O Coritiba foi campeão brasileiro há 34 anos

.

Veja no vídeo abaixo um fato histórico do futebol paranaense. Em 1985 o Coritiba foi campeão brasileiro. Foi a primeira vez que um time do estado conquistou o título. E se você se interessa pelo tema,  clique aqui para abrir o grupo “Memória do Futebol no Brasil”. E aqui está o grupo “Futebol Paranaense Memória”. Ao abrir a página clique em “participar do grupo”.

 

.

.

Clique aqui  para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Clique aqui  para abrir a nossa outra coluna, “Sua Comunicação”  neste portal.

 

Contato com José Wille.

 

O “Dia da Neve” em Curitiba no ano de 1975

 

No dia 17 de julho de 1975 começou a nevar muito cedo em Curitiba. Desde 1928 não havia uma nevasca tão forte na cidade.  No interior o problema foi com a geada forte, que acabou com o café no Paraná. 

Clique aqui para conhecer o grupo Memória de Curitiba no Facebook, criado por esta coluna. E inscreva-se para encontrar fotos antigas da cidade.

.

.

Este vídeo mostra o “Dia da Neve” em 1975.

 

 

Clique aqui  para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Clique aqui  para abrir a nossa outra coluna, “Sua Comunicação”  neste portal.

 

Contato com José Wille.

 

.

jose.wille

Senado aprova projeto que facilita cancelamento de TV a cabo

Foi aprovado nesta terça-feira (26), no Senado, um projeto que garante o direito dos usuários de TV por assinatura de cancelar os contratos por telefone ou via internet.

O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 131/2015 segue agora para a sanção presidencial.

O texto, da deputada Flávia Morais (PDT-GO), altera a Lei da Comunicação Audiovisual de Acesso Condicionado (Lei 12.485, de 2011). Atualmente, o cancelamento já está prevista em normas infralegais.

O que o projeto faz é assegurar esse direito em lei, proporcionando maior segurança jurídica aos consumidores usuários de serviços de TV por assinatura.

Uma resolução da Anatel estabelece que as requisições pela internet e pelo centro de atendimento telefônico, inclusive de cancelamento, devem ser processadas automaticamente e ter efeito após dois dias úteis. O cancelamento imediato por meio de atendimento telefônico também é garantido por decreto que regulamenta o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

A senadora Eliziane Gama (PPS-MA) disse que o projeto pode colocar fim a atos de desrespeito com o consumidor, que chega a ficar mais de uma hora falando ao telefone na tentativa de fazer o cancelamento. Assim como ela, o senador Weverton (PDT-MA) se disse favorável ao projeto. Para ele, embora pareça simples, o projeto atende a uma demanda antiga dos consumidores.

“Os consumidores muitas vezes são extorquidos por esses serviços intermináveis, que dão toda a facilidade para a pessoa entrar, mas quando a pessoa quer cancelar eles montam um sistema burocrático para tentar ganhar o máximo de tempo possível com o consumidor ali sendo forçado a utilizar o serviço”, disse o senador.

Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) apontam que, em dezembro de 2018, o Brasil tinha 17,5 milhões de contratos ativos. Os maiores mercados de TV por assinatura no país são os estados de São Paulo (6,4 milhões de contratos), Rio de Janeiro (2,3 milhões) e Minas Gerais (1,5 milhão).

Série paranaense sobre jornalismo investigativo e corrupção estreia na TV

Uma produção paranaense teve sua pré-estreia transmitida em rede nacional na noite desta segunda-feira (21). A série Contracapa vai ser exibida a partir do dia 28, sempre à 00h45, com dois episódios seguidos, nos canais TV Brasil e É-Paraná. O seriado, com 13 episódios de 52 minutos cada, conta a história de uma equipe de jornalistas que enfrenta situações de perigo ao investigar um grande esquema de corrupção no Brasil. A crise financeira enfrentada por jornais impressos e os desafios da profissão de jornalista – tanto para os mais experientes quanto para os iniciantes também são retratados na história.

As filmagens foram feitas em Curitiba, entre agosto e novembro de 2017, destacando diversos locais da capital paranaense. Pasko destaca a visibilidade da produção curitibana em nível nacional.

“A gente coloca Curitiba como personagem na série. A gente vê no dia a dia da produção audiovisual brasileira muita paisagem do eixo Rio-São Paulo e esporádicamente o Nordeste. A série inclusive se passa no inverno. É o nosso jeito de ser”, explica o diretor-geral do programa, Guto Pasko.

A produção da empresa paranaense GP7 foi selecionada na segunda edição da Chamada Pública para a Produção de Conteúdo para TVs Públicas em 2015, dentro do programa Brasil de Todas as Telas. A série contou com investimentos do Fundo Setorial do Audiovisual, é a primeira ficcional de grande porte produzida no Paraná. Todo o elenco, de 107 atores, é formado por paranaenses.

A equipe técnica também é local. A exceção é o argentino Franco Verdoia, que assina a codireção do projeto. A presença dele na equipe vem de forma estratégica, com a intenção de expandir o alcance da produção.

“Um codiretor estrangeiro ajuda a trajetória da série no mercado internacional. A gente está bastante otimista e estamos trabalhando na segunda temporada dela. Esperamos que ela tenha repercussão suficiente para desenvolvermos a segunda temporada que está com o projeto desenvolvido”, diz Pasko.

As exibições começam a partir do dia 28, sempre à meia-noite e quarenta e cinco, com dois episódios seguidos. Confira o trailer:

Série CONTRACAPA from GP7 Cinema on Vimeo.

Brasil tem seis indicados ao Emmy Internacional

A Academia Internacional de Artes e Ciências Televisivas divulgou nesta quinta-feira (27) a lista de indicados ao Emmy Internacional, premiação que reconhece produções feitas fora dos Estados Unidos.

O Brasil foi finalista em seis das oito categorias. “1 Contra Todos”, da Fox, teve duas indicações: melhor série dramática e melhor ator para Julio Andrade. Já Denise Weinberg concorre como melhor atriz por seu papel na série “Psi”, da HBO, sobre a vida do psicanalista e psiquiatra Carlo Antonini. “Aldo – Mais Forte que o Mundo”, minissérie da Globo que também foi adaptada para nos cinemas, concorre como melhor minissérie ou telefilme. Por fim, estão no páreo duas produções do canal GNT: “Eu Sou Assim”, pelo prêmio de documentário, e “Palavras em Série”, como melhor programa de arte.

Pela primeira vez em oito anos a Rede Globo ficou de fora da premiação, sem nenhuma produção indicada na categoria de melhor novela. A cerimônia de premiação será dia 19 de novembro, em Nova York.

Confira a lista completa de indicados:
– Melhor série dramática
“1 Contra Todos” (Brasil)
“Inside Edge”  (Índia)
“La Casa de Papel” (Espanha)
“Urban Myths” (Reino Unido)

– Melhor ator
Julio Andrade, por “1 Contra Todos” (Brasil)
Tolga Saritas, por “Soz” (Turquia)
Billy Campbell, por “Cardinal” (Canadá)
Lars Mikkelsen, por “Herrens Veje” (Dinamarca)

– Melhor atriz
Denise Weinberg, por “Psi” (Brasil)
Thuso Mbedu, por “Is’thunzi” (África do Sul)
Anna Schudt, por “Ein Schnupfen hätte auch gereicht” (Alemanha)
Emily Watson, por “Apple Tree Yard” (Reino Unido)

– Melhor programa sem roteiro
Hoe Zal Ik Het Zeggen? (Bélgica)
Masterchef Australia (Austrália)
The Mask Singer (Tailândia)
Top Chef México (México)

– Melhor telefilme ou minissérie
“Aldo – Mais Forte Que O Mundo” (Brasil)
“Kurara: The Dazzling Life of Hokusai’s Daughter” (Japão)
“Man in an Orange Shirt” (Reino Unido)
“Toter Winkel” (Alemanha)

– Melhor série cômica
“Club de Cuervos” (México)
“El Fin de la Comedia” (Espanha)
“Nevsu” (Israel)
“Workin’ Moms” (Canadá)

– Melhor documentário
“Eu Sou Assim” (Brasil)
“De Wereld van Puck” (Holanda)
“Goodbye Aleppo” (Reino Unido)
“WHO I AM” (Japão)

– Melhor programa de arte
“Palavras Em Série” (Brasil)
“David Stratton’s Story of Australian Cinema” (Austrália)
“Dreaming of a Jewish Christmas” (Canadá)
“Etgar Keret, gebaseerd op een waar verhaal” (Holanda)

– Melhor telenovela
“Cesur ve Guzel” (Turquia)
“Istanbullu Gelin” (Turquia)
“Ouro Verde” (Portugal)
“Paquita La Del Barrio” (México)

Os ciclos econômicos da história paranaense

Veja neste vídeo um resumo da história econômica do Paraná. Foram vários ciclos que contribuiram para o crescimento do estado.

E clique aqui para conhecer o grupo, “Memória Paranaense” no Facebook, criado por esta coluna. Ao abrir, clique em “participar do grupo”.

 

 

 

Clique aqui para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Contato com José Wille.

 

 

 

A visita do Papa João Paulo ao Paraná em 1980

 

Um dos dias mais importantes da história do Paraná foi a visita do Papa João Paulo II em 1980. Ele esteve por dois dias em Curitiba, e levou uma concentração popular gigante ao Centro Cívico. Um bosque na cidade foi criado em homenagem ao Papa, e também à grande colônia polonesa do Paraná. Veja como foi no vídeo desta página.      * A foto de capa é do site “Curitiba Antiga”.

E se você se interessa pela nossa história, clique aqui para conhecer o grupo “Memória Paranaense” no Facebook, criado por esta coluna. Ao abrir a página, clique em “participar do grupo”.

 

 

Clique aqui para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Contato com José Wille.

 

 

Fim do Esporte Interativo surpreende clubes, que cogitam rever contratos

O anúncio do fim do Esporte Interativo na grade da televisão por assinatura do país, nesta quinta-feira (9), surpreendeu os clubes que fecharam acordo de transmissão com o canal na TV fechada para o Campeonato Brasileiro a partir de 2019.

O Bahia, um dos sete times da Série A que assinaram com a emissora, quer pedir a rescisão do contrato na Justiça.
“Se forem confirmadas as informações prévias que temos, somadas aos problemas contratuais já identificados, o Bahia vai buscar a rescisão do contrato via arbitragem e até via judicial. Entendemos que virou muito diferente do que foi proposto inicialmente e vamos buscar a rescisão”, afirmou o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani.

O dirigente diz que o clube não esperava o anúncio do encerramento do Esporte Interativo na televisão brasileira.
“Não tínhamos essa noção. É mais um problema relativo ao Esporte Interativo. Temos alguns problemas contratuais e agora comercial, pois a mudança de canal afeta muito nossa estratégia e divulgação de marca”, disse Bellintani.

O Santos é outro clube que mandou seus advogados analisarem o contrato com o Esporte Interativo e suas implicações. Assim como o Bahia, o time da Vila Belmiro cogita pedir a rescisão na Justiça.

“Estou aguardando uma posição do nosso departamento jurídico. Todo mundo foi surpreendido com a notícia. Todos nós fomos pegos absolutamente de surpresa”, afirmou Marcello Frazão, diretor de marketing do Santos.
Além de Bahia e Santos, mais cinco times atualmente na Série A fecharam contratos em TV fechada com a empresa do grupo Turner: Atlético-PR, Ceará, Internacional, Palmeiras e Paraná.

O Atlético-PR foi mais um clube que se disse surpreendido com a notícia, mas ainda vai esperar uma análise mais detalhada sobre o acordo.

“Fui tão surpreendido quanto os outros clubes. Primeiro, preciso me informar. Vamos analisar o contrato”, disse Mário Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo e nome forte na política da equipe paranaense.

Robinson de Castro, presidente do Ceará, avisou que espera ser chamado para uma reunião com a empresa e que o momento é de aguardar uma definição sobre o acordo.

“Nunca imaginamos que isso ia acontecer. Imagino eu que os contratos deverão ser honrados. Ou executando ou de outra forma. Vamos ver o que acontece”, disse Castro.

O Esporte Interativo foi procurado para comentar a reação dos clubes, mas não respondeu as perguntas até a noite desta quinta.

A gigante das telecomunicações americana AT&T comprou em maio deste ano, por 85,4 bilhões de dólares (R$ 330 bilhões), a Time Warner, passando a ter o controle dos estúdios Warner Brother’s, da emissora HBO e dos canais da Turner. Como a AT&T já tinha no Brasil a Sky, empresa de TV por assinatura, ficaram questões regulatórias em aberto por conta da Lei da TV Paga, o que impactou na decisão de encerrar o canal.

Segundo comunicado do grupo, parte da programação será migrada para os canais TNT e Space, que também fazem parte do Grupo Turner.

Foi justamente o fato de ter os jogos transmitidos em um canal que não aquele com quem foi fechado contrato que desagradou aos clubes. Esse procedimento já era utilizado pela Turner em alguns jogos da Liga dos Campeões da Europa, principal torneio exibido pela emissora.

Com o movimento de migração dos eventos e programas esportivos para TNT e Space, a Turner quer criar os chamados “superstations”, canais que contemplam vários gêneros em sua programação.

“Teremos os primeiros superstations para o público brasileiro, com o melhor de todos os gêneros, atendendo aos desejos dos nossos fãs, incluindo futebol ao vivo, séries originais, programas de variedades, blockbusters de Hollywood e eventos exclusivos ao vivo”, diz Antonio Barreto, gerente geral da Turner Brasil.

O Esporte Interativo seguirá produzindo conteúdo e atualizando seus perfis nas redes sociais, conforme comunicado divulgado pelo canal.

“O foco nas plataformas digitais e o engajamento nas redes sociais do Esporte Interativo permanecem inalterados. As audiências de esportes estão claramente migrando para essas plataformas, e a Turner está comprometida em liderar essa transformação no nosso mercado, o mais importante para a empresa depois dos EUA”, afirma Barreto.

A respeito dos torneios a que tem direitos de transmissão, o Esporte Interativo diz que seguirá com seus compromissos em relação à Liga dos Campeões, pelas próximas três temporadas, e do Campeonato Brasileiro, a partir de 2019 e pelos próximos seis anos, mas nos outros canais do grupo. Não foi anunciado o fim da transmissão da Copa do Nordeste e da Série C do Campeonato Brasileiro.

Terra da Lava Jato, Curitiba vive mais um escândalo na política, mas em série de TV

‘Jornalistas investigando um caso de corrupção política’ é o tema da série “Contracapa”, produção paranaense para a televisão que começou a ser rodada em Curitiba. Assinada pela produtora GP7 Cinema, terá 13 episódios de 52 minutos cada, marcando a primeira vez em que uma série desse porte é produzida no estado.

“Contracapa” explora os bastidores da notícia a partir do jornalismo investigativo, mostrando as etapas e desafios que geralmente cercam este tipo de trabalho. A direção geral é assinada por Guto Pasko e a produção executiva por Andréia Kaláboa.

As filmagens começaram no último sábado (12) e vão até 10 de novembro. Contabilizando o núcleo principal, diversos personagens e pequenas participações, o seriado envolve 107 atores, todos paranaenses. “Os grandes nomes do estado estão no elenco”, explica Pasko.

A série aborda o trabalho de uma equipe de jornalistas de um tradicional jornal impresso, em crise financeira e de credibilidade, que inicia uma investigação de grande esquema de corrupção envolvendo a produção sistemática de dossiês com o vazamento de informações sigilosas de inquéritos criminais. Os documentos vazados podem desvelar um escândalo de corrupção, comprometendo políticos e pessoas influentes, incluindo o próprio jornal no qual os personagens principais trabalham.

O núcleo principal chega a 35 atores, num total de 60 personagens na série, além das participações pequenas totalizando 107 atores. Estes estão divididos em três núcleos: jornalístico, político e policial. A série mostra também o drama destes personagens, em especial os jornalistas, que apesar de possuírem afinidades, têm maneiras diversas de enxergar o trabalho, o que os coloca em conflito frente às dificuldades da investigação.

Os cinco roteiristas também são do Paraná, bem como a equipe técnica. “A direção geral é de Pasko e a codireção é do argentino Franco Verdoia. “Convidamos ele para ajudar a trazer um olhar de fora sobre nossa realidade brasileira, além de potencializar a comercialização internacional futura da obra”, complementa o cineasta.

Roteiro
Para destacar o trabalho dos roteiristas, a GP7 criou uma Sala de Roteiros, inaugurada para aos textos de “Contracapa”. O espaço foi preparado para servir o processo criativo e de desenvolvimento dos projetos da produtora. Assinam a trama o Roteirista Chefe Rafael Waltrick, acompanhado por Tiago Lipka, Marçal do Carmo, Fernando Marés de Souza e Guto Pasko.

“Contracapa” foi selecionada na segunda edição da Chamada Pública para Produção de Conteúdo para TVs Públicas – PRODAV 12/2015, dentro do programa Brasil de Todas as Telas, sendo o primeiro de grande porte no Paraná a fazer uso do programa. A iniciativa busca expandir o mercado interno da produção audiovisual com investimento em produção, distribuição e programação de conteúdos, visando ainda universalizar o acesso a população aos serviços audiovisuais.

A série será exibida em TVs públicas e a produção também pretende comercializá-la para emissoras privadas.

Fundada em 2001 pelo cineasta Guto Pasko e a produtora Andréia Kaláboa, a GP7 Cinema conta com 41 produções no portfólio. A equipe já produziu longas-metragens, telefilmes, episódios de TV, minisséries e séries de TV, trabalhando tanto com ficção quanto com documentários. O mais recente projeto lançado foi o longa “Iván”, lançado no ano passado.

“Eu não contrataria o Bruno”, diz Eurico Miranda à TV

O presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, disse ser contrário à contratação do goleiro Bruno. Em entrevista ao programa Bola da Vez, da ESPN, Miranda disse que não o contrataria por causa do crime cometido. “Eu não contrataria, não discordo em dar uma oportunidade às pessoas, mas no caso dele, pelo que foi feito, eu não o contrataria”, disse.

Eurico também criticou a briga entre vascaínos e torcedores do Atlético-PR, em Joinville (SC), em que mais de 20 pessoas ficaram feridas em uma briga generalizada. Na ocasião, o Rubro-Negro bateu por 5 a 0 o time carioca e provocou o rebaixamento vascaíno. “Sou contrário à violência, mas aquilo ficou, não falaram, mas o torcedor do Vasco seria massacrado, não é possível haver um jogo de futebol sem policiamento”, reclamou.

O presidente também criticou os recursos gastos na reforma do Maracanã. “O Brasil é o único país do mundo que o clube disputa e não tem estádio. Não tenho como jogar no turno e nem no returno. Gastaram R$ 1,3 bilhões para reformar o Maracanã, ora, pega-se R$ 300 milhões, reforma os estádios, fica o legado, depois vão parar em Bangu, sei lá, o que”, ironizou.

Sobre seu futuro no clube vascaíno, o presidente disse que sairá do clube no dia em que não o acharem mais importante. “Não tenho nenhuma pretensão de ser candidato no Vasco, no dia que o Vasco não precisar de mim, não fico 30 segundos. Esse negócio de oposição, tem que ser participativa, apresentando proposições”, avaliou.