Saúde envia vacinas para os estados, e vacinação começa em todo o Brasil na quarta

Redação

ministério da saúde vacinas estados são paulo

O Ministério da Saúde envia seis milhões de doses da Coronavac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, para os 26 estados do Brasil mais o Distrito Federal. O ato simbólico acontece às 7h com a presença de alguns governadores. João Doria (PSDB), de São Paulo, não participará.

O ministro Eduardo Pazuello não informou a quantidade de doses para cada estado, mas confirmou que a divisão é feita de forma proporcional e os envios serão feitos simultaneamente. Conforme o cronograma estabelecido, os estados tem a terça-feira (19) para a redistribuição das vacinas aos municípios.

Com isso, a ideia é que todo o Brasil comece a vacinação contra covid-19 na quarta-feira (20), às 10h. Os grupos prioritários já foram definidos: os primeiros vacinados serão profissionais de saúde, idosos e indígenas.

BRASIL AINDA AGUARDA POR VACINAS DA ÍNDIA

Apesar da primeira remessa ser distribuída, o governo federal ainda busca a importação de dois milhões de doses da vacina de Oxford/AstraZaneca da Índia. No final da semana passada, a gestão Jair Bolsonaro fracassou na tentativa de transportar os imunizantes e agora tenta resolver o imbróglio diplomaticamente.

O Ministério da Saúde justificou o episódio com a pressão sobre as autoridades indianas, que não quiseram atender a demanda brasileira antes de começar a vacinação na própria população. Já como a Índia começou a vacinação nesse último final de semana, o Brasil espera obter as vacinas ainda nesta semana.

Por fim, a pasta comandada por Pazuello ressaltou que todo o processo burocrático está em dia: o pagamento e as autorizações de transporte estão em dia.

MÁ RELAÇÃO ENTRE SAÚDE E SÃO PAULO

Outro ponto importante nesse início de vacinação é que o governo de São Paulo já iniciou a vacinação neste domingo (17), logo após a autorização do uso emergencial por parte da Anvisa. A primeira vacinada foi a enfermeira negra Mônica Calazans.

As vacinas são trunfos do governador João Doria (PSDB) na disputa política com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e foram motivo de acusações fortes entre ambas as partes. Pazuello acusou Doria de fazer marketing, e o tucano respondeu que o governo federal dá golpe de mortes durante a pandemia.

Além disso, Doria divulgou que vai encaminhar 50 mil doses da cota de São Paulo diretamente, ou seja, sem intermédio da União, aos profissionais de saúde de Manaus, que vive o colapso no sistema de Saúde, porque não confia mais no Ministério da Saúde. 

Previous ArticleNext Article