ônibus curitiba greca

Greca sonha com 500 novos ônibus em 2020 em Curitiba: “o povo vai andar de Mercedes Benz”

Rafael Greca, prefeito de Curitiba, participou da entrega de 20 novos ônibus, com chassi da Mercedes Benz, à cidade nesta terça-feira (21) e disse que espera, pelo menos, mais 450 veículos até o fim de 2020. A ação dá sequência ao projeto de renovação do sistema de transporte público – desde 2017, foram entregues 337 novos veículos.

“O povo vai andar de Mercedes Benz. São ônibus padrão Euro 5, com todas as facilidades de acessibilidade para as pessoas de idade e com deficiência”, celebrou Greca antes de dar uma expectativa da nova frota até o final de 2020. “Devemos chegar à 450 ou até mais, mas meu sonho são 500 ônibus até o fim desse ano”, completou.

Eles vão atender 12 linhas: Vila Marisa, Mário Jorge, Cotolengo, Fazendinha/Caiuá, Itatiaia, Jardim Ludovica, Jardim da Ordem, Caximba/Olaria, Lindoia, Dom Ático, Portão/Santa Bernadethe e Novo Mundo.

Os veículos contam com iluminação interna de LED, sinalização em braile, sistema de comunicação por auto-falante, além de quatro câmeras de segurança. “São do padrão do bem que desejamos para Curitiba”, ressaltou Greca.

Além disso, 14 dos 20 novos ônibus podem transportar até 87 passageiros, tendo 12 metros de comprimento e motor dianteiro. Já os outros seis têm 9,6 metros de comprimento e são capazes de transportar 65 passageiros.

Luiz Alberto Lenz César, diretor-executivo das empresas de ônibus, também participou do evento realizado na no estacionamento da Rua da Cidadania do Pinheirinho.

“É uma alegria poder cumprir o termo de acordo traçado entre as empresas de ônibus e o poder público. É uma grande satisfação vermos que a população está sendo servida com novos ônibus. Hoje nós estamos deixando um legado bastante interesse para nossos passageiros”, comemorou.

Hoje, o sistema de Curitiba é composto por cerca de 1.250 ônibus que transportam 1,23 milhão de passageiros por dia. São 254 linhas, operadas por três consórcios, que realizam, em média, 14,1 mil viagens por dia e percorrem mais de 273 mil quilômetros.

NOVAS TECNOLOGIAS NOS ÔNIBUS DE CURITIBA

ônibus curitiba greca
40 novos ônibus foram entregues em Curitiba. (Daniel Castellano / SMCS)(Daniel Castellano / SMCS)

A principal novidade dos 20 novos veículos são os avanços tecnológicos, que devem ser oferecidos em até seis meses. Um dos principais é a possibilidade de pagar a tarifa com cartão de débito e crédito, incluindo com smartphones.

“O pagamento do bilhete com cartão facilita o acesso das pessoas ao transporte coletivo. E a ideia é que as pessoas passem a usar mais o transporte coletivo de Curitiba”, diz Ogeny Maia Neto, presidente da Urbs (Urbanização S/A).

A mudança nas opções de compra da tarifa não interfere para quem já possui o cartão-usuário – que pode ser recarregado pelo celular ou nos terminais, além dos pontos físicos da Urbs espalhados por Curitiba.

A expectativa é que as novas formas de pagamento passem a funcionar em até 40 dias, já que ainda falta o credenciamento das empresas operadoras de cartão.

Além disso, os ônibus vão ter biometria facial. O serviço vai ajudar a fiscalizar o serviço de gratuidades no sistema do transporte coletivo, como o cartão de estudantes ou os isentos, que hoje são formados pelos idosos e pessoas com deficiência.

“Podemos ver que temos 17% de gratuidades no sistema. Nem sempre quem está usando a gratuidade é quem tem o direito, então é possível melhorar essa regra e detectar possíveis fraudes dentro do sistema”, conclui Ogeny.

Foto da parte interna de um dos novos veículos. (Daniel Castellano / SMCS)
parques de Curitiba - verão - atividades - fins de semana

Seis parques de Curitiba recebem programação especial de verão

Foi lançado neste sábado (11), a programação do Verão Curitiba 2020. Ao todo, seis parques da capital paranaense irão receber diversas atividades nos fins de semana até o dia 16 de fevereiro.

Serão realizadas atividades no Passeio Público e também nos parques Barigui, Bacacheri, Lago Azul, Náutico e Passaúna.

Entre as atividades propostas estão oficinas manuais, circuito infantil de bicicleta, jogos lúdicos de tabuleiro, vivências de esportes náuticos e diversos brinquedos com água, como a lona com água e sabão e os brinquedos infláveis com Futebol no Sabão e Mini-Pedalinhos.

Já durante segunda à sexta, o Passeio Público irá receber ações como circuito infantil de bicicleta, jogos lúdicos de tabuleiro, espaço infantil com blocos de montar e gangorrinhas, pintura no papel kraft e brinquedos inclusivos.

A abertura oficial foi realizado no Passeio Público e contou com a presença do prefeito de Curitiba, Rafael Greca, além de apresentação da banda Lyra e de grupos circenses.

“O Passeio Público, revitalizado, voltou a ser um espaço para os curitibanos e curitibinhas. Agora temos o minipedalinho na piscina inflável no verão, o ninho das garças, que embeleza o local, e muitas atividades, de terça a sábado. Teremos brincadeiras em seis parques da cidade. Bem-vindo o Verão Curitiba 2020″, declarou Greca durante o evento.

Já nos demais parques da cidade, os presentes puderam participar de atividades especiais em meio a natureza. No Parque Náutico foram realizadas vivências em remo e canoagem, com torneios de velas sendo realizados nos próximos finais de semana.

O Parque Passaúna teve demonstrações de canoa havaiana e do stand up paddle, enquanto o Parque Barigui teve programação com lona com água e sabão, circuito infantil de bicicleta, minivôlei, minifutebol, badminton, turnball, bumerangue, bets, frisbee, frescobol e peteca. Jogos lúdicos de tabuleiro, xadrez gigante, pingue-pongue e perna de pau.

motoristas - Câmara Municipal de Curitiba - vereadores - CuritibaPrev - Rafael Greca

Câmara de Curitiba acaba com cargos de motorista no serviço público

Duas pautas encaminhadas pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca, foram votadas em regime de urgência na CMC (Câmara Municipal de Curitiba) nesta segunda-feira (9). As propostas de repasse de R$ 6 milhões ao CuritibaPrev e com a extinção da função de motorista na administração pública da capital paranaense foram aprovadas pelos vereadores.

Com a decisão, a Prefeitura de Curitiba, a FCC (Fundação Cultural de Curitiba), a FAS (Fundação de Ação Social) e o Ippuc (Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba) irão deixar de ter motoristas em seu quadro de funcionários. A proposta foi aprovada com 21 votos favoráveis e três contrários.

Junto do texto original, a vereadora Maria Leticia (PV) protocolou subemenda que preserva o direito dos 146 funcionários que atualmente ocupam essas funções.

Mas a vereadora Professora Josete (PT) reclamou do caráter de urgência dado para essa pauta, citando que o serviço público municipal tem sofrido um “desmonte”. “Temos carros parados, de convênios com o governo federal, inclusive, devido à falta de motoristas”, finalizou a líder da oposição na Câmara.

CURITIBAPREV GERA DEBATES

A CuritibaPrev foi criada para ser um regime complementar à previdência da capital paranaense. A proposta de dobrar os investimentos de R$ 6 milhões para R$ 12 milhões, sob justificativa de adiantar as contribuições destinadas ao custeio administrativo foi aprovada por 23 votos contra dez.

Segundo a Prefeitura de Curitiba, o valor inicialmente previsto está dividido em parcelas mensais de R$ 300 mil irá terminar em maio de 2020.

O regime de urgência na votação da pauta foi defendida pelo vice-presidente da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização e presidente da Câmara, Serginho do Posto (PSDB). “Já houve um debate prévio na aprovação desse regime. O fundo começa com certa dificuldade, no sentido que seu custeio precisaria receber um aporte maior, mas está sendo instituída e gerida de forma responsável”, finalizou o vereador.

Mas um dos vereadores que se posicionaram contra o projeto foi Noemia Rocha (PMDB), que reclamou da quebra de etapas de discussão da pauta na Câmara. “Minimamente, tinha que ter passado pela Comissão de Justiça (CCJ) desta Casa. Garantiram no pacotaço que era a solução (para a previdência dos servidores). Não foi feita uma adesão dos federados, houve muita falta planejamento”, finalizou Rocha.

Outra posição contrária a CuritibaPrev apresentada foi feita pelo representante da direção do Sismmac (Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba), Wagner Argenton, que questionou os impactos ao contribuinte curitibano.

“Hoje são R$ 6 milhões. Daqui uns anos, o governo vai pedir mais um pouco. Tirando dinheiro do contribuinte para algo incerto. A CuritibaPrev vai ficar insustentável, porque não há adesões”, finalizou Argenton.

obras paradas linha verde curitiba prefeitura construtora empreiteira suspensa contrato rompido Luiz CostaSMCS

Greca anuncia a retoma das obras na Linha Verde

O prefeito Rafael Greca anunciou na rede social a retomada das obras da Linha Verde Norte, nesta segunda-feira (2), paralisadas em agosto deste ano.

Para retomada das obras foram necessárias a realização de perícia por uma comissão formada por engenheiros da Secretaria Municipal de Obras Públicas e do Instituto Falcão Bauer, foram feitas também análises de procedimentos e de documentos.

Este é o trecho final da via de 22 km e 12 pistas que corta a cidade de norte a sul, ligando as estações de ônibus Solar e Atuba, nos limites entre Curitiba e Colombo.

A obra será executada pelo consórcio Estação Solar, formado pela TCE Engenharia Ltda. e a Construtora Triunfo S.A., segundo colocado no processo licitatório realizado para a eleger a empresa que executaria a obra. O consórcio Estação Solar aceitou assumir a obra após o contrato com a primeira colocada na licitação ter sido rescindido, em agosto deste ano.

A rescisão ocorreu por falhas no atendimento ao cronograma de execução da obra e a lentidão dos serviços. Somente neste Lote 4.1, a Secretaria Municipal de Obras Públicas aplicou 31 notificações na empresa que estava responsável pelo trecho.

O Lote 4.1 foi licitado em 24 de julho de 2018. As propostas foram abertas em 16 de agosto de 2018 e a homologação da vencedora ocorreu em 30 de outubro de 2018. A ordem de serviço para a execução dos trabalhos foi assinada em 7 de novembro do ano passado.

As obras tiveram início em novembro de 2018 e a previsão era que fossem entregues até o final de 2020. Apenas 4,16% da obra foi feito pela empresa que iniciou os trabalhos. Por isso foi dispensada.

Greca - alta hospitalar - cirurgia - hérnia no abdômen - Curitiba

Rafael Greca recebe alta após cirurgia para retirada de hérnia no abdômen

Rafael Greca recebeu alta do Hospital Marcelino Champagnat, em Curitiba, neste domingo (1), após ter passado três dias internado para passar por uma cirurgia de retirada de uma hérnia no abdômen na última quinta-feira (28).

O prefeito de Curitiba irá passar o domingo em sua residência e nesta segunda-feira (2), já cumpre sua agenda de compromissos na Prefeitura, embora não possa passar por exercícios físicos nos próximos 90 dias.

A cirurgia na parede do abdômen foi realizada em caráter preventivo, com os médicos avaliando ser um bom momento clínico para realizar o procedimento.

Greca já foi hospitalizado quatro vezes desde que foi eleito para seu segundo mandato no executivo municipal, sendo que em 2018 precisou ser internado em caráter emergencial para retirar uma hérnia, que já apresentava quadro infeccioso.

Com novas eleições municipais marcadas para 2020, Greca ainda não confirmou oficialmente se irá tentar a reeleição, embora já tenha adotado o discurso de que será candidato em diversos momentos desse mandato.

greca prefeito curitiba cirurgia

Greca passa bem após cirurgia e deve ter alta em até sete dias

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), passa bem após uma cirurgia realizada na manhã desta quinta-feira (28). Ele foi submetido à uma retirada de hérnia no abdômen, apesar do procedimento não ter caráter emergencial.

Ele foi internado ontem (27), com desconforto e náuseas, e diagnosticado com uma tomografia. Devido as boas condições clínicas, Greca preferiu fazer a intervenção cirúrgica agora.

“Ele está muito bem, consciente desde o pós-operatório. Extremamente lúcido, conversando. Talvez hoje comece com alguma dieta via oral. Uma previsão média fica de 5 a 7 dias internado. Isso varia muito com a evolução do quadro”, disse o Dr. Marco Aurélio de George, cirurgião-geral do hospital Marcelo Champagnat e líder da equipe que operou Greca.

Apesar de voltar às atividades de prefeito após esse período, Greca não poderá fazer exercícios físicos em até 90 dias.

GRECA PASSOU POR CIRURGIA ‘CONFORTÁVEL’

Essa foi a quarta internação de Greca desde que ele foi eleito, em 2016. Em 2018, ele também retirou uma hérnia, mas em um cenário mais complicado.

“Ano passado ele fez o internamento emergencial, com quadro infeccioso. Essa cirurgia [de hoje] é muito mais confortável e mais segura para o paciente”, completou o Dr. Marco Aurélio.

Por fim, o médico ainda ressaltou que a hérnia é uma doença inata, que qualquer pessoa pode ter em qualquer fase da vida.

“É um risco de ter um estrangulamento da hérnia, com consequências de infecção. E isso pode acontecer a qualquer momento. Por isso Greca fez a cirurgia agora, exatamente pelo caráter preventivo”, concluiu o cirurgião.

Pesquisa Eleitoral: Rafael Greca lidera disputa pela prefeitura de Curitiba em 2020

O Instituto Paraná Pesquisas realizou um levantamento sobre intenções de voto para as eleições municipais que ocorrem em 2020.

O Instituto ouviu 904 eleitores de Curitiba, entre os dias 16 e 20 de março. A margem de erro é de 3,5%. Foram três possíveis cenários apresentados aos entrevistados.

No primeiro, Rafael Greca, do PMN, tem 19,4%, seguido pelo ex-prefeito Gustavo Fruet, do PDT, que tem 15,7%. Ney Leprevost, do PSD, é o terceiro com 14,8%. Delegado Fernando Francischini, do PSL, tem 13,7%.

Depois vem o ex-prefeito Luciano Ducci, do PSB com 7,2%, Maria Victoria, do PP, tem 4,4%, João Arruda, do MDB, aparece com 3,8%, Miriam Gonçalves, do PT, tem 2,1%, o jornalista Paulo Martins, do PSC, aparece em penúltimo com 1,7%, seguido pelo também jornalista e advogado Ogier Bucchi, do PSL, que tem 0,7%.

Neste cenário, 10% dos entrevistados disseram que não votarão em ninguém. Não souberam responder 6,1%. No segundo cenário, aparece o deputado estadual Goura, do PDT, no lugar de Gustavo Fruet. Miriam Gonçalves sai de cena e entra o deputado estadual Tadeu Veneri, do PT.

Rafael Greca lidera com 21%, Ney Leprevost tem 16,7%, Fernando Francischini tem 16,4%. Na quarta posição aparece Luciano Ducci, com 9%, depois Maria Victoria, com 5%.

Na sequência: Tadeu Veneri tem 4,8%, João Arruda, 4,0%, Goura tem 3,3%, Paulo Martins, 1,9% e Ogier Bucchi tem 0,8%. Neste cenário, 11% disseram que não vão votar em nenhum dos possíveis candidatos. Não souberam ou não opinaram 6,3% dos eleitores abordados.

A terceira hipótese traz uma lista mais enxuta, com apenas 6 possíveis candidatos. Rafael Greca permanece liderando com 23,3%, Ney Leprevost tem 22,7%, Fernando Francischini tem 20,5%, João Arruda tem 5,8%, Goura tem 4,1% e Miriam Gonçalves fecha a lista com 3,8%. O Instituto Paraná Pesquisas também questionou os entrevistados sobre a avaliação da gestão de Rafael Greca. O índice de aprovação foi de 57,6%. Por outro lado, não aprovam a gestão do atual prefeito 39,2% dos eleitores curitibanos.

Manifestantes pedem congelamento da tarifa em R$ 4,25

O reajuste das tarifas de ônibus de Curitiba e região levou cerca de 300 pessoas às ruas do Centro da cidade. Os manifestantes saíram da Praça Rui Barbosa e marcharam até o Terminal do Guadalupe.

Encabeçado pelo Movimento de Luta do Transporte Coletivo (MLTC), o ato complicou o trânsito por onde passou. Bloqueios temporários foram montados por agentes da Setran.

A tarifa será reajustada a partir da zero hora desta quinta-feira (28). É o primeiro aumento desde fevereiro de 2017. O reajuste vale para Curitiba e para mais nove municípios metropolitanos: Colombo, São José dos Pinhais, Pinhais, Almirante Tamandaré, Quatro Barras, Campo Largo, Araucária, Fazenda Rio Grande e Campina Grande do Sul.

A passagem de ônibus passará de R$ 4,25 para R$ 4,50, um reajuste de 6% definido pela Urbanização de Curitiba S/A (URBS). Segundo a prefeitura, o valor ficou abaixo da inflação, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPCA). Foi 5,8% contra 6,7%, considerando o período de fevereiro de 2017 (último reajuste) a janeiro de 2019.

Os manifestantes pediram o congelamento da tarifa de ônibus em R$ 4,25 e uma revisão da licitação das empresas responsáveis pelo transporte da capital.

Quase metade não paga passagem

O sistema transporta por dia 1,3 milhão de passageiros. 600 mil são pagantes. Os demais usufruem de isenções asseguradas em lei. Fazem parte deste grupo idosos, pessoas com deficiência, estudantes (meia passagem) e ainda os passageiros da Região Metropolitana que entram no sistema urbano pelas integrações.

Tarifa com valor atual

Os usuários do transporte coletivo têm até esta quarta-feira (27) para carregar o cartão com créditos no valor atual, de R$ 4,25. O limite é de 220 passagens, que ficaria em R$ 935,00.

Se o cartão foi carregado com o preço atual, cada vez que passar na catraca, será descontada uma passagem no valor de R$ 4,25. Somente nos carregamentos posteriores ao reajuste da passagem é que serão descontados os R$ 4,50 a cada uso.

O prazo de validade dos créditos do cartão-transporte é de um ano.

Como comprar

Dá para carregar o cartão diretamente na URBS, nos postos de venda autorizados e pelo site da empresa – na aba compra de crédito.

Há postos de atendimento da Urbs na Rodoferroviária de Curitiba e nas Ruas da Cidadania, exceto a da CIC. O horário de funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 12h30 às 18h30. O pagamento deve ser feito em dinheiro e o carregamento do cartão é imediato. Nos postos da Urbs não é cobrada taxa de carregamento.

Em postos autorizados, como bancas de revistas, é cobrada uma taxa de R$ 1,00 para comprar créditos e o carregamento é imediato. Esses postos aceitam somente dinheiro.

Se os créditos forem comprados pelo site da Urbs também tem taxa, de R$ 2,04, devido ao custo do boleto. Caso a opção seja por pagamento por meio da Guia de Recolhimento no Banco do Brasil, não é cobrada taxa alguma.

Greca entrega 52 novos ônibus para o transporte coletivo

O prefeito de Curitiba Rafael Greca (PMN), entregou 52 novos ônibus para a frota do transporte coletivo da cidade, nesta quinta-feira (24). Contando com todos os veículos já entregues na gestão Greca, são 117 novos ônibus em circulação na capital.

Segundo o prefeito, até março serão 249 veículos. “Assim será até eu completar a minha promessa de renovação da frota. O ônibus tem acessibilidade para idosos e deficientes, câmeras de segurança e o padrão não poluente Euro5”, afirmou em coletiva de imprensa.

Greca afirmou que não tem informações sobre a nova tarifa do transporte, que deve entrar em vigor neste ano. “Está sendo construída pela Urbs, a Comec e a Secretaria da Fazenda do estado, do município e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano. Temos uma parceria para buscar qualidade e o menor reajuste possível”.

O prefeito se reuniu nesta semana com o governador Ratinho Junior (PSD). Entre os assuntos em discussão está a integração do transporte coletivo que, segundo Greca, será mantida. “As relações são múltiplas, 600 mil pessoas vão e voltam entre as fronteiras [de Curitiba e Região Metropolitana] todos os dias entre os passageiros que andam no sistema. Nossa função é dar a essa grande cidade uma mobilização funcional. Graças a Deus o governador pensa como eu”.

 

Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, deixa o hospital

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN) deixou, no início da tarde desta segunda-feira, o hospital Marcelino Champagnat. Ele recebeu alta médica após 11 dias internado por conta de uma hérnia intestinal. Agora, o prefeito, passará mais uma semana em casa, para concluir o processo de recuperação da cirurgia a que foi submetido na madrugada do dia 29 de dezembro.

Internado às pressas na noite de 28 de dezembro com queixas de indisposição alimentar, Rafael Greca foi diagnosticado com uma hérnia intestinal que causou a perfuração do intestino delgado. Diante deste quadro, o prefeito foi submetido a uma cirurgia de emergência em que foi retirada a parte ferida de seu intestino (aproximadamente 30 cm).

Desde então, Greca passou seis dias na Unidade de Terapia Intensiva do hospital, e mais cinco (contando com a manhã desta segunda-feira) em um apartamento. De acordo com a equipe médica, Greca apresentou boa evolução pós-operatória durante toda a internação.

Agora, a recomendação dos médicos é de repouso domiciliar por mais sete dias, com alimentação leve e curativos na área do corte. Segundo eles, a volta às atividades na Prefeitura pode ocorrer a partir do dia 14/01.

“Neste momento, completamente recuperado, deixo o Hospital Marcelino Champagnat onde fui internado desde dia 28. Agradeço à brilhante equipe médica integrada pelos doutores Marco De George, Anna Flávia, Marlon Rangel e Carlos Eduardo Henze”, postou Greca, nas redes sociais, em legenda de fotos que fez com todos vários funcionários do hospital.

Ao chegar em casa, o prefeito gravou uma mensagem em vídeo. Confira: