Empreendedorismo feminino: a ação de agentes locais de inovação

Redação

Agentes Locais: Paloma Grubba

A startup e-Delas, que oferta ensino empreendedor para mulheres por meio de cursos e especializações, aposta na importância do trabalho de agentes locais e está investindo na capacitação de seus associados para ajudar a mudar o perfil do empreendedor paranaense. De acordo com a pesquisa GEM 2019 (Global Entrepreneurship Monitor), um termômetro do empreendedorismo no Brasil, os principais entraves para a abertura de negócios capitaneados por mulheres são acesso a crédito, falta de uma rede de apoio e falta de conhecimento sobre negócios.

“A e-Delas pode ajudar a solucionar as duas últimas questões, dando suporte técnico para as futuras empresárias e construindo uma rede de apoio local, que será fortalecida nos cursos de capacitação”, argumenta Paloma Grubba, sócia da startup, que acaba de ser nomeada agente local de inovação pelo Sebrae.

Para se tornar uma agente local de inovação Paloma enfrentou um processo seletivo semelhante ao de um concurso público, com fases de testes e entrevistas, terminando com uma etapa de capacitação que envolveu postulantes de outros estados. “Durante o processo eu pude entender qual o papel do agente local de inovação, que é propor soluções ao empresário para ajudá-lo a aumentar a produtividade do negócio, principalmente por meio do uso da tecnologia, aumentando o faturamento e reduzindo custos”, acrescenta a sócia da e-Delas.

O Sebrae trabalha com a metodologia pautada nestes indicadores, visando redução de custos e aumento da produtividade com o menor número de pessoas envolvidas na equipe. “O desafio do agente local de inovação é ajudar o empreendedor a encontrar essa equação”, completa.

A grande vantagem dos agentes locais de inovação é que eles  se tornam uma ponte entre o Sebrae e os futuros empreendedores. Além de cursos, capacitações, eventos, mentorias e consultorias, por meio dos agentes de inovação o Sebrae pode impactar positivamente as empresas, indo além de suas funções já conhecidas de facilitar o acesso e disponibilizar crédito.

“A capacitação me trouxe uma visão ampla de qual é o impacto do Sebrae junto às futuras empresárias, todo o acompanhamento que é feito, os produtos que ele oferece para as empresas e de que forma nós, como agentes locais de inovação, podemos transformar a vida das empreendedoras de forma direta, com ações concretas”, ressalta Paloma Grubba.

 

Leia também: Business Round com os dois unicórnios curitibanos

Previous ArticleNext Article