Torcedores do Athletico se despedem de Sicupira com muitas homenagens

Pedro Melo

Barcímio Sicupira Athletico velório Arena da Baixada

Os torcedores do Athletico se despediram de Barcímio Sicupira Júnior, maior artilheiro da história do clube, com 158 gols, que faleceu no domingo (07) aos 77 anos. O velório do ‘Craque da 8’ foi aberto para o público durante esta segunda-feira (08), na Arena da Baixada.

A movimentação de pessoas foi maior na parte da tarde, quando a torcida organizada ‘Os Fanáticos’ também esteve presente. Os torcedores cantaram o hino do clube, gritaram o nome de Sicupira e aplaudiram o ídolo rubro-negro.

(Colaboração/João Paulo Dalagassa)

Entre os presentes no velório de Sicupira estavam os técnicos Adilson Batista, Levir Culpi e Tcheco, além do ex-volante Cocito e o ex-atacante Paulo Rink. O zagueiro Nicolas Hernández e o técnico Alberto Valentim também foram até a Arena da Baixada para se despedir.

Outro que prestou homenagem para o ‘Craque da 8’ foi o presidente do Conselho Administrativo do Athletico, Mario Celso Petraglia. “Nós frequentamos a Boca Maldita e a Rua XV ainda quando adolescentes. Somos nascidos no mesmo ano, convivi com o Sicupira desde menino. Depois, ele foi jogar no Botafogo, no interior de São Paulo e veio jogar conosco. Foi uma caminhada linda desse jogar que se transformou em ídolo do nosso clube”, disse, em conversa com a imprensa.

A IMPORTÂNCIA DE BARCÍMIO SICUPIRA PARA O FUTEBOL PARANAENSE

Sicupira é o maior artilheiro da história do Athletico, com 158 gols marcados, sendo o primeiro de bicicleta logo na estreia contra o São Paulo.

Como jogador, o ‘Craque da 8’ ainda acumulou passagens de destaque pelo Botafogo, pelo Corinthians e pelo Botafogo de Ribeirão Preto. No time carioca, o ‘Craque da 8’ jogou ao lado de Garrincha e Zagallo. Já no Timão, ele foi companheiro de Rivellino.

A marca de 158 gols marcados pelo Athletico se torna ainda mais expressiva, porque encerrou a carreira com apenas 31 anos de idade, em 1975.

Desde 1999, Sicupira ganhou destaque também fora dos gramados e se tornou comentarista esportivo, trabalhando em quatro Copas do Mundo e diversas competições pela rádio Banda B.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="802012" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]