Estrada do Colono ameaça título de patrimônio natural das Cataratas do Iguaçu

Redação

estrada do colono, caminho do colono, estrada parque nacional do iguaçu, caminho do colono, vermelho, parque nacional do iguaçu, cataratas do iguaçu, capanema, serranópolis, unesco, patrimônio natural da humanidade, maravilhas da natureza

A aprovação do regime de urgência para o projeto que pretende abrir caminho para a reabertura da Estrada do Colono, além do risco para a preservação da Mata Atlântica, pode retirar o título de Patrimônio Natural da Humanidade concedido pela Unesco às Cataratas do Iguaçu, localizada no Parque Nacional do Iguaçu, no oeste do Paraná.

Projeto de Lei 984/19, do deputado Vermelho (PSD), cria a categoria de Unidade de Conservação denominada Estrada-Parque e institui a Estrada-Parque Caminho do Colono no Parque Nacional do Iguaçu. A rodovia está fechada desde 1986 por determinação da Justiça. A proposta conta com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Na Câmara dos Deputados, o projeto divide opiniões. Para o deputado paranaense, que é sócio de uma construtora que realiza obras de pavimentação, a reabertura da Estrada do Colono “corrige uma histórica injustiça” com os moradores de Serranópolis e Capanema. Afinal, o trecho de 18 km que atravessa o parque cria um desvio e impede a exploração do turismo.

Na justificativa do projeto, Vermelho (PSD) argumenta que a antiga rodovia que ligava os municípios do oeste e do sudoeste paranaense tinha 100 km. Hoje, com estrada contornando a área de preservação ambiental, o trecho é de 179 km. Segundo o parlamentar, essa seria uma demanda de mais de 30 anos dos moradores da região.

Já o deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP) considera uma “aberração” reabrir a Estrada do Colono dentro de um parque que é considerado uma das sete maravilhas do mundo.

PATRIMÔNIO NATURAL DA HUMANIDADE EM RISCO

A reabertura ilegal da Estrada do Coloco fez a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) classificar as Cataratas do Iguaçu como “patrimônio em perigo”, entre 1999 e 2001. As cataratas são reconhecidas pela entidade como um dos patrimônios naturais da humanidade.

13 anos depois de retirar a classificação de risco, a Unesco voltou a alertar para o perigo. Em 2014, um relatório da entidade apontou que “a conservação da biodiversidade na mata atlântica é uma prioridade global e razão principal para a inclusão da região na lista de patrimônios da humanidade, para além das impressionantes cataratas”.

Além disso, a reabertura inconstitucional da Estrada do Colono ameaça o título de Patrimônio Natural da Humanidade, o que também prejudicaria o apelo turístico de toda a região.

No relatório de 2014, o documento ainda alertou para a possibilidade de uma nova legislação sobre estradas-parque legitimar a abertura de mais trilhas, além da Estrada do Colono, colocando em risco outras unidades de conservação do País.

MPF É CONTRA REABERTURA DA ESTRADA DO COLONO

Diante das várias ofensivas contra a maior e uma das únicas áreas de Mata Atlântica preservada no interior, o MPF (Ministério Público Federal) vem alertando há vários anos sobre o perigo que ronda projetos como o apresentado pelo deputado federal Vermelho.

Para a procuradoria voltada ao Meio Ambiente, a reabertura da Estrada do Colono é inconstitucional, pois cortaria uma “área intocável” do Parque Nacional do Iguaçu.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="769693" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]