Com dois de Pato, São Paulo vence o Santos e encerra jejum em clássicos

Após mais de um ano sem saborear vitórias em clássicos paulistas, o São Paulo encerrou o jejum neste sábado (10) ao bater o Santos, líder do Campeonato Brasileiro, por 3 a 2, de virada.

Sob os olhares de Tite, técnico da seleção brasileira, contou com dia inspirado do atacante Alexandre Pato, autor de dois gols, seus primeiros no Morumbi desde que retornou ao clube.

O último triunfo tricolor em duelos contra os rivais havia sido no dia 21 julho de 2018, na vitória por 3 a 1 sobre o Corinthians, também pelo Brasileiro. Os são-paulinos ainda eram comandados pelo uruguaio Diego Aguirre.

Desde então, foram 12 clássicos disputados, com seis derrotas e seis empates. A sequência ruim parecia ganhar mais um capítulo neste sábado, quando Eduardo Sasha aproveitou chute de Pituca na trave para abrir o placar, aos 43 minutos do primeiro tempo.

Foi o sétimo gol do atacante na competição, isolando-o como artilheiro santista no Nacional. Mas a volta para o segundo tempo mostrou a reação imediata dos comandados de Cuca, que viraram a partida em um intervalo de oito minutos, após dois escanteios.

No primeiro, Alexandre Pato aproveitou desvio no meio da área e, sem marcação, finalizou rasteiro para deixar tudo igual, aos 3 min da etapa final.

Logo na sequência, Hernanes, que entrou no intervalo, cobrou da esquerda e o zagueiro Aguilar, do Santos, desviou a bola com o braço direito esticado. Reinaldo bateu o pênalti com força, cruzado, e colocou o São Paulo na frente, aos 11 minutos.

Pato ainda marcaria seu segundo no jogo, roubando a bola de Aguilar e arrancando até a área para ampliar. Com cinco gols no Brasileiro, Pato é o goleador do time no torneio.

O são-paulino Raniel, contra, anotou de cabeça o segundo do Santos, já aos 40 min. Com três vitórias em sequência, além de um empate com o Palmeiras, a equipe tricolor mantém a invencibilidade pós-Copa América. O time ainda tem uma partida atrasada, contra o Athletico-PR.

Já o Santos, que tinha 100% de aproveitamento desde a retomada da competição, conheceu sua primeira derrota. Mas ainda se mantém líder. Com 32 pontos, tem quatro de vantagem sobre o Palmeiras.

Brasileirão 2019: Daniel Alves, Rafinha… confira os reforços internacionais dos clubes

O Brasileirão 2019 vai contar, nesse segundo semestre, com diversos jogadores de alto nível. Foram diversos os casos de atletas que construíram carreiras no futebol internacional e optaram pelo retorno ao futebol brasileiro. As contratações mais badaladas dessa semana são Daniel Alves e Juanfran, que já começaram a treinar no São Paulo. No entanto, os dois devem ficar de fora do clássico contra o Santos, líder da Série A 2019.

Confira os principais reforços internacionais dos clubes brasileiros: 

SÃO PAULO

Daniel Alves – a contratação está em alta depois da apresentação oficial nesta última terça-feira. O jogador de 36 anos, que estava no PSG, ainda terá o maior salário do futebol brasileiro.

Juanfran – o lateral espanhol de 34 anos, campeão da Eurocopa 2012, também eleva o patamar do clube paulista. Depois de defender o Atlético de Madrid por oito anos, ele assinou contrato até o final de 2020.

FLAMENGO

Rafinha – o ex-lateral do Coritiba estava no futebol europeu há 14 anos e assinou com o Urubu por dois anos. Depois disso, ele deve vir ao Coritiba, onde pretende encerrar a carreira.

Filipe Luís – o lateral da seleção brasileira só acertou sua ida ao Fla depois da disputa da Copa América 2019. Entretanto, não foi feliz na sua estreia pelo Brasileirão 2019.

filipe luís brasileirão
Filipe Luís em treinamento no CT do Urubu. Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Pablo Marí – o zagueiro de 25 anos, espanhol, estava no Manchester City e foi indicação do técnico Jorge Jesus. Ele assinou contrato até dezembro de 2022.

Gérson – revelado pelo Fluminense, o meia de 22 anos não se firmou na Roma e retorna ao futebol brasileiro. Sua contratação custou 11,8 milhões de euros.

