Brasil vence a Espanha e é bicampeão do futebol masculino nas Olimpíadas

Pedro Melo

Brasil seleção brasileira olímpica Espanha medalha de ouro olimpíadas Tóquio futebol masculino

A seleção brasileira é bicampeã no futebol masculino das Olimpíadas. O Brasil ganhou a medalha de ouro em Tóquio-2020 com a vitória por 2 a 1 sobre a Espanha na decisão. A conquista aconteceu em Yokohama, no mesmo estádio do penta da Copa do Mundo de 2002.

A decisão teve todo o drama de uma disputa de medalha de ouro. O Brasil saiu na frente com Matheus Cunha, mas a Espanha empatou com Oryazabal. O gol do título brasileiro foi marcado por Malcom, que saiu do banco de reservas, no segundo tempo da prorrogação.

Depois de 13 edições sem subir ao lugar mais alto do pódio, a seleção brasileira conquista o ouro pela segunda vez consecutiva. Além disso, o futebol masculino conquista a quarta medalha seguida em Olimpíadas e repete o feito da Iugoslávia, que ganhou três pratas em 1948, 1952 e 1956 e um ouro em 1960.

A campanha do ouro do futebol masculino começou com vitória sobre a Alemanha por 4 a 2 na reedição da final da Rio-2016. Ainda na fase de grupos, empate em 0 a 0 com a Costa do Marfim e vitória por 1 a 0 sobre a Arábia Saudita. No mata-mata, o Brasil ganhou do Egito por 1 a 0 nas quartas e passou pelo México nos pênaltis por 4 a 1 na semi.

Com o pódio do futebol masculino, o Brasil chega a sete medalhas de ouro e iguala o recorde da Rio-2016. A delegação brasileira ainda pode ganhar mais dois ouros no último dia de competições das Olimpíadas. A seleção feminina de vôlei joga a final contra os Estados Unidos e a boxeadora Bia Ferreira decide a categoria até 60 kg diante da irlandesa Kellie Anne Harrington.

SELEÇÃO BRASILEIRA GANHA A MEDALHA DE OURO COM GOL NA PRORROGAÇÃO

O primeiro tempo foi equilibrado e a Espanha teve a primeira chance aos 16 minutos. Após cabeceio de Oryazabal, Diego Carlos desviou contra a própria meta, mas se recuperou a tempo e tirou em cima da linha.

A resposta da seleção brasileira teve a grande chance de abrir o placar aos 38. Matheus Cunha caiu na área após trombada com o goleiro Unai Simón e o árbitro marcou pênalti após olhar o lance no vídeo. Na cobrança, Richarlison bateu muito mal e mandou por cima.

A penalidade desperdiçada não afetou o Brasil, que marcou o primeiro gol já nos acréscimos. Claudinho cruzou na segunda trave, Daniel Alves evitou a saída de bola e mandou na marca do pênalti. Matheus Cunha ganhou de dois zagueiros e chutou colocado para o fundo das redes.

Em desvantagem, a Espanha mudou duas vezes ainda no intervalo, mas a seleção brasileira começou melhor. Aos seis minutos, Claudinho tocou para Matheus Cunha, que deixou para Richarlison. O camisa 10 cortou o marcador e chutou no travessão.

O time espanhol tomou conta da partida durante a etapa final e empatou a partida aos 16. Bryan Gil abriu para Soler, que cruzou de primeira na segunda trave. Oyarzabal apareceu nas costas de Daniel Alves e apenas completou para o gol.

O empate deu ainda mais moral para a Espanha, que perdeu duas grandes oportunidades de marcar o gol da vitória no tempo normal. Aos 39, Soler recebeu do lado direito e cruzou na área. A bola foi em direção à meta e bateu no travessão. E aos 42, Bryan arriscou chute de forte de fora da área e também acertou o travessão.

Antes do início da prorrogação, o técnico André Jardine realizou a primeira mudança da seleção brasileira na partida com Malcom no lugar de Matheus Cunha. E foi justamente o jogador que saiu do banco de reservas que marcou o gol do ouro. Aos três minutos do segundo tempo, Malcom recebeu belo passe de Antony, invadiu a área e chutou na saída de Unai Simón.

FICHA TÉCNICA – BRASIL 2X1 ESPANHA

Data, hora e local: sábado (07), às 8h30 (horário de Brasília), no estádio de Yokohama, no Japão.

Brasil: Santos; Daniel Alves, Nino, Diego Carlos e Guilherme Arana; Bruno Guimarães, Douglas Luiz e Claudinho (Reinier); Antony (Gabriel Menino), Richarlison (Paulinho) e Matheus Cunha (Malcom). Técnico: André Jardine.

Espanha: Unai Simón; Oscar Gil, Eric Garcia, Pau Torres e Cucurella; Zubimendi (Moncayola), Merino (Soler) e Pedri; Olmo, Oyarzabal (Rafa Mir) e Asensio (Bryan Gil). Técnico: Luis de La Fuente.

Gols: Matheus Cunha (BRA), aos 46′ do primeiro tempo, Oyarzabal (ESP), aos 16′ do segundo tempo, e Malcom (BRA), aos 3′ do segundo tempo da prorrogação.

Cartões amarelos: Guilherme Arana, Richarlison, Matheus Cunha (BRA); Eric Garcia (ESP).

Arbitragem: Chris Beath (AUS), auxiliado por Anton Shchetinin (AUS) e George Lakrindis (AUS). O responsável pelo VAR é Abdulla Al-Marri (QAT).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="781481" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]