Francischini deve ser o novo presidente da CCJ na Alep

Os 54 deputados estaduais eleitos em outubro tomam posse na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), nesta sexta-feira (1). A cerimônia é realizada no Plenário da Alep.

Do total, 20 deputados assumem o cargo pela primeira vez. Outros 32 foram reeleitos e duas ex-deputadas retornam a casa.

Os resultados das eleições de 2018 mostram que os mais de 8 milhões de paranaenses que compareceram às urnas promoveram uma renovação de cerca de 40% das cadeiras da Assembleia. Ou seja, 22 dos novos deputados não fazem parte da atual legislatura. Além dos deputados do PPS e PRTB, teremos nesta legislatura representantes de mais 18 partidos, totalizando 20 legendas: PT, DEM, MDB, PDT, PMN, PODE, PP, PPL, PR, PRB, PROS, PSB, PSC, PSD, PSDB, PSL, PTB e PV.

O deputado estadual mais votado, Fernando Francischini (Solidariedade), que está na base do governo na casa, afirmou que o presidente eleito Jair Bolsonaro espera um alinhamento entre o governo e os deputados. Ele foi deve ser nomeado o presidente da Comissão de Constituição e Justiça. “A convite do próprio governador, foi uma articulação que envolveu trazer experiência desses anos todos em Brasília para a CCJ, para ter um presidente aliado com o governador para que projetos como as Parcerias Público Privadas (PPPs) possam caminhar para trazer um novo momento de infraestrutura e projetos importantes como também a parte previdenciária”, afirmou.

O líder do governo na Casa, Hussein Bakri (PSD), afirmou que o governador Ratinho Júnior não deve encaminhar projetos “no afogadilho”, para a casa. “A prioridade do governo é a reforma administrativa com a redução das secretárias de 28 para 15 e a finalizar o projeto das Parcerias Público Privadas (PPPs). Não temos nenhuma pauta-bomba prevista para os próximos meses”.

Requião Filho (MDB) afirmou que seis deputados já estão posicionados como oposição e estimou que o número deve chegar a 11. “Acho que a reforma administrativa realmente deve ser feita, mas temos que ver se vai ser real ou só uma jogada de marketing. Não adianta reduzir secretarias sem reduzir cargos. As Parcerias Público Privadas no Brasil terminaram em grandes escândalos em São Paulo e nos demais estados. Aqui, precisamos cuidar para que não ocorra do mesmo  jeito. Precisa ser transparente e fiscalizada”, disse.

Mulheres

Na bancada feminina, formada por quatro parlamentares, apenas uma estreante: a deputada Mabel Canto (PSC), que representa a região dos Campos Gerais. Ela é advogada, radialista, filha do ex-deputado estadual Jocelito Canto, e foi eleita pela primeira vez para um cargo público.

Já a deputada Cristina Silvestri (PPS) é de Guarapuava e exerceu a função como suplente do deputado Douglas Fabrício (PPS), durante a 18ª Legislatura.

A deputada Luciana Rafagnin (PT) é cientista política, agricultora familiar e foi deputada estadual por três mandatos (2003-2006 / 2007-2010 / 2011-2014); enquanto a empresária e deputada Maria Victoria (PP) foi reeleita e vai exercer seu segundo mandato.

Suplentes

Dois deputados reeleitos para um segundo mandato pelo PSD – Guto Silva (nomeado chefe da Casa Civil) e Marcio Nunes (secretário de Estado do Desenvolvimento Ambiental e Turismo) – foram convocados pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior e já fazem parte da equipe do Governo do Estado.

Dessa forma, logo após a posse, eles deverão voltar a pedir licença da Assembleia. A convocação dos suplentes, que terão o prazo de 15 dias consecutivos para tomarem posse, está prevista no artigo 114 do Regimento Interno da ALEP.

Cerimônia

Reeleito para o 8º mandato, o deputado Ademar Traiano (PSDB), atual presidente do Legislativo paranaense, vai comandar a sessão de posse, conforme determina o §1º do artigo 5º do Regimento Interno da Casa. Caberá a Traiano indicar dois deputados para compor a Mesa dos trabalhos, nas funções de 1º e 2º secretários.

Será lida em seguida a relação dos 54 deputados que tomarão posse, assim como o compromisso de defenderem e cumprir as Constituições Federal e Estadual. Após a leitura os deputados serão chamados nominalmente para ratificar o compromisso, confirmando “Assim o prometo” e assinar o termo de posse. Com esse ato será oficializado o início da 19ª Legislatura, que corresponde ao mandato parlamentar de quatro anos, que terminará no dia 31 de janeiro de 2023.

Confira quem são os deputados que serão empossados na sexta-feira (1º):

 

Deputado Ademar Traiano – Ademar Luiz Traiano

Partido – PSDB

Votos – 43.601

Nascimento – 03/01/1953

Idade – 66 anos

Natural de Francisco Beltrão/PR

Advogado, empresário, deputado estadual reeleito para o 8º mandato.

 

 

Deputado Alexandre Amaro

Partido – PRB

Votos – 49.565

Nascimento – 10/09/1973

Idade – 45 anos

Natural de Santo André/SP

Radialista e apresentador, foi eleito pela primeira vez para um cargo público

 

Deputado Alexandre Curi – Alexandre Maranhão Khury
Partido – PSB

Votos – 147.565

Nascimento – 09/04/1979

Idade – 39 anos

Natural de Curitiba

Deputado estadual eleito para o 5º mandato

 

 

Deputado Anibelli Neto – Antonio Anibelli Neto
Partido – MDB

Votos – 46.713

Nascimento – 18/09/1973

Idade – 45 anos

Natural de Curitiba

Médico veterinário, advogado especialista em Direito Administrativo,

deputado estadual eleito para o 3º mandato.

 

 

Deputado Arilson Chiorato – Arilson Maroldi Chiorato
Partido – PT

Votos – 36.494

Nascimento – 01/01/1978
Idade – 41 anos

Natural de Mandaguaçu/PR

Administrador. Foi secretário de Finanças da cidade de Ourizona, foi chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral do Paraná.

Foi assessor parlamentar na Assembleia Legislativa e Senado Federal.

 

 

Deputado Artagão Júnior – Artagão de Mattos Leão Júnior
Partido – PSB

Votos – 57.385

Nascimento 20/01/1975

Idade – 44 anos

Natural de Ponta Grossa

Deputado estadual eleito para o 5º mandato

 

 

Deputado Boca Aberta Júnior – Matheus Viníccius Ribeiro Petriv
Partido – PRTB

Votos – 39.495

Nascimento 21/11/1995
Idade – 23 anos

Natural de Londrina/PR

1ª vez eleito para um cargo público

 

 

Deputado Cobra Repórter – Devanil Reginaldo da Silva

Partido – PSD

Votos – 46983

Nascimento – 10/08/1974

Idade – 44 anos

Natural de Apucarana/PR

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Coronel Lee – Washington Lee Abe

Partido – PSL

Votos – 58.434

Nascimento – 15/03/1965

Idade – 53 anos

Natural de – Curitiba/PR

Coronel da Polícia Militar, primeira vez eleito para um cargo público

 

 

Deputada Cristina Silvestri – Isabel Cristina Rauen Silvestri

Partido – PPS

Votos – 48.805

Nascimento – 16/03/1957

Idade – 61 anos

Natural de Guarapuava/PR

Foi suplente de deputada na legislatura de 2015-2018. Assumiu o mandato no período de fevereiro de 2015 a abril de 2018.

 

 

Deputado Delegado Fernando – Fernando Ernandes Martins

Partido – PSL

Votos – 36.937

Nascimento – 09/11/1974

Idade – 44 anos

Natural de Marília/SP

Delegado de Polícia, primeira vez eleito para um cargo público.

 

 

Deputado Delegado Francischini – Fernando Destito Francischini

Partido – PSL

Votos – 427.749

Nascimento 26/03/1970
Idade – 48 anos

Natural de Londrina/PR

Delegado da Polícia Federal, eleito deputado federal em 2010 e reeleito em 2014. Nas eleições de 2018 foi o deputado estadual mais votado do Paraná.

 

 

Deputado Delegado Jacovós – José Aparecido Jacovós

Partido – PR

Votos – 61.310

Nascimento 28/10/1963

Idade – 55 anos

Natural de Cianorte/PR

Delegado da Polícia Civil em Apucarana, primeira vez eleito para um cargo público

 

 

Deputado Delegado Recalcatti – Rubens Recalcatti

Partido – PSD

Votos 35.348

Nascimento – 23/10/1948

Idade – 70 anos

Natural de Videira/SC

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Do Carmo – Paulo Rogério do Carmos

Partido – PSL

Votos – 17.695

Nascimento – 09/10/1976

Idade – 42 ANOS

Natural de Maringá/PR

Policial Militar, foi eleito vereador de Maringá e assume o primeiro mandato de deputado estadual.

 

 

Deputado Douglas Fabrício – João Douglas Fabrício

Partido – PPS

Votos – 40.763

Nascimento 29/01/1969

Idade – 50 anos

Natural de Roncador/PR

Administrador, deputado estadual eleito para o 4º mandato

 

 

Deputado Doutor Batista – Maniel Batista da Silva Júnior

Partido – PMN

Votos – 31.315

Nascimento 29/01/1953

Idade – 66 anos

Natural de Pompéia/SP

Médico, deputado estadual eleito para o 4º mandato

 

 

Deputado Emerson Bacil – Emerson Gielinski Bacil

Partido – PSL

Votos – 17.626

Nascimento – 06/10/1983

Idade – 35 anos

Natural de São Mateus do Sul/PR

Advogado, radialista, primeira vez eleito para cargo público

 

 

Deputado Estacho – Rodrigo Tlustik Venek

Partido – PV

Votos – 43.088

Nascimento – 16/01/1989

Idade – 30 anos

Natural de Guarapuava/PR

Ator, humorista, youtuber, eleito pela primeira vez para um cargo público

 

 

Deputado Evandro Araújo – Evandro José da Cruz Araújo

Partido – PSC

Votos – 64.767

Nascimento 18/12/1973

Idade – 45 anos

Natural de Altônia/PR

Professor de ensino superior, foi suplente de deputado estadual e assumiu a vaga em fevereiro de 2015, cumprindo todo o mandato. Foi eleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Francisco Buhrer – José Francisco Buhrer

Partido – PSD

Votos – 38.873

Nascimento – 09/08/1958

Idade – 60 anos

Natural de Tijucas do Sul/PR

Deputado estadual reeleito para o 5º mandato

 

 

Deputado Galo – Paulo Roberto da Costa

Partido – PODE

Votos – 26.210

Nascimento – 27/12/1951

Idade – 67 anos

Natural de Curitiba/PR

Apresentador de TV, primeira vez eleito para cargo público

 

 

Deputado Gilberto Ribeiro – José Gilberto do Carmo Alvez Ribeiro
Partido – PP

Votos – 60.540

Nascimento 01/07/1965

Idade – 53 anos

Natural de Lages/SC

Deputado estadual eleito para o 3º mandato

 

 

Deputado Gilson de Souza

Partido – PSC

Votos 46.116

Nascimento – 04/07/1961

Idade – 57 anos

Natural de Curitiba/PR

Deputado estadual reeleito para o 3º mandato

 

 

Deputado Goura – Jorge Gomes de Oliveira Brand

Partido – PDT

Votos – 37.366

Nascimento – 05/11/1979

Idade – 39 anos

Natural de Curitiba/PR

Foi assessor da Coordenadoria de Mobilidade da Prefeitura de Curitiba, eleito vereador de Curitiba em 2016. Assume o primeiro mandato como deputado estadual.

 

 

Deputado Guto Silva – Luiz Augusto Silva

Partido – PSD

Votos 66.412

Nascimento – 11/02/1977

Idade – 41 anos

Natural de Maringá/PR

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Homero Marchese – Homero Figueiredo Lima e Marchese

Partido – PROS

Votos – 42.154

Nascimento – 15/07/1983

Idade – 35 anos

Natural de Maringá/PR

Professor de Direito Processual Civil e Direito Administrativo e especializado na fiscalização dos órgãos públicos do Paraná, foi eleito em 2016 o vereador mais votado da cidade de Maringá e assume pela primeira vez como deputado estadual.

 

 

Deputado Jonas Guimarães

Partido – PSB

Votos 41.919

Nascimento – 07/05/1951

Idade – 67 anos

Natural de Lavinia/SP

Deputado estadual reeleito para o 4º mandato

 

 

Deputada Luciana Rafagnin – Luciana Guzella Rafagnin

Partido – PT

Votos – 30.931

Nascimento – 10/09/1965

Idade – 53 anos

Natural de Francisco Beltrão/PR

É cientista política, agricultora familiar. Foi vereadora de Francisco Beltrão entre os anos de 1993 e 2000. Foi deputada estadual por três mandatos (2003-2006 / 2007-2010 / 2011-2014).

 

 

Deputado Luiz Carlos Martins – Luiz Carlos Martins Gonçalves

Partido – PP

Votos – 44.001

Nascimento 07/07/1949

Idade – 69 anos

Natural de Bilac/SP

Locutor, comentarista e radialista, deputado estadual eleito para o 8º mandato

 

 

Deputado Luiz Fernando Guerra – Luiz Fernando Guerra Filho

Partido – PSL

Votos – 32.216

Nascimento – 18/12/1984

Idade – 34 anos

Natural de Pato Branco/PR

Advogado, eleito pela primeira vez para cargo público

Advogado

 

 

Deputada Mabel Canto – Mabel Cora Canto

Partido – PSC

Votos – 35.036

Nascimento – 09/04/1985

Idade – 33 anos

Natural de Clevelândia/PR

Advogada, radialista, filha do ex-deputado Jocelito Canto, e eleita pela primeira vez para um cargo público

 

 

Deputado Marcel Micheletto – Marcel Henrique Micheletto

Partido – PR

Votos – 43.177

Nascimento – 26/04/1979

Idade – 39 anos

Natural de Toledo/PR

Duas vezes prefeito de Assis Chateaubriand. Foi presidente da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná e também da Associação dos Municípios do Paraná. Assume pela primeira vez como deputado estadual

 

 

Deputado Marcio Nunes – Marcio Fernando Nunes

Partido – PSD

Votos 59.192

Nascimento – 04/03/1966

Idade – 52 anos

Natural de Campo Mourão/PR

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Marcio Pacheco – Marcio José Pacheco Ramos

Partido – PPL

Votos – 39.323

Nascimento 06/04/1977

Idade – 41 anos

Natural de Boa Esperança/PR

Agente da Polícia Federal, deputado estadual eleito para o 2º mandato

 

 

Deputada Maria Victória – Maria Victoria Borghetti Barros

Partido – PP

Votos – 50.414

Nascimento 01/02/1992

Idade – 27 anos

Natural de Maringá/PR

Empresária, deputada estadual eleita para o 2º mandato

 

 

Deputado Mauro Moraes – Mauro Rafael Moraes e Silva

Partido – PSD

Votos 39.576

Nascimento – 02/03/1950

Idade – 68 anos

Natural de Tomazina/PR

Deputado estadual reeleito para o 5º mandato

 

 

Deputado Michele Caputo – Michele Caputo Neto

Partido – PSDB

Votos – 51.246

Nascimento – 23/08/1962

Idade – 56 anos

Natural de Maringá/PR

Farmacêutico, servidor da Secretaria de Estado da Saúde, foi secretário de Saúde da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Estado nos anos de 2011 a 2018. Assume pela primeira vez a função de deputado estadual.