ATHLETICO-PR

adriano athletico
Foto: Divulgação Athletico

Adriano – o jogador de 34 anos estava no Besiktas, da Turquia. Depois das negociações com São Paulo e Santos, o atleta fechou negócio com o Furacão.

PALMEIRAS

Victor Hugo – o zagueiro de 28 anos voltou da Fiorentina, da Itália, e tem vínculo por cinco temporadas.

Ramires – rescindiu contrato com o Jiangsu Suning, da China, e assinou o acordo para defender o Palmeiras por quatro anos.

Henrique Dourado – o atacante está emprestado pelo Henan Jianye, da China, e fica até o final desta temporada.

Luiz Adriano – revelado pelo Internacional, o atacante de 32 anos saiu do Spartak Moscou e assinou contrato até 2023.

Luiz Adriano Palmeiras
Luiz Adriano já foi apresentado oficialmente pelo Palmeiras. Foto: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

ATLÉTICO-MG

Lucas Hernández – o lateral esquerdo chegou para fazer sombra ao titular Fábio Santos e assinou até dezembro de 2022.

Ramón Martínez – o volante paraguaio tem contrato até final de 2022.

Otero – o meia venezuelano estava emprestado ao Al-Wehda, mas o clube árabe optou por não exercer o direito de compra.

Franco Di Santo – o atacante de 30 anos estava no Rayo Vallecano e veio se aventurar no futebol brasileiro. Ele assinou contrato até o final de 2020.

atlético mg di santo brasileirão 2019
Di Santo é a nova opção para o ataque do Galo. Foto: Bruno Cantini / Atletico

SANTOS

Evandro – o meia, que já defendeu Athletico e Palmeiras, retornou ao futebol brasileiro. Na última temporada, ele atuou pelo Hull City, da Inglaterra.

GRÊMIO

David Braz – o zagueiro de 32 anos estava no Sivasspor, da Turquia, e reforçou a zaga gremista.

Santos x Goiás Brasileirão

Santos atropela Goiás e segue líder isolado do Brasileirão

O Santos goleou o Goiás por 6 a 1 neste domingo (4) e manteve a liderança do Brasileirão 2019. O duelo, válido pela 13.ª rodada, foi realizado na Vila Belmiro.

O uruguaio Carlos Sánchez abriu o placar e deu a assistência para Lucas Veríssimo ampliar. Ainda na primeira etapa, o outro zagueiro do Peixe, Gustavo Henrique, aproveitou o rebote da bola na trave de Eduardo Sasha para marcar o terceiro.

Nos 45 minutos finais, o time comandado por Jorge Sampaoli deslanchou. Sasha transformou a vitória em goleada e viu Soteldo, duas vezes, completou os gols santistas. Nos acréscimos, Kayke descontou e marcou o gol de honra pelo Esmeraldinho.

VANTAGEM DO SANTOS

Com o resultado, o Santos chega aos 32 pontos, cinco pontos na frente do Palmeiras, que ainda enfrenta o Corinthians. O clássico paulista acontece neste domingo (4), às 19h, em Itaquera.

Na próxima rodada, o Santos encara o São Paulo no Morumbi. Já o Goiás se prepara para receber o Vasco no Serra Dourada.

Santos bate o Avaí e assume a liderança do Brasileirão

O Campeonato Brasileiro tem um novo líder. Na tarde deste domingo (28), o Santos venceu, por 3 a 1, o Avaí, na Vila Belmiro, e garantiu o topo da tabela. Derlis González, Carlos Sánchez e Felipe Jonatan anotaram os gols para o peixe, enquanto João Paulo marcou para os catarinenses.

Com o placar, o Santos chega a 29 pontos, na primeira posição. O Avaí é o lanterna com apenas cinco pontos.

Na próxima rodada, o Peixe recebe o Goiás, às 11h, do domingo (4), na Vila Belmiro. No mesmo dia, o Avaí também joga em casa, às 19h, contra o Botafogo.

O JOGO

O Avaí até tentou dar trabalho para os donos da casa no início da partida, mas não demorou muito pois aos oito minutos o Santos abriu o placar com Derlis González.

O gol fez com que o Peixe passasse a gostar do duelo e pressionasse os catarinenses. Porém, o Avaí não deu trégua e chegou ao empate com João Paulo.

Com tudo igual no placar, o Santos precisou reforçar a postura de novo da casa e tomar as rédeas da partida. E conseguiu. Saltedo cresceu no jogo e fez o passe para Sánchez completar o 2 a 1.

Na volta do intervalo, o Santos retornou com Felipe Jonatan no lugar de Alison. A equipe segurou as ações e conteve o adversário.

Foram necessários 23 minutos para coisa esquentar. Primeiro Sasha tentou e acertou a trave. Depois, Marinho perdeu um gol cara a cara com o goleiro. Até que, aos 33, Felipe Jonatan recebeu na área e encobriu o goleiro para fazer 3 a 1.

Pilotos da Real que pousaram no Mar salvaram 39 pessoas em 1957

.
.

Uma história esquecida: A habilidade de dois pilotos, da antiga Real Aerovias, salvou a vida de 39 pessoas, entre passageiros e tripulantes, no ano de 1957. Um dos motores pegou fogo, ameaçando explodir o avião, e obrigando o avião a descer no mar, na região de São Sebastião, no litoral paulista.  O caso foi raro, porque dificilmente um pouso no mar acontece sem vítimas, rompimento ou afundamento do avião. Há poucos registros de casos semelhantes a este no mundo.

 

 

Era uma tarde de tempo bom quando o voo da extinta Real Aerovias, com quatro motores a hélice, decolou às 15 horas do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com destino final previsto para Miami, nos Estados Unidos. Era um avião DC4, com capacidade para 54 passageiros, que levava 30 e mais oito tripulantes. E que ainda iria embarcar mais gente no Rio de Janeiro.

.

O relato, só agora publicado, é de Heinz Eric, que tinha 23 anos e era  co-piloto, prestes a iniciar a preparação para se tornar comandante. Na época a cabine só comportava três tripulantes. E  assim, excepcionalmente Heinz deu o seu lugar, no trecho entre São Paulo e Rio de Janeiro, para um primeiro oficial e um co-piloto, que estavam em treinamento, um deles para ser comandante-mor. Heinz foi então para a a área dos passageiros, sentando-se no lado esquerdo, na primeira fila.

.

Vinte minutos após a decolagem, ele se assuntou ao ver labaredas ao seu lado, em um dos quatro motores, o de número dois, perto de sua janela. E correu até a cabine para avisar o piloto. O alarme automático também começou a soar, e todos entraram em um clima de tensão. Os extintores de incêndio de bordo, que ficavam no porão, foram acionados , dirigindo o jato para o motor em chamas. Mas o fogo era muito forte, e logo o motor caiu, já que eram programados para isso,  para evitar a propagação do fogo, e a explosão do avião.

.

O motor que caiu ainda bateu no leme profundor do lado esquerdo, criando grande dificuldade para o controle do avião. Heinz é que ficou monitorando a situação da janela da primeira fila dos passageiros,  porque da cabine o motor não era visível para o piloto. Houve um forte abalo, mas o voo continuou, como se estivesse dentro de uma área forte turbulência. Neste modelo de avião, da americana Douglas Aircraft, construído na década de quarenta, o tanque ficava na própria asa, o que aumentava o risco de explosão. Para completar a dificuldade, Heinz viu que a proteção do motor, chamada de parede de fogo da asa, já estava incandescente. Isso representava uma grande risco de fogo no tanque, o que poderia fazer o avião explodir.

 

Diante disso, a sugestão dele ao comandante, foi que pousassem imediatamente no mar, pelo risco  de explosão. A incandescência da chamada parede de fogo, não permitia correr o risco de seguir mais tempo voando. Heinz diz que foi sorte ter neste voo, um comandante jovem e decidido, para resolver logo fazer o pouso no mar. Isso eliminou o risco de explosão, na qual poderia não haver sobreviventes. Além disso a rota do momento era de Santos em direção ao Rio de Janeiro. E assim o avião estava sobrevoando o mar, o que possibilitava os procedimentos de pouso na água com menor risco.

.

O piloto começou a baixar o avião para fazer o pouso na água. Se o pouso fosse bem feito, o avião iria boiar. Se houvesse algum erro, poderia se partir ao meio. E ainda permanecia também o risco de explosão no ar. Os passageiros foram avisados das medidas de segurança, e ficaram com os cintos apertados. O comandante teria que escolher a melhor praia para isso. E então decidiu fazer o pouso a cerca de 300 metros da praia, em paralelo as ondas, para evitar um impacto mais forte. O local escolhido nas proximidades foi a Praia da Baleia, diante da Ilha Couves, no município de São Sebastião, no estado de São Paulo..

.

O avião desceu em círculos, porque não poderia baixar muito rápido. Diante da situação de grande perigo, algumas mulheres choravam. Mas a maior parte dos passageiros manteve o controle. No final o trem de pouso ficou recolhido e pouso foi perfeito. O avião deslizou sobre a água do mar. Mas ao final do deslizamento, a ponta baixou na água, voltando em seguida. Este momento foi o de maior impacto. Um passageiro apavorado havia tirado o cinto de segurança e se levantou segundos antes, sendo atirado  contra a parede frontal de separação da cabine, e se feriu. O comissário, que tentava segurar o passageiro no assento, também se feriu, quebrando a clavícula. O radiotelegrafista quebrou o tornozelo, porque estava ao lado dos aparelhos de comunicação, na hora do impacto..

 

 

O pouso no litoral de São Paulo em 1957.

.

..

A sensação, apesar de ainda estarem no mar, boiando sobre as asas do avião, foi de alívio. O avião estava inteiro e agora sem risco de incêndio ou explosão. As janelas de emergência sobre as asas tinham sido abertas, e os passageiros, com os coletes salva-vidas infláveis, saíram e ficaram sobre a asa. Ali eles esperaram, na expectativa de serem levados para a praia, a 300 metros de distância. Cerca de 15 minutos depois já apareceram pescadores da região, com barcos a remo, prontos para ajudar. E foram levando cerca de cinco pessoas de cada vez até a praia. A chegada na areia foi um momento de muita emoção, alívio e alegria para todos. E de agradecimento por estarem todos vivos.

.

Meia hora depois um avião militar, que coincidentemente passava na região, viu a cena e pousou na areia da praia. Após a verificação de que a situação estava sob controle, este avião decolou, levando o comandante do avião da Real para São Paulo. Era um caso novo, ainda não registrado na história da aviação brasileira, com um avião de grande porte. E a empresa, junto com a Aeronáutica, procurou uma solução para o transporte de passageiros até São Paulo. Em 1957 ainda não existia a estrada Rio Santos nesta região. E havia muito isolamento na faixa litorânea.

.

Um pequeno barco cargueiro, de nome Itanhaém, foi contratado. A embarcação saiu de São Sebastião e foi até a Praia da baleia. Este barco cargueiro, que veio buscar o grupo, só chegou ao local às duas da madrugada. Com um barco menor, de remo, os passageiros e os oito tripulantes foram levados até o barco. E a seguir o cargueiro foi para Santos, onde só chegou depois de 8 horas. No Porto de Santos já havia um ônibus especial esperando pelo grupo, que levou todos para São Paulo. Eles foram hospedados em hotel na Praça da Bandeira. E todos os custos foram cobertos pela Real Aerovias. Só o telegrafista ficou na Santa Casa de Santos, para tratar o tornozelo quebrado. Na televisão paulista havia um programa noturno ao vivo. Era o “Jantando com as Estrelas”. Todos os tripulantes foram chamados para dar entrevistas no programa.

 

Naquela época os pilotos, quando sofriam acidentes, já passavam por testes psicológicos por dois dias, para avaliar se tinham condições de continuar voando. Ninguém foi reprovado, e todos os quatro aviadores continuaram na empresa. Um fato curioso foi que o passageiro, que se levantou assustado perto da momento do pouso, levou depois uma medalha de ouro personalizada como agradecimento para cada um dos tripulantes. E o próprio presidente e fundador da Real Aerovias, comandante Linneu Gomes,  reconheceu que a ação correta e rápida dos pilotos salvou a todos.

.

Depois do acidente, Heinz Eric continuou na aviação, passando a comandante de voo. No total foram 8 anos de aviação, onde ele se tornou comandante de voos nacionais. E só deixou a atividade quando a Real Aerovias entrou em crise, no ano de 1960. Foi quando ele decidiu ir para a Alemanha cursar Engenharia Mecânica. Ao voltar para o Brasil, 5 anos depois, foi  para a área mecânica industrial. Ele tornou-se  gerente de engenharia de uma fabrica internacional de motores em São Paulo, onde ficou mais 33 anos em atividade.

