operação rachas curitiba

Operação contra rachas e corridas ilegais apreende oito carros em Curitiba

Oito carros foram apreendidos entre a noite desta quinta-feira (13) e a madrugada de hoje (14) em uma operação conjunta das polícias contra a prática de rachas em Curitiba. Oito pessoas foram conduzidas à delegacia suspeitas de participação em corridas ilegais.

As ações concentraram-se em um posto de combustíveis, no bairro Uberaba, apontado como ponto de encontro dos suspeitos. Além das corridas clandestinas, o local também seria um ponto de tráfico de drogas.

A operação contou com a participação de 100 agentes de segurança do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar (BPTran) e da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran).

Segundo o delegado Leonardo Carneiro, as investigações começaram em março, após denúncias e casos de rachas na capital paranaense.

“Ações como essa são importantes para coibir as corridas clandestinas. Tivemos apoio de vários grupos neste posto de combustíveis, em que vários clubes de carros se organizavam para praticar os chamados rachas, com ingestão de bebida alcoólica”, explicou o delegado-titular da Dedetran.

A Polícia Militar afirma que o trabalho ostensivo deve continuar nas regiões onde as denúncias são mais frequentes.

“Muitos acidentes com feridos e vítimas fatais ocorrem por causa de pessoas que fazem corridas clandestinas, colocando em risco a vida de outros e a própria integridade”, avaliou o Comandante do BPTran, tenente-coronel Nasson Polak.

A operação teve início às 20h desta quinta-feira (13). As abordagens começaram a ser feitas algumas horas depois. Um helicóptero acompanhou as ações para evitar fugitivos.

Dono de bar e outros oito são presos em operação contra rachas

Nove homens foram presos em flagrante envolvidos em rachas na cidade de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Denominada “Fast and Furious” (Velozes e Furiosos, em inglês), a ação foi deflagrada ela Polícia Rodoviária Federal em conjunto com a Polícia Civil (PC) na madrugada deste domingo (24).

Ao todo, 54 policiais rodoviários federais e policiais civis atuaram na operação. O foco foi um bar que funciona às margens da BR-476, na Estrada da Ribeira.

Nas últimas semanas, as áreas de inteligência da PRF e da PC fizeram levantamentos sobre a prática criminosa, realizada semanalmente no local. Segundo a polícia, diversos grupos se reuniam com o objetivo de praticar rachas, empinar motos, dar cavalos de pau, além de dirigir sob efeito de álcool.

A PRF ressaltou que já havia recebido diversas denúncias sobre esses crimes, através do telefone de emergência 191, o que motivou a operação conjunta.

Os presos têm entre 18 e 28 anos de idade. Oito deles foram detidos pelo crime de participar de corrida ou exibição não autorizada, previsto no artigo 308 do Código de Trânsito. A pena é de seis meses a três anos de detenção, além da suspensão da carteira de habilitação.

Um dos presos, além de estar embriagado, também não tinha carteira de motorista. O nono preso, proprietário do estabelecimento comercial, foi autuado por vender bebida alcoólica a adolescentes, crime previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, com pena de dois a quatro anos de detenção.

O dono do bar possui inclusive um canal de vídeos na internet em que ele estimula a prática de rachas. Em alguns dos vídeos, ele próprio disputa corridas clandestinas e pratica manobras de exibição, conduzindo uma motocicleta.

No total, as equipes da PRF emitiram 75 autos de infração de trânsito. Além disso, 25 veículos –17 motocicletas e oito carros– foram recolhidos ao pátio da instituição, por diferentes irregularidades.

Uma adolescente, que portava uma pequena quantidade de maconha, foi apreendida.

Além dos nove presos, outros 11 condutores já foram identificados através de vídeos publicados na internet e também responderão pelo crime de praticar rachas e manobras de exibição.

Todos os detidos foram encaminhados à Delegacia de Delitos de Trânsito, em Curitiba.

Conforme a PRF, a velocidade máxima é 60 km/h em todo o trecho da rodovia onde os crimes foram praticados.