Corrupção policial em Londrina: servidores exigiram propina de R$ 55 mil

Redação

As investigações giram em torno de um grupo composto por policiais civis e advogados

Uma operação de combate à corrupção policial em Londrina, no noroeste do Paraná, foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (1º), para cumprir nove mandados de busca e apreensão e sete medidas cautelares.

A ação conjunta entre a PCPR (Polícia Civil do Paraná) e o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) incluí o afastamento das funções públicas de cinco policiais civis.

INVESTIGAÇÕES SOBRE CORRUPÇÃO POLICIAL EM LONDRINA INICIARAM EM 2019

As investigações iniciaram em abril de 2019 e giram em torno de um grupo composto por policiais civis e advogados que teriam praticado crimes de peculato, corrupção passiva e concussão.

Os ilícitos teriam sido cometidos nos anos de 2017 e 2018 e têm relação com investigações em curso à época, que tramitavam na 10ª Subdivisão Policial de Londrina.

Em um dos casos, um dos advogados encaminhou uma mensagem de áudio via aplicativo de celular para um cliente investigado, citando o nome dos policiais que receberiam “propina” para não envolvê-lo na investigação.

Em outro fato investigado, servidores teriam exigido, através de um outro advogado, o pagamento de R$55.000,00 para não atuarem em flagrante delito um investigado.  A investigação também contempla eventuais subtrações de objetos apreendidos em uma busca e apreensão realizada pelo grupo criminoso.

Previous ArticleNext Article