Liquidação solidária

A marca Trousseau promove até 3 de abril a 19a edição da campanha Trousseau do Bem – projeto de responsabilidade social da marca que tem como principal objetivo contribuir para um futuro melhor de crianças carentes no país. Na ação, é possível comprar produtos selecionados com descontos que vão até 40%.

Parte da renda arrecadada com as vendas desses itens, neste período, serão revertidos em cestas básicas para o LISA – Lar Infantil Sol Amigo, em Curitiba, que cuida de crianças com vulnerabilidade e risco social.

Entre as peças em promoção estão: jogos de lençol 300 fios (solteiro ou casal); toalhas de banho; mantas caneladas (solteiro ou casal); além das essências, como odorizantes de ambiente e sabonetes líquidos; a famosa linha de homewear, que inclui pijamas e robes (masculinos e femininos); e a linha Petit, com roupas e acessórios infantis.

Sobre a Trousseau do Bem 

A ideia da campanha surgiu em 1999, quando a Trousseau decidiu unir sua marca a uma ação social que não fosse apenas uma mera liquidação, mas uma forma de ser solidária com as crianças carentes. Na época, os sócios criaram a ação Trousseau Off. Anos depois, o nome mudou para Trousseau do Bem, mas o espírito continuou o mesmo. No período determinado são oferecidos produtos com descontos significativos, revertendo parte da renda, na forma de cestas básicas, a entidades beneficentes de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília e Salvador.

No primeiro ano da iniciativa, foram distribuídas 1.200 cestas básicas. Em 2014, foram doadas 9.081 cestas beneficiando 9 entidades sociais nas cidades onde a Trousseau está presente. Quando somadas às multimarcas, o total de cestas distribuídas sobe para 9.717, o equivalente a mais de 8,3 toneladas de alimentos. Segundo Romeu Trussardi Neto, isso prova quanto a solidariedade pode unir as pessoas, motivando-as a serem fraternas e generosas. “Dentre as ações da Trousseau, essa é a que mais me orgulha, e por uma simples razão: ajudar o próximo é sempre gratificante”, afirma.

Sobre a Trousseau

Fundada pelo casal Adriana e Romeu Trussardi Neto em 1991, a Trousseau é uma das empresas de maior prestígio no segmento e reconhecida pelos produtos que valorizam os materiais nobres e a riqueza de detalhes. Além do mix de produtos premium, a proposta da marca é apresentar atendimento personalizado e ambientação compatíveis com a exigência dos clientes, que buscam itens sofisticados fora do país ou optam por peças sob encomenda.

Trousseau se diferencia pela exclusividade de seus produtos e valoriza a qualidade de tecidos e acabamentos. Atualmente, conta com 250 colaboradores, possui 25 lojas próprias e está presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Cuiabá e Florianópolis, além da loja virtual. Ainda há uma operação em Milão, na Itália, e em Miami, nos Estados Unidos.

Trousseau
Pátio Batel, piso L2
www.trousseau.com.br
www.facebook.com/trousseauoficial
Twitter: @trousseau_
Instagram: @trousseauoficial

Circuito de palestras no Torriton

Sempre envolvida com ações sociais, a rede de salões Torriton Beauty & Hair promoveu na última segunda-feira (12/12) um circuito de palestras com o tema “Novos processos e tecnologias para captação de recursos para ONGs”.

A ação aconteceu na unidade Presidente Taunay, no Batel, que tem um amplo espaço adaptável para eventos no piso inferior. Patrocinador e organizador do encontro, o Torriton ofereceu um café da manhã e brunch, preparados no Torriton Bistrot. Com apoio de três empresas que atuam com o terceiro setor, o evento teve três palestras, com participantes de diversas ONGs do Paraná.

 

Solidariedade diz que Francischini é candidato em Curitiba

A pressão do presidente nacional do partido, Paulinho da Força e dos candidatos a vereador da legenda e is números de uma pesquisa interna conhecidos nesta terça-feira podem fazer com que o deputado federal Fernando Francischini (Solidariedade) reapareça como candidato à Prefeitura de Curitiba.

