prisão da lava jato

Detentos da prisão da Lava Jato tentam rebelião e deixam dois agentes feridos

O Complexo Médico Penal (CMP), conhecido por abrigar os detentos da Lava Jato, teve um episódio inusitado nesta sexta-feira (16). Segundo o Depen-PR (Departamento Penitenciário do Paraná), os presos da 3.ª galeria fizeram um agente penitenciário como refém em uma tentativa de rebelião. O presídio fica localizado em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

No entanto, o tumulto acabou sendo resolvido em minutos. A unidade prisional já está em situação normal, mas dois agentes penitenciários acabaram feridos. Um deles chegou a ter escoriações (cortes na pele) leves e encaminhado ao atendimento médico. Já o outro também foi atendido, só não se sabe qual a gravidade e o ferimento.

Para fechar, o Depen ainda declarou que a galeria que aconteceu o episódio não está superlotada, ou seja, está dentro da capacidade. Além disso, é uma galeria diferente dos políticos presos da Lava Jato. Figuras como o ex-ministro José Dirceu, Paulo Preto, João Vaccari Neto e Léo Pinheiro ainda estão no CMP.

Eduardo Cunha, Sérgio Cabral e Marcelo Odebrecht são outras figuras que já estiveram na prisão do Paraná.

REBELIÃO

Durante a manhã, o Conselho da Comunidade de Curitiba, organismo ligado à Justiça e que atua de maneira independente na fiscalização da situação prisional no Estado, chegou a informar que o CMP estava sofrendo uma rebelião e que haveriam feridos. O Conselho teria sido informado por denúncias dos familiares dos presos.

Procurada pela reportagem, a Secretaria de Segurança Publica desmentiu a revolta dos presidiários.

COMPLEXO MÉDICO PENAL

O CMP é um estabelecimento penal de regime fechado, destinado aos presos do sexo masculino e feminino, em cumprimento de medida de segurança e/ou que necessitam de tratamento psiquiátrico e ambulatorial. O antigo Manicômio Judiciário foi inaugurado em 31 de janeiro de 1969, mudando sua designação para Complexo Médico Penal do Paraná em 21 de dezembro de 1993. Atualmente tem capacidade para abrigar 659 internos.

Justiça bloqueia R$ 5 milhões de ex-vereador e mais oito pessoas

A juíza Fabiane Kruetzmann Schapinsky, da Vara Cível e da Fazenda Pública de Pinhais, determinou o bloqueio de bens de R$ 5 milhões do ex-vereador João Carlos Ribeiro, conhecido como Joãozinho Ribeiro (PSB), um advogado e sete ex-assessores parlamentares por ato de improbidade administrativa. O ex-parlamentar atuou entre 2013 e 2016 na Câmara Municipal de Pinhais. A decisão é do dia 22 de julho e veio a público nesta segunda-feira (5).

A liminar atende a uma ação do Ministério Público do Paraná (MP-PR). Conforme a denúncia, Joãozinho e os demais réus cometeram diversas irregularidades, como apropriação de parte dos vencimentos de servidores (“racha” de salário), recebimento de diárias indevidas (sem a participação em eventos) e funcionário fantasma (recebimento do salário sem a contraprestação do trabalho), que implicaram em enriquecimento ilícito e desvio de dinheiro dos cofres municipais.

“Com isso, e diante da presumibilidade do requisito da urgência, se faz possível a acolhida do pedido inicial para determinar a indisponibilidade de bens dos réus para garantir, no mínimo, a repetição dos valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, a reparação do dano ao erário e o pagamento das correspondentes multas civis imputáveis no caso de procedência”, diz a magistrada no despacho.

Segundo o MP-PR, os fatos chegaram ao conhecimento do Ministério Público via Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), que recebeu, no Núcleo de Curitiba, notícias de apropriação de parte do salário dos servidores pelo ex-vereador. A 2ª Promotoria de Justiça de Pinhais, o Gaeco e a Comissão de Ética da Câmara iniciaram então a apuração dos fatos, o que culminou na ação de improbidade, proposta em julho deste ano.

Se forem condenados por improbidade, os réus estão sujeitos a sanções como a devolução dos valores recebidos indevidamente ao erário, suspensão dos direitos políticos e multa. No total, os bens foram indisponibilizados em R$ 5.069.293,16. Só o ex-vereador teve o bloqueio estipulado em R$ 2.000.232,80.

O-ex vereador nega as acusações. Segundo ele, o processo está em curso há dois anos e não houve condenação.

Conforme Joãozinho Ribeiro, a ação seria resultado de um desentendimento com um colega de mandato, que subsidiou terceiros para que fizessem a denúncia falsa.

Após discussão por ciúmes, homem é preso por ameaçar mulher com arma em Pinhais

Uma discussão quase terminou em tragédia neste sábado (3), em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Um homem foi preso após ameaçar uma mulher com uma arma de fogo dentro de um carro de luxo, na Avenida Iraí.

A confusão começou depois que o homem teria ficado com ciúmes da mulher em uma casa noturna. Ele estava bêbado e os dois resolveram voltar para casa.

Segundo a Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, durante a discussão o homem sacou a arma e efetuou três disparos para o alto para amedrontar a mulher. Em um posto de combustíveis da região, ela pediu ajuda e o suspeito foi detido por funcionários até a chegada da Guarda Municipal de Pinhais.

Em um primeiro momento, o homem negou que estivesse armado e que teria atirado, mas os policiais militares encontraram a arma dentro da bomba de combustível do veículo.

Com capacidade para 12 disparos, a arma estava com nove munições intactas, o que, segundo a Polícia Militar, corrobora com a versão da vítima que disse que o ex tinha feito três disparos em direção a ela.

O suspeito foi levado para a Delegacia de Pinhais, onde confessou que atirou. Ele foi preso em flagrante e responderá por disparo de arma de fogo, porte ilegal de arma, embriaguez ao volante e ameaça por violência doméstica.

 

Comec anuncia mudanças em linhas de ônibus de Araucária e Pinhais

A partir desta semana, duas importantes mudanças acontecerão em linhas de ônibus que atendem Curitiba e Região Metropolitana. A primeira delas ocorrerá já nesta segunda-feira (29), e será a extensão da linha 690 – V. Juliana, operada pela URBS, até o bairro Campina da Barra, em Araucária. Com a mudança, moradores do bairro poderão ir até o Terminal do Pinheirinho, sem precisar ir até o Terminal da Vila Angélica, em Araucária, como ocorre atualmente.

O nome da linha será alterado, passando a se chamar 672 -Tupy/Juliana e seu ponto final passará a ser na Rua Lotus, no bairro Campina da Barra. O atendimento, que havia sido descontinuado em 2017, acabou se tornando uma importante demanda da população local e foi amplamente debatido entre as prefeituras de Curitiba, Araucária e Governo do Estado.

O presidente da Comec, Gilson Santos, destacou a importância da linha e seu significado na relação do Governo do Estado com o Transporte Coletivo. Segundo ele, esta linha atende regiões muito carentes, tanto de Curitiba quanto de Araucária. São pessoas que dependem do transporte coletivo e que agora terão uma opção muito mais rápida e cômoda para se deslocar.

“É importante lembrar também que foi uma promessa de campanha do governador Carlos Massa Ratinho Junior e que agora será uma realidade”, disse. Ainda segundo o presidente, cerca de 1,5 mil usuários deverão se beneficiar com a nova extensão.

A segunda mudança, que passará a operar nesta terça-feira (30), será o lançamento da linha C36 – Pinhais/Centenário, que fará a conexão direta do Terminal de Pinhais com o Terminal do Centenário, em Curitiba. Atualmente, usuários que pretendem fazer este trajeto precisam ir até o terminal do Capão da Imbuia, um trajeto que é praticamente o dobro do que a nova linha irá realizar. Estudos iniciais apontam que o tempo para o trajeto deverá cair de cerca de 35 minutos para apenas 20 minutos.

A demanda, segundo Gilson Santos, é antiga. “Esse pedido é histórico e solicitado na Comec em diversas ocasiões e épocas. Significará um ganho de tempo expressivo para os usuários destas linhas e trará novas possibilidades de conexões entre os terminais”. As passagens custarão R$ 4,50 – mesmo preço da Rede Integrada de Transporte (RIT).

A história do Autódromo Internacional em Pinhais

 

 

.Vídeo sobre a história do Autódromo Internacional.

 

 

Antes da existência de um local próprio, as competições de velocidade em Curitiba eram em locais improvisados, como a BR 116. O autódromo só começou a ser construído no ano de 1965, terminando em 1967, quando o local ainda estava dentro da área da capital. E por isso era conhecido conhecido como Autódromo de Curitiba. A cidade de Pinhais só surgiu em 1992, e a partir daí a região do autódromo passou a integrar o novo município. Inicialmente era um circuito oval, de 3 curvas, e quase 3 quilômetros de extensão. E era usado para competições de automobilismo, motociclismo e ciclismo. E teve ainda outros nomes, como Autódromo de Pinhais,  e depois Circuito Raul Boesel, nome de um piloto curitibano.  Em 1995 o empresário Jauvenal de Oms, conhecido como Peteco, investiu R$ 13 milhões em reformas e modernização do autódromo.

A partir desta época, começaram as provas de várias categorias de velocidade nacionais, como a Fórmula Truck, Copa Turismo, Pick Up, Stock Car, Campeonato Paranaense de Arrancada, Campeonato de Moto Velocidade e Copa Turismo. O autódromo ficou conhecido no Brasil. E por algum tempo, foi considerado o circuito brasileiro mais moderno, e com melhor estrutura, depois de Interlagos. E estava dentro dos padrões da Federação Internacional de Automobilismo.

As dificuldades começaram em 2010, quando já tinha o nome de Autódromo internacional de Curitiba. E até se falou em sua extinção. Por volta de 2016, empreendedores do setor de imóveis, estavam interessados na área, para construir um grande empreendimento na Região Metropolitana de Curitiba. Com a falta de apoio das entidades esportivas, para poder comprar o terreno, o local foi negociado para a construção de um condomínio residencial, e outro comercial. Mas no ano passado, finalmente houve a confirmação de que o autódromo não ia mais ser fechado, podendo manter suas competições por tempo indeterminado.

 

Clique aqui  para encontrar outras publicações desta coluna.

 

Clique aqui  para abrir a nossa outra coluna, “Sua Comunicação”  neste portal.

 

Contato com José Wille

.

.

.

.

 

 

jose.wille

Aberto em Pinhais um dos maiores parques da RMC

O Município de Pinhais inaugurou, na manhã deste sábado, o Parque das Águas, uma dos maiores e mais belos parques da Região Metropolitana de Curitiba. Com as dimensões do Parque Barigui, o novo, parque pretende ser referência em diversidade ambiental, sendo um espaço marcado pela preservação onde fauna e flora se unem para presentear os visitantes com uma natureza exuberante.

Quem for até o local encontrará uma grande estrutura. O Parque conta com pistas de caminhada e ciclovias; sanitários; pontes, bancos, pergolados e portal em madeira; mirante; praças temáticas; bicicletário; academia ao ar livre; parquinho. Terá praça de alimentação externa, onde ficarão os food trucks, e ambulantes na área interna. Além do estacionamento interno, o Parque das Águas também contará com uma área alternativa para parada de veículos ao lado da praça de alimentação.

A iluminação do Parque também foi pensada de maneira sustentável. Foram dispostos 400 postes de LED Solar, que são uma boa alternativa com relação ao custo benefício, pois funcionam de forma autônoma e são alimentados pela energia fornecida pelo sol. Além de reduzir os custos com energia, também tem alta capacidade de iluminação e por conta da durabilidade do material há também economia na manutenção.

Fauna e Flora

Com uma rica diversidade ambiental, no Parque das Águas é possível encontrar algumas espécies de árvores, sendo as nativas: Araucária (Pinheiro-do-paraná); Açoita-cavalo; Aroeira-vermelha; Ipê-roxo; Ipê-amarelo; Juvevê; Vacum; Carobinha; Canela; Cedrinho Bravo; Dedaleiro; Pessegueiro-bravo; Guabiroba; Jabuticaba; Ingá; Araçá; Cereja-do-mato; Pitanga; Paineira; Palmeira Jerivá; Pata-de-vaca; Cássia; Quaresmeira. Árvores exóticas: Eucalipto; Pinheiro-chinês; Eucalipto; Ponkan; Laranja; Limão; Ameixa-amarela; Acerola; Abacate.

A fauna também é rica e podem ser citadas as espécies de peixes: Bagre; Traíra; Lambari; Tilápia; Carpa; Morenita; além de outros animais como: Biguá; Gavião Carcará; Capivara; Garça; Sabiá; Andorinha; Tesourinha; Pato D’água; Mussum; Quero-Quero; Lontra; Lagarto Teiú; Esquilo Serelépe; Marreco Selvagem; Saracura; Bem-Te-Vi; Sanhaçú; Anú Branco; Anú Preto; Tisiu; Tico-Tico; Beija-Flor; Tatu; Gambá.

Acesso

Devido ao amplo espaço que possuirá, a expectativa é de que o Parque receba grande circulação de pessoas, entre visitantes locais e também de outros municípios. A rotatória instalada na entrada da Estrada Ecológica facilitará o acesso ao Parque e às áreas próximas, facilitando o trânsito no local. Outro ponto positivo é que o acesso ao Parque das Águas será facilitado com as obras de duplicação da Rodovia João Leopoldo Jacomel, conduzidas pelo Governo do Estado.

Ônibus que param no Parque das Águas de Pinhais:

  • Linha Parque das Águas – Saída do Terminal de Pinhais
  • Linha Planta Karla – Trajeto Capoeira Grande – Saída do Terminal de Pinhais para Planta Karla (Conferir horários)
  • Linha Curitiba/Piraquara – Saída do Terminal de Piraquara e da Praça Santos Andrade
  • Linha Guarituba – Saída do Terminal de Pinhais e do Bairro Guarituba de Piraquara
  • Linha Vila Macedo – Saída do Terminal de Pinhais e da Vila Macedo de Piraquara
  • Linha Jd. Santa Mônica – Saída do Terminal de Pinhais e do Jardim Santa Mônica em Piraquara.
  • Linha Jd. Bela Vista – Saída do Terminal de Pinhais e do Jardim Bela Vista em Piraquara

 

Pinhais cancela edital que pagaria R$ 21,7 mil para Papai Noel

A prefeitura de Pinhais cancelou o edital de contratação de um Papai Noel que atuaria no bosque municipal durante as festividades de Natal. O processo licitatório para a escolha do “bom velhinho” chamou atenção pois a empresa habilitada receberia mais de R$ 1 mil ao dia pela atividade; e entre as exigências para o cargo estava a proibição de que o profissional fizesse promessas falsas às crianças.

Conforme nota divulgada pelo Departamento de Comunicação e Cerimonial da Prefeitura de Pinhais, a atração que faria parte da Casa do Papai Noel, chegou a ser licitada, mas o contrato não será homologado.

Segundo o município, optou-se pelo cancelamento pois o valor a ser pago pelo serviço foi questionado e será redirecionado para priorizar outras demandas, que não foram especificadas. A proposta vencedora da licitação na modalidade menor preço foi de R$ 21,7 mil para a prestação do serviço por período de 21 dias, com média de atuação de quatro horas diárias.

A prefeitura destacou, no texto sobre o cancelamento, que o processo licitatório correu dentro da legalidade e que os recursos investidos no Natal seguem dotações orçamentárias específicas, advindos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da cidade com o objetivo de fomentar o turismo, incentivar a cultura e movimentar a economia do município. Por causa disso, a informação é de que novas possibilidades serão estudadas para evitar prejuízos ao Natal de Pinhais. No ano passado, a atração recebeu mais de 13 mil visitantes.

 

Guarda Municipal morre em acidente em Pinhais

Um guarda municipal morreu em um acidente na rodovia Deputado João Leopoldo Jacomel, em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

João Antônio Ferreira Júnior tinha 38 anos e atuava como guarda em Fazenda Rio Grande. Ele morreu após bater a moto contra as barras de proteção da rodovia. Com o impacto ele foi arremessado por cerca de 50 metros, até cair em um barranco. O guarda ainda foi socorrido pelo Siate, mas morreu dentro da ambulância.

De acordo com a Polícia Militar (PM), o acidente foi por volta das 8 horas, na pista sentido Piraquara, próximo ao supermercado Carrefour.

Testemunhas relataram à PM que a vítima foi fechada por um caminhão e que, por isso, teria saído da pista. O caminhoneiro não parou para prestar socorro. As causas da colisão ainda são apuradas.

João Ferreira Júnior estava a caminho de um curso de pilotagem da corporação.

Condenado por “Caso do Morro do Boi” morre no presídio, diz advogado

Juarez Ferreira Pinto, condenado a 65 anos de prisão pelos crimes de latrocínio e atentado violento ao pudor no episódio conhecido como “Caso do Morro do Boi”, faleceu no Complexo Médico Penal, em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, neste sábado (14), aos 51 anos.

De acordo com o advogado Cláudio Dalledone, responsável pela defesa de Juarez, o detento era portador do vírus da Aids, Hepatite B e Cirrose e o presídio não tinha estrutura para atender as demandas médicas do paciente.

Morro do Boi – Foto: Divulgação SESC

“No entendimento da defesa, e mesmo dos médicos do CMP, um paciente com um quadro de saúde tão agravado como o de Juarez não teria condições de ser tratado adequadamente no Complexo Médico Penal. Por se tratar de um caso de morte iminente, a defesa persistiu na concessão do benefício, no entanto não houve tempo e Juarez veio a falecer”, diz Dalledone.

A defesa havia entrado com pedido de prisão domiciliar, que foi acatado em 2014 e revogado a pedido do Ministério Público do Paraná (MP-PR) em 2017.

Ainda de acordo com o advogado, o presídio havia remetido nova informação ao Poder Judiciário sobre a falta de estrutura para atender Juarez, na sexta-feira (13). Juarez chegou a ser encaminhado e atendido no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, na RMC.

Foto: Reprodução

O caso

Os crimes aconteceram em janeiro 2009, em Matinhos no Litoral do Paraná.

De acordo com o Ministério Público, Juarez é o responsável pelo latrocínio do estudante Osíris Del Corso, de 22 anos e por tentativa de atentado violento ao pudor e latrocínio de Monik Pergorari Lima, que na época tinha 23 anos.

O casal andava por uma trilha do Morro do Boi no momento dos crimes. De acordo com o Corpo de Bombeiros, Monik relatou que o Juarez abordou o casal na trilha para a Praia dos Amores, Osíris teria a defendido de um estupro e foi baleado no peito. O agressor desapareceu e retornou para violentar Monik, que ficou paraplégica.

As vítimas só foram encontradas na tarde do dia seguinte.

Veja a nota na íntegra:

“A defesa de Juarez Ferreira Pinto, sentenciado a 65 anos de prisão pela prática de crime de latrocínio e atentado violento ao pudor, no episódio que ficou conhecido como “Caso do Morro do Boi” vem a público lamentar que todos os avisos e pareceres de que o detento não poderia cumprir pena no Complexo Médico Penal (CMP), em decorrência de seu grave estado de saúde, tenham sido sumariamente ignorados. Mesmo diante de um parecer do próprio médico do CMP, informando que a unidade não dispunha da estrutura necessária para atender o paciente Juarez, portador do vírus da AIDS, HEPATITE B e CIRROSE, ainda assim a decisão de revogar o benefício de prisão domiciliar a Juarez foi mantida pela Justiça a pedido do Ministério Público Estadual.
Juarez faleceu neste sábado, dia 14 de abril. Antes disso, na sexta-feira, dia 13, o Complexo Médico Penal havia remetido nova informação ao Poder Judiciário, alertando a insuficiência de estrutura para atender o enfermo. Desde 2017, quando o Ministério Público pediu e conseguiu a revogação do benefício da prisão domiciliar, concedido em dezembro de 2014, a defesa de Juarez aguarda o julgamento do recurso impetrado contra a decisão.
No entendimento da defesa, e mesmo dos médicos do CMP, um paciente com um quadro de saúde tão agravado como o de Juarez não teria condições de ser tratado adequadamente no Complexo Médico Penal. Por se tratar de um caso de morte iminente, a defesa persistiu na concessão do benefício, no entanto não houve tempo e Juarez veio a falecer.”

Enfermeiro se recusa a prestar atendimento a menino autista em Pinhais

Da BandNews FM Curitiba

Um menino autista de 11 anos de idade quase deixou de ser medicado em Pinhais, na Grande Curitiba, porque um enfermeiro se recusou a prestar o atendimento. E ele teria feito isso por vingança já que a mãe da criança é autora de uma reclamação feita contra o profissional na Ouvidoria do município no início do ano.

Revoltada, Edilza Cavalcante diz que abriu outro protocolo contra o homem na Prefeitura e que também fez um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

“Na segunda ele foi para escola meio ruinzinho, mas foi. Na terça-feira ele foi para escola e em menos de meia hora a diretora ligou dizendo que ele estava reclamando de muita dor na cabeça e na barriga. Um autista não sabe distinguir a intensidade da dor, por isso eu corri para o médico quando ele reclamou. Doutor Leandro atendeu ele e receitou uma injeção. O Everton (enfermeiro) chamou o Emanuel e quando ele olhou para mim simplesmente disse que não iria me atender”, conta.

O menino já apresentava problemas de saúde desde o fim de semana. No sábado (17), o garoto foi levado pela mãe à UPA, a Unidade de Pronto Atendimento, do município, e foi medicado para evitar que o quadro evoluísse para uma pneumonia, mas os remédios orais e as inalações não surtiram efeito.

Diante da negativa do enfermeiro da Unidade de Saúde Ana Nery, no bairro Alto Tarumã, Edilza teria tentado argumentar dizendo que o paciente era o filho, e não ela, mas nem assim o profissional mudou de ideia.

“Você não pode se recusar a atender meu filho, ele simplesmente virou as costas e foi embora. E eu fiquei com a criança sentada, com uma injeção na mão”, lembra.

Investigação

A nova reclamação foi registrada no mesmo dia e, depois, a mulher foi até a delegacia. Procurada pela reportagem, a diretora do Departamento de Assistência à Saúde de Pinhais, Viviane Tomazoni, garante que uma apuração interna foi instaurada nesta quinta-feira (22) e que o profissional pode até perder o emprego caso fique comprovado que ele negou sumariamente o atendimento ao menino por vingança.

“Existe uma comissão de sindicância de processo administrativo e essa comissão que vai determinar a punição para o servidor […] É um servidor que está há muito tempo na prefeitura, ele nunca mostrou esse problema” explica.

Por outro lado, a diretora esclarece que todas as informações sobre o caso precisam ser levantadas antes de qualquer providência.

“A gente leva em conta que o paciente saiu da Unidade de Saúde com a medicação realizada. Outros servidores também tem problemas com essa paciente, então é por isso que será investigado como está a situação com outros servidores também”, destaca.

Vale ressaltar que o atendimento negado foi determinado pelo médico da unidade de saúde para o menino, e não para a mãe dele. E que, em todo caso, a população tem direito constitucional à assistência médica. A denúncia anterior da mulher foi registrada também após uma negativa de atendimento pelo enfermeiro durante uma crise de hipertensão da qual ela foi vítima.