 

 

Deputado Nelson Justus – Nelson Roberto Plácio Justus

Partido – DEM

Votos – 38.349

Nascimento – 13/06/1947

Idade – 71 anos

Natural de Curitiba/PR

Deputado estadual eleito para o 8º mandato

 

 

Deputado Nelson Luersen – Nelson Lauro Luersen

Partido – PDT

Votos – 28.877

Nascimento – 01/06/1962

Idade – 56 anos

Natural de Capinzal/SC

Empresário, deputado estadual eleito para o 4º mandato

 

 

Deputado Paulo Litro – Paulo Henrique Coletti Fernandes

Partido – PSDB

Votos 61.791

Nascimento – 30/10/1991

Idade – 27 anos

Natural de Pato Branco/PR

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Plauto Miró – Plauto Miró Guimarães Filho

Partido – DEM

Votos – 36.332

Nascimento 20/07/1963
Idade – 55 anos

Natural de Ponta Grossa/PR

Agricultor, deputado estadual eleito para o 8º mandato

 

 

Deputado Professor Lemos – José Rodrigues Lemos

Partido – PT

Votos – 84.892

Nascimento – 14/10/1963

Idade – 55 anos

Natural de Barra de São Francisco/ES

Professor, suplente de deputado estadual nas eleições de 2007, assumiu em 2009, sendo eleito em 2010, 2014 e 2018

 

 

Deputado Requião Filho – Maurício Thadeu de Mello e Silva

Partido – MDB

Votos – 82.652

Nascimento 24/10/1979

Idade – 39 anos

Natural de Curitiba/PR

Advogado e especialista em Políticas Públicas, Deputado estadual eleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Ricardo Arruda – Ricardo Arruda Nunes

Partido – PSL

Votos – 27.574

Nascimento – 24/04/1962

Idade – 56 anos

Natural de São Paulo/SP

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Romanelli – Luiz Claudio Romanelli

Partido – PSB

Votos – 73.383

Nascimento 19/01/1957

Idade – 62 anos

Natural de Londrina/PR

Advogado, deputado estadual eleito para o 5º mandato

 

 

Deputado Soldado Adriano – Adriano José da Silva

Partido – PV

Votos 33.757

Nascimento – 19/11/1981

Idade – 37 anos

Natural de Santo Inácio/PR

Policial militar, eleito pela primeira vez para cargo público

 

 

Deputado Soldado Fruet – Marcos Adriano Ferreira Fruet

Partido – PROS

Votos – 35.231

Nascimento – 07/02/1974

Idade – 44 anos

Natural de Foz do Iguaçu/PR

Policial militar, eleito pela primeira vez para cargo público

 

 

Deputado Subtenente Everton – Everton Marcelino de Souza

Partido – PSL

Votos – 13.047

Nascimento – 29/04/1972

Idade – 46 anos

Natural de Curitiba/PR

Formado em Direito, militar do Exército Brasileiro desde 1991, pela primeira vez eleito para cargo público

 

 

Deputado Tadeu Veneri – Antonio Tadeu Veneri

Partido – PT

Votos – 69.320

Nascimento – 10/02/1953

Idade – 65 anos

Natural de União da Vitória/PR

Deputado estadual reeleito para o 5º mandato

 

 

Deputado Tercílio Turini – Tercílio Luiz Turini

Partido – PPS

Votos – 46.106

Nascimento 01/08/1944

Idade – 74 anos

Natural de Londrina/PR

Médico, suplente de deputado nas eleições de 2010, assumiu como deputado estadual em janeiro de 2013. Se elegeu em 2014 e novamente em 2018

 

 

Deputado Tiago Amaral – José Tiago Camargo do Amaral

Partido – PSB

Votos – 79.455

Nascimento – 18/07/1986

Idade – 32 anos

Natural de Londrina/PR

Advogado, deputado estadual eleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Tião Medeiros – Sebastião Henrique de Medeiros

Partido – PTB

Votos – 54.276

Nascimento – 08/01/1983

Idade – 36 anos

Natural de Paranavaí/PR

Advogado, deputado estadual eleito para o 2º mandato

 

 

Deputado Wilmar Reichembach – Wilmar Reichembach

Partido – PSC

Votos 35.751

Nascimento – 10/12/1957

Idade – 61 anos

Natural de Francisco Beltrão/PR

Deputado estadual reeleito para o 2º mandato

No Palácio Iguaçu, Ratinho Junior diz que fará um governo ouvidor

O segundo discurso de Ratinho Junior (PSD) como governador do Paraná, desta vez no Palácio Iguaçu, após a cerimônia de transmissão de cargo, começou com um reconhecimento de que o Paraná teve bons governadores. “Mas o momento político atual do Brasil exige dos próximos governantes um pouco mais de audácia. É necessário uma ruptura com esse modelo que, ao longo dos anos fez a máquina pública se inchar e o estado perder a capacidade de investimento e de ações para melhorar a vida das pessoas”, ponderou.

Assim, Ratinho Junior disse que fará um governo enxuto, diminuindo a máquina, e ouvidor, atendendo às demandas da rua. “Nossa missão é diminuir essa máquina, governar com menos secretarias, com menos espaço, para ter mais eficiência, rapidez nas decisões e acabar com as mordomias que foram se acumulando ao longo do tempo. Velocidade na prestação de serviço para dar qualidade de vida às pessoas e elas sejam felizes”, disse.

“Vamos fazer um governo ouvidor. Acabou o modelo de governo em que o governante sabe tudo. Teremos humildade de ouvir as pessoas e as ruas acima de tudo”, declarou o governador, que, mais uma vez, destacou a posição do Paraná como grande produtor de alimentos, mas disse que essa situação é incompatível com os indicadores sociais e de infraestrutura do estado. “Se somos os maiores produtores de alimento por metro quadrado do planeta, não podemos ter rodovias da década de 1970, não podemos não ter uma malha ferroviária decente, principalmente, não podemos admitir ter pessoas passando fome no nosso estado, e ainda temos”.

Mais uma vez, Ratinho Junior encerrou seu discurso com uma referência a seu pai, o apresentador Carlos Massa, o Ratinho. Desta vez, contando uma história de criança: “Eu, desde muito cedo acordo às 5h da manhã, porque meu pai fazia uma brincadeira que me irritava. Como ele saía de casa muito cedo, pois tinha programa de rádio às 6h da manhã, ele passava na minha cama, tirava meu cobertor e me fazia acordar, dizendo que não era mais hora de homem estar na cama. Quero te agradecer por você ter tirado o meu cobertor”, encerrou o governador.

Ao transmitir o cargo, Cida diz ser natural Ratinho Junior querer revisar seus últimos atos

A polêmica da última semana, com uma troca de farpas entre o governador Ratinho Junior (PSD) e agora ex-governadora Cida Borghetti, foram deixadas de lado na cerimônia de transmissão do cargo, na manhã desta terça-feira, no Palácio Iguaçu. No seu discurso de despedida, Cida elogiou Ratinho, desejou boa sorte ao novo governador e afirmou ser natural o governante, ao assumir, querer revisar os atos do antecessor.

“É um direito legítimo do governante eleito avaliar os atos praticados pelo governo que sai. Mas garanto que não deixarei nenhuma pendência para qualquer embaraço para a nova gestão. Uma auditoria, por exemplo, vai deixar clara a forma transparente e eficiente como administramos”.

Cida fez um rápido balanço de sua gestão de pouco mais de oito meses à frente do estado, e lembrou Ratinho que, “quando se pense o Paraná do Futuro, não se pode esquecer o presente e o passado, porque um estado está em permanente evolução e em constante construção. Tenho sincera certeza que o Paraná não perdeu o bonde da história, porque somos melhores a cada dia”, disse. “Tudo o que fazemos é porque sabemos que depois de nós outros virão e a eles devemos deixar o estado melhor do que recebemos. Ninguém é dono do estado, apenas cuidamos dele para a próxima geração”, acrescentou.

Destacando que a sociedade não tolera incompetência desrespeito e corrupção, Cida afirmou que baseou seu governo nesses três eixos: “diálogo com todos os setores, gestão eficiente e intolerância à corrupção”.

“Substituímos o talvez pelo sim e pelo não. Nada mais paralisante que o talvez. É preciso dizer sim ou não. Nosso governo foi objetivo e transparente. Criamos a divisão de combate à corrupção, com o poder de investigar atos ilícitos dentro e fora de governo, em qualquer nível. Varri a corrupção para fora do governo. Com diálogo, gestão eficiente e firmeza no controle dos gastos, fizemos um governo mais eficiente ágil e justo, sem ignorar a crise”, afirmou.

Cida ainda destacou que entrega o estado a Ratinho Junior com dinheiro em caixa, uma raridade entre os estados brasileiros. “Enquanto a maioria dos novos governadores assumem com caixa vazio e contas para pagar, entrego o comando do Paraná com contas em dia e dinheiro em caixa para Ratinho Junior, mais de R$ 5 bilhões em caixa e R$ 400 milhões em recursos livres para o senhor investir como desejar”.

A agora ex-governadora finalizou desejando sorte a Ratinho Junior. “Desejo ao futuro governo, na gestão do meu amigo, uma gestão plena de realizações. Que Deus te abençoe, Ratinho Junior. Boa sorte e bom trabalho”.

Ao tomar posse, Ratinho Junior diz que consolida projeto de 16 anos e promete modernizar o Paraná

Ratinho Junior (PSD) foi oficialmente empossado governador do Paraná pouco depois das 9h desta terça-feira, após prestar juramento e ter seu termo de posse lido na Assembleia Legislativa do Paraná. Em seu primeiro discurso como governador eleito, Ratinho exaltou a família, disse que trabalhou por 16 anos para chegar ao Governo do Estado e apresentou algumas de suas propostas para o estado, sempre focado na inovação e na gestão eficiente da máquina.

Dizendo-se emocionado por estar tomando posse na Assembleia, lugar onde iniciou sua trajetória política, o governador iniciou seu pronunciamento. “Foi aqui há 16 anos que comecei a consolidar meu projeto e compartilhar meu sonho com os paranaenses, prática do diálogo da democracia e do respeito. Onde aprendi que ouvir, ponderar e ter serenidade é mais importante que ter razão”.

O novo governador lembrou que sua eleição quebrou uma tradição de grupos familiares administrando o estado. “É possível romper com tradições e modelos antigos para estabelecer um novo modelo de fazer político. Tenho orgulho de ser o primeiro governador eleito nos últimos 40 anos sem fazer parte de nenhuma oligarquia”, disse Ratinho Junior, para depois ressaltar sua história familiar e carreira política. “Tenho orgulho de ter uma história familiar de superação. Se a política me deu os instrumentos para consolidar meu projeto, foi minha família que me deu a base que me sustentou, os meus valores de justiça e de bom senso. Sem arrogância, mas com a absoluta convicção de quem não abandona seus ideais, quero dizer que trabalhei incansavelmente para que este dia se tornasse realidade”.

Na segunda parte do discurso, Ratinho Junior disse que foi escolhido pela maioria da população paranaense para liderar um movimento de transformação e inovação. “Se já somos o estado do agronegócio, seremos, também, do turismo, da inovação tecnológica e de novos modelos industriais”.

“Não viveremos mais um estado de improviso, vamos planejar o nosso futuro”, disse o novo governador, reafirmando que seu governo buscará a inovação e a eficiência. “Para quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve, mas nós sabemos onde queremos chegar, e o único caminho possível é o da eficiência”.

Ratinho Junior ainda destacou o momento político favorável que espera encontrar, “é a primeira vez na história que temos uma possibilidade de consolidar uma agenda única com nossos senadores”, e seu compromisso de enxugar a máquina e cortar privilégios. “Não terei medo e não vou ceder um milímetro para a acabar com os privilégios e da máquina pública. Já iniciamos a reforma reduzindo de 28 para 15 o número de secretarias. Muito mais está por vir”.

Após emocionar-se e ir às lágrimas ao citar seus familiares, finalizando com o nome de seu pai, o apresentador Carlos Massa, de quem herdou o apelido de Ratinho, o governador concluiu: “Avancemos unidos, paranaenses. Nossa meta, a prosperidade de todos; o nosso sonho, a felicidade de cada filho dessa terra; o nosso compromisso, ser o estado mais moderno e inovador do Brasil; e a nossa certeza: não vamos decepcionar vocês”.

Novos ministros assumem cargo no dia 2

Um dia depois da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro para a Presidência da República, os 22 nomes confirmados para o primeiro escalão do futuro governo assumirão, em diferentes horários, o comando das pastas que comporão a Esplanada dos Ministérios a partir de 2019.

Nomes que dividirão os andares do Palácio do Planalto, mantendo relações mais diretas com o futuro presidente, serão os primeiros a ocupar postos. As primeiras transmissões de cargos marcadas para as 9h serão, conjuntamente, dos novos ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, do Gabinete de Segurança Institucional, General Augusto Heleno, da Secretaria de Governo, General Santos Cruz, e da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno.

Sergio Moro assumirá a Justiça e Segurança Pública também pela manhã. A pasta comandada pelo ex-juiz federal  abarcará atribuições de áreas que, atualmente, estão distribuídas em outros Ministérios como o de Segurança Pública e Trabalho (registros sindicais).

Ainda pela manhã, Marcos Pontes recebe o bastão das áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação e do atual Ministério das Comunicações na Esplanada e o Almirante Bento Costa e Lima, o de Minas e Energia.

A primeira mulher confirmada para o primeiro escalão de Bolsonaro, atual deputada Tereza Cristina, assume a Agricultura. Depois de um pronunciamento, a nova ministra já empossa os secretários da pasta.

No período da tarde, ocorrem as transmissões de cargo de ministro da Cidadania e Ação Social para Osmar Terra e da Saúde para Luiz Mandetta.

Três dos atuais ministros do governo Temer repassam suas atribuições a Paulo Guedes às 15h. O futuro Ministério da Economia abarcará funções que hoje são divididas entre Eduardo Guardia (Fazenda), Esteves Colnago (Planejamento, Desenvolvimento e Gestão) e Marcos Jorge (Indústria, Comércio Exterior e Serviços).

A partir das 16h, assumem ainda Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura), General Fernando Azevedo (Defesa), Ricardo Vélez Rodriguez (Educação), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

No fim do dia, o diplomata Ernesto Araújo toma posse na sede do Ministério de Relações Exteriores, em solenidade marcara para as 18h.

Com a manutenção de Wagner Rosário no comando da Controladoria-Geral da União, não haverá solenidade neste caso. Ainda há definições de horários em aberto, como é o caso das pastas do Meio Ambiente, a ser ocupada por Ricardo Salles, e do Desenvolvimento Regional, que terá o atual secretário executivo do Ministério da Integração Nacional, Gustavo Canuto, como ministro. Canuto administrará funções que hoje estão divididas entre os ministérios das Cidades e da Integração Nacional.

Cerimônia de posse de Ratinho Jr será breve para ele seguir a Brasília

A cerimônia de posse de Ratinho Junior (PSD), na próxima terça-feira (1º), deverá ser mais breve do que outras ocasiões, isto porque o governador eleito pelo Paraná irá acompanhar a posse do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), em Brasília.

A transmissão do cargo ao governador no Palácio Iguaçu deve terminar por volta das 10h30 para que Ratinho chegue antes das 13h a capital federal, quando o espaço aéreo será fechado.

A assessoria do governador eleito divulgou a programação para posse: a solenidade terá início às 8h30, na Assembleia Legislativa (Alep), quando Ratinho Junior e o vice-governador eleito Darci Piana subirão a rampa principal de acesso ao plenário. Eles serão recebidos pelo presidente da casa de leis, deputado estadual Ademar Traiano (PSDB).

No plenário, governador e vice deverão prestar o compromisso constitucional e assinar o livro de posse. Depois destes atos, o presidente da Alep declarará empossados os novos comandantes do executivo estadual. Na sequência, Ratinho Junior fará seu primeiro pronunciamento como governador do Paraná.

Terminada a sessão de posse na Assembleia, o governador descerá a rampa que dá acesso a Avenida Cândido de Abreu e passará em revista a tropa da Polícia Militar, para em seguida se dirigir ao Palácio Iguaçu para transmissão do cargo.

 

Ratinho Júnior faz críticas sobre transição e fala em pente-fino nos gastos do governo

O governador eleito Ratinho Júnior (PSC) já anunciou a redução de secretarias, de 28 para 15, e deve tomar mais atitudes para enxugar o gasto da máquina pública após a posse. Ele crítica a transição tardia, afirma que irá analisar e cancelar todas as licitações desnecessárias dos últimos 40 dias e que vai promover um pente-fino com auditorias em todo o organograma do Estado.

Confira a entrevista:

Nós estamos próximos à sua posse, como foi a transição até o momento?
A transição começou tarde, por decisão do atual governo, algo que lamentamos, pois gostaríamos que começasse em seguida às eleições para que pudéssemos ter mais tranquilidade para levantar os contratos, licitações e projetos em andamento. O que nos preocupa muito é a questão financeira do estado, porque muitas das informações nós não temos ainda consolidadas. Existe um problema inclusive com a secretaria da Fazenda, com o software, mas nós estamos fazendo um levantamento. Existe uma previsão de que o governo não tenha uma sobra de caixa confortável para começar o ano. Diante deste cenário, vamos ter que fazer muitos cortes, muitos ajustes, para que a gente consiga cumprir os compromissos neste início de ano, em especial nos primeiros 90 dias. Eu determinei que todos os contratos dos últimos 30, 40 dias, sejam revistos, aquelas licitações que não são prioridade para atender a população a gente pretende cancelar, o que juridicamente for possível. Vamos priorizar aquilo que é necessário, em especial a questão da saúde, a questão da educação, já que as aulas começam em fevereiro. Janeiro é um mês difícil por conta de epidemias como a da dengue, temos que estar preparados para o combate, precisamos ter dinheiro em caixa para isso e, obviamente, honrar os compromissos.

Nesta fase inicial o senhor pretende fazer uma espécie de pente-fino na primeira semana, junto com todos os secretários?
Vamos fazer um pente-fino. Começamos diminuindo as secretarias, de 28 para 15. É o estado que mais cortou secretarias até agora, pelo que levantamos. A ideia é enxugar a máquina pública, fazer um pente-fino em todos esses contratos. Tivemos o caso da dragagem do Porto de Paranaguá, que vai custar 400 milhões de reais, cujo contrato foi assinado a poucos dias para terminar o ano. Esse é o tipo de coisa que deveria ter sido discutida com mais profundidade, jogada para o ano que vem para que a gente pudesse avaliar o contrato, que envolve milhões. A intenção é rever tudo isso. E vou determinar logo no início do mês de janeiro, uma auditoria na folha de pagamento e também na previdência. Nós queremos realmente ver se as pessoas estão trabalhando de maneira correta, que não tenha gente recebendo em duplicidade, para que o dinheiro público possa ser bem aplicado.

O senhor reduziu de 28 para 15 secretarias. Qual foi o critério para chegar nesse modelo e como foi a composição dos indicados para assumir as pastas?
Foi a primeira vez na história do Paraná que foi contratada uma consultoria, uma das maiores empresas especializadas em Gestão Pública, que é a Fundação Dom Cabral, para fazer uma modernização do organograma do estado, repensar o número de secretarias. Era um compromisso que eu tinha com os paranaenses, de reduzir aquelas secretarias que foram criadas ao longo dos anos para acomodar amigos, parentes de políticos. Nós resolvemos acabar com todas elas e deixar só as que realmente são importantes para tocar o estado. Então nós reduzimos de 28 para 15 secretarias, elas foram todas analisadas e reorganizadas pela fundação Dom Cabral e todos os secretários e secretárias foram indicados por um critério extremamente técnico. Se pegar o currículo de todos eles, você vai ver que são pessoas preparadas, formadas, pós-graduadas, alguns doutores, a nossa preocupação foi a de montar um time de excelência que possa prestar um bom serviço ao estado.

Qual foi a orientação que o senhor deu aos secretários?
Primeiro muita lealdade ao povo do Paraná. Temos essa obrigação e o compromisso de sermos eficientes, aplicar da maneira possível o dinheiro público e acima de tudo trabalhar muito. Eu não gosto de ter na minha equipe pessoas que não gostam de trabalhar. Escolhi pessoas que tem capacidade técnica e disposição para trabalhar.

O que o povo do Paraná pode esperar do governo Ratinho Junior, a partir de 2019?
Pode esperar muita vontade de trabalho, muito planejamento, nós vamos fazer do Paraná o melhor estado do Brasil, eu tenho convicção disso. Vamos fazer do Paraná o estado mais moderno do Brasil. Queremos colocar a educação entre as três melhores do país, fazer com que a segurança pública ser respeitada e até servir de modelo para outros estados, utilizando para isso a tecnologia. Acima de tudo, queremos fazer do Paraná um estado que possa gerar oportunidades, a nossa preocupação, a nossa missão vai ser criar empregos. Para isso vamos trabalhar para atrair empresas do Brasil e também de fora, para investir no Paraná e gerar emprego pra nossa gente, este é o nosso compromisso.

PT anuncia que parlamentares não vão participar da posse de Bolsonaro

O Partido dos Trabalhadores (PT) anunciou na manhã desta sexta-feira (28) que seus deputados e senadores eleitos não participarão da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL).

Segundo a nota do partido, o resultado das urnas é legítimo, entretanto “isso não impede [o PT] de denunciar que a lisura do processo eleitoral de 2018 foi descaracterizada pelo golpe do impeachment, pela proibição ilegal da candidatura do ex-presidente Lula e pela manipulação criminosa das redes sociais para difundir mentiras contra o candidato Fernando Haddad”.

O partido também diz que a ausência na cerimônia é um ato de resistência, em protesto a “discursos e ações que estimulam o ódio, a intolerância e a discriminação. Não aceitamos que tais práticas sejam naturalizadas como instrumento da disputa política”.

O comunicado é assinado por Gleisi Hoffmann, presidente do PT e deputada federal eleita; Lindbergh Farias, líder do PT no Senado, e Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara.
No dia 1º, dia da posse de Jair Bolsonaro como presidente eleito, apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva planejam fazer atos em defesa da democracia na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula cumpre pena.

A assessoria do PT não confirmou se haverá a participação de parlamentares nas manifestações no dia 1º em Curitiba.

Governo Trump enviará secretário de Estado para posse de Bolsonaro

O presidente americano, Donald Trump, será representado por seu secretário de Estado, Mike Pompeo, na cerimônia de posse de Jair Bolsonaro (PSL), em 1º de janeiro.

O anúncio foi feito na noite desta segunda-feira (17) pela Casa Branca.

Além de Pompeo, estarão no evento Mark Green, diretor da agência americana para o desenvolvimento internacional, William Popp, encarregado de Assuntos Comerciais na embaixada dos Estados Unidos em Brasília, e Mauricio Claver-Carone, assistente especial para o presidente e responsável por América Latina no Conselho de Segurança Nacional.

Pompeo e a delegação americana se juntam a outros nomes já confirmados, como o do boliviano Evo Morales.

Ele confirmou nesta segunda que participará da cerimônia. “Fomos convidados e estamos comunicando que vamos participar” da posse do presidente, afirmou Diego Pary, ministro de Relações Exteriores boliviano.

Também virão o primeiro-ministro israelense, Binyamin Netanyahu, e o presidente chileno, Sebastián Piñera. O presidente argentino, Mauricio Macri, não deve vir para a posse, mas pretende se reunir com o presidente eleito em janeiro, em Brasília.

Por outro lado, o governo eleito desconvidou o ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, e o líder de Cuba, Miguel Díaz-Canel.

Segundo apurou a Folha, a ideia inicial era seguir o histórico da chancelaria brasileira e chamar representantes de todos os países ao Planalto no primeiro dia do ano.

Na semana passada, porém, houve uma mudança de posição por parte do novo governo, que pediu a exclusão dos convites que já haviam sido emitidos ao venezuelano Nicolás Maduro e ao cubano Miguel Díaz-Canel.

Na posse da presidente Dilma Rousseff em 2015, o americano Barack Obama enviou o vice-presidente Joe Biden para participar do evento. Quatro anos antes, havia mandado a então secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Embaixada de Israel confirma Netanyahu na posse em Brasília

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, confirmou nesta quinta-feira (29) que virá à posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, em 1º de janeiro. É a primeira autoridade internacional que anuncia presença na cerimônia.

A informação foi divulgada pela assessoria de Bolsonaro e confirmada à Folha de S.Paulo pela Embaixada de Israel no Brasil.

Desde a campanha, o presidente eleito tem sinalizado uma aproximação com Netanyahu. Ele já se reuniu duas vezes com o embaixador israelense no Brasil, Yossi Shelley, a última delas nesta semana.

Uma das promessas de campanha de Bolsonaro é transferir a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém,seguindo os passos do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

A presença de Trump na posse é aguardada, mas ainda não há confirmação oficial da Casa Branca.