.

Heinz Eric hoje é um curitibano por adoção, morando na capital paranaense há 15 anos. Ele está com 82 anos, lê muito, pratica  exercícios rigorosamente e gosta de viajar. No momento está na Europa, onde moram seus dois filhos com as famílias. Um é engenheiro mecânico e outro administrador de empresas, trabalhando em grandes empresas alemãs. Heinz nunca se interessou em registrar este caso. Mas agora, que está escrevendo um livro biográfico para deixar para os filhos e netos, resolveu nos contar esta história.

José Wille

 

O comandante Heinz Eric mora hoje no Bairro Batel, em Curitiba

 

 

Clique aqui  para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Contato com José Wille

 

 

 

jose.wille

jose.willew…

santos botafogo

Santos vence Botafogo e passa a dividir liderança com o Palmeiras

Fora de casa, o Santos venceu o Botafogo por 1 a 0 neste domingo (21) e emplacou o quinto triunfo seguido no Brasileirão. O gol foi anotado pelo atacante Marinho aos 29 minutos do segundo tempo. Além disso, o time comandado por Jorge Sampaoli encosta no Palmeiras.

O duelo, válido pela 11.ª rodada da Série A, foi realizado no Engenhão. 16.248 pessoas acompanharam a partida.

O que chamou a atenção foi que as duas equipes tiveram jogadores expulsos. Primeiro foi o zagueiro do Santos, Lucas Veríssimo, quem recebeu o cartão o vermelho. O Santos recuou, mas viu o lateral Gilson tirar a vantagem botafoguense na partida. Com 10 contra 10, os santistas criaram boas chances e acabaram vitoriosos.

TABELA

Com o resultado, o Peixe chega aos 26 pontos e passa a dividir a liderança com o Palmeiras. Os rivais têm o mesmo aproveitamento – 78,8%, com oito vitórias, dois empates e apenas uma derrota. No entanto, o Porco leva a melhor no saldo de gols: 14 contra sete.

Do outro lado, o Botafogo segue com 15 pontos e aparece na sétima posição da tabela.

Na próxima rodada, o Santos recebe o Avaí na Vila Belmiro, enquanto o Botafogo tem o clássico contra o Flamengo no Maracanã. Os dois jogos acontecem no domingo (28), às 16h.

Veja o gol da vitória:

Santos marca no final e diminui a diferença para o líder Palmeiras

Neste sábado (13), Santos e Bahia tiveram o primeiro jogo oficial após a pausa para a Copa América. O jogo, válido pela 10° rodada do Campeonato Brasileiro, foi marcado por bastante equilíbrio e poucas chances de gol, de ambas as partes, o suficiente para deixar o placar zerado durante boa parte da partida. Porém no final do confronto, o uruguaio Carlos Sánchez fez o único gol da partida, de pênalti, e garantiu os três pontos para o Santos.

Com a vitória por 1 a 0, o Santos se mantém na segunda colocação e conseguiu diminuiu a diferença para o líder Palmeiras, que empatou com o São Paulo, por 1 a 1, no Morumbi. Já o Bahia se mantém no meio da tabela e deve ficar entre os dez melhores, já que Grêmio e Fortaleza (décimo e décimo primeiro colocado) também atuaram neste sábado.

Agora os dois times voltam suas atenções para situações diferentes: enquanto o Santos terá uma semana livre e já pensa no duelo diante do Botafogo, válido pelo Campeonato Brasileiro, o time baiano deixa de lado, pelo menos momentaneamente, o principal torneio nacional para tentar fazer história e garantir classificação diante do Grêmio, em jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil.

Santos

Santos vence Corinthians e assume liderança provisória do Brasileirão

O Santos venceu o clássico contra o Corinthians por 1 a 0 nesta quarta-feira (12) e conquistou, provisoriamente, a liderança do Brasileirão 2019. O duelo foi válido pela 9.ª rodada, a última antes da parada para a Copa América.

O gol do Peixe que definiu o jogo na Vila Belmiro foi o atacante Eduardo Sasha, artilheiro do torneio com cinco gols marcados ao lado de Gabriel, do Flamengo. Nos acréscimos, o camisa 27 quase se isolou como maior goleador, mas o chute acabou carimbando o travessão do goleiro Walter.

Com o resultado, o time santista emplacou o terceiro triunfo seguido chegou aos 20 pontos, um a mais que o Palmeiras. Apesar disso, o Alviverde enfrenta o lanterna Avaí nesta quinta-feira (13), às 20h, no Allianz Parque.

Do outro lado, o Corinthians segue com 12 pontos conquistados e permanece na 10.ª colocação.

Eduardo Sasha
Sasha comemora o gol no clássico. Foto: Divulgação Twitter / Santos

As duas equipes só voltam a entrar em campo em julho. O Corinthians enfrentará o CSA em Itaquera, enquanto o Santos vai visitar o Bahia em Salvador. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ainda não definiu as datas e horários dos confrontos.

Veja como foi o gol de Eduardo Sasha:

Fla-Flu termina empatado, Botafogo vence CSA e Santos derrota o Atlético-MG

Três jogos da 8.ª rodada do Brasileirão 2019 aconteceram neste domingo (9). No Maracanã, Fluminense e Flamengo empataram por 0 a 0. Já em Maceió, no estádio Rei Pelé, o Botafogo derrotou o CSA por 2 a 1. Por fim, o Santos bateu o Atlético Mineiro por 3 a 1 na Vila Belmiro.

Nesta segunda-feira (10), às 20h, Goiás x Chapecoense completam a penúltima rodada antes da parada para a Copa América.

FLU-FLA

No clássico carioca, o grande nome do jogo foi Diego Alves. Apesar de ter um elenco mais qualificado, o Flamengo não atuou bem e passou sufoco por todo o segundo tempo.

Para sorte rubro-negra, o goleiro fez pelo menos três defesas difíceis e garantiu o placar zerado.

CSA x BOTAFOGO

Lutando contra o rebaixamento, o CSA saiu na frente do marcador com o gol do lateral Carlinhos, de cabeça. O time alagoano recuou e acabou sofrendo a virada no final da partida com os gols de Cícero e Alex Santana.

PEIXE x GALO

As equipes reeditaram o confronto da última quinta-feira (6), quando os mineiros derrotaram os paulistas no Pacaembu e o Santos acabou eliminado da Copa do Brasil.

Hoje, na Vila Belmiro, a história foi diferente. Eduardo Sasha e Jean Mota construíram uma boa vantagem no primeiro tempo. Na etapa final, o Atlético Mineiro descontou com Alerrandro e chegou perto do empate, mas o uruguaio Carlos Sánchez anotou um lindo gol em cobrança de falta e decretou o triunfo santista.

PRÓXIMOS JOGOS

A nona rodada acontece neste meio de semana. Confira todos os jogos:

Botafogo x Grêmio

Fortaleza x Cruzeiro

Internacional x Bahia

Santos x Corinthians

CSA x Flamengo

Vasco x Ceará

Atlético Mineiro x São Paulo

Palmeiras x Avaí

Chapecoense x Fluminense

Goiás x Athletico

Atlético Mineiro bate Santos e é o último time classificado para as quartas da Copa do Brasil

O Atlético Mineiro venceu o Santos por 2 a 1 nesta quinta-feira (7), no Pacaembu, em São Paulo, e carimbou a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil 2019.

Gustavo Henrique abriu o placar para os Santos aos 5 minutos do primeiro tempo. Aos 36 minutos, Chará empatou para o Atlético-MG. Foi Chará também que, aos 39 minutos do segundo tempo, anotou o gol que fez o Galo avançar de fase e garantir R$ 3,1 milhões de premiação.

No jogo da ida, as equipes haviam empatado por 0 a 0. Curiosamente, paulistas e mineiros voltam a se enfrentar neste domingo (9), às 19h, pela sétima rodada do Brasileirão. Desta vez, o Santos mandará a partida na Vila Belmiro.

SORTEIO

Agora, o Santos/Atlético Mineiro espera o sorteio da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), marcado para a próxima segunda-feira (10), para conhecer seu adversário na próxima fase. Também serão definidos os mandos de campo, datas e horários dos jogos, que só acontecem depois da parada para a Copa América.

Os outros clubes que se classificados são: Athletico, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Bahia, Grêmio e Internacional.

LEIA TAMBÉM: