vigília lula livre transferência

Vigília deve se mudar para SP e apoiadores de Lula se concentram em Curitiba

A Vigília Lula Livre deve se mudar para São Paulo caso Luiz Inácio Lula da Silva seja transferido. O movimento de apoio ao petista em Curitiba, que permanece próximo à Superintendência da Polícia Federal (PF), seguirá o ex-presidente aonde ele estiver. Além disso, os apoiadores já começam a se reunir no bairro Santa Cândida. A promessa é que exista uma concentração maior de pessoas nas próximas horas, já que a transferência já foi autorizada e ordenada pela Justiça.

“A Vigília não tem nenhuma intenção de terminar. Não temos certo ainda, mas sim. Desde o início, a coordenação da Vigília sempre falou que estaria onde o Lula estivesse”, respondeu Neudi de Oliveira, da Frente Brasil Popular e uma das cabeças da Vigília.

MOVIMENTO NA PF

A expectativa é que a concentração de apoiadores de Lula cresça muito nas próximas horas. Entretanto, até agora não houve nenhuma convocação por parte dos movimentos ligados ao petista.

“A princípio não tem nenhuma convocatória, mas por enquanto é e uma mobilização espontânea da militância pelas últimas notícias. Nós estamos aguardando orientações maiores. A defesa do ex-presidente Lula vai visitá-lo agora a tarde”, completou Neudi.

O ex-presidente aguarda pelas visitas do advogados Eugênio Aragão e Manoel Caetano Ferreira Filho. Depois disso, o Partido dos Trabalhadores (PT) e demais movimentos devem tomar uma decisão para convocação geral.

Corregedoria do CNJ investiga juízes por participação na “Vigília Lula Livre”

O corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, determinou o levantamento de informações sobre a participação de magistrados no ato “Boa noite, presidente Lula”, na noite da última quinta-feira (21), no entorno da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. A informação foi divulgada no site do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A determinação acontece após uma confusão entre a Vigília Lula Livre e a Polícia Militar do Paraná. Os apoiadores do ex-presidente acusaram policiais militares de uma “tentativa de despejo” na última quinta-feira. Já a PM disse que recebeu denuncias perturbação do sossego, por isso foi até o local. Um grupo de juízes participava do “Boa noite, presidente Lula”, quando o fato ocorreu.

Segundo o ministro, a Corregedoria Nacional de Justiça está alerta aos acontecimentos e adotará as providências necessárias com relação aos magistrados que, ao participarem do ato, transgrediram a Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman) e o Código de Ética da Magistratura.

“A Corregedoria Nacional está levantando informações sobre o ato público e a participação dos magistrados no evento. Vamos verificar se houve transgressão ao previsto na Loman e no Código de Ética da Magistratura para, posteriormente, instaurar os pedidos de providências”, afirmou Humberto Martins.

O corregedor nacional recebeu um programa do ato público em que constam nomes de magistrados. A partir do documento, o ministro solicitou informações para verificar quais são os juízes que se fizeram presentes ao ato público, pois podem ter tanto juízes ativos quanto aposentados.

O gesto simbólico de “Boa noite, presidente Lula” é realizado desde os primeiros dias de detenção do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele cumpre pena de 12 anos e um mês pelo processo envolvendo o Tríplex do Guarujá.

Vigília Lula Livre acusa policiais de ‘tentativa de despejo’; PM alega perturbação de sossego

A coordenação da Vigília Lula Livre acusa policiais militares de uma “tentativa de despejo” na noite desta quinta-feira (21). Em nota, a vigília afirma que, no horário em que usualmente é realizado o “Boa noite, presidente Lula”, policiais teriam ameaçado prender membros da coordenação.

“Sem mandado ou qualquer documentação oficial, os policiais, acompanhados de um advogada ligada ao grupo República de Curitiba, ameaçaram prender membros da coordenação da Vigília, além de um grupo de juízes que participava das atividades no local, caso o ato de boa noite fosse realizado”, diz o texto publicado no site.

Segundo a coordenação, a situação foi controlada após um major da Polícia Militar do Paraná (PM-PR) liberar a realização do “Boa noite” por não haver operação e nem ordem judicial impedindo o ato. Os policiais teriam dito, então, que receberam uma denúncia de um morador por perturbação do sossego.

Procurada, a PM-PR negou qualquer tentativa de despejo ou abuso de autoridade. Segundo a corporação, os policiais compareceram ao local após reclamações dos vizinhos. A PM-PR enfatizou que a manifestação é livre, mas não pode se tornar perturbação de sossego, que é proibida pela legislação brasileira.

Ainda segundo a PM-PR, há uma liminar da Justiça que proíbe os manifestantes de realizarem atos nas vias públicas no entorno da Vigília. A liminar é de fevereiro, proferida pelo desembargador Fernando Paulino da Silva Wolff Filho, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

Foto: Eduardo Matysiak – Jornalistas Livres

A Vigília Lula Livre está montada nas proximidades da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril de 2018, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi preso em decorrência de condenação na Operação Lava Jato, no caso do triplex do Guarujá (SP). Os organizadores afirmam que devem permanecer no local até a sua soltura.

Além do caso do triplex, Lula foi condenado também no caso do sítio de Atibaia (SP), também no âmbito da Lava Jato, em fevereiro deste ano. As penas somam 25 anos.

Vigília Lula Livre terá festas de Natal e Ano Novo

A Vigília Lula Livre terá ceia de Natal e festa de ano novo. Sete caravanas de todo o país já confirmaram presença. Parlamentares do Partido dos Trabalhadores também participam das festas. Militantes de todo o Brasil vêm a Curitiba para confraternizar e mandar boas vibrações ao ex-presidente Lula, na virada para o dia 25 de dezembro.

Uma ceia e um ato inter-religioso vão marcar a celebração do Natal na Vigília Lula Livre. O acampamento fica em frente à sede da Polícia Federal (PF), no bairro Santa Cândida, onde Lula está preso desde o dia 7 de abril.

“Dia 24 está vindo várias caravanas, junto com a família do ex-presidente, e no dia 31 também. Nós já temos sete caravanas de fora de Curitiba confirmadas. A gente está preparando uma ceia com ato inter-religioso e político”, diz Neudicleia de Oliveira, responsável pela comunicação da Vigília.

Confirmaram presença militantes dos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Toda a preparação da ceia vai ser de forma solidária, com o apoio dos militantes, com direito a decoração especial. Parlamentares petistas também vêm a Curitiba para participar das celebrações.

Os organizadores pretendem convidar para a celebração de Natal, catadores de recicláveis vindos de Curitiba e de outras cidades. É uma forma de lembrar um costume de Lula: desde que chegou à presidência, ele era convidado de honra e presença garantida na cerimônia natalina dos catadores e moradores de rua em São Paulo.

Apoiadores de Lula alugam terreno em frente à PF; acordo restringe horários de manifestação

A Vigília Lula Livre alugou, nesta segunda-feira (16), um terreno em frente ao prédio da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. Além disso, durante a tarde, um acordo definiu os horários de manifestações na rua próxima à PF.

O terreno alugado pela Vigília Lula Livre fica bem em frente ao prédio da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, na Rua Professora Sandália Monzon, 164, no bairro Santa Cândida. A cerca de 10 metros da PF.

De acordo com o advogado do movimento, Daniel Godoy, a intenção é cumprir os acordos com as autoridades, respeitando os moradores do bairro e garantindo o direito de manifestação dos apoiadores de Luiz Inácio Lula da Silva. “Foi locado uma área para permitir que as pessoas sejam recebidas com mais tranquilidade e possam exercer o livre direito de manifestação”, disse.

As tendas, que são proibidas na rua Guilherme Matter, ficarão instaladas neste novo terreno alugado. Além dos atos e reuniões culturais que aconteciam, até então, na rua a cerca de 150 metros da Polícia Federal.

Durante a manhã desta segunda-feira, os integrantes da Vigília relataram terem sido impedidos pela Polícia Militar de levar os materiais até o terreno. Conforme o advogado, o aluguel não apresenta nenhuma irregularidade. “Não existe irregularidade nenhuma, o direito de livre acesso a uma área privada não pode ser obstruído por qualquer ação policial, a não ser que haja uma infração legal, o que não há”, ressaltou.

A Polícia Militar, por meio da assessoria de imprensa, disse que os policiais realmente questionaram e impediram a passagem de alguns integrantes que pretendiam furar o bloqueio com os itens da mudança. Isso porque, não existia um comprovante do aluguel. Mais tarde, um dos responsáveis pelo movimento apresentou o documento de aluguel do terreno e foi permitida a passagem. Segundo a PM, o procedimento é padrão em função do interdito proibitório. Qualquer morador ou cidadão, que precise adentrar a área do interdito, precisa se identificar nos pontos de bloqueio.

Mesmo com o aluguel deste novo terreno, o acampamento intitulado Marisa Letícia, destinado para pernoite dos apoiadores, que fica na região, permanecerá montado. Ao todo, são quatro terrenos alugados. Os outros servem como cozinha, refeitório e creche.

ACORDO

Nesta segunda-feira (16), militantes e moradores do bairro Santa Cândida firmaram um acordo em relação as manifestações no entorno da PF. Em uma audiência de conciliação, com quase quatro horas de duração, integrantes do Partido dos Trabalhadores e Central Única dos Trabalhadores reforçaram o compromisso com a restrição de horários, além da não utilização de caixas de som e fogos de artifício.

As saudações de “bom dia” e “boa noite” estão mantidas, ocorrendo às 9h e às 17h. Exceto nas segundas e quintas-feiras, quando o “boa noite” será das 17h às 19h. Com o acordo, o “boa tarde” fica excluído. Assim como as manifestações nos fins de semana. Fora desses horários, as reuniões só poderão acontecer em imóveis particulares, como o terreno a 10 metros da PF.

Além disso, fica restrita a circulação de manifestantes pelo bairro fora desses horários.

PRISÃO DE LULA COMPLETA 100 DIAS

Neste final de semana completaram-se 100 dias da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso tríplex do Guarujá, em São Paulo, que envolve propina da empreiteira OAS no esquema da Petrobras.

Mesmo com chances cada vez mais remotas de participar das eleições de outubro, lideranças políticas e políticos do Partido dos Trabalhadores (PT) seguem afirmando que o petista é o único candidato do PT para o pleito e ressaltam que, mesmo sem poder fazer pré-campanha, como fazem os outros concorrentes, o ex-presidente segue liderando as pesquisas eleitorais.