Professores - UFPR - APUFPR - Vestibular

Professores recomendam suspensão do vestibular da UFPR neste ano

APUFPR (Associação de Professores da Universidade Federal do Paraná) recomendou em assembleia geral, nesta terça-feira (10), a suspensão do vestibular da UFPR (Universidade Federal do Paraná) neste ano. Os docentes pretendem agora levar a decisão para a diretoria da universidade.

A decisão da Associação foi motivada pelos recentes cortes de verbas realizados pelo governo federal. Os professores também pretendem levar o tema para discussão com outras instituições federais de ensino, com o objetivo de pressionar o poder público a liberar os recursos para custeio, pesquisa e extensão para o melhor funcionamento da universidade.

O vestibular da UFPR nunca deixou de ser realizado anualmente e as inscrições para a edição deste ano se encerraram nesta terça. A universidade oferece aos estudantes 5.660 vagas para 129 cursos, sendo que 1298 seleções serão feitas pelo SiSU (Sistema de Seleção Unificado), que toma como base as notas do ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio).

A primeira fase do vestibular está marcada para o dia 27 de outubro, com as provas sendo aplicadas nos municípios de Curitiba, Jandaia do Sul, Matinhos, Palotina e Toledo. Para os estudantes que conseguirem passar para a segunda etapa os dias para a realização do concurso serão em 24 e 25 de novembro.

A assessoria de imprensa da UFPR informou que ainda não há um posicionamento da universidade.

messi argentina conmebol suspensão copa américa

Messi é multado e suspenso por três meses pela Conmebol

Lionel Messi, um dos 10 jogadores indicados ao prêmio de melhor jogador do mundo, foi suspenso pela Conmebol. O atacante da Argentina foi multado em US$ 50 mil e suspenso por três meses por causa da declaração que a Copa América 2019 estava armada para o Brasil ser campeão.

Ou seja, Messi não poderá atuar com a camisa da seleção argentina pelos próximos 90 dias.

A punição tira o jogador do Barcelona de três duelos pela seleção argentina. Ou seja, ele não pode atuar, a princípio, contra o Chile, no dia 5 de setembro, México, no dia 10 do mesmo mês, e diante a Alemanha, no dia 9 de outubro.

Contudo, a decisão divulgada nesta sexta-feira (2) ainda cabe recurso.

RELEMBRE

Quando a Argentina conquistou o terceiro lugar da Copa América, Messi se recusou a receber a medalha de bronze. “Não temos de fazer parte dessa corrupção e da falta de respeito ao longo da Copa”, disse ele, no dia.

De acordo com o jornal Clarín, da Argentina, Messi enviou uma carta de desculpas à Conmebol. Mesmo assim, a entidade máxima do futebol sul-americano decidiu punir o jogador, já eleito cinco vezes como o melhor do mundo.

Petraglia

Petraglia é punido pelo STJD e Athletico demite funcionários por doping de jogadores

O presidente do Conselho Deliberativo do Athletico, Mario Celso Petraglia, foi multado por R$ 20 mil e suspenso por 60 dias. A punição foi dada pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pelo dirigente athleticano ter invadido o campo e ter ofendido a arbitragem após uma partida.

O caso aconteceu na vitória, por 1 a 0, do Rubro-Negro sobre o Fortaleza. O jogo acabou selando a classificação do Furacão para as quartas de final da Copa do Brasil.

Na súmula da partida, o árbitro Flavio Rodrigues de Souza relatou que Petraglia entrou no gramado da Arena da Baixada. “Lamentável sua arbitragem hoje. Você também faz parte dos canalhas da CBF?”, disse o mandatário rubro-negro segundo o juiz.

A decisão do STJD ainda cabe recurso. No entanto, Petraglia poderia ter sido suspenso por 180 dias e multado em R$ 100 mil.

DOPING

Além disso, o Athletico demitiu seis funcionários nesta última segunda-feira (24). A informação foi divulgada primeiramente pelo Globoesporte.com.

Márcio Henrique, coordenador do departamento de performance, Jean Lourenço, preparador físico, André Fornaziero, fisiologista, Felipe Hostim, nutricionista, são quatro dos desligados. Os outros dois são os médicos Alexandre Cabral e Luiz Gustavo Emed, filho do presidente do Conselho Administrativo, Luiz Sallim Emed.

Na visão do clube, todos estavam envolvidos no doping do zagueiro Thiago Heleno e do volante Camacho. Os dois atletas foram pegos no exame em maio e acabaram sendo desfalques para o técnico Tiago Nunes.

Por isso, os dois ficaram de fora da última partida da fase de grupos. Na ocasião, o Athletico perdeu para o Boca Juniors por 2 a 1.

No acaso, o sorteio da Conmebol definiu que o Furacão vai voltar a enfrentar os argentinos pelas oitavas de final. O jogo da ida está marcado para o dia 24 de julho (quarta-feira), às 21h30, na Arena da Baixada.

Neymar pega três jogos de suspensão por agredir torcedor

O atacante Neymar foi punido, nesta sexta-feira (10), com três jogos de suspensão, pela Comissão Disciplinar da Federação Francesa, por causa da agressão a um torcedor após a final da Copa da França. O duelo entre Paris Saint-Germain aconteceu no dia 27 de abril. O jogo terminou empatado por 2 a 2, com vitória nos pênaltis do Rennes.

Mesmo com decisão, o atleta poderá entrar em campo neste sábado (11), às 12h (de Brasília), pelo Campeonato Francês, contra o Angers. Isso porque a punição só entrará em vigor a partir do dia 13 de maio.

Dessa maneira, Neymar vai desfalcar o PSG contra Dijon e Reims. O terceiro jogo será na Supercopa da França, que reunirá o campeão francês PSG e o campeão da Copa da França Rennes no dia 3 de agosto, na China.

Ainda, segundo a decisão, em caso de reincidência, Neymar cumprirá mais duas partidas de suspensão de forma automática, além de punição que poderá pegar em novo julgamento.

Por meio de nota, o Paris Saint-Germain disse tendo em conta os insultos sofridos por vários jogadores do clube, incluindo Neymar ao final da decisão da Coupe de France, e os vários elementos transmitidos pelo Paris Saint-Germain à Comissão, o Paris Saint-Germain considera esta sanção severa.

Clube e atleta decidiram recorrer desta decisão para a Comissão Superior de Apelação da FFF.

 

Comando da PM suspende edital do programa Escola Segura

O Comando da Polícia Militar suspendeu as inscrições para o programa Escola Segura, anunciado pelo governo do Paraná como medida para reforçar a segurança nas escolas estaduais. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (SESP), o edital foi suspenso para que seja revisto os valores de diárias oferecidas aos policiais da reserva. A categoria pediu um valor maior do que o oferecido pelo Governo.

Conforme a SESP, em breve serão informadas as novas decisões, bem como o início do programa nas escolas. O pagamento oferecido era de R$ 113 por dia.

As inscrições começaram no último dia 19 de março e terminariam no último sábado (3), no entanto o processo foi suspenso na sexta-feira (29). A SESP não informou para a reportagem o número de policiais inscritos até então.

Ao todo, foram abertas 74 vagas em Londrina, no norte do Paraná, e 46 em Foz do Iguaçu, no oeste. De acordo com o governo, as escolas com maior vulnerabilidade serão as primeiras a serem contempladas com o projeto.

As vagas para Curitiba e Região Metropolitana devem constar em outro edital, em uma nova etapa de seleção.

O projeto prevê que os policias da reserva reforcem a segurança nos colégios, combatendo ataques e drogadição entre os adolescentes.

FAEP solicita reversão de decisão judicial que suspende glifosato e põe safra em risco

A FAEP enviou nesta terça-feira (7) ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) ofício em que pede uma ação judicial urgente para neutralizar os efeitos suspensivos do comércio e uso de agroquímicos a base de Glifosato, Abamectina e Tiram. Em decisão da 7ª Vara de Brasília, divulgada na última sexta-feira (3), a juíza federal substituta Luciana Raquel Tolentino de Moura, da 7ª Vara Federal do Distrito Federal, mandou suspender os registros e o uso de agroquímicos a base dos ingredientes ativos em questão até que seja concluído um processo de reavaliação toxicológica. Cabe recurso da decisão.

Confira aqui o ofício na íntegra.

O presidente da FAEP, Ágide Meneguette, enfatiza que a medida vem às vésperas do plantio da safra de verão e que os produtos-alvo da medida judicial são indispensáveis para o plantio de grandes safras, como a da soja. Meneguette aponta que toda reavaliação de produtos é uma medida correta, mas que o procedimento não pode comprometer a agricultura brasileira. “Caso vingue a decisão daquele juízo, o país sofrerá um grande prejuízo em face da importância dos produtos agrícolas cuja produção dependem em parte da aplicação dos mencionados defensivos”, alerta o presidente.

É importante lembrar que a decisão concede prazo de até 30 dias para o MAPA providenciar os trâmites da suspensão dos registros de todos os produtos que utilizem Glifosato, Abamectina e Tiram. Até que haja esse posicionamento do Ministério, tudo segue normal na venda e uso desses produtos. “Somente após a publicação da suspensão dos registros em Diário Oficial da União (DOU), tais produtos se tornam irregulares e seu comércio e utilização está sujeita as penas da lei. Ressalta-se que a decisão é passível de recurso, portanto pode ser revista pelo Tribunal”, informa parecer de consultoria jurídica especializada.

A decisão judicial também prevê a suspensão da concessão de novos registros. Ou seja, essa medida vale para empresas que quiserem obter novas licenças para comercialização de produtos a base dos ingredientes ativos mencionados. Nesse caso, os efeitos são imediatos.

Atlético consegue efeito suspensivo e Nikão enfrenta o Corinthians

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) concedeu efeito suspensivo à suspensão de cinco jogos imposta ao meia Nikão, do Atlético pela expulsão no jogo contra o São Paulo.

Como considerou para o efeito o voto divergente de um dos julgadores que estipulou pena de dois jogos para o jogador atleticano, o STJD determinou que ele cumpra mais uma partida de suspensão (domingo, contra o Cruzeiro), antes de poder voltar a atuar, sob o efeito suspensivo, até o julgamento do recurso.

Assim o meia está livre para enfrentar o Corinthians, no dia 08.

Kleber pega mais dois jogos de suspensão por criticar STJD

O atacante Kleber, do Coritiba, foi punido novamente pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), dessa vez por fazer criticas a atuação da entidade. De acordo com o julgamento, desta sexta-feira (15), o jogador terá que cumprir dois jogos de suspensão. O Coritiba deve recorrer.

Gladiador não poderá atuar contra o Palmeiras, na próxima segunda-feira (18), nem contra o Botafogo, na rodada seguinte.

O jogador foi considerado culpado conforme o artigo 258, que trata do “respeito aos membros do STJD”. E absolvido no artigo 191, que veda declarações que desmoralizem ou tirem a credibilidade da imagem de quem organiza a competição.

A denúncia

Em coletiva de imprensa antes do Atletiba, o atacante avaliou a punição anterior recebida por ele. De acordo com Kleber, a atuação do STJD foi vergonhosa e vista por ele como “a cara do Brasil”. Além disso, acusou o órgão de favorecer determinados clubes.

Gladiador tinha recebido 15 jogos de suspensão por agredir e cuspir no volante Edson, do Bahia. Após o Coxa recorrer, a punição foi diminuída para 11 jogos, mais ações sociais.

 

Procuradoria denuncia Kleber por críticas ao STJD

O atacante Kleber, do Coritiba, foi denunciado na tarde desta terça-feira pela procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta das declarações dadas à imprensa em que e questionou os critérios adotados pelo tribunal e classificou a postura da corte desportiva de vergonhosa.

Na denúncia, a Procuradoria usou as declarações do jogador na entrevista coletiva da última sexta-feira, antes do Atletiba, jogo que marcou seu retorno após uma suspensão de 11 partidas imposta pelo STJD por conta da confusão em que se envolveu na partida contra o Bahia, que culminou com uma cusparada no jogador Edson, da equipe adversária.

Agora, Kleber foi denunciado em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva: o 258, que trata do “respeito aos membros do STJD” e o 191, que veda declarações que desmoralizem ou tirem a credibilidade da imagem de quem organiza a competição.

Denunciado em dois artigos, Kléber pode pegar até seis jogos de suspensão e multa de até R$ 100 mil no julgamento que acontecerá no Rio de Janeiro já na próxima sexta-feira (16) à tarde.

Liminar suspende aumento da tarifa de ônibus em Curitiba

O  Tribunal de Contas do Paraná (TCE) determinou a suspensão imediata do reajuste da passagem de ônibus de Curitiba. A decisão foi do conselheiro Ivan Bonilha por meio de uma medida cautelar e afeta as tarifas alteradas por meio do decreto da prefeitura que estabeleceu o novo valor.

A tarifa foi reajustada no último dia 6 e subiu de R$ 3,70 para R$ 4,25, com aumento de R$ 0,55.  O aumento foi de 14,86%, mais do que o dobro da inflação registrada no período (6,28%,).

Em entrevista coletiva, Rodrigo Damasceno, inspetor conselheiro Ivan Bonilha justificou a decisão; afirmou que o reajuste foi  abusivo e “não foi transparente”.

“O simples fato de não ter as informações [do motivo] já seria suficiente para justificar a suspensão do reajuste”, argumentou.

Ele questionou a legitimidade de um dos argumentos usados pela prefeitura para justificar o novo valor, que é a substituição da frota: “A renovação da frota já está no contrato não pode ser cobrada novamente do usuário”, explicou.

Segundo Damasceno, todos os motivos para a suspensão do reajuste da tarifa estão explicados neste acórdão.

A decisão será homologada no Tribunal Pleno na próxima quinta-feira (16), mas a aplicação é imediata, segundo ele. A prefeitura, a URBS e outros interessados têm  cinco dias para se manifestar. Em caso de descumprimento será avaliado caso a caso para definir valor de multa.

“Após confirmada a medida, nada impede que os usuários que compraram a passagem a 4,25 sejam ressarcidos, mas isso não é função do TCE”, afirmou o conselheiro.

A prefeitura de Curitiba, através da Urbanização de Curitiba S/A, informou, em nota, que está analisando a decisão para apresentar seu recurso. “Sobre a decisão Tribunal de Contas de revogar o aumento da tarifa ao passageiro do sistema de transporte de Curitiba, a Urbanização de Curitiba S/A foi notificada no fim da tarde desta segunda-feira (13) e vai analisar a situação para recorrer da decisão”. Enquanto isso, a Urbs afirma que seguirá cobrando R$ 4,25 na passagem de ônibus de Curitiba.