“Moçambique” a história real do capitalismo em um país destruído

Andreza Rossini

Foto: Divulgação/Festival de Teatro
Foto: Divulgação/Festival de Teatro

O público lotou o teatro Guairinha, em Curitiba, na noite de segunda-feira (3), para assistir uma das três atrações internacionais da 26ª edição do Festival de Teatro.

“Moçambique” usa da ficção na vida do diretor e personagem Jorge Andrade para contar uma história real do país africano.

Da Companhia Mala Voadora, o espetáculo reinventa a história de Jorge, que nasceu em Moçambique e foi para Portugal com quatro anos. A peça conta como seria vida do personagem, caso ele tivesse ficado na terra natal.

Com críticas ao capitalismo e a guerra, a peça retrata – em comédia – um homem rico em um país completamente destruído por um furacão, em 1984. O espetáculo apresenta as questionáveis atitudes tomadas por um grupo de empresários para conseguir mão de obra, lucro e se proteger dos “rebeldes” que destruíam Moçambique durante a guerra.

Foto: Divulgação/Festival de Teatro
Foto: Divulgação/Festival de Teatro

Para aumentar a percepção de realidade do público, são utilizados vídeos e notícias que retratam o período de guerra e os imensos estragos causados no país, com o furacão e a chuva que inundou Moçambique, acabando com os poucos suprimentos do país, baseado em plantações para alimentar a população.

O diretor chama a atenção para graves problemas que afetam a população do país em guerra, como a racionalização de alimentos e falta de abrigos adequados para os refugiados.

Sobre esse jogo de realidade versus ficção ou releitura de uma outra realidade, Andrade revelou ao “Porto 24”, em setembro do ano passado: “Eu gosto de fazer de conta. Gosto da ilusão. Não me interessa revivalismo do passado e dos 40 anos do fim do colonialismo. Gosto muito de lá estar, mas não sinto aquilo de ‘ai a minha terra’. Interessam-me os quatro mil hectares de terra que eu tento especular e criar uma utopia”, concluiu o autor.

Próximas apresentações

O grupo segue para duas apresentações da peça em São Paulo.  “Moçambique” é a única peça teatral internacional do festival, as outras duas atrações são parte da Movva, com atrações de dança.

Ficha Técnica

Texto e direção: Jorge Andrade.

Elenco: Isabél Zuaa, Jani Zhao, Jorge Andrade, Jorge Neto, Matamba Joaquim, Tânia Alves, Welket Bungué.

Cenografia: José Capela.

Figurinos: José Capela com execução de Aldina Jesus.

Vídeo: ANIMA e Bruno Canas.

Trilha sonora: Rui Lima e Sérgio Martins. Luz Rui Monteiro .

Fotografias de cena: Bruno Simão e José Carlos Duarte.

Assistência: Francisco Campos Lima .

Direção de produção: Joana Costa Santos.

Previous ArticleNext Article