Justiça manda soltar mulher presa após tentar levar bebê de maternidade

A Justiça determinou que a mulher presa após se passar por uma enfermeira para tentar levar um bebê de uma maternidade e..

Leonardo Gomes - BandNews FM Curitiba - 29 de julho de 2021, 11:32

Foto: Arquivo / Anpr
Foto: Arquivo / Anpr

A Justiça determinou que a mulher presa após se passar por uma enfermeira para tentar levar um bebê de uma maternidade em Curitiba seja solta. Talita Meireles, de 23 anos, foi detida em flagrante no dia 12 deste mês, quando tentava sair do Hospital do Trabalhador com uma criança recém-nascida no colo. Talita é suspeita do crime de subtração de incapaz e está presa no Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais.

Conforme a decisão, apesar da gravidade do crime investigado, não há elementos suficientes para a manutenção da prisão preventiva da mulher. A Justiça ainda proíbe Talita de visitar qualquer maternidade e determina que ela não saia da Região Metropolitana de Curitiba sem autorização judicial e não tenha contato com a família da vítima.

Mulher que tentou levar bebê deve fazer tratamento psicológico

A decisão também determinou que a suspeita faça tratamento psicológico. O caso é investigado pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria). Para a polícia, duas linhas de investigação são levadas em consideração: a de que Talita nunca tenha conseguido engravidar e, por isso, mentiu para os familiares sobre a gestação.

Ou, ainda, que ela realmente tenha sofrido um aborto. Em depoimento prestado momentos após a prisão, Talita disse que não planejou levar qualquer criança para casa, mas, que teve essa vontade ao ver os bebês na maternidade do hospital.

A defesa da mulher alega que ela estava em estado depressivo após ter sofrido um aborto e que pegou a criança em um “momento de desespero e impensado, para tentar suprir sua carência de mãe”. O advogado de Talita sustenta, ainda, que ela é “incapaz de responder pelos atos” e que precisa de ajuda emocional e psicológica.