Pleno do TJD-PR exclui Cascavel CR do Paranaense por falsificação de testes da Covid-19

Pedro Melo

cascavel cr tjd-PR paranaense

O Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) aumentou para 720 dias a pena do Cascavel CR pela falsificação de testes da Covid-19. O caso aconteceu antes da partida contra o Athletico, em 30 de abril, pela quarta rodada do Campeonato Paranaense.

Os auditores do TJD-PR decidiram aplicar a pena máxima dos artigos 191 do Código Brasileira de Justiça Desportiva (CBJD) – deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento de regulamento geral ou especial, de competição – 234 – falsificar, no todo ou em parte, documento público ou particular, omitir declaração que nele deveria constar, inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que deveria ser escrita, para o fim de usá-lo perante a Justiça Desportiva ou entidade desportiva.

A decisão é que a punição seja imediata, o que significa que o Cascavel CR está excluído do Campeonato Paranaense. Mesmo rebaixado para a segunda divisão, o clube cascavelense tentará um efeito suspensivo para disputar a última rodada. Caso não consiga, o Maringá vence por W.O. e pressionará ainda mais Athletico, Coritiba e Cianorte.

Outros punidos

O diretor de futebol do Cascavel CR, Anthony Perekles Gonçalves de Almeida, foi suspenso em 720 dias e multa de R$ 100 mil de forma unânime. A pena é a mesma para os demais dirigentes envolvidos no caso. Já o lateral-direito Lapa, o volante Castro e o atacante Gabriel, que foram absolvidos em primeira instância, foram punidos em seis partidas no artigo 258 – assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código.

Relembre o caso do Cascavel CR

A situação aconteceu na partida do Cascavel CR contra o Athletico, no dia 22 de abril, em jogo atrasado da quarta rodada do Campeonato Paranaense. O lateral-direito Lapa, o meia Castro e o atacante Gabriel Oliveira foram confirmados entre os titulares, mas retirados da equipe depois do aquecimento. O clube afirmou que o trio estava com febre, mas a Federação Paranaense de Futebol (FPF) revelou as falsificações dos testes após o jogo.

Depois da suspeita, o Cascavel CR teve a saída de vários jogadores – goleiro Tom Cristian, zagueiros Daniel e Fernando e atacantes Wilson, Lucas Coelho e Gabriel Oliveira. O técnico Luiz Carlos Cruz, que se revoltou com a saída do trio antes da partida contra o Athletico, pediu demissão após o caso ser revelado.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="763890" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]