por tráfico de drogas e pode pegar de cinco a 15 anos de prisão. A PRF encaminhou a ocorrência para a Delegacia da Polícia Civil em Santa Terezinha de Itaipu.

 

Motorista invade terreno e fica preso quase quatro horas nas ferragens de caminhão

Um motorista ficou preso quase quatro horas nas ferragens do caminhão em que conduzia, após perder o controle da direção e invadir o terreno de uma casa, no bairro Vista Alegre, em Curitiba. O acidente aconteceu por volta das 00h desta segunda-feira (18) e o homem só conseguiu ser resgatado perto das 3h45.

O condutor descia pela Rua Vereador Antenor Pamphilo dos Santos, quando não conseguiu controlar o veículo e foi parar no terreno da casa na Rua Dona Hermínia Lupion.

O rapaz, de 38 anos, ficou com as pernas presas na cabine do caminhão. Consciente durante todo o atendimento, viu os bombeiros tentarem várias alternativas de salvamento. Equipes de reforço foram acionadas, porque existia a possibilidade de o veículo virar.

Foto: Isabelle Azevedo – Colaboração

Um guincho da prefeitura foi requisitado, mas o caminhão era mais pesado que o veículo e só conseguiu ser içado para remoção da vítima.  “O trabalho foi difícil, devido a situação do caminhão, ele não estava estabilizado e para segurança da equipe e da própria equipe teve que pedir apoio de um caminhão para que a gente começasse a trabalhar. Depois que a gente começou a trabalhar teve mais a dificuldade porque ele estava preso nas ferragens”, explicou o tenente Trevisan que atendeu a ocorrência no local.

Segundo o Corpo de Bombeiros, pela complexidade do acidente, o motorista, que teve ferimentos leves, praticamente nasceu de novo. “Quando a gente chegou o caminhão estava preso apenas por uma árvore, que estava sustentando ele. A gente sempre tentando conversar com ele [motorista]. Ele estava reclamando um pouco de dor, mas é normal porque as duas pernas dele estavam presas, mas no final deu tudo certo”, relatou o tenente.

NÃO É A PRIMEIRA VEZ

A dona da casa, Jurema Aparecida França Cordeiro, contou que estava na cozinha quando ouviu o barulho do caminhão. “Quando eu liguei a panela só ouvi aquele barulhão e pensei minha Nossa Senhora Aparecida”, disse.

O caminhão estava carregado com uma carga de papelão e iria para uma fábrica nas proximidades. O GPS mandou o motorista por um caminho alternativo. “Foi um susto muito grande, quando eu abri a porta o caminhão estava ali na frente”, falou Jurema.

Essa é a terceira vez que um acidente como esse acontece na casa da vendedora. Nas outras duas ocasiões, veículos de menor porte perderam o controle e foram parar dentro do terreno. “Na primeira vez o rapaz deixou o carro sem puxar o freio de mão e o carro veio sozinho, entrou no buraco entre o muro e o barranco. Depois outra vez foi um outro senhor, o carro dele ficou em pé e quase caiu. Agora esse o pior”, lembrou.

Rua onde o caminhão perdeu o controle (Foto: Francielly Azevedo)

Motorista fica ferido em colisão frontal entre dois caminhões na BR-277

O motorista de um caminhão pode ter sido arremessado para fora do veículo, depois de uma colisão frontal, no final da tarde desta terça-feira (12), na BR-277, em Paranaguá, no Litoral do estado.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, ele sofreu ferimentos leves na cabeça e foi encaminhado para o Hospital Regional de Paranaguá. O motorista precisou fazer uma manobra para desviar de dois cavalos e pisou bruscamente no freio. O veículo formou um ‘L’ na rodovia e atingiu outro caminhão, que seguia no sentido Paranaguá.

Ainda segundo a Polícia Rodoviária Federal, a marca de frenagem do veículo, na pista, se estendeu por 51 metros. A BR-277 chegou a ser interditada, no quilômetro 4, em Paranaguá, nos dois sentidos.

Quase duas horas após o acidente, perto das oito da noite, a rodovia foi liberada no sentido Litoral. A fila chegou a oito quilômetros. Antes das dez da noite, os caminhões já haviam sido removidos.

Motorista que atropelou ciclistas e fugiu sem prestar socorro não tem CNH

O motorista que atropelou um grupo de ciclistas e fugiu sem prestar socorro não tinha Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Quatro pessoas foram atingidas, no Km 73, da BR-277, em São José dos Pinhais, no início da manhã da última quinta-feira (7).

O homem é eletricista e disse que usava o carro para trabalhar. Ele dirigia o veículo da esposa no momento do acidente. O suspeito se apresentou na delegacia de São José dos Pinhais nesta sexta-feira (8), mas só deve prestar depoimento no início da próxima semana.

Extra oficialmente, o homem disse que não parou porque sentiu medo de ser linchado, mas que logo ligou para Polícia Militar, como explica o delegado responsável pelo caso Amadeu Trevisan.

“Ele cometeu o fato de ter omitido socorro para as pessoas, isso é grave. O que pesa é o fato desumano de abandonar as vítimas no meio da estrada. O fato dele não ter habilitação é uma questão praticamente administrativa. Ele disse que não teria ficado no local porque estava receoso. Ele não estava em uma multidão. Estava com quatro, cinco pessoas que precisavam de auxílio naquele momento e ele não o fez”, argumentou.

O grupo de seis ciclistas trafegava pela rodovia na pista sentido litoral, quando um Renault Clio sedan prata os atingiu. Dos seis, quatro foram atingidos, sendo três com lesões leves e uma mulher com lesões graves.

O motorista deve responder pelos crimes de omissão de socorro, fuga de local de acidente e lesão corporal grave, mas não ficará preso.

“A lei não autoriza isso. Ela prevê que ele venha até a delegacia no início da semana, onde ele será interrogado. Depois ele será encaminhado para a Justiça”, completou Trevisan.

As testemunhas do acidente também devem ser ouvidas a partir da próxima segunda-feira (9).

Motorista é preso por embriaguez após bater o carro em Curitiba

Um motorista foi preso por embriaguez ao volante depois de bater uma caminhonete em um poste ao lado do Colégio Estadual do Paraná, em Curitiba.

Segundo a Polícia Militar, o acidente aconteceu na noite deste domingo (3), na rua Luiz Leão no centro. O homem foi encaminhado a Delegacia de Delitos de Trânsito. A rua deve ficar parcialmente interditada até a manhã de segunda-feira (4) para que a Copel faça a substituição do poste.

É grave o estado de saúde do passageiro atropelado por um motorista de aplicativo

Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que um motorista de aplicativo atropela um passageiro na madrugada do último domingo (9). Jean Ricardo Martins Cavalli, 29 anos, está internado na UTI do Hospital Evangélico, com traumatismo craniano.

À polícia, a esposa de Jean, que estava com ele no momento do atropelamento, disse que o motorista atingiu o homem propositalmente, depois de uma confusão dentro do carro no trajeto que eles faziam. A delegada que investiga o caso, Patrícia Paz, está ouvindo testemunhas que estavam no local.

“Nós estamos angariando provas. Pegamos imagens de câmeras de segurança, colhemos outras imagens também de outros locais de onde eles teriam passado. Estamos aqui ouvindo as testemunhas dos fatos para averiguar toda essa situação”

Uma perícia foi realizada na área. Segundo o relato da esposa da vítima, o casal havia embarcado no veículo após sair de um show e durante o percurso, o homem teria vomitado na porta do carro. O motorista, então, teria alterado o trajeto e exigido R$ 200 para que pudesse pagar a limpeza do veículo, o que teria motivado uma discussão entre os dois. Assim que chegaram ao destino, no bairro São Braz, marido e mulher desceram. As imagens mostram o momento em que Jean chuta a porta do carro.

Em seguida, o motorista, Rafael Antonicomi, faz a volta com o veículo e atinge o homem no momento em que vira o carro à esquerda para seguir viagem. Para o advogado dele, Igor José Ogar, as imagens de câmera de segurança revelam que o Jean, na verdade, se atirou contra o veículo e por isso foi atingido.

“No vídeo se observa nitidamente que o passageiro, que estava totalmente embriagado, entra na trajetória do veículo e não o veículo trajetória dele”.

O advogado diz ainda que o motorista não prestou socorro à vítima por medo de ser rechaçado por pessoas que estavam no local.

“Quando ele atropela a pessoa, ele sabe que está a esposa do passageiro e corre várias pessoas do posto de combustíveis para prestar socorro. Quando ele vai fazer a volta ele vê que tem pessoas gritando com ele e fica com medo”.

O motorista atuava na plataforma 99 POP. Em nota, a empresa afirma que se solidariza com a vítima e está em contato com a família para prestar todo o apoio que for necessário. O texto diz ainda que o motorista foi bloqueado do aplicativo.