Ex-secretário de Segurança Pública do governo Beto Richa, Francischini era um dos nomes que o governador vinha construindo para as eleições municipais da capital paranaense. Até o incidente do 29 de abril do ano passado, quando uma ação da Polícia Militar para conter uma manifestação de professores no Centro Cívico de Curitiba deixou mais de 300 pessoas feridas, culminando com a demissão de Francischini e a inviabilização de sua candidatura por conta do desgaste de imagem.

No entanto, os números de uma pesquisa teriam reanimado o deputado para a disputa, segundo o presidente municipal do partido, vereador Zé Maria. “Nós nunca desistimos da candidatura própria. Mas ele estava meio acomodado. Agora, veio essa pesquisa que o coloca em quarto lugar, à frente dos candidatos que cogitamos apoiar. Ele se animou de novo”, disse o vereador. “Além disso, temos uma chapa de vereadores que cobra essa candidatura, além da pressão do presidente nacional, que é o Paulinho”, afirmou.

Apesar de dizer haver grandes chances da candidatura de Francischini, Zé Maria afirma que a decisão só sairá na convenção, marcada para quinta-feira. Ele disse que o partido já negocia, até, coligação com outras duas legendas menores.Se não sair candidato, Francischini deverá dar o aval para o apoio de seu partido a Maria Victória (PP).

O presidente municipal da legenda acredita que o deputado federal tem condições de contornar o desgaste que o 29 de abril causou em sua imagem. “Ele vai deixar claro, como já fez, que não foi uma decisão dele, que ele cumpriu ordem. Ele era funcionário. Isso não preocupa ele. Pelo contrário, vai usar sua experiência e potencial na área de segurança na campanha. Mostrando que conseguiu controlar os índices de criminalidade durante o período que foi secretário”, afirmou.

Hemepar pede doação de sangue para vítimas de acidente na BR-277

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) pede doação de sangue, de qualquer tipo, o mais rápido possível para as vítimas do acidente ocorrido neste domingo (03) na BR-277, em Morretes, no litoral do Paraná. Um caminhão-tanque carregado de álcool explodiu após tombar na descida da serra. O acidente, que envolveu mais 12 veículos, deixou quatro pessoas mortas e 15 feridas.

Polícia investiga caso de criança encontrada em acidente na BR-277
Acidente com explosão de caminhão-tanque envolve 12 veículos na BR-277
Motorista de acidente na BR-277 deve responder por homicídio culposo

Os doadores precisam se dirigir com urgência a qualquer uma das 21 unidades do Hemepar no Estado, principalmente, de Curitiba. De acordo com o diretor do centro, Paulo Hatschbach, as unidades funcionam em rede e o sangue é encaminhado para a região com a maior necessidade.
“Foi um acidente sério e que, lamentavelmente, envolveu muitas pessoas. Pedimos a compreensão dos paranaenses para que doem sangue, principalmente, nesse período de inverno onde historicamente caem as doações”, afirmou.

Serviço 

O Hemepar de Curitiba fica na Travessa João Prosdócimo, 145, no Alto da XV. Durante a semana, a unidade abre das 7h30 às 18h30. No sábado abre das 8h às 18h. O telefone para contato é (41) 3281-4000 e 0800 6454555.

Vizinho cria vaquinha para ajudar vendedor que teve sua Kombi queimada

Na última semana, problemas mecânicos fizeram com que a Kombi de Antônio Leal, conhecido como Toninho, pegasse fogo. O veículo era a fonte de renda do vendedor, que, com ele, comercializava chocolates e cestas em Curitiba e região metropolitana. Sensibilizado com a situação do vizinho, o analista de negócios Vinícius Bruno resolveu ajudar – ele organizou uma vaquinha virtual através do site Vakinha para arrecadar dinheiro e comprar uma nova Kombi para Toninho.

“Eu estava saindo para o trabalho e, de longe, avistei a fumaça. A gente se aproximou e viu que era um carro que estava pegando fogo. Ao chegar mais perto, vimos que era a Kombi do Toninho, e ele estava na rua, desesperado”, conta Vinícius.

“Eu fui para o trabalho e fiquei pensando que deveria ajudar ele de alguma forma. Então lembrei de uma situação que tinha visto antes, de um rapaz de São Paulo que teve o carro apedrejado e uma pessoa criou uma vaquinha online para ajudá-lo. E eu pensei, ‘por que não posso fazer o mesmo?’. A gente usa a internet para tanta coisa, por que não pode usar a internet para fazer o bem?”, explica, referindo-se ao homem que teve o carro destruído no início do ano por taxistas que o confundiram com um motorista do aplicativo Uber.

A vaquinha para ajudar Toninho foi lançada na sexta-feira (10), com o objetivo de arrecadar R$ 15 mil. A iniciativa foi divulgada nas redes sociais e entre conhecidos. Na segunda-feira (13), a história foi compartilhada também na página da Prefeitura de Curitiba no Facebook. Com isso, até agora, a vaquinha já soma mais de R$ 11 mil em doações confirmados e cerca de R$ 16 mil em boletos pendentes.

Após a repercussão, Toninho agradeceu a todos que contribuíram com a Vakinha.

A mensagem foi divulgada, no Facebook, pelo vizinho do bairro São Braz que criou a campanha. Para ajudar o vendedor, basta acessar o site.

(Com informações da CBN Curitiba)

Mais de 500 voluntários se inscrevem para auxiliar nas ações da “Operação Inverno”

Em pouco mais de 15 dias de funcionamento da Operação Inverno, de atendimento à população em situação de rua nos meses mais frios do ano, a Defesa Civil registrou 510 inscritos interessados em atuar como voluntários no programa. Somente nos primeiros dois dias de funcionamento, foram 194 inscrições.

Os voluntários compõem as equipes de Abordagem Social para auxiliar no convencimento dos moradores de rua a aceitar os encaminhamentos às unidades de atendimento especializadas. “Sabemos que Curitiba é solidária, mas mesmo assim foi uma surpresa o grande número de interessados em ajudar. Com certeza essas pessoas vão somar no nosso time e juntos não vamos perder ninguém para o frio, que é o nosso maior objetivo nesse inverno que promete ser intenso”, salientou a presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Marcia Oleskovicz Fruet.

Neste primeiro momento, são três voluntários por noite que atuam nas abordagens sociais na rua, com o apoio de educadores e assistentes sociais, psicólogos e pedagogos. Os grupos acompanham as solicitações que chegam pela Central 156 e também saem nas rotas pré-mapeadas pelas equipes.

“O voluntário precisa ser sensível à problemática da pessoa em situação de rua e trabalhar junto com a nossa equipe na hora de tentar convencer a pessoa a sair daquele risco para um local protegido”, disse a coordenadora de Atenção à População em Situação de Rua da FAS, Sueli Cortiano.

Ao longo do inverno, os voluntários também serão recrutados para trabalhar dentro das unidades de acolhimento, das 23h às 7 horas, onde os usuários atendidos fazem alimentação, higiene pessoal, troca de roupas e pernoite. Para a Operação Inverno 2016, são disponibilizadas 1.317 vagas de acolhimento nas 18 unidades especializadas (10 oficiais e 8 conveniadas), além da possibilidade de abertura de três espaços emergenciais, com mais 300 vagas disponíveis.

Em caso extremo, a Prefeitura de Curitiba ainda poderá fazer a abertura de escolas para o atendimento desta população. Interessados em atuar como voluntários podem se cadastrar pelo site.

Capacitação

Na noite desta quinta-feira (9), uma turma de 280 inscritos foi chamada para participar da capacitação realizada pelas equipes da FAS e da Defesa Civil. Na capacitação são explicadas as dinâmicas do trabalho e orientações de segurança e de procedimentos. Cerca de 100 pessoas participaram do encontro.

Adriano Quengi, 25 anos, foi um dos participantes. Historiador por formação e estudando para ser bombeiro, já atuou como voluntário algumas vezes, mas nunca com pessoas em situação de rua. “Eu sei que tem pessoas abordadas que não aceitam acolhimento, mas estou preparado. Tanto para o frio como para as situações que vamos encontrar e espero fazer a diferença na vida de alguém”, disse.

As capacitações vão acontecer conforme o número de inscritos no programa de voluntariado e a demanda de atendimento. Além dos voluntários, mais de 200 servidores da FAS e de outros órgãos da Prefeitura estão envolvidos na Operação Inverno.

Atendimentos

Na noite de quinta-feira (9) e na madrugada desta sexta (10), as equipes de Abordagem Social que estiveram percorrendo as ruas de Curitiba fizeram 98 atendimentos a pessoas em situação de rua. O número é quase quatro vezes maior que a média do mês de maio. Destas, 48 pessoas foram encaminhadas ao acolhimento masculino e três ao acolhimento feminino. Uma pessoa foi encaminhada a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Outras 21 pessoas que são identificadas pelas equipes de abordagem, mas não aceitam atendimento e permanecem em locais muito expostos ao frio foram acompanhadas durante a noite toda.

Doações

Quem quiser realizar doações para as pessoas em situação de rua e famílias em situação de vulnerabilidade social pode fazer por meio da campanha do agasalho Doe Calor, que conta com pontos de coleta espalhados pela cidade (endereços no site), ou ainda, articular ações junto à equipe de Proteção Especial da FAS pelo telefone (41) 3250-7952.

Campanha “Doe Calor” começa nesta segunda-feira em Curitiba

A campanha do agasalho da Prefeitura de Curitiba, “Doe Calor”, realizada pela Fundação de Ação Social (FAS), em parceria com o Instituto Pró-Cidadania, começa oficialmente nesta segunda-feira (16). O objetivo é estimular a doação de roupas, calçados e cobertores em centenas de pontos de coleta espalhados pela cidade para destinação a famílias em situação de risco ou vulnerabilidade social, unidades de acolhimento da assistência social e entidades sociais.

Em 2015, a Doe Calor fez o repasse de mais de 380 mil peças de roupas, um número 20% maior do que no ano anterior. Ao todo, foram 178 mil pessoas beneficiadas pela campanha. “A meta da Doe Calor não é numérica, mas humana: não vamos perder ninguém para o frio. Este ano o inverno promete ser rigoroso, por isso contamos com a solidariedade do curitibano para que participem da campanha”, afirma a presidente da FAS, Marcia Oleskovicz Fruet.

Os beneficiários da campanha são as famílias acompanhadas pelos Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), unidades oficiais de acolhimento da Prefeitura de Curitiba e entidades ligadas à FAS. Neste ano, o instituto Pró-Cidadania adquiriu e repassou 40.337 cobertores e 10 mil agasalhos ao público beneficiado.

Como ajudar

Interessados em se tornar um ponto de coleta da Doe Calor devem entrar em contato com o Instituto Pró-Cidadania pelo telefone (41) 3040-1500. O Pró-Cidadania se responsabiliza pelo encaminhamento do material e também pela coleta das doações.

Empresas também podem participar por meio da aquisição de cotas corporativas, que são revertidas em vales-cobertores. Pessoas físicas podem adquirir os vales-cobertores, no valor de R$ 10, nas lojas Leve Curitiba. Endereços: Parque Tanguá, Ópera de Arame, Jardim Botânico, Centro (próximo à Praça Tiradentes, na Rua Monsenhor Celso, 31), Rodoferroviária, Aeroporto Internacional Afonso Pena, Mercado Municipal, Zoológico, Torre Panorâmica e Largo da Ordem.

Doações de quantidades maiores de roupas e cobertores, assim como de móveis e eletrodomésticos em bom estado de uso, podem ser feitas ao longo de todo o ano pelo Disque Solidariedade, serviço gratuito da Prefeitura de Curitiba solicitado pela Central 156.

Com informações da Prefeitura de Curitiba