Mesmo sem disputa, 15 mil pessoas acompanham desfile das escolas de samba de Curitiba

Mariana Ohde


A ausência de disputa entre as escolas de samba de Curitiba não tirou o brilho dos desfiles neste sábado (25) e nem a animação dos foliões.

Neste ano, as escolas desfilaram pela festa – não haverá escolha da campeã do carnaval curitibano. A decisão foi tomada em conjunto pelas próprias agremiações depois que a prefeitura de Curitiba reduziu o valor repassado para cada escola. A saída foi manter o desfile, mas sem rebaixamento, acesso ou título.

Mas mesmo sem competição, a avenida Marechal Deodoro recebeu cerca de 15 mil pessoas. O desfile ocorreu sem ocorrências registradas pela Policia Militar, Guarda Municipal e Polícia Civil, responsáveis pela segurança do evento.

O desfile começou com o Bloco Afoxé, que reúne integrantes de terreiros de umbanda e candomblé. O bloco faz uma limpeza na avenida e pede a benção dos Orixás. Marlene Costa, mãe Odé Kitálogi, tem 73 anos e todo ano participa dos desfiles. “É uma oportunidade para acabar com o preconceito, para mostrar às pessoas que fazemos o bem”, afirmou.

O bloco Derrepente nasceu no Rebouças e há mais de 20 anos desfila nas ruas de Curitiba. Este ano, trouxe levou à festa o tema Beijo na Boca. Já o Ideais do Samba homenageou o carnavalesco Chocolate. “O mais autêntico sambista de Curitiba”, disse Moisés Ramos (63), integrante do bloco que nasceu no Capão da Imbuia há 47 anos.

Depois, foi a vez do bloco evangélico Unidos de Judá, que desfilou bonito trazendo no enredo o amor é a fé. E, finalmente, o Rancho das Flores, que também cantou o amor e abriu o desfile das escolas de samba. Os Internautas foi a primeira, com 190 componentes e o enredo Uma Fantástica Viagem de Trem ao Litoral, que conta a história de uma viagem de trem de Curitiba até Morretes. Os 230 componentes da Império Real de Colombo cantaram a diversidade com o enredo De Stone Wall ao Clube Operário.

A Imperatriz da Liberdade fez o público cantar com os seus 250 integrantes e o samba O Império das Águas na Corte da Imperatriz.

A Embaixadores da Alegria fez uma homenagem a Luiz Gonzaga ao apresentar ao público o enredo Embaixadores Canta Gonzaga de todo Coração. Os 309 componentes coloriram a a avenida de vermelho, branco e azul.

A penúltima escola a desfilar foi a Acadêmicos da Realeza, que empolgou a arquibancada ao cantar Querem Acabar, Mas eu Não Deixo”, os 320 componentes mostraram que Curitiba tem carnaval. Já eram quase 3 horas da madrugada quando a Mocidade Azul sacudiu o público com o samba Hoje tem Festa? Tem Sim Senhor! E a Mocidade o que é? Alegria e Samba no Pé. Os 550 componentes cantaram uma explosão de alegria e amor.

“Foi uma festa bonita. Os blocos mostraram que podem virar escolas do Grupo de Acesso. A decisão das escolas de não ter disputa, neste ano, deu um gás a mais, elas desfilaram mais leves, mais soltas, mais descontraídas e com muita criatividade”, disse o presidente da Comissão de Carnaval, Jaciel Teixeira. A festa terminou só depois das 3 horas deste domingo (26)..